Translate my page Google

11 de mai de 2019

Video - Richard Dolan fala sobre encobrimento seres não humanos na Terra


Richard Dolan ensina a aula de Introdução à Ufologia na International Metaphysical University como parte de seu programa de ufologia. Um dos principais pesquisadores e escritores do mundo sobre UFOs, bem como outros pensadores dedicados a empurrar para trás nossos limites e explorar novas visões de nosso mundo.

Dolan é um dos pesquisadores que eu tenho mais afinidades. Minhas pesquisas sobre esse assunto (Aliens) eu destaco de suas apresentações e livros. Tenho muitos outros autores que me afino, mas Dolan tem uma preocupação singular, que os outros não têm: ele se preocupa com o "pós divulgação", como eu.

Que "eles" existem, que estão entre nós, que estão no controle, é um fato. Não há mais o que discutir. O importante agora é saber como a humanidade irá se comportar com a presença REAL desses seres em nossas vidas se houver uma revelação "científica" daqui uns anos... 

OUROBOROS
Etimologia vem do Hebraico - "ouro" = Rei - "Ob" = Serpente
Um símbolo que está presente em muitos países como Egito, Grécia, Índia, Japão. Em culturas Aztecas e colombianas e tribais.

Um imagem que traduz a "continuidade do ciclo", o eterno retorno a Terra conduzida e proporcionada pela realeza Serpente.

Será que a nova geração irá banalizar essa experiência? Será que a nova geração se adaptará aos novos modelos que serão impostos a partir da sua PRESENÇA?

As religiões se mixarão dando lugar a novos dogmas? Deus terá uma nova forma, uma nova "cara" ou o "diabo/dragão" estará no controle da manada?

Muitos, logo me retrucam com respostas tolas e vazias:
  • "Qual o problema, laura? A vida vai continuar da mesma forma!"
  • "Todos vão morrer, e daí? Qual a diferença entre aliens e humanos no poder?"
  • "Eu bem que gostaria que eles viessem e me levasse daqui..."
  • "Eu adoraria conhecer outras galáxias..."
  • "Acho que os aliens poderiam dar um jeito na humanidade, impedir as guerras"
  • "São nossos irmãos das estrelas e deus é vosso pai também"
Eu nem sei mais o que dizer quando ouço ou leio isso por aí... 

A ausência de conhecimento sobre esses fatos é tão avassaladora que a ignorância chega a oferecer um bem estar comum. Percebo que o fato de apenas "sobreviver" é infinitamente mais importante que qualquer lampejo de evolução espiritual. A energia material sempre vence nesse assunto.
 
O grande problema é que a manada não se atém ao curto espaço/tempo que temos. Muito pouco tempo para resinificar e reprogramar nossos scripts... o ciclo está se fechando e poucos irão escapar dessa roda... e eu lamento.

laura botelho

Obras escritas de Richard Dolan
2000. UFOs e o Estado de Segurança Nacional: Cronologia de um encobrimento 1941-1973 
2009. UFOs e o Estado de Segurança Nacional: The Cover-Up Exposed, 1973-1991 
2010. AD Após Divulgação: O Guia do Povo à Vida Após o Contato  
2014. UFOs para a Mente do Século 21: Um Novo Guia para um Mistério Antigo 


O prefácio do seu livro de 2000 é escrito pelo notável cientista e autor Jacques Vallée, Ph.D. 

"O importante livro que você está prestes a ler é o primeiro estudo abrangente da resposta do governo dos EUA à intrusão de fenômenos ufológicos nos céus americanos nos últimos cinquenta anos".




2 de mai de 2019

A Vacinação da Bela Adormecida



Física Quântica não trabalha
com “coisas”, mas com
INTER – CONEXÕES

Antes de iniciar a leitura do texto espero que você não mergulhe na informação como sendo a pura realidade dos fatos. Não acredite no que está aqui, faça sua própria pesquisa a partir dos nomes citados, eventos e links. Minha intenção é exclusivamente fazer o leitor ficar perturbado e buscar mais informação.


Minha função é sempre a de trazer outro ponto de vista, já que a mídia “oficial” está comprometida com o ponto de vista da “indústria da doença” que a sustenta com comerciais lucrativos. A partir da sua análise leve o que puder aproveitar para sua vida. Estou lhe oferecendo mais informação, mais leques de escolhas, mas poder de entendimento sobre muitas outras coisas.

Está havendo "caça às bruxas" que propagam notícias contra vacinas... talvez esse texto seja censurado, mas vamos ver o que acontece.

Acorda Cinderela! 
 “Depois de 8 longos anos, o governo finalmente admitiu que encontramos nosso ônus de provar que Gardasil causou minha morte.”
Vítimas de vacina Gardasil contra HPV

Christina Richelle Tarsell, morreu de uma arritmia induzida por uma resposta auto imune à vacina contra o HPV, Gardasil, que ela [recebeu] apenas alguns dias antes [da sua] morte. … Este é um caso de configuração precedente.

Aqui estão os links da decisão do juiz Coster Williams e a decisão revisada do Mestre Especial. Decisão do juiz -2007

Na decisão de 22 páginas apresentada em 30 de junho de 2017 pela juíza Mary Ellen Coster Williams, que encorajou todos os pais que tiveram as crianças lesionadas por vacinas e todos os médicos que administram vacinas.

Gardasil mata, declara a Corte americana
Grite isso dos topos das montanhas e certifique-se de que todos os médicos também saibam disso!

As vacinas foram as melhores estratégias
para eliminar a população humana

Acredite, o ser humano é difícil de extinguir. Não é fácil, mesmo os atacando com bombas, administrando alimentos e vacinas tóxicas em seus corpos, levando-os a loucura ou apenas os “inutilizando-os” racionalmente, não é fácil, “eles” já tentaram de tudo, acredite.

A maneira fácil de convencer as pessoas a crer que sem as vacinas vão morrer, elas farão filas implorando para sejam inoculadas. Eles sabem que o cérebro humano aceita mais facilmente e de forma voluntária qualquer coisa que as “salvem” de todo mal.

Hoje é sabido que as vacinas foram rotineiramente usadas em programas de despovoamento em áreas pobres e ignorantes. O método de vacinação em massa tem sido usado repetidamente em toda a África, México e América do Sul para infligir esterilização a grupos-alvo por meio de programas de imunização.

Laboratórios da Associação Católica de Médicos Quenianos confirmaram que uma substância química para esterilização que causa abortos, dentro das vacinas contra o tétano, foi inoculada em milhões de jovens no Quênia.

"Enviamos seis amostras de todo o Quênia para laboratórios na África do Sul. Eles testaram positivo para o antígeno HCG. Eles foram todos atados com HCG". disse o Dr. Muhame Ngare, do Mercy Medical Center, em Nairóbi, à LifeSiteNews.

2,3 milhões de jovens e mulheres estão no processo de receber a vacina, impulsionadas pelo UNICEF e pela Organização Mundial de Saúde todos os anos.

Essa química faz com que o corpo de uma mulher destrua seu próprio feto com anticorpos induzidos pela vacina HCG é um produto químico desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde para fins de esterilização.

Quando injetado no corpo de uma mulher jovem, faz com que a gravidez seja destruída pela resposta do próprio anticorpo do corpo ao HCG, resultando em um aborto espontâneo. Sua eficácia dura há anos, causando abortos em mulheres até três anos após as injeções.

A Dr. Ngare explicou que "... esta campanha da OMS não tem a ver com a erradicação do tétano neonatal, mas com um exercício de esterilização em massa de controle populacional bem coordenado, usando uma vacina comprovada de regulação da fertilidade".

Mais importante ainda, a Igreja Católica do Quênia é uma organização pró-vacina. "Que razão os médicos católicos têm para mentir?" perguntou o Dr. Ngare. "A Igreja Católica está aqui no Quênia prestando assistência médica e vacinando há 100 anos por mais tempo do que o Quênia existiu como país."

Em outras palavras, o próprio grupo que expõe a agenda de esterilização das vacinas contra o tétano é, de fato, um grupo pró-vacinação. No entanto, até agora eles perceberam a terrível verdade: as vacinas são o vetor perfeito para os governos inserirem perigosamente agentes químicos ou virais encobertos que nunca são revelados ao público.

Apenas 5 doses para lacrar uma geração
O que realmente levantou bandeiras vermelhas sobre a chamada vacina contra o tétano foi o cronograma de inoculação altamente incomum. Esta vacina exigiu cinco doses ao longo de dois anos - uma programação que não é usada para o tétano. Além disso, a vacina estava sendo administrada apenas a mulheres em idade fértil, não homens ou mulheres além da idade da fertilidade.

Como o Dr. Ngare explica, a mesma campanha de esterilização de vacina foi usada em 1993 no México e na Nicarágua e nas Filipinas em 1994. A OMS tentou trazê-la para o Quênia nos anos 90, diz Ngare.

A redução da população foi uma estratégia planejada para 13 países-chave:

Índia, Bangladesh, Paquistão, Nigéria, México, Indonésia, Brasil, Filipinas, Tailândia, Egito, Turquia, Etiópia e Colômbia.

Destes, o documento destacou o México como tendo uma das mais altas (e, portanto, mais preocupantes) taxas de crescimento de todos. Os Institutos Nacionais de Saúde do governo dos EUA foram pegos em flagrante, realizando experimentos médicos em prisioneiros na Guatemala.

Nações Unidas, OMS e UNICEF
Todos envolvidos em genocídio de vacinação
Você não verá esta notícia relatada por qualquer mídia nos Estados Unidos ou tão pouco passará no Fantástico.

As vacinas são a arma perfeita para o controle populacional por várias razões:
1) Ninguém sabe realmente o que há nelas.
2) Eles podem ser facilmente contaminados com agentes químicos escondidos.
3) Eles podem ser administrados sob a cobertura de "saúde pública".
4) Todos os governos e meios de comunicação irão colaborar deliberadamente com o genocídio para proteger as vacinas de serem reconhecidas como armas médicas contra as mulheres.

Assim, as vacinas podem ser rotineiramente usadas para injetar populações com produtos químicos anticoncepcionais ou até mesmo com vírus de câncer furtivos. Foi o que aconteceu com 98 milhões de americanos durante as vacinações em massa contra a poliomielite nos anos 60 e 70.

O CDC chegou a documentar a injeção "acidental" de milhões de americanos com o vírus símio SV40 causador de câncer, mas a agência removeu toda a história de seu site em 2013.

Memorando de Estudo de Segurança Nacional 200Redução Populacional
Os governos foram orientados a encontrar maneiras de reduzir a população global.  


O presidente Obama foi forçado a se desculpar publicamente em 2011 depois que o encobrimento desmoronou!

Eleanora I. McBean, Ph.D., N.D. afirma que a Epidemia de gripe espanhola em 1918 foi causada por vacinas

(1957) Em seu livro - Swine Flu Expose – Dra McBean faz um relato preciso desse evento que durou de janeiro de 1918 a dezembro de 1920 descrevendo todo o ocorrido destacando a vacinação como uma arma de aniquilação em massa, após a introdução do vírus da gripe H1N1 em pessoas de vários locais no planeta incluindo pessoas em ilhas remotas do Pacífico e no Ártico.

Foram 500 milhões de pessoas em todo o mundo e o resultado foi morte de 50 a 100 milhões 3 a 5% da população mundial, nomeado como um dos mais mortais “desastres naturais” da história da humanidade no início do século.

Curiosamente a pandemia de 1918 matou predominantemente jovens adultos previamente saudáveis. Vamos analisar porquê.

Segue alguns trechos retirados do livro da Dra. Eleanora I. McBean – (os grifos são sempre meus)


“Autoridades médicas e não-médicas sobre vacinação concordam que as vacinas são projetadas para causar um caso leve das doenças que devem prevenir, mas eles também sabem e admitem, que não há nenhuma maneira de prever se o caso será leve ou grave - até mesmo mortal”

“Com tanta incerteza em lidar com a própria vida das pessoas, é muito pouco científico e extremamente perigoso usar um procedimento tão questionável quanto a vacinação. Muitas vacinas também causam outras doenças além daquelas para as quais são dadas. Por exemplo, a vacina contra a varíola geralmente causa sífilis, paralisia, lepra e câncer.”

“Vacina contra o tifo, bem como as do sarampo, o tétano e a as outras vacinas muitas vezes causam vários outros estádios da doença, tais como encefalites pós-vacinais (inflamação do cérebro,) paralisia, meningite espinal, cegueira, câncer (às vezes dentro de dois anos,) tuberculose, (de 2 a 20 anos após a vacinação), artrite, doença renal, doença cardíaca. Danos nos nervos e muitas outras condições graves também seguem as injeções”

“Quando várias vacinas são dadas (vacinas diferentes) em poucos dias ou com poucas semanas de intervalo, muitas vezes desencadeiam casos intensificados de todas as doenças de uma só vez, porque o corpo não consegue administrar uma quantidade tão grande de veneno mortal sendo injetada diretamente na corrente sanguínea. Os médicos chamam isso de uma nova doença e continuam a suprimir os sintomas.”

“Quando um veneno é ingerido pela boca, o sistema de defesa interno tem a chance de ejetá-lo rapidamente vomitando, mas quando os venenos são lançados diretamente no corpo, ignorando todas as salvaguardas naturais, esses venenos perigosos circulam imediatamente por todo o corpo em questão de segundos e continuam circulando até que todas as células estejam envenenadas”

“Ouvi dizer que 7 homens morreram em um consultório médico depois de serem vacinados. Isso foi em um acampamento do exército, então eu escrevi para o governo para verificação. Eles me enviaram o relatório do Secretário de Guerra dos EUA, Henry L. Stimson.”

“O relatório não só verificou os sete que caíram mortos das vacinas, mas afirmou que houve 63 mortes e 28.585 casos de hepatite como resultado direto da vacina contra a febre amarela durante apenas 6 meses da guerra.”

“Esse foi apenas uma das 14 a 25 vacinas dadas aos soldados.
Podemos imaginar o dano que causaram aos homens”

“A primeira Guerra Mundial foi de curta duração, então os fabricantes de vacinas não conseguiram usar todas as suas vacinas. Como eles estavam (e ainda estão) no negócio por lucro, eles decidiram vendê-lo para o resto da população. Então, eles organizaram a maior campanha de vacinação da história dos EUA. Não houve epidemias para justificá-lo, então eles usaram outros truques”

“Sua propaganda dizia que os soldados voltavam para casa de países estrangeiros com todo tipo de doenças e que todos deviam ser vacinados”.

“As pessoas acreditavam nelas porque, antes de mais nada, queriam acreditar nos médicos e, segundo, os soldados que voltavam certamente estavam doentes. Eles não sabiam que eram de doenças de vacinas feitas por médicos, já que os médicos do exército não lhes dizem coisas desse tipo.”

“Muitos dos soldados que retornaram foram incapacitados para a vida por essas doenças induzidas por drogas. Muitos se tornaram insanos devido à encefalite pós-vacinal, mas os médicos a chamavam de choque, embora muitos nunca tivessem deixado o solo americano.”

“A doença conglomerada provocada pelas muitas vacinas venenosas desconcertou os médicos, já que eles nunca tiveram uma vacinação antes da qual usavam tantas vacinas diferentes. A nova doença que eles criaram tinha sintomas de todas as doenças que injetaram no homem. Houve febre alta, extrema fraqueza, erupção abdominal e distúrbio intestinal característico da febre tifoide.”

“A vacina contra a difteria causou congestão pulmonar, calafrios e febre, inchaço, dor de garganta entupida com a falsa membrana e asfixia por causa da dificuldade de respirar seguida de arquejo e morte, após o que o corpo ficou negro de sangue estagnado que havia sido privado de oxigênio nos estágios de sufocamento.”

“Nos primeiros dias eles chamavam de Black Death (Peste Negra). As outras vacinas causam suas próprias reações - paralisia, dano cerebral, etc.”

“Quando os médicos tentaram suprimir os sintomas da febre tifoide com uma vacina mais forte, ela causou uma forma pior de febre tifoide, que eles chamaram de paratifoide. Mas quando eles inventaram uma vacina mais forte e mais perigosa para suprimi-la, criaram uma doença ainda pior para a qual não tinham nomeado”

Como eles deveriam chamar isso?
“Eles não queriam dizer às pessoas o que realmente era - seu próprio monstro Frankenstein que haviam criado com suas vacinas e remédios supressores”.


“Eles queriam afastar a culpa de si mesmos, então eles chamaram de gripe espanhola. Certamente não era de origem espanhola, e o povo espanhol se ressentia da implicação de que o flagelo mundial daquele dia deveria ser atribuído a eles.”

“Mas o nome ficou pegou e os médicos e fabricantes de vacinas americanos não foram suspeitos do crime dessa devastação generalizada - a epidemia de gripe de 1918. Foi somente nos últimos anos que os pesquisadores foram desenterrando os fatos e colocando a culpa a quem pertence.”

“Alguns dos soldados podem ter estado na Espanha antes de voltar para casa, mas suas doenças se originaram em seus próprios Acampamentos do Exército dos Estados Unidos.”

“Nossos médicos ainda usam essa mesma esquiva. Quando suas próprias vacinas (necessárias para viajar) causam doenças de vacinas no exterior, elas usam isso como base para uma campanha assustadora para levar as pessoas aos centros de vacinação.”

“Você se lembra da gripe de Hong Kong, da gripe asiática e da gripe de Londres? Estas eram todas epidemias feitas por médicos misturadas com os resfriados comuns que as pessoas têm todos os anos.”

“A Influenza Espanhola de 1918 foi uma doença induzida por uma vacina, causada por intoxicação corporal extrema causada pelo conglomerado de muitas vacinas diferentes.”

Vírus (veneno) não voa e ataca as pessoas.
“As vacinas injetadas no corpo são venenosas e causam as típicas reações venenosas. Todos os médicos e pessoas que viviam na época da epidemia da gripe espanhola de 1918 diziam que essa era a doença mais terrível que o mundo já teve. Homens fortes e saudáveis, um dia estariam mortos no dia seguinte.”

“A “peste negra” apresentava as características associada ao tifo, à difteria, à pneumonia, à varíola, à paralisia e a todas as doenças com as quais as pessoas haviam sido vacinadas logo após a Primeira Guerra Mundial.”

“Praticamente toda a população tinha sido injetada - “semeada” - com uma dúzia ou mais de doenças - ou soros tóxicos. Essa pandemia se arrastou por dois anos, mantida viva com a adição de mais drogas venenosas administradas pelos médicos que tentaram suprimir os sintomas. Até onde consegui descobrir, a gripe atingiu apenas os vacinados.”

“Se fosse possível que germes, bactérias, vírus ou bacilos causassem doenças, eles teriam muitas oportunidades de atacar meus pais quando passassem muitas horas por dia nos enfermos. Mas eles não pegaram a gripe e não trouxeram nenhum germe para casa para nos atacar crianças e causar qualquer coisa. Ninguém da nossa família tinha gripe - nem mesmo uma fungada - e foi no inverno, com neve profunda no chão.”

“Quando vejo as pessoas se encolherem quando alguém perto delas espirra ou tosse, fico imaginando quanto tempo levará para descobrir que elas não podem pegá-lo - seja lá o que for. A única maneira de obter uma doença é desenvolvê-la erroneamente comendo, bebendo, fumando ou fazendo outras coisas que causam envenenamento interno e diminuem a vitalidade.

“Todas as doenças são evitáveis ​​e a maioria é curável com os métodos corretos, não conhecidos pelos médicos, e nem todos os médicos sem drogas os conhecem.”

“Já foi dito que a epidemia de gripe de 1918 matou 20 milhões de pessoas em todo o mundo. Mas, na verdade, os médicos os mataram com seus tratamentos e drogas crus e mortais. Esta é uma dura acusação, mas é verdade, a julgar pelo sucesso dos médicos sem drogas em comparação com os médicos.”

“Enquanto os médicos e hospitais médicos estavam perdendo 33% de seus casos de gripe, os hospitais não médicos, como BATTLE CREEK, KELLOGG e RADIOCÓRVIO DE SAÚDE DE MACFADDEN estavam recebendo quase 100% de curas com sua cura pela água, banhos, enemas, etc. jejum e alguns outros métodos simples de cura, seguidos de dietas cuidadosamente elaboradas de alimentos naturais. Um médico de saúde não perdeu um paciente em oito anos.

“Havia 7 vezes mais doenças entre os soldados vacinados do que entre os civis não vacinados, e as doenças eram aquelas contra as quais haviam sido vacinados. Um soldado que havia retornado do exterior em 1912 me disse que os hospitais do exército estavam cheios de casos de paralisia infantil e se perguntou por que homens adultos deveriam ter uma doença infantil. Agora, sabemos que a paralisia é um efeito comum do envenenamento por vacina.

“Aqueles em casa não adquiriram a paralisia até depois da campanha de vacinação mundial em 1918.”

---------------------------------XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX ------------------------------

Um adendo de minha parte nesse artigo que exponho aqui

A Primeira Guerra Mundial foi uma guerra originada na Europa que durou de julho de 1914 a novembro de 1918.

Essa guerra teve o cunho de “mundial” porque levou à mobilização de mais de 70 milhões de militares, incluindo 60 milhões de europeus, tornando-se uma das maiores guerras da história. Estima-se que 9 milhões de combatentes e 7 milhões de civis morreram como resultado direto da guerra e também contribuiu para genocídios posteriores e a pandemia de influenza de 1918, que causou entre 50 a 100 milhões de mortes (dados são incertos).

Já escrevi muito sobre o poder de envenenamento das vacinações em massa e principalmente sobre os objetivos dos governantes do planeta por trás desse movimento de extermínio silencioso.

laura botelho

Vacinas contra gripe são “totalmente ineficazes”
Em uma entrevista para uma rádio, Trump  afirmou que a  vacina contra a gripe é “totalmente ineficaz” e declarou que nunca tomou uma vacina.

Eu nunca me vacinei. E até agora eu nunca tive gripe. Eu não gosto da ideia de injetar coisas ruins em meu corpo. E isso é basicamente o que eles fazem. E esta (a mais recente vacina contra a gripe) não tem sido muito eficaz para começar

Tenho amigos que religiosamente tomam a vacina e depois pegam gripe. Você sabe, isso ajuda meu pensamento. Eu vi muitos relatórios que a última vacina contra a gripe é totalmente ineficaz. Vacinas contra a gripe estão cheias de “coisas ruins”.

SE o TRUMP diz isso... quem sou eu para dizer o contrário...


 Como o mercúrio mata o cérebro

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos