Translate my page Google

30 de nov de 2018

20 minutos de ondas sísmicas por todo planeta assustam os Geólogos



➤➤ Em seu prefácio à edição de 1941 do
War in the Air,
afirmou que seu epitáfio deveria ser:
"eu te avisei, tolos malditos". 


O grande terremoto de Tokai do século 21 ainda não aconteceu, mas o Japão está se preparando para isso há mais de 30 anos .... Teóricos afirmam que determinados ciclos de eclipses lunares e solares criam pressões de maré mais altas que o normal, principalmente, no Japão.

Muitos são os eventos que propiciarão algum “sacode” de proporções “apocalípticas” no nosso planeta, mas o problema é identificar “qual” e “quando” isso irá acontecer, e nos últimos anos as coisas estão ficando cada vez mais bizarras...

O fato é que nesse mês de novembro de 2018, algo estranho ocorreu no centro da Terra. Ondas sísmicas fora do padrão foram captadas pelos aparelhos de sismógrafos ao redor do globo no dia 11/11 – e os “entendidos” no assunto não sabem o que aconteceu, ou... não querem nos contar.

Detalhe, só estamos sabendo agora sobre esse evento, porque uma pessoa que monitorava a transmissão ao vivo de sismogramas do US Geological Survey notou a forma de onda incomum e postou no Twitter, despertando o interesse de outros geólogos e aqueles que estão vigilantes a qualquer movimento diferente.

Um estremecimento profundo ondulou ao redor do globo terrestre por 20 minutos !!! E dizem que não foi um terremoto. Os primeiros sinais foram originados perto de uma ilha entre Madagáscar e África, atingindo sensores no Quênia, Zâmbia e Namíbia. Mas não pararam por aí, foram se estendendo do Chile, a Nova Zelândia, Canadá e Havaí. O movimento foi forte, mas as pessoas não souberam ou não sentiram nada a ponto de denuncia-las. Foi um abalo sutil.

Meteorito? Vulcão submarino? Teste nuclear? Um ser gigantesco abissal saiu do interior da Terra? Uma Nave mãe submergiu? Um choque de energia espacial? Guerra Intergalática?

"Acho que não vi nada parecido", disse o geólogo da Universidade da Colômbia Göran Ekström. Ekström, especialista em terremotos incomuns, aponta muito sobre o evento de 11 de novembro que foi estranho. Era como se o planeta soasse como um sino, mantendo um tom monótono de baixa frequência ao se espalhar.

Outra teoria possível é que tenha ocorrido uma erupção vulcânica submarina, que teria sido capaz de produzir as formas de onda, entretanto nenhuma evidência de tal evento foi vista - imagens de satélite não teriam registrado a formação de uma “balsa de pedra-pomes” depois de uma erupção submarina.

A French Geological Survey está fazendo levantamentos do fundo do mar para obter informações precisa sobre esse evento, bem como investigar a possibilidade de uma mega erupção submarina.

Nova Zelândia - 24 novembro

O primeiro sinal de um movimento no interior do Oceano é chamado onda primária: ondas de compressão de alta frequência que se irradiam em cachos. Então vem uma onda Secundária: essas ondas de alta frequência tendem a se "mexer" um pouco mais. Só então surgem as ondas superficiais: esses ruídos lentos e profundos tendem a permanecer, e podem circundar a Terra várias vezes. O diabo é que as ondas de 11 de novembro não detectaram nenhuma onda primária ou secundária. Tudo o que registrou foi a onda de superfície profunda e ressonante por 20 minutos!

Os terremotos normalmente produzem ondas de tantas frequências diferentes, que as leituras das ondas parecem mais confusas. Mas a misteriosa forma de onda fez um ziguezague vivo, que se repetia após intervalos regulares de 17 segundos.

Eles são muito legais. Eles são perfeitos demais para serem a natureza”, brincou Helen Robinson, da Universidade de Glasgow, que estuda para um doutorado em vulcanologia aplicada.

Para complicar, nos últimos meses, a atividade sísmica diminuiu e, no dia 11 de novembro, nenhum terremoto tradicional foi detectado.

De acordo com a National Geographic, a análise do Serviço Geológico Francês sugere que a nova atividade pode apontar para grandes movimentos de magma abaixo da crosta terrestre, a quilômetros da costa e sob milhares de metros de água. Grandes movimentos de rocha líquida, ou reverberações através da câmara magmática, podem causar ondas similares àquelas medidas neste exemplo.

Evidência de um evento talvez semelhante a este foi flagrado acidentalmente por um passageiro de avião sobrevoando o Oceano Pacífico ao sul de Raoul Island em 2012 - uma ilha flutuante de pedra-pomes estava visível.

Animais aquáticos se suicidando?
No fim de semana passado (24/11) 145 baleias-piloto morreram na ilha Stewart, a 30 quilômetros da costa sul da ilha Sul - Nova Zelândia. Quando os técnicos de conservação chegaram ao local, cerca de 75 das baleias já estavam mortas. As restantes foram abatidas, devido à sua condição frágil. No domingo seguinte, dez orcas-pigmeias foram encontradas mortas em Ninety Mile Beach, na ilha Norte.


Na Austrália 28 baleias foram encontradas mortas em uma praia no sudeste do país, anunciaram autoridades na quarta-feira (28/11), alguns dias depois de um encalhe em massa de cetáceos igualmente inexplicável na Nova Zelândia.

"É um grande mistério. Não sabemos o que causa isso", afirmou, Gail Wright, da administração do Victoria Parks, acrescentando que, em quantidade, este foi provavelmente o maior encalhe nesta área da Austrália desde os anos 80. 

Hoje, (30/11) - sexta feira, 51 baleias-piloto morreram depois de encalharem numa ilha da Nova Zelândia, elevando para 196 o número de baleias que perderam a vida nas mesmas situações naquele país em menos de uma semana.

Especialistas alegam que os encalhes podem ser causados pela tentativa de escapar de predadores, devido a ferimentos ou doenças...

Muito difícil de ficarmos sabendo a real magnitude desses eventos, como eles podem nos afetar futuramente, mas uma coisa é certa... tem algo muito estranho acontecendo e “eles” não vão nos alertar. Portanto, fica atento. Eu estou atenta.



laura botelho






26 de nov de 2018

Nassim Haramein, em documentário "Universo Conectado"


O Filme Documentário "Universo Conectado" nos revela e inspira a pensar de uma maneira diferente sobre nossa conexão com o Universo e com nossos semelhantes, assim como algumas das maiores mentes da humanidade descobriram que o mundo e o nosso Universo estão mais conectados do que pensava ser possível.

Haramein passou a maior parte de sua vida pesquisando a geometria fundamental do hiperespaço, estudando uma variedade de campos da física teóricacosmologiamecânica quântica, biologia e química a antropologia e antigas civilizações

O físico Suíço, Nassim Haramein, focou a sua vida em pesquisas na física quântica a relacionando à nossa realidade, à nossa existência e ao conhecimento secreto das civilizações antigas como a egípcia com segredos ocultos como a flor da vida e a geometria sagrada.

laura botelho

Como todos os vídeos que postei, aqui vai um aviso - assista hoje, antes que tirem do ar




23 de nov de 2018

Avistado na praia de Itapuã um ser meio homem, meio peixe - um "sereio"



Essa semana publiquei mais um livro, com o tema que adoro explorar - o sobrenatural.
"Machu Picchu e os relicários extraterrestres" - não é um manual de viagem para o Peru, é muito mais que isso. Eu abordo e explico, justamente os fatos estranhos que ninguém nos conta quando vamos visitar um sítio arqueológico em qualquer lugar do nosso planeta, e nesse caso, pesquisei sobre o que vi em Cuzco, no Peru. Fiz uma pesquisa bem profunda sobre as "lendas" que dão suporte aquilo que estamos presenciando nesse passeio a região de Cuzco - o que  faz total sentido com tudo que está presente nesse relicário. Estive lá em 2017 e vi muita coisa que vai contra o censo comum. Construções inexplicáveis - cientificamente falando. Monumentos megalíticos erguidos em blocos de granito rosa em alturas que nos tiram o folego. Enfim, eu explorei argumentos e respostas para aquilo que você sempre quis saber, mas não tem onde encontrar, além de dicas de como baratear sua visita a Machu Picchu e ao arredores de Cuzco. 
Se um dia for visitar, leve esse livro!! 

Agora falando sobre essa notícia bizarra desse semana sobre um suposto "sereio".

Um Tritão tem a parte superior do corpo humano e cauda, ​​barbatana dorsal mole, barbatana dorsal espinhosa, barbatana anal, barbatanas pélvicas e barbatana caudal de um peixe "em tons de mar", segundo Ovídioautor de vários livros com temas sobre sexo, romance, mitologia e metamorfoses, que nasceu em Roma, numa importante família, no ano 43 a.C.

Um “Tritão” passou a ser associado a uma classe de criaturas semelhantes a sereias, que podiam ser masculinos ou femininos, e geralmente formavam a escolta das divindades marinhas. Tritões eram uma raça de deuses do mar.Tritões comuns foram descritos em detalhes pelo viajante Pausânias.

Esses tritões faziam uso de conchas como um trompete. Seu som era uma cacofonia tão grande que, quando explodia ruidosamente, faziam os gigantes fugirem, imaginando que seria o rugido de uma besta selvagem e escura. Segundo contos dos argonautas, seu habitat estaria nas costas da Líbia.

"Mito"? Ficção? As Lulas gigantes eram "mitos" até 2004, quando um grupo de exploradores japoneses filmaram uma...

22 de novembro de 2018
Mais de 100 pessoas presenciaram operação de busca na praia em frente ao Hotel Catussaba (praia de Itapuã) – Salvador – Bahia de um ser “estranho” gigantesco com cabelos compridos que cobriam seu dorso e rosto. Na descrição o ser enorme tinha barbatanas em seu pescoço.

Quem testemunhou esse fato, dizia que o ser afundava e voltava a superfície em outro ponto do mar facilmente. Isso ocorreu por mais de três horas, em plena terça-feira (20). Quem chegou próximo da criatura diz ter sentido um cheiro forte de “presunto fresco”.

Se não for uma encenação artística para a chamada do filme “Aquaman” que estreia dia 13 de dezembro nas telas brasileiras... o caso poderá dar muita repercussão daqui em diante.

O babado começou por volta de 11h de uma pacata terça-feira. Uma turista argentina abordou dois salva-vidas que trabalhavam perto do Hotel Catussaba para alerta-los que havia um “corpo” boiando. Os dois salva vidas saíram em busca desse cadáver e voltaram chocados contando ter visto aquilo que parecia um homem de comportamento sobrenatural.

Funcionária do Hotel Catussaba, foi uma das pessoas que presenciou a jornada dos salva-vidas e a aparição na praia. Ela participava de uma atividade de entretenimento na piscina do hotel, quando uma hóspede viu o que parecia ser um corpo se afogando. Nesse momento, todos que estavam no local foram para a areia tentar ajudar a orientar os salva-vidas.

No início, ela chegou a pensar que era alguém praticando caça submarina. Só que, numa das “subidas” desse “esportista” ela avistou o que realmente parecia ser um corpo. Em um dado momento, o corpo levantou – quase como se uma pessoa fizesse o movimento para deixar o mar, mas de costas para a areia. Pela aparência, ela via um homem de pele escura.

Não vi o rosto, mas de onde eu estava realmente estava na dúvida para enxergar se era cabelo ou (se estava coberto por) algas. Rapaz, todo mundo ficou pasmo. Porque não era só uma pessoa. Todo mundo estava vendo, por isso todo mundo estava preocupado de alguém estar se afogando”.

O ser apareceu perto da bancada de corais usada pelos surfistas. Pessoas descrevem como um homem, com a água cobrindo o corpo da cintura para baixo. Antes dessa confusão, a maré estava calma, logo depois mudou até mesmo o clima no mar.
Arte rupestre caverna no Egito
O áudio pelo WhatsApp que rolou entre quatro salva-vidas da região ganhou mundo. Eles descrevem um “homem” cabeludo, com barbatanas, que afundava e voltava à superfície continuamente. A cena à caça a esse TRITON foi presenciada por cerca de 200 pessoas, entre hóspedes e funcionários do hotel, vendedores ambulantes e outros banhistas e a menos que seja uma hipnose coletiva... aí tem algo fora do normal.

Um corpo apareceu na beira da praia – e era nítido que fosse um corpo. No entanto, a cada aproximação dos salva-vidas que tentavam resgatá-lo, o corpo sumia. Afundava de um lado, aparecia de outro

Como a corrente está descendo sentido Farol de Itapuã, ele ia no sentido (Praia do) Flamengo (oposto) e voltava como se tivesse brincando com a gente. Parecia que tinha uma barbatana pequena atrás do pescoço”, narrou um.

Nunca era visto de frente – apenas com os cabelos cobrindo o rosto e as costas. “Gigante”, completa a voz.

Um salva-vidas disse que, da beira da praia, era possível ver quando o corpo ‘levantou’ a cabeça. Era como se fosse a cabeça de uma tartaruga, mas não era uma tartaruga. Na gravação, ele conta que, na hora, acreditou que fosse alguém vestindo uma roupa de mergulho. Numa nova subida, conseguiu avistar a cabeça e uma parte do dorso, que voltou a mergulhar.

"Quando ele mergulhou, percebi que tinha uma pequena barbatana nas costas dele, bem colado com o pescoço, com a cabeça. Mas como eu pensei que fosse um mergulhador, imaginei que fosse um equipamento ou alguma coisa do tipo. Ainda falei com a senhora: 'não se preocupe, não, o rapaz está mergulhando e tal'", conta.

No áudio, o salva-vidas afirma ter avistado até o quadril do homem. Era um cara enorme, descreve. Mesmo com muito cabelo, a parte de cima da cabeça era careca. Naquele momento, teve certeza de que era um corpo. Mas só aparecia de costas, com o cabelo cobrindo o rosto. Nunca dava para ver os pés.

arte rupestre antiga no Egito
Se fosse mesmo um cadáver, já era para estar sendo levado em direção ao Farol de Itapuã – não o contrário. Mas esse cara ficou. Sei lá o que foi, irmão, uma parada que nunca presenciei em minha vida. Eu não sou supersticioso, só acredito vendo. E ontem eu vi”, narra.

Perto do corpo não identificado, ele afirma ter visto uma tartaruga gigante. O bicho tinha uma cabeça “enorme, pretona”.

Nunca tive medo para fazer salvamento nenhum. Nunca hesitei por sensação de medo. Mas ontem eu tive essa sensação. A gente tinha a sensação de que estava sendo monitorado, observado por alguém. Vai entrar aí para as lendas, porque quem não viu não vai acreditar. Isso aconteceu mesmo. Foi uma coisa sobrenatural, irmão”, completa o salva-vidas.

Quando esse negócio começou a acontecer, parecia que ele fazia um redemoinho por baixo da água. Quando ele subia, dava para ver bem. O rosto nunca virava, foi o que me deixou intrigado”, completou um surfista.

laura botelho

Ouça o vídeo antes que tirem do ar







6 de nov de 2018

Harvard desconfia que objeto próximo a Terra, possa ser alienígena



Oumuamua – língua Havaiana, significa: “mensageiro ou explorador".

Quando a mídia alerta para um assunto de caráter “extraterrestre”, destacando “Harvard”, as pessoas começam a olhar com outros olhos, certo? Então presta atenção a notícia que está circulando na rede essa semana.
 
OUmuamua - ilustração enganosa
Em 19 de outubro de 2017, “Oumuamua” foi o primeiro objeto interestelar já visto por seres humanos na Terra, identificado por A / 2017 U1 pelo astrônomo Robert Weryk usando o telescópio Pan-STARRS no Observatório de Haleakala, no Havaí.

O que chamou atenção do astrônomo foi que esse objeto fez uma curva sob o nosso sistema solar, passando sob a órbita da Terra em 14 de outubro de 2017, a uma distância de cerca de 24 milhões de quilômetros - cerca de 60 vezes a distância até a Lua.

Isso não seria nada de mais, se esse objeto passasse a ganhar impulso de volta acima do plano dos planetas aumentando sua velocidade para 44 Km/s em relação ao Sol, deixando nosso sistema solar lépido e fagueiro, em direção à constelação de Pégaso...

Oumuamua, teria cerca de um quilômetro de comprimento com uma estranha cor avermelhada. Narra a lenda, que o objeto veio e partiu tão rápido, que nenhum telescópio conseguiu imagens dele e o que vemos por aí é uma “simulação” artística de como ele seria...

Stephen Hawking e outros especialistas em 2017, não excluíram a origem extraterrestre do Oumuamua, e outros cientistas alertaram para o seguinte:

"Essa é a órbita mais extrema que eu já vi."
Davide Farnocchia, Ph.D., Centro de Estudos de Objetos Próximos à Terra da NASA (CNEOS), Laboratório de Propulsão a Jato em Pasadena, Califórnia, 19 de outubro de 2017.

"O mais surpreendente é que nunca vimos objetos interestelares passarem antes" -  Karen Meech, astrônoma do Instituto de Astronomia da Universidade do Havaí em Honolulu, especializada em pequenos corpos e sua conexão com a formação do sistema solar.


Lixo sideral?
Esse objeto interestelar - que “não pode ser fotografado” - pode ser uma “vela alienígena”, dizem pesquisadores de Harvard e considerando ser de origem artificial, uma possibilidade é que Oumuamua é uma vela de luz, flutuando no espaço interestelar como um entulho de um equipamento tecnológico avançado...

Passados um ano depois de sua descoberta, semana passada, no dia 1 de novembro de 2018, o presidente do Departamento de Astronomia de Harvard, Avi Loeb, Ph.D., e seu colega, Schmuel Bialy, Ph.D., da Universidade de Tel Aviv, Israel, publicaram um artigo em o arquivo da Biblioteca da Universidade de Cornell intitulado;

 A pressão de radiação solar poderia explicar a aceleração peculiar de Oumuamua?”


Oumuamua mostrou desvios de uma órbita de Kepler com uma significância estatística alta. Discutimos as possíveis origens de Oumuamua, incluindo a possibilidade de que possa ser uma vela de origem artificial… para viagens interestelares.

Outro cenário “científico” - que nos agrada mais - é que, Oumuamua pode ser uma sonda totalmente operacional enviada intencionalmente à vizinhança terrestre por uma civilização alienígena - escreveram os pesquisadores no estudo.

As imagens distribuídas na internet são todas ilustrações de modelos de computador orientadas pelo pessoal de “Harvard”. Não há espectroscopia nem da composição de Oumuamua – um tipo de revelação que poderia agitar demais a macacada.

Fato; estamos muito próximos de uma “revelação”. Os sinais são claros e precisos. Observe o método gentil de contar as mentes infantis sobre a situação do “gato” que subiu no telhado...

Há décadas, nós sabemos que o “gato” morreu, mas para os seguidores de Harvard, ele ainda passa bem... mas com um ligeiro mal estar de cunho "perigoso"... 

laura botelho


3 de nov de 2018

Banda 5G - Quando sua alma se transforma em "coisa"



"E se a reciclagem de almas é a máquina neste universo,
pode-se argumentar filosoficamente que
a entropia neste universo foi projetada
para que houvesse uma reciclagem
de almas para crescer, fortalecer e evoluir ".
Linda Moulton Howe, (meia-noite no deserto)

Demorei a postar novos textos ultimamente, mas por motivos justos; estava em plena campanha para eleger Jair Bolsonaro para Presidente do Brasil. Era o mínimo que eu poderia fazer para quebrar mais de 30 anos de lavagem cerebral nesse país. O transe foi forte, bem arquitetado e não é fácil quebrar esse padrão com tão pouco tempo de informação. Mas tudo acabou dentro do desejado, então agora vamos retornar ao trabalho. Bora pesquisar?!


Os humanos têm uma coisa que os
Seres multidimensionais não têm: a “empatia”

Todos os seres vivos, incluindo seres de outras dimensões, humanos ou não, aparentemente se alimentam de energia. Se duas pessoas estão lutando, disputando uma causa, por exemplo, esses estão criando um monte de energia. Fricção produz energia, certo? Atrito produz energia. Pense nisso. 

Sempre que há guerras, conflitos em curso, todos os seres se alimentam dessa energia que produz o medo (raiva/angustia).

Grays (reptilianos) são uma raça de escravos modificados geneticamente para praticarem o trabalho duro, atuando em na nossa dimensão. São clones sintéticos ou algo assim, não temos clareza ainda do que são feitos, apenas sabemos que são desprovidos de empatia, não possuem alma.

EMPATIA – palavra símbolo traduz a experiência de entender os pensamentos, sentimentos e condições de outra pessoa do ponto de vista deles, e não do seu próprio. Pode se imaginar no lugar da outra pessoa para entender o que eles estão sentindo ou experimentando.

Estamos nos tornando mais individualistas e egocêntricos? Pesquisas neurológicas confirmam que humanos e outros animais sociais, especialmente primatas, são equipados com "neurônios-espelho", que nos dão a capacidade de exibir, ler e imitir sinais emocionais através de expressões faciais e outras formas de linguagem corporal. Os neurônios-espelho nos ajudam a compartilhar experiências emocionais e tornarmos mais empáticos em relação aos outros quando estamos frente a frente, no convívio diário.

A IA (Inteligência Artificial) que nos reserva o futuro, poderia ser desenvolvida durante uma singularidade tecnológica, uma transição abrupta no ambiente – que ocorre quando avanços tecnológicos cada vez mais rápidos - ultrapassam nossa capacidade de prever, perceber ou entender todo esse processo de mudança.

Não está entendendo nada?
Então vamos começar a visualizar algumas coisas

A Internet de banda larga está se tornando mais amplamente disponível, os custos de tecnologia estão diminuindo, mais dispositivos estão sendo criados com recursos Wi-Fi e sensores embutidos, e a penetração de smartphones (celulares inteligentes) aumentou sensivelmente em poucos anos.

Todo esse movimento está nos levando a "tempestade perfeita" para a IoT (The Internet of things) – Tradução literal = Internet das coisas

Mas o que exatamente é a "Internet das coisas" e que impacto isso terá (se terá?) para nossa evolução espiritual?

Simplificando; este é o conceito que basicamente conecta qualquer dispositivo com um botão liga/desliga para a Internet (e / ou um para o outro).

Isso inclui tudo! Desde telefones celulares, cafeteiras, máquinas de lavar roupa, fones de ouvido, lâmpadas, dispositivos portáteis, tatuagens, marca-passos, roupas e tudo mais que você possa imaginar e com certeza desconhece.

A firma de analistas Gartner diz que até 2020 haverá mais de 26 bilhões de dispositivos conectados. Isso é um monte de conexões (estima-se que esse número seja muito maior, mais de 100 bilhões, mas não vamos complicar, vamos “trabalhar” com o mínimo).

A IoT é uma rede gigante de "coisas" conectadas
que também inclui pessoas

Mas para que esse relacionamento de informação entre pessoas-pessoas, pessoas-coisas e coisas-coisas (robôs) aconteça, será necessário um MEGA caminho de ondas eletrônicas de alcance planetário. A nova mente para o futuro será: "qualquer coisa que possa ser conectada será conectada".

De acordo com a firma financeira JP Morgan, os mercados na China, Japão, Austrália e Coréia do Sul registraram uma "depreciação" nas ações de telecomunicações. Esses países provavelmente serão os primeiros na região a lançar o 5G.


Quinta geração (5G)
Quinto Sol, quinta onda,
quinta civilização

O uso de tecnologia sem fio para transferir informações usa muito mais energia do que as anteriores alternativas, fibra ótica e cabos. Especialista em microondas, Barrie Trower, um denunciante que trabalhou para inteligência britânica, alerta que a tecnologia 5G vai devastar a humanidade. Uma prisão de alta tecnologia, um controle digital completo de todos, e a fusão com a temida AI.



Big Brother, Não é “ficção”.
As mudanças de percepção foram sutis para essa “nova” geração de humanos em apenas 25 anos. “Eles” nos deram a 2G (Segunda Geração) que introduziu a voz digital e o início dos serviços de dados. A 3G tornou os serviços de dados digitais práticos e a 4G aumentou e acelerou as taxas de dados digitais, mas o 5G nos levará a total alienação da nossa percepção quanto ao que somos e pra que somos, nos afastando de nós mesmos e do outro.

Sabemos que há estudos científicos que demonstram que a exposição prolongada a frequências eletromagnéticas (EMFs) da atual geração de telefones celulares pode afetar adversamente o cérebro e aumentar o risco a saúde física e mental das pessoas, afinal a AGENDA segue a todo vapor.

Os manuais anteriores eram mais explícitos quanto a segurança dos aparelhos celulares como o iPhone 3G advertindo que a exposição à radiação pode exceder os padrões de segurança se o telefone estiver posicionado a menos de 15 milímetros do corpo. Mas quando se trata de “tecnologia” nova, os seres humanos são atraídos como moscas na carne e os “negativos” sabem como isso funciona.

No pequeno manual que vem com cada iPhone (aquele papelzinho que você joga fora imediatamente porque acredita que já sabe tudo sobre o que está comprando), a Apple afirma explicitamente que o telefone não deveria tocar seu corpo.

Esse alerta é para que você não carregue o telefone no bolso, dentro do sutiã, no bolso da camisa próximo ao peito, devido à ameaça de exposição à radiação. Isso significa que, se o dispositivo estiver no bolso do seu jeans, ele estará muito próximo! Agora, imagina essa “gente” que dá celular pra bebes e crianças brincarem o dia todo...

A radiação do telefone celular, medida em exposição a radiofrequência, é regulada nos EUA pela Federal Communications Commission (FCC) e alega que todos os telefones devem ser testados para garantir que eles emitam uma taxa de absorção específica de não mais de 1,6 watts de energia de radiofrequência por quilo de tecido corporal, uma regra projetada para evitar danos causados pelo calor gerado pelas ondas de radiofrequência e efeitos biológicos causados por outra coisa que não seja o calor, como a expressão alterada de proteínas ou danos no DNA .


A exposição à energia de radiofrequência aumenta acentuadamente quanto mais perto o telefone chega do seu corpo, alguns temem que os testes da FCC estejam com muito mais exposição real do que avisam. Óbvio...

Considerando que o espectro ultra de frequência de rádio (24 gigahertz e acima) necessário para o 5G contra as bandas de 2,4 e 5,8 gigahertz usados pelos telefones sem fio que temos hoje em casa, há de se notar que daqui uns 10, 15 anos teremos muitas sequelas físicas e mentais em muita gente.

Em 3 de setembro de 2016, a NaturalHealth365 publicou o artigo de Jonathan Landsman intitulado - Alerta de ação: a tecnologia celular 5G cobrirá a vida planetária com frequências ultra-altas de micro-ondas.

Click na imagem para amplia-la

Há evidências cada vez maiores dos riscos à saúde dos EMFs para seres humanos e seus animais de estimação, bem como para a natureza. Existem dados consideráveis ​​mostrando que a poluição elétrica é um dos principais fatores na perda de abelhas. Sem abelhas, a maioria dos nossos alimentos não pode ser criada porque eles dependem de abelhas para polinização e sementes para as futuras gerações de alimentos.

A exposição a níveis cada vez maiores de frequências na região de microondas do espectro de energia, se tornaram a base para alegações de segurança que incluem; dores de cabeça, tontura, confusão, problemas de sono, problemas cardíacos (principalmente palpitações) e dor ou dormência nos membros. Os animais mostram sintomas semelhantes.

Há um grande número de estudos científicos - mais de 6.000 na última contagem - que mostraram que a radiação de RF e as microondas são prejudiciais aos seres humanos, animais e plantas.

Pesquisadores do Programa Nacional de Toxicologia divulgaram dados preliminares que mostraram pequenos aumentos nos tumores em ratos machos expostos à radiação do celular.


Os ratos foram expostos a 9 horas de radiação diariamente, em intervalos de 10 minutos, 10 minutos de intervalo, em todo o corpo durante dois anos. Os pesquisadores descobriram uma incidência maior de tumores cerebrais e cardíacos com maiores incidências em cerca de duas e quatro vezes esses níveis.

A radiação de microondas de 10 gigahertz prejudica a memória espacial, a atividade das enzimas e a histopatologia do cérebro de camundongos em desenvolvimento.

Os bombeiros de São Francisco relataram problemas de memória e confusão depois que o equipamento 5G foi instalado fora dos quartéis de bombeiros. Os bombeiros afirmam que os sintomas pararam quando se mudaram para as estações sem equipamento nas proximidades.

Isso não é apenas sobre câncer, essa exposição pode levar a sintomas referidos como "Doença de microondas" ou "Eletrossensibilidade". Isso é realmente mais comum do que somos levados a acreditar.

A pesquisa confirmou que a exposição a micro-ondas pode:

·         Agravar condições sintomáticas pré-existentes mesmo quando não foi o causador
·         Interromper a barreira hematoencefálica – surgimento de derrames
·         Causa um efeito tóxico cumulativo quando combinado com “outras toxinas”
·         Prejudicar animais de estimação, natureza e vida selvagem

BOMBA GAY
Em 1994, o Laboratório Wright - parte da Força Aérea dos EUA - investigou a possibilidade de usar feromônios como uma arma contra as tropas inimigas.

A tal “arma” propunha uma bomba “que continha uma substância química que faria com que os soldados inimigos se tornassem gays e que suas unidades quebrassem porque todos os seus soldados se tornavam irresistivelmente atraentes uns para os outros”.

A “bomba” coloquialmente assumiu o apelido de “bomba gay”, logo depois de ter sido descoberta por um grupo de fiscalização de gastos militares através de um pedido de lei de liberdade de informação. Especificamente, a proposta solicitou uma doação de US $ 7,5 milhões por seis anos para ver se o uso de feromônios inimigos em massa com feromônios femininos causaria uma reação biológica entre as tropas.

Idealmente, sugeriu uma proposta de apenas 3 páginas: Os soldados afetados considerariam seus irmãos de armas "sexualmente irresistíveis" (de acordo com a BBC). Segundo a Fox News, observaram que "seria um exemplo desagradável, mas não letal”.

O Laboratório Wright (agora extinto) nunca (?) recebeu o financiamento para um estudo mais aprofundado. Narra a lenda, que esse projeto não conseguiu sair do papel... mas nos ressuscita o slogan que logo vem à mente; “faça amor, não a guerra”.

Deixo essa pra você pensar, pensar, pesquisar e analisar. Quando “eles” querem que a gente pense que algo um dia possa ser feito... é sinal que já foi feito.

laura botelho

Vida numa 5ª dimensão.

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos