Google

Translate my page Google

28 de abr de 2017

Judas o Escorpião, na Era de Aquários


 “A evidência é esmagadora que as grandes catástrofes globais foram ou acompanhada ou causada por deslocamento do eixo terrestre ou por uma perturbação nos movimentos diurnas e anuais da Terra ...”  - Velikovsky 


Fato: a exposição do Sol diante da Terra influencia o dia a dia dos seres humanos em todos os aspectos de sobrevivência. Se o Sol está distante (afélio) o clima esfria aqui embaixo. Se o Sol estiver mais próximo da Terra (periélio) o “clima esquenta”, em todos os sentidos. O mesmo vale para a Lua, que controla o movimento das marés, orientando aos navegantes e amantes da pescaria, com base nas tabelas de maré. Fato.


Se a Ciência comprova que esses astros (Sol e Lua) provocam mudanças de comportamento aqui na Terra, como não acreditar que outros astros possam ter esse mesmo poder?

Você sabia que a primeira hora de cada dia, que se inicia ao nascer do Sol, determina o planeta que rege o dia todo? Alguma vez se perguntou por que diabos temos uma semana de 7 dias?

Cada dia da semana está associado a um planeta em muitas línguas - A exceção da língua Portuguesa.

Domingo ao Sol – SUNday (Inglês)
2ª feira - à Lua, (Monday = Inglês) (Lundi = Frances) (Lunes = Espanhol)
3ª - a Marte,
4ª - a Mercúrio,
5ª - a Júpiter,
6ª - a Venus  
Sábado - Saturno.

A astrologia é uma ciência antiga, milenar, não é invenção de jornais. Nossos antepassados ​​podiam prever movimentos de planetas, eclipses, cometas, transições das estações, a duração do dia, a inundação dos rios, a oscilação das marés, afim de tomarem decisões futuras de melhor época para plantar e colher ou entrar em guerra.

Os primeiros astrônomos “receberam” observações matemáticas e descobriram “padrões”, “sinais”, por trás do movimento dos corpos celestes. Esses padrões se repetem e tornam-se “alertas” para a sobrevivência das espécies animais “inteligentes”.

Os animais, de um modo geral, se preparam para cada estação, e uma atividade normal em baixíssima temperatura eleva o grau de gasto de energia a procura por comida – e essa se torna escassa.

Sem alimento e pouca luz solar, o Inverno torna-se uma estação fatal.
A “chave para a sobrevivência” dos animais inteligentes está na conservação da energia (hibernação), armazenamento de alimentos ou mudança para locais mais quentes (migração) onde possam continuar sua atividade normal.

Nosso cérebro capta SÍMBOLOS, interpreta símbolos, traduz símbolos. Símbolos transportam mensagens passadas de geração a geração. A Semiologia é um estudo que persigo por anos, pois abre um “portal dimensional” sem precedentes na nossa vida. Espero que um dia você faça o mesmo.

Muitos livros foram escritos sobre os mistérios das catedrais góticas francesas e sua geometria sagrada usada em sua arquitetura. Um livro que expande esse conhecimento é "Le Mystère des Cathédrales" escrito em 1929 por Fulcanelli (1839 - 1953).

Fulcanelli foi um alquimista francês, um dos primeiros a escrever sobre os mistérios que cercam as catedrais francesas, e nos avisou que uma catedral é um livro alquímico escrito em pedra. Toda história humana está composta em suas paredes... mas é preciso saber ler.

Em 1969 o musical “Hair” chamava atenção para os sinais dos planetas. A canção tema do show prometia uma mudança da então turbulência em que a Terra passava, para um momento de “paz, amor e prosperidade”, assim que alcançássemos a Era de Aquário.

Astrólogos acreditam que uma era astrológica afeta a humanidade, possivelmente influenciando a ascensão e queda de civilizações ou tendências culturais.



Era de Aquário - fim de um ciclo - precessão dos equinócios.  
A Terra completa um ciclo de precessão - ou uma oscilação completa – a cada 26.000 anos. Desde os dias da Grécia antiga, a precessão levou todos os signos zodiacais, quase uma constelação inteira, para o oeste. Essa “nova era” estará causando ao longo do tempo grande turbulência, abrindo espaço para novos valores e comportamentos, quebrando paradigmas, apontando para a direção de nossa própria evolução.

Cada um de nós será convidado a fazer uma escolha. 
Por enquanto, as estações no ano estão sempre mudando, queira você ou não. Diante da farta informação de como cada clima se apresenta em cada canto desse planeta, temos a escolha de nos organizar, seja estocando, seja mudando de ambiente ou hibernando (opção da maioria)


Equinócio vernal está se movendo gradualmente em direção a um encontro com Aquário, pode-se dizer que estamos no "amanhecer da Era de Aquário". 

O nosso “mundo” está experimentando muita dor, desânimo, incredulidade e ausência de esperança, e isso vai acelerar. Este é o tempo de LIMPEZA como o povo Maya previu e do "tempo do não tempo", quando os valores antigos são substituídos pelos novos.

Devemos esperar mudanças galopantes (o que para muitos, isso já é uma realidade) em todas as áreas de nossas vidas afetando sobremaneira nossas percepções internas, revirando tudo que a gente nem sabia que sabia. Algumas dessas novas percepções poderão ser bem difíceis de aceitar, de assimilar, mas todas as mudanças serão relativas e afinadas com a nossa necessidade individual de evolução e de grupo afinados.

Quando você resiste, luta para não seguir em frente, mudar sua visão de “mundo” em uma transição natural como; tornar-se adulto, se responsabilizar por suas ações, você experimentará dor, desamparo, e consequentemente, medo de sucumbir, como está acontecendo agora. Muitos estão perdidos.

Podemos nos apegar e lutar para manter os antigos valores e crenças limitantes ou adotar novos e evolutivos conhecimentos. Nosso equilíbrio e paz dependem de nossas escolhas, melhores ações daqui em diante - e isso, incluem a reprovação de governos e corporações financeiras corruptas, eventos prejudiciais ao nosso ambiente, relacionamentos pessoais tóxicos, apego a deuses de qualquer espécie, revisão de hábitos alimentares e tudo mais que nos tire do centro.

Os Mayas e muitas outras culturas acreditavam que as tendências históricas se repetiam em ciclos. Acreditavam também que o tempo era circular como as estações do ano, e não lineares, como querem nos fazer crer os cristãos judaico e islâmicosNa verdade, os Mayas nos informaram sobre a grande "janela de OPORTUNIDADE para o crescimento espiritual" diante desse alinhamento histórico da Terra, do Sol e do centro galáctico do universo. É tempo de mudar.

Para fazer uma boa faxina é preciso tirar TUDO do lugar.
Arrastar objetos que permaneçam fixos por longo tempo no mesmo ponto, esvaziar as gavetas, se livrar do que não precisa em curto prazo, lavar e esfregar com força toda a sujeira, que parecia “invisível”, até que a água limpa revele...

Vamos a Faxina mental. Para melhor ajudar na sua evolução como um todo, você precisa entender a função das religiões nesse percurso caótico em que estamos passando.

Mitologia Solar 
Na antiguidade, o signo Touro era visto como o primeiro sinal natural da casa zodiacal ao invés de Áries como se apresenta hoje.


Jesus nunca existiu, é realmente uma alegoria com a função de ser passada oralmente a gerações futuras para que elas assimilem os sinais do céu. Uma história que foi repetida ciclo após ciclo com nomes, vestes e locais diferentes, mas com o mesmo objetivo; preparar você para as mudanças que virão.

Jesus é uma personificação simbólica do Sol, que morre no inverno (hemisfério Norte) e é ressuscitado na Primavera (hemisfério Norte), salvando a humanidade do mal do frio e da escuridão glacial em tempos remotos.

Gerald Massey (1828-1907), que passou sua vida estudando religião comparada, descreve:

"O diabo hebraico, ou Satanás, significa adversário, e o primeiro grande adversário natural reconhecido pelo homem primitivo foi a Escuridão - simplesmente a escuridão, o inimigo constante e eterno da luz - isto é, o poder da escuridão era literal

O homem primitivo contava o tempo por noites, e os anos por Eclipses. Este modo de contagem foi o primeiro e universal – é importante observar que a humanidade viveu tempos gelados, com pouca luz solar e isso irá acontecer de novo!

Esta história de Jesus, e de outros avatares, é impossível interpretar literalmente, mas bastante fácil de entender baseando se na mitologia solar – conhecimento abundante espalhado por todos os cantos do planeta.

João Batista personifica Aquário.
“Depois de João ter sido preso, Jesus foi para a Galiléia...” De repente João Batista é "posto na prisão", e Jesus simplesmente segue seu caminho alegre! Estranho isso, não? Faz sentido pra você? O texto não diz por que João Batista foi preso, que crime cometeu? Sem julgamento? E o amigo Jesus dá as costas para ele?

Isso fica estranho se João fosse uma pessoa real. A prisão é meramente uma alegoria para a constelação de Aquário ao pôr do sol se movendo abaixo do horizonte no final do mês e não pode mais ser visto

A palavra "Galiléia" significa literalmente "circuito".
Um "circuito" é um caminho fechado, geralmente circular. A eclíptica é o circuito que o Sol viaja ao longo do ano. Jesus (Sol) continua seu caminho ao longo da eclíptica, ou "Galiléia".

Em fevereiro, o Sol (Jesus) se move para Peixes
O rei visita Simão e seu irmão André, que são dois pescadores. Simão e André são personificações dos dois peixes


Em março os dias ficam mais longos e mais quentes, o Sol vai mais alto no céu, e as colheitas começam a crescer. Em março o Sol se move de Peixes para a constelação de Áries - o Carneiro, ou Cordeiro. 

Em abril, o Sol passa por Touro.
Em maio, o Sol passa pela Via Láctea - como um lago - pelo céu noturno. Neste ponto da história, Jesus cruza "o lago" e temos a história alegórica de Jesus acalmando a tempestade (representação simbólica do tempo se tornando mais suave e mais temperado ao redor da parte do ano).

Depois que o Sol cruza a Via Láctea, ele se move para a constelação de Gêmeos - Castor e Pollux – as duas estrelas brilhantes.

Na história de Jesus, depois de cruzar o lago (a Via Láctea), Jesus cura dois homens possuídos de demônios - Atos 28: 11 - "Depois de três meses, fomos para o mar num navio que havia invernado na ilha: era um navio Alexandrino com a cabeça de proa dos deuses gêmeos Castor e Pólux ".

Cristãos e Judeus celebram a Páscoa = Pass-over - porque o Sol está passando sobre a marca leste (East-er). Páscoa é definida como o primeiro domingo após a primeira lua cheia após o equinócio Vernal, quando o sol se levanta diretamente no leste.  É uma celebração de Primavera do renascimento do Sol, do astro Rei, a ressurreição da vida, dominando o frio e a escuridão do longo Inverno. 

Solstício de verão - A data de início é 21 de junho, o dia mais longo do ano no Hemisfério Norte, quando o sol está em sua ascensão mais alta brilhando suspenso “sob a montanha”. Depois deste dia o Sol vai para trás, (Câncer) começando a sua descida para o sul, à medida que os dias ficam cada vez mais curtos.

O Sol passa por Leão (23 de julho - 22 de agosto), mantendo dias fortes e quentes do verão. Final do verão no mês de agosto, época da colheita - a melhor época do ano.

Virgem - Uma nova constelação representa a colheita - uma virgem que segura um feixe de trigo. A entrada triunfante de Jesus em Jerusalém é uma alegoria para a entrada triunfante do Sol em Virgem, porque isso significa que é a época da colheita, a melhor época da vida.

Libra - "Balança da Justiça"
Setembro, após a colheita, o Sol se move de Virgem para Libra. A colheita foi recolhida, agora é hora de vender a colheita. As balanças são usadas na compra e venda da colheita e quando não há mais nada para vender, os cambistas empacotam e saem.

"Jesus entrou na área do templo e expulsou todos os que estavam comprando e vendendo lá. Ele derrubou as mesas dos cambistas”

Judas representa o Escorpião
No final de outubro no H. Norte, o sol entra na casa do Escorpião e os dias ficam mais curtos, a noite é mais longa e a escuridão e frio começam a reinar. 

Judas beija (pica) Jesus condenando-o à morte. O nome deste signo em árabe e siríaco é Al Akrab, o que significa ferir aquele que vem. Assim, quando o sol entra na casa de Escorpião é picado, ferindo-o e matando-o lentamente. O sol passa mais do seu tempo no submundo. O sol desceu ao inferno. Não há mais colheitas, a comida será escassa novamente para a sobrevivência dos humanos. 

O astro REI não pode permanecer no seu ponto mais alto para sempre, se o fizesse não haveria estações do ano e nenhum ciclo de colheita. E assim como o SOL (Jesus) não pode escapar do seu destino, a caminho de Jerusalém, ele prevê que vai “morrer”. 

Temos então a Última Ceia
Onde Jesus e seus doze discípulos (12 constelações), os doze meses do ano e se alimentam do pouco que tem.

Pilatos é a personificação de Sagitário.
"Pilate" {pil-at'-os} significa literalmente "armado com uma lança". O próximo signo no zodíaco que segue Escorpião fica abaixo do horizonte. Sagitário é a última constelação que o Rei encontra antes do solstício de inverno e quando a história termina. Sagitário é o último zodíaco do ano que o sol passa antes de morrer no solstício de inverno.

Em 22 de dezembro o Sol se vai, para ser “ressuscitado” 3 dias após (25 de dezembro) dia de Natal (nascimento) para começar de novo sua viagem para o norte.

O que acontecerá ao nosso salvador, o sol? Que faz crescer a colheita, nos dando o pão nosso de cada dia? Vai desaparecer para sempre? Esse é o fim?  Não, este não é o fim, é o prefácio de um novo começo.
O sol voltará novamente...
 
Catedral de Chartres - França
Naturalmente os escritos deixados são alegorias que deveriam ser passadas oralmente para futuras gerações, já que as pessoas da época, eram analfabetas, servos, oprimidos em estado de desalento pela fome, frio e incertezas de dias melhores. Com certeza, alguns espertos usaram da função original do texto para manejar a massa, como fazem até hoje.

É desgastante para quem estuda quando tentamos forçar esta história para um “contexto histórico”, pois nada bate com nada. Datas, locais, personagens, testemunhas - não participam da mesma linha cronológica.

Aqui estão alguns tópicos interessantes:

  • A maior parte da população da Terra habita o hemisfério norte.
  • A cruz que Jesus é crucificado representa a divisão das quatro estações do ano: Inverno, Primavera, Verão, Outono. Os quatro lugares da cruz dividem o ano nas quatro estações.
  • Imagem das Constelações não fazem o menor sentido, são apenas conexões imaginativas de pontos para desenhar uma imagem simbólica que liga aos momentos na terra.
  • Aquário não se parece com um homem segurando um jarro de água; 
  • Peixe não se parece nada com um par de peixes; 
  • Áries não se parece nada com um bode ou cordeiro. 
  • O sol está em linha reta ao meio-dia, quando o sol está no seu mais alto. Este é um bom momento quando ambas as mãos apontam para cima e suplicam ao “altíssimo”.
  • Devido à precessão da Terra, o Equinócio Vernal mudou gradualmente de Áries, o carneiro, para Peixes. O peixe e carneiro são símbolos notórios do cristianismo para alertar essa passagem.
  • Quando entramos na estação do outono, as folhas caem das árvores e as árvores parecem murchar. É neste ponto da história que Jesus amaldiçoa a figueira e a torna murcha, uma história que não faz sentido se Jesus fosse uma pessoa real, mas faz todo o sentido quando entendido como uma alegoria para o outono.
  • Evidências arqueológicas indicam que Belém da Judéia estava desabitada no tempo alegado do nascimento de Jesus. Não há nenhuma evidência arqueológica que amarre Belém na Judéia ao período em que Jesus teria nascido
  • Num ponto da história de Jesus uma coisa interessante acontece - João Batista tinha morrido e reaparece para ser decapitado. De acordo com a Bíblia, "João Batista ressuscitou dentre os mortos" (Marcos 6:14)
  • Depois de seis meses a constelação de Aquário (João Batista) começa a subir no horizonte oriental ao pôr do sol e parece que a cabeça de Aquário é cortada pelo horizonte.
  • ·Judas traiu Jesus por 30 peças de prata. 30 peças de prata, representando os 30 dias do mês. O mês é um ciclo das fases da lua. A lua, um pedaço de prata no céu.
  • Originalmente Jesus foi dito ter nascido em uma caverna e não num estábulo. A Enciclopédia Católica (1910) artigo sobre "Belém" diz: “A tradição do nascimento em uma caverna foi amplamente aceito, como se vê pelas palavras de Orígenes sobre um século mais tarde”.
  • A Catedral de Chartres (1:30h de Paris) uma das mais antigas na França está alinhada ao solstício de verão. No solstício de verão, o sol brilha através da janela de "Santo Apollinaire" com uma representação do deus do sol romano Apolo e seus raios caem diretamente sobre um prego de ferro no chão da catedral.
  • Dezembro. Papai Noel. Pólo Norte. Há muitas imagens em cartões postais como sendo um lugar ensolarado brilhante no inverno com muitas árvores verdes. O que será que isso significa? Que um dia o pólo Norte será vibrante e alegre de novo ao contrário dos 3 meses de escuridão que reina esse ciclo?
  • A constelação Aquários, o portador da água, é a constelação que se torna proeminente durante a estação chuvosa.
  • Uma teoria da "onda" do deslocamento das “Eras” sugere que a era de Aquários não chegará a uma data especifica, mas está em vez disso emergindo na influência sobre muitos anos, similar as ondas da maré.


Nós não fomos orientados na escola nem somos levados a pensar de maneira prática e racional para atentar que brevemente sofreremos mudanças radicais no âmbito climático, geológico, psicossocial e outros, caso aconteça um movimento cíclico com nosso planeta.

Olhar para as obras santas e registros das civilizações antigas, sua mitologia, lendas e folclores, podemos encontrar sinais do que resta do nosso tempo.

Eventos cataclísmicos em escala global são notórios em fases distintas.  A evidência é esmagadora em partes do planeta em toda a extensão da nossa história geológica. Algumas terras mudaram para climas mais quentes, enquanto outros, foram impulsionadas para zonas polares, sofrendo o mais terrível dos invernos, da escuridão, da falta de comida e sobrevivência frágil.

Todo texto antigo é importante, assim como textos religiosos que ajudam nosso entendimento de como funcionam os ciclos, mas seu uso não deveria submeter a nossa alma a uma eterna escravidão.

laura botelho


24 de abr de 2017

Vídeo - Degelo assombroso no planeta Terra


O jornalista Aldo Quiroga esteve no Chile e Argentina para gravar um especial sobre as geleiras dos Andes, principal fonte de água potável para milhões de pessoas no continente, que sofrem a maior perda de volume em 300 anos. 

A equipe percorreu quase mil quilômetros em três dias de produção para captar imagens e entrevistar especialistas.

E o que se vê nesse documentário de 2013 é que o processo está avançando a cada ano e a cada ano está severa a seca em muitos locais da América do Sul, bem como as inundações devastadoras estarão cada vez mais atuantes - cabe a cada um de nós nos movimentarmos, nos prepararmos para esses eventos.

Precisamos nos movimentar, agir, mudar e nos adaptar a essa nova era de conflitos dramáticos - em todos os âmbitos da nossa existência. O planeta está se mexendo e você?

Espero sinceramente que você esteja se movimentando também...

laura botelho

23 de abr de 2017

Vídeo - Poder por trás da eletricidade controlada


Bom documentário para digerir alguns aspectos da nossa vida que não conseguimos entender.

Assista antes que tirem do ar... 

8 de abr de 2017

Kali Yuga, e mais uma civilização que se vai.


Ele é como um animal de sacrifício para os deuses. Como muitos animais servem a um homem, assim também cada homem serve os deuses. Mesmo que um animal seja tirado, isso causa angústia ao dono; Quanto mais, quando muitos são tirados! Portanto, não é agradável aos deuses que os homens saibam disso”.                                                         
Brihadaranyaka Upanishad  (1.4.10) 

Winston Churchill, um dos políticos mais influentes do século XX, historiador e orador eloquente, também era apaixonado por ciência e tecnologia. Na verdade, foi original como primeiro-ministro, foi o único a ter um conselheiro científico. 

Pois acredite, Churchill escreveu um ensaio de 11 páginas sobre a busca de vida alienígena em 1939, quando a Europa estava à beira da guerra, pouco antes de se tornar primeiro-ministro do Reino Unido.
 
Alepo/Síria
Ele revisou esse texto levemente no final da década de 1950 enquanto permanecia no sul da França na casa de campo de seu editor, Emery Reves.  Mudou o título do discurso de: "Estamos sozinhos no espaço?"  para; “Estamos sozinhos no Universo?”

O artigo de Churchill só veio ao conhecimento público quando Wendy Reves, esposa do seu editor, passou o manuscrito para os arquivos do Museu Nacional de Churchill nos anos 80, então em maio de 2016, este artigo foi “redescoberto”.

Churchill trás argumentos sobre a astrobiologia em seu primeiro ponto, a partir da certeza de que "todas as coisas vivas do tipo que conhecemos, requerem água". Corpos e células são em grande parte compostos por água, ele observa. 

Churchill define então o que é conhecido hoje como a zona habitável – onde a vida só pode sobreviver em regiões "entre alguns graus de geada e o ponto de ebulição da água". Levando todos esses elementos juntos, ele conclui que Marte e Vênus são os únicos lugares no Sistema Solar, além da Terra, que poderiam abrigar “vida”. 

Churchill começou seu ensaio pouco depois da transmissão americana de rádio em 1938 The War of The Worlds” que gerou pânico geral.

Nesta noite especial, de 30 de outubro 1938, o serviço Crossley estimou que 32 milhões de pessoas estavam ouvindo essa história sobre invasão alien... conta Orson Welles:

Sabemos agora que, nos primeiros anos do século XX, este mundo estava sendo observado de perto por inteligências maiores do que as do homem e, no entanto, tão mortais quanto as suas. Sabemos agora que, à medida que os seres humanos ocupavam-se de suas várias preocupações, eram examinados e estudados, talvez quase tão estreitamente quanto um homem com um microscópio pudesse escrutar as criaturas passageiras que se multiplicam em uma gota de água. Com complacência infinita, as pessoas andavam de um lado para outro da terra em torno de seus pequenos negócios, serenos na segurança de seu domínio sobre esse pequeno fragmento giratório de madeira flutuante solar que, por acaso ou homem de design, herdou do escuro mistério do Tempo e do Espaço. No entanto, através de um imenso golfo etéreo, mentes que são para nossa mente como as nossas são para os animais na selva, intelectos vastos, frios e antipáticos, olhou para esta terra com olhos invejosos e lentamente e seguramente desenhou seus planos contra nós

A Grã-Bretanha foi dominada pela febre UFO na década de 1950 na esteira de um grande número de avistamentos em todo o mundo e o primeiro-ministro Winston Churchill ordenou uma investigação secreta em discos voadores em 1952.

Elvis Presley seria também uma estrela do rock mundialmente famosa a amar esse assunto sobre “Vida Extraterrestre”. Michael C. Luckman, um pesquisador UFO, autor de "Alien Rock: The Rock 'N' Roll Conexão Extraterrestre" (Simon & Schuster), fala sobre músicos famosos que afirmam terem tido encontros com extraterrestres.


De longe, Elvis Presley foi o mais aficionado nesse assunto, experimentando vários avistamentos documentados ao longo de sua vida. O amigo fiel e cabeleireiro de Elvis, Larry Geller, explicou que no final dos anos 1960, o pai de Elvis, Vernon Presley, contava histórias de OVNIs no local de nascimento de Elvis.

"Seu pai nos disse que tinha saído para fumar um cigarro às 2 da manhã durante o parto e quando olhou para o céu acima de sua casa, viu a mais estranha luz azul". Disse Geller.

Elvis foi supostamente "contatado telepaticamente por dois seres alienígenas quando ele tinha apenas 8 anos", em que deram ao rei um vislumbre de seu futuro famoso.


Elvis adorava ler sobre esse assunto, tanto, que teria uma coleção pessoal de aproximadamente 350 livros sobre a “nova era”, o que incluía alguns especificamente sobre UFOs. Trazia a "biblioteca portátil" com ele em turnê em grandes malas de bagagem a bordo de aviões, barcos e carros. 

Elvis não foi a única estrela do rock a ter uma estreita relação com esse assunto; “Aliens”. Luckman disse que grandes músicos como Jimi Hendrix, John Lennon e Michael Jackson eram adeptos dos estudos sobre assuntos extraterrestres. 

Mais tarde, a música "Nobody Told Me" de 1984 de Lennon, referenciou um avistamento com a letra: "Há UFOs sobre Nova York, E eu não estou muito surpreso

Yuga na filosofia hindu é o nome de uma "época" ou "era" dentro de um ciclo de quatro idades. Estes são; o Satya Yuga (ou Krita Yuga), o Treta Yuga, o Dvapara Yuga e finalmente o Kali YugaO ciclo que estamos vivendo agora é o Kali Yugaa idade das trevas, quando a virtude moral e capacidades mentais atingem seu ponto mais baixo do ciclo. 

 
Indiana Jones - Templo perdido (1984) - Narra a saga do ultimo Kali Yuga.
O épico indiano Mahabharata descreve a Kali Yuga como o período em que apenas 1/4 da virtude permanece, o que diminui lentamente a zero no final do Kali Yuga

Os ciclos são comparados as mudanças das estações climáticas, encerrando e diminuindo suas atividades, e como o verão, a primavera, o inverno e o outono, cada yuga envolve etapas ou mudanças graduais que a terra e a consciência da humanidade atravessam como um todo. 

Os yugas descrevem um ciclo de desenvolvimento humano. Como a consciência da humanidade muda, a civilização e desenvolvimento humano acompanham essa informação - que prevê um “possível futuro” desastroso, através dos exemplos que ocorreram nos ciclos passados, caso sejam repetidos.

Um ciclo de yuga completo da Idade de Ouro de iluminação para uma Idade das Trevas é dito ser causado pelo movimento do sistema solar em torno de um sol central – Sagitário A*

No livro The Holy Science (1894) diz que um Ciclo Yuga completo leva 24.000 anos e é composto por um ciclo ascendente de 12.000 anos, quando a virtude aumenta gradualmente e um ciclo descendente de outros 12.000 anos, em que a virtude diminui gradualmente. 

Cada um desses períodos de 12.000 anos traz uma mudança completa, tanto externamente no mundo material, e internamente no mundo intelectual ou elétrico, e é chamado de um dos Daiva Yugas ou casal Electric.” 

"É a proximidade da terra e do sol a este grande centro que determina qual estação do homem ou yuga está". 
Sri Yukteswar (1949), a Ciência Sagrada, a Sociedade Yogoda Satsanga da Índia

Tanto os Hindus como os Mayas, acreditavam que a proximidade da terra e do sol com o grande centro da Galáxia determina qual yuga ou ciclo a humanidade estaria atravessando

Este padrão recorrente de devastação é claramente discernível nos registros arqueológicos. A cada 2.700 anos nosso planeta é afetado por uma série de eventos cataclísmicos por um período de algumas centenas de anos, o que provoca um colapso total ou quase total de civilizações em todo o planeta. Um ponto da história humana em que uma nova civilização reinicia imediatamente após o período de destruição.

Estamos mais próximos do centro do universo nos últimos 26.000 anos.
De acordo com a doutrina do Ciclo Yuga, os períodos de transição entre Yugas estão sempre associados a um colapso mundial de civilizações e catástrofes ambientais severas, que eliminam virtualmente qualquer vestígio de civilização humana. 

A “nova civilização” que surge no novo Yuga é guiada por alguns sobreviventes do cataclismo, que carregam consigo o conhecimento técnico e espiritual da era anterior. 



Muitos seres de pouca luz se aproveitam da desorientação, falta de informação dos muitos sobreviventes conduzindo os grupos a sua serventia, instituindo novos deuses que necessitam de “doações”, gratificações, dízimos, sacrifícios para justificar uma vida próspera assegurando que os eventos anteriores nunca mais acontecerão. Tolinhos....

A cada ciclo de eventos, um deus é “ressuscitado” com uma nova cara e um novo olhar, mas com discurso semelhante – ajustando-se as necessidades locais culturais.

Hórus – 3000 a.e.c. - deus egípcio do céu, do sol e da lua; nasceu de ISIS de forma milagrosa, sem envolvimento sexual;  Seu nascimento é comemorado em 25 de dezembro; lutou durante 40 dias no deserto contra as tentações de set (divindade comparada a satã); batizado com água por anup; representado por uma cruz; a trindade atom (o pai), hórus (o filho) e rá (comparado ao espírito santo)

Tamuz: deus da suméria e fenícia morreu com uma chaga no flanco e, três dias depois, levantou-se do túmulo e o deixou vazio com a pedra que o fechava a um lado. Belém era o centro do culto a Tamuz.

Mitra- séc. i aec. - originalmente um deus persa, mas foi adotado pelos romanos e convertido em deus sol; seu nascimento é comemorado em 25 de dezembro; nasceu de forma milagrosa, sem envolvimento sexual; pastores vieram adorá-lo, com presentes como ouro e incenso; viria livrar o mundo do seu irmão maligno, ariman; era considerado um professor e um grande mestre viajante; era identificado com o leão e o cordeiro; seu dia sagrado era domingo  (“sunday”), “dia do sol”, tinha sua festa no período que se tornou mais tarde a páscoa cristã; teve 12 companheiros ou discípulos; executava milagres; foi enterrado em um túmulo e após três dias levantou-se outra vez; sua ressurreição era comemorada cada ano.

Átis (frigia / roma) – 1200 a.e.c. nasceu dia 25 de dezembro; nasceu de uma virgem; foi crucificado, morreu e foi enterrado; ressuscitou no terceiro dia.

Buda – séc. v a.e.c. sua missão de salvador do mundo foi profetizada quando ele ainda era um bebê; por volta dos 30 anos inicia sua vida espiritual;
Impiedosamente tentado pelas forças do mal enquanto jejuava; caminhou sobre as águas (anguttara nikaya 3:60); ensinava por meio de parábolas, inclusive uma sobre um “filho pródigo”; a partir de um pão alimentou 500 discípulos, e ainda sobrou (jataka); transfigurou-se em frente aos discípulos, com luz saindo de seu corpo; após sua morte, ressuscitou (apenas na tradição chinesa). B

Baco / Dionísio – séc. ii a.e.c. deus grego-romano do vinho; nascido da virgem sémele (que foi fecundada por zeus); quando criança, quiseram matá-lo; fez milagres, como a transformação da água em vinho e a multiplicação dos peixes; após a morte, ressuscitou; era chamado de “filho pródigo” de zeus.

Hércules – séc. ii a.e.c.  - nascido da virgem alcmena, que foi fecundada por zeus; seu nascimento é comemorado em 25 de dezembro;·foi impiedosamente tentado pelas forças do mal (hera, a ciumenta esposa de zeus); a causadora de sua morte (sua esposa) se arrepende e se mata enforcada estão presentes no momento de sua morte sua mãe e seu discípulo mais amado (hylas); sua morte é acompanhada por um terremoto e um eclipse do sol; após sua morte, ressuscitou, ascendendo aos céus.

krishna – 3228 a.e.c. trata-se de um avatar do deus vishnu; nasceu no dia 25 de dezembro; nasceu de uma virgem, devaki (“divina”); uma estrela avisou a sua chegada; é a segunda pessoa da trindade; foi perseguido por um tirano que requisitou o massacre dos milhares dos infantes; fez milagres; em algumas tradições morreu em uma árvore; após morrer, ressuscitou.

Estas “coincidências biográficas”, segundo os defensores do “mito de cristo”, provam que os autores dos evangelhos, ao escreverem as histórias de vida de jesus / yeshua / yahushua, tomaram uma compilação de relatos e feitos de deuses anteriores, com intuito simples de manter o gado ou “rebanho” desgovernado” - após cataclismos dramáticos - cercado e mantido calmo e sereno por milênios até o próximo ciclo.

Todas as profecias do mundo, todas as tradições estão convergindo agora. Não há tempo para jogos, você precisa se mexer!


A visão de Deus como criador de todas as coisas é falsa. A Bíblia foi traduzida erroneamente durante milhares de anos por grupos que controlavam (controlam) a massa humana inconsciente.

A pesquisadora Ellen van Wolde, da Universidade de Radboud, na Holanda, afirma que a primeira frase da Bíblia, “No começo, Deus criou o Céu e a Terra”, não é uma tradução fiel do texto original, em hebreu. Segundo Ellen, a palavra “bara”, que aparece na frase, não significa “criar”, e sim “separar”, no sentido espacial.

Deste modo, o significado original da frase seria “No início, Deus separou o Céu e a Terra” – o que torna claro a separação entre os deuses aliens e os humanos.

Essa observação simples, de alguém que deseja pesquisar e esclarecer o tempo dos eventos, demonstra que os textos antigos sumérios - que relatavam a presença de “deuses que vieram do céu” e criaram a raça de homens, faz todo sentido.

Deus não é um ser, mas muitos aliens safados que criaram a raça humana para escravidão - e se você ainda não quer ou não deseja entender isso... eu só lamento.

Lamento muito, porque nosso TEMPO está acabando, o ciclo de aprendizagem “consciente” está apertando, diminuindo sensivelmente, o que torna a existência de muitos uma vida de inseto, onde a finalidade se baseia apenas em nascer, crescer, reproduzir e morrer – evoluir espiritualmente não entra nesse contexto.

De acordo com a doutrina do Ciclo Yuga, os períodos de transição entre Yugas estão sempre associados a um colapso mundial de civilizações e catástrofes ambientais severas, que eliminam virtualmente vestígio de qualquer civilização humana. 

A ocupação dos homens será o roubo, a mentira e a violência desnecessária, e todas as classes sociais serão reduzidas ao nível mais baixo do ser humano...

O egiptólogo John Anthony West, menciona em seu artigo " Consider the Kali Yuga" que:

"Desde o Antigo Reino do Egito, até muito recentemente ... a civilização tem caído. Simples assim. Podemos seguir esse processo degenerativo fisicamente no Egito; Está escrito nas pedras e é inconfundível. O mesmo conto é contado nas mitologias e lendas de virtualmente todas as outras sociedades e civilizações do mundo inteiro ... O progresso não vai em uma linha reta dos antepassados ​​primitivos aos velhos; Nossos engarrafamentos e nossos mares, céus e terras poluídas. Há uma outra maneira, e muito mais realista, de ver a história. Platão falou sobre um ciclo de Idades: Ouro, Prata, Bronze e Ferro (ou Dark) Age; Um ciclo, uma forma de onda - não uma linha reta. Um entendimento semelhante é refletido por praticamente todos os outros relatos antigos


Calendário Maia Corresponde ao Calendário Hindu
É interessante que esta previsão do surgimento de “um novo mundo” é narrada sobre o mesmo tempo que os Maias previram.

A língua de Kali aqui é uma arma, a ser temida, 
um lembrete que a natureza consome finalmente toda a vida.

As escrituras indianas dão uma ideia do início e a conclusão do Kali Yuga. O “nosso” Kali Yuga começou com a morte do Senhor Krishna, que segundo narrativas orais, viveu e morreu no começo do século IV AC e os historiadores indianos e autoridades escriturais parecem indicar uma data entre 3.102 e 3.113 aC - o que “coincide” com a data da criação do Mundo dos Maias - 11 de agosto de 3.114 a.C

O calendário Saptarsi, ainda em uso na Índia, dá início ao Kali Yuga a partir de 3.976 aC, que coincide com o início do período de transição. O ano da criação mundial no calendário religioso judaico é 3.761 aC, que está no meio do período de transição. Os números são bem próximos, sem exageros.

Civilizações distantes e culturas diferentes nos dão uma percepção sobre os ciclos bem parecidos. Não pode ser coincidência, são fatos históricos de registros e eventos narrados de civilização para civilização, com o mesmo aviso: Cuidado, o “mundo” vai acabar.

E, como está implícito no significado da palavra “ciclo”, aprendemos que uma vez que o pico da humanidade é alcançado, há um declínio inevitável; e uma vez que o ponto mais sombrio da humanidade é atingido, não há avanço espiritual, apenas desejo de “sobrevivência”...

Homens se voltam para a maldade; “doenças se espalham”, “contaminam” mentes ignorantes, letargia, raiva, calamidades naturais, angústia e medo da escassez dominam. Todas as criaturas degeneram. A mudança arrasta todas as coisas, sem exceção, como a água em espiral descendo o ralo...

Se mantivermos a pesquisa e focarmos apenas na informação abundante disponibilizadas na rede de vários textos antigos contidas nas escrituras religiosas e em culturas diversas, estaremos em melhor posição para reconstruir nosso passado sem choques de pensamentos, apenas tomando forma, criando elos para ficarmos cientes desses ciclos maiores de tempo que governam a civilização humana, e as mudanças que se aproximam no horizonte de eventos...

A evidência arqueológica mostra que uma destruição tremenda visitou as ilhas gregas. Aldeias e cidades foram queimadas, destruídas e abandonadas. A população morreu de fome e se concentrou em pequenos assentamentos isolados. 

A destruição da sociedade grega vigente foi dramática e com conseqüências graves para seu patrimônio cultural. As gerações de gregos antigos que sobreviveram ao cataclismo, esqueceram completamente a arte da escrita e tiveram que reaprender dos fenícios no século VIII.

Na Grécia, a construção da arquitetura monumental cessou. A cavalaria foi substituída por soldados de infantaria. Os estilos de cerâmica foram simplificados. Na Índia, o uso do Sânscrito como meio de comunicação foi substituído pela linguagem das massas comuns - Pali e Prakrit. 

O conhecimento das antigas escrituras, ciências e artes foram perdidas. Acredita-se que os homens que detinham conhecimento, mais informação entre as massas ignorantes tornaram –se guias espirituais, filósofos, profetas que arrebanhavam grande número de seguidores em resposta a esta grave crise social. 

O pesquisador Jorgen Peder Steffensen disse que;
"na transição da era do gelo para nosso atual período quente e interglaciar, a mudança climática foi tão repentina como se um botão tivesse sido pressionado”

Este evento também foi registrado nos mitos de inundação de muitas culturas antigas, que falam quase uniformemente de enormes paredes de água que submergiram toda a terra até os cumes mais altos da montanha, acompanhados por fortes chuvas, bolas de fogo do céu, frio intenso e longos períodos da escuridão

O arqueólogo Bruce Masse, do Laboratório Nacional de Los Alamos, no Novo México, examinou uma amostra de 175 mitos de inundações de diferentes culturas ao redor do mundo e concluiu que os aspectos ambientais descritos nestes eventos, também consistente com os dados arqueológicos e geofísicos, poderiam ter sido precipitado por um impacto destrutivo, profundo, oceânico, de um cometa. 

A consciência determina tudo. No Bhagavad Gita, diz que os adoradores de Deus vão para os deuses, os mundos de Deus; Aqueles que adoram os antepassados ​​vão para eles, os reinos ancestrais.

Perceba que sua consciência irá para onde você foca, acredita e vivencia. Se você sabe mais, terá um caminho mais sereno a percorrer quando as coisas ficarem caóticas. Quem sabe menos ou tem uma vida de inseto... vai padecer num “inferno” espiritual.

Nos Ciclos do Tempo anteriores, não estávamos limitados aos cinco sentidos e estávamos cientes desses planos, mas com a perda da informação devido as passagens anteriores - e que agora estão “invisíveis para a maioria de nós” - fica difícil essa compreensão da importância de conscientização da evolução da sua alma. 



Fico atenta com a quantidade de pessoas que crêem que “seres não humanos” virão “salvar” essa raça de ignorantes sobre tudo... Os chamados “extraterrestres” não estão em outros planetas, estão entre nós desde SEMPRE. Não os vimos, não nos damos conta deles, pela mesma razão que as moscas não sabem "o que" somos nós...

Eles podem ter grandes tecnologias, são mais inteligentes, mas não são espiritualizados! Estão apenas “brincando” (como um jogo de vídeo game) conosco. Vão manter algumas “espécies” de humanos para o próximo ciclo, até que um dia os humanos descubram como “sair do jogo”.

Esses seres, com suas incontáveis ​​hierarquias governamentais, não querem que saibamos que estamos presos aqui somente por ignorar nosso poder, nossa própria Alma em evolução.

Pense: o que significa "salvar"? Para onde eles irão te levar? Para outros planetas que não tenham “ciclos” definidos? Para ambientes que não tenham “doenças”? Que não tenham “sofrimento”? Isso para mim é a total estagnação da evolução, uma armadilha consensual. Eu diria que essa “salvação” faz jus a expressão: Vender sua alma ao diabo!

Nosso Refúgio é uma Consciência (conhecimento) além.
Já sei, você vai me perguntar; “mas o que é uma consciência aumentada”?

Conhecimento é poder, é um fato. Quem tem um olho em terra de cegos, se torna rei, certo? Quem manipula você, te diz que “doença” tens, que emprego precisa alcançar para ficar rico, que deus deve servir... São os mesmos seres que controlam o planeta, mas não controlam o “MUNDO”.

A consciência (conhecimento) da humanidade está se expandindo, atingindo as camadas mais baixas da humanidade – pessoas que foram enganas por séculos, estão tendo acesso a textos, a pensamentos diferentes, como esses que passo a você agora.

A informação estava RESTRITA a pequenos grupos, a grupos negativos (igrejas) que usavam o que sabiam para usufruir de ganhos fáceis através da ingenuidade dos que não sabem nada – apenas temiam sobre suas vidas frágeis de inseto.


De novo vou REPETIR: A DOENÇA NÃO EXISTE!!!!! Quando temos um SINTOMA isso nos leva a um caminho de AUTO APRENDIZAGEM

Morrer é uma condição natural dessa experiência, desse plano, mas uma vez que você MORRA, não poderá morrer de novo!!!! Acorda!

Portanto, você não precisa de CASA, abrigo, COMIDA, medicamentos, segurança, escolas e GOVERNOS para orientar o que deve fazer!! 

Uma vez cientes desses ciclos maiores de tempo que manejam a civilização humana e as mudanças que se aproximam no horizonte, temos condições de manter a mente serena e focada no que é mais importante = atrair os iguais.

Uma vez que você estiver atento aos mesmos padrões de vibração de seres como você, estará no caminho da evolução, que não pára por aqui. Esse, é só um pequeno degrau de uma longa escada, que começa com ATITUDES, AÇÕES. Então, comece a SUBIR!!!!

O fim do Yuga será inevitavelmente seguido por mudanças de terra cataclísmicas e colapsos de civilização, característico dos períodos de transição através do Kali Yuga ascendente, e este Yuga está chegando ao fim -  e tudo indica que 2025 será o auge dessa passagem.

Temos pouco tempo... Entendeu agora???

laura botelho

Não se trata apenas de uma boa piada, mas uma reflexão sobre as histórias que nos cantaram durante milenios. Hoje temos condições de entender, comparar, analisar e fazer escolhas que nos permitam sair dessa escuridão divina em que nos encontramos. Deus não existe. É uma invenção escravagista para assegurar que sua alma esteja sempre focada nos propósitos de seres negativos. Acorda.

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos