Translate my page Google

23 de fev. de 2019

Vídeo - "A Grande Onda" - UM documentário sobre Tsunamis



Um bom documentário sobre TSUNAMIS.
A grande onda é esperada por aqueles que sabem que é apenas uma questão de "quando", longe da ideia de "se ainda poderá acorrer" - eles têm certeza que acontecerá.

Conhecimento é poder - quando se tem um leque de informações temos muitas  ESCOLHASQuando só temos DUAS opções.... isso se torna um dilema muito desgastante.

O documentário tem mais de duas horas, mas ainda assim, nos dá inúmeras informações sobre o que sucede um tsunami, datas recentes que se repetiram, a extensão dos danos ao longo de décadas, onde poderá ocorrer com mais frequência daqui pra frente - e Espanha e Portugal estão na mira.

Enfim, são dados científicos que talvez a maioria da população do planeta não saiba ou não queira saber... isso porque provoca "mudanças e a massa odeia mudanças. Acredita que nada pode ser tão dramático que o tire da sua zona de conforto...

laura botelho

Assista antes que tirem do ar, pois vão tirar. Sempre acontece quando eu posto um vídeo que está anos na rede. 





21 de fev. de 2019

Gigantes em exposição. Mito ou realidade fabricada?


Esqueleto Humano gigante em Caverna na Tailândia.
Finalmente temos a prova irrefutável de que existiam gigantes humanos?

Ainda não. Foi através de impressão 3D para produtos plásticos e moldá-los que esse monumento virou tema da exposição em uma gruta na Ásia. Se é o real ou irreal a imagem é uma detalhada e intrigante criação em local de um sítio arqueológico.


A dimensão dos mitos da criação da Tailândia, a partir da história da batalha sobre uma python gigante, lendas da Krabi, parece ter sido retratada por um artista que co-criou o “mito” que permeia a vida de Taiwan e Tailândia e muitos outros locais da face desse planeta Terra.

A exposição na Bienal Krabi da Tailândia 2018 teve início em 2 de novembro 2018 e irá até fevereiro de 2019.

Estou postando esses vídeos para que você avalie o que estão querendo nos mostrar. Quem sabe nos motivar a buscar mais informações sobre esses “mitos” que permeiam a história humana, ou limitar novas informações que virão a seguir.

Muitos sites estão dando como “verdadeiros” esses achados, mas sites do Governo Tailandês explicam que tudo não passa de uma “obra de arte” que foi exposta numa caverna onde realmente é palco de vestígios arqueológicos.

Hoje em dia está cada vez difícil analisar e confrontar o que pode ser “real” com o que pode ser produzido por tecnologia humana... afinal, esse é o objetivo “deles” – nos deixar em dúvida, polarizar, fragmentar o que está sendo exposto pela internet dia após dia.

Essa polarização da mídia e outros mecanismos precisam manter o gado calmo e fiel as suas informações. Estão nos orientando a “duvidar” de tudo, justamente para nos desabilitar a motivação de pensar, raciocinar e pesquisar – para isso basta ridicularizar a informação e a massa humana se sente constrangida em acreditar em algo fora do “senso comum” - vira “fake News”.

Assista aos vídeos e veja o que faz sentido pra você, pois o importante é ter sempre um leque de escolhas – só assim podemos montar uma imagem do quadro em que estamos inseridos.


laura botelho

Jornal TV KBTV - filiada a FOX NEWS americana.


Esqueleto gigante encontrado em Khao Khanap Nam Cave - Tailândia (?)




3 de fev. de 2019

Infrassom, um catalisador de mudanças psicológicas



Dias atrás um rapaz que faz parte da minha rede do Facebook me escreveu pelo chat pedindo uma “orientação” sobre um “mal estar” súbito que ele e a esposa passaram em alguns minutos em sua casa. 

Escreveu o seguinte:
Esses dias estava em casa com minha esposa, beirando a hora do almoço. TV ligada, e estávamos conversando sobre um assunto aleatório. E foi quando aconteceu algo muito estranho. Me deparei com uma sensação de paralisia mental. Ficamos ambos em silêncio por alguns segundos, seguindo o que fazíamos. Eu estava pegando algo na geladeira, e ela próxima a mim recolhendo um brinquedo do nosso filho que estava no chão. E nesse momento estranho nós nos olhamos e fizemos a mesma pergunta: O que aconteceu? Sobre o que estávamos conversando agora? E nenhum dos dois conseguiu se lembrar por mais ou menos uns 15 minutos. Foi algo como o assunto ter terminado, fez-se um silêncio quase que artificial, mas não paramos de fazer fisicamente o que estávamos fazendo. E ambos tivemos uma pequena perda de memória repentina. Depois de um tempo eu consegui me lembrar sobre o que conversávamos, mas sinceramente nunca vi duas pessoas se esquecerem completamente do que acabaram de falar

O que me veio primeiro a mente foi investigar onde eles estavam no momento. Em que lugar eles moram especificamente. Foi o local que me chamou atenção – eles estão em São José dos Campos (SP); O município é a sede de importantes empresas, como:

Panasonic, Johnson & Johnson, Ericsson, Philips, General Motors (GM), Petrobras, Monsanto, Embraer (sede), entre outras. Possui também relevantes centros de ensino e pesquisas, tais como: o DCTA, o INPE, o Cemaden, o IEAv, o IAE, o IFI, a UNESP, o ITA, a FATEC, a UNIVAP, o IP&D e a UNIFESP, sendo um importante tecnopolo de material bélico, metalúrgico e sede do maior complexo aeroespacial da América Latina. O Parque Tecnológico de São José dos Campos, o maior do tipo no país é a única cidade do mundo com centros de pesquisas das três maiores fabricantes mundiais de aeronaves, a Embraer, a Boeing e a Airbus.

E daí??! Vai lendo...

Vladimir Gavreau, nasceu na Rússia, portanto seu nome é Vladimir Gavronsky – tornou-se cientista francês que descobriu o poder bélico do infrassom. Seu interesse pelas ondas infrassônicas surgiu pela primeira vez em seu laboratório durante a década de 1960, quando ele e seus assistentes de laboratório sentiram dor nos tímpanos e sacudiram o equipamento do laboratório, mas nenhum som audível foi ouvido em seus microfones. Ele concluiu que teria sido o infrassom e começou a trabalhar na preparação de testes nos laboratórios.

O infrassom tornou-se objeto de estudos nos últimos anos.
O termo "infrassom" define-se como a faixa de frequência inaudível abaixo da largura de banda humana em torno de 20Hz. Pesquisadores descobriram que alguns animais, como os elefantes, podem se comunicar com chamadas de baixa frequência.

Sabe-se que o corpo humano pode gerar vibrações mecânicas em frequências muito baixas, as chamadas ondas infrassônicas. Essas vibrações de baixa frequência são produzidas por processos fisiológicos - batimentos cardíacos, movimentos respiratórios, fluxo sanguíneo em vasos e outros processos, podendo fazer vibrar órgãos internos

Diferentes órgãos do corpo humano produzem diferentes frequências de ressonância. A frequência de ressonância do coração é de ~ 1 hz. O cérebro tem uma frequência de ressonância de ~ 10 hz, - circulação sanguínea de cerca de 0,05 a 0,3 hz.

Para entender como a aplicação militar do som pode impactar psicologicamente os seres humanos e outros, devemos primeiro entender como os efeitos sonoros nos afetam mentalmente.

Chegou se a conclusão de que a ressonância poderia ser o catalisador da mudança psicológica quando exposta ao som infrassônico. O resultado das frequências de ressonância dentro do corpo permite uma correspondência direta com os ritmos de frequência dentro do cérebro, que são coerentes com o estado emocional de cada ser humano.

Muitos dos efeitos mais profundos do som são atribuídos ao infrassom na região de 7Hz. Isso corresponde às frequências médias do ritmo alfa do cérebro”. (Davies & Honors)

Uma experiência feita sob condições controladas mostrou que o infrassom tem um impacto grandioso no cérebro. As pessoas que experimentam um senso de espiritualidade nas igrejas podem estar reagindo ao som de graves extremos produzidos por alguns tubos de órgão.

Para testar o impacto em um público a partir de um tubo de órgão, os pesquisadores construíram um "canhão infrassônico" de sete metros de comprimento, colocado na parte de trás da Purcell Room, uma sala de concertos no sul de Londres onde descobriram que podiam incutir sentimentos estranhos na plateia à vontade. Estes incluíam um extremo sentimento de tristeza, frieza, ansiedade e até arrepios na espinha.

Eles convidaram 750 pessoas para relatar seus sentimentos depois de ouvirem partes da música contemporânea, emitindo um som de 17 Hz em níveis de 6-8 decibéis. Os resultados mostraram que sensações estranhas no público aumentaram em média 22% quando o baixo extremo estava presente.

Estudos descobriram que a sensação da presença de “assombrações” - de que algo ou alguém invisível está em uma sala ou prédio - também podem ser explicadas pela presença de infrassons.

"Algumas das experiências em nosso público incluíram 'tremores no pulso', 'um sentimento estranho no estômago', 'aumento do ritmo cardíaco', 'sentir-se muito ansioso' e 'uma súbita lembrança de perda emocional'

Muitas igrejas e catedrais têm tubos de órgão que são tão longos que emitem infrassom, com uma frequência inferior a 20 Hertz, (grande parte inaudível para o ouvido humano). Sarah Angliss, engenheira e compositora responsável pelo projeto, acrescentou: "Os músicos de órgãos vêm adicionando infrassom à mixagem por 500 anos, então talvez não seja a primeira geração a ser 'viciada em baixo'."

A frequência que forma a nossa própria percepção do som situa-se entre 20Hz - 20.000Hz, embora constitua apenas uma pequena quantidade de espectro de frequência, o nosso alcance auditivo pode desempenhar um papel importante no nosso corpo como: 


·         Equilibriocepção (equilíbrio),
·         Propriocepção e cinestesia (movimento articular e aceleração), tempo,
·         Nocicepção (dor),
·         Magnetocepção (direção) e
·         Termocepção (diferenças de temperatura)

Vulcões emitem infrassom
Infrassons podem ser produzidos pelo vento, tornados, erupções vulcânicas e por alguns tipos de terremotos. O infrassom pode ser detectado em vulcões e pode fornecer uma maneira de prever erupções - apesar dos cientistas alegarem ser pouco provável prever uma erupção.

Cuidado com o "vento" - Filme: Fim dos tempos (2008)

Os elefantes são capazes de emitir infrassons que podem ser detectados a uma distância de 2 km. Os cães também são capazes de emitir infrassons que podem ser detectados a uma distância de 500 metros. Os tigres têm a mais forte capacidade de identificar infrassons. Seu rugido emite ondas infrassônicas tão poderosas que são capazes de paralisar suas presas e até pessoas.

Há mais de 50 anos é estudada uma forma de usar o infrassom em armas de guerra, já que sua potência pode destruir construções e até mesmo estourar órgãos humanos. Cientistas da Universidade Nacional de Pesquisa Nuclear e colaboradores usaram um dispositivo laser altamente sensível para registrar vibrações infrassônicas no corpo humano.

"Nós tentamos descobrir os fatores, influenciando características de amplitude frequência de tais vibrações", diz a pesquisadora Olga Molchanova.

Os cientistas descobriram que as vibrações observadas estão conectadas com o sistema cardiovascular, que tem seus próprios movimentos ocorrendo simultaneamente com o trabalho do coração.

Três tipos de vibrações infrassônicas foram registrados. 
Ondas do primeiro tipo estão conectadas com o batimento cardíaco; o segundo com o ritmo respiratório humano; o terceiro, chamado ondas de Traube (pressão arterial), relacionados aos estados de tensão emocional. Assim, poderia ser possível julgar o estado emocional humano através da resposta de frequência de amplitude dessas ondas.

"Se você quiser descobrir os segredos do Universo, pense em termos de energia, frequência e vibração" - Nikola Tesla

Tesla já nos deu o caminho, basta que a gente siga a seta. 

Na natureza, fontes como o vulcão Fuego, na Guatemala, emitiram 120 decibéis de som infrassônico, variando em torno de 10Hz (Georgia State University) Apesar dos “governantes” negarem a possibilidade da detecção de uma possível erupção ou até mesmo um “promissor” abalo sísmico, os monitoramentos infrassônicos para combater a detecção de desastres naturais estão a pleno vapor. 

De vez em quando eles lançam um “artigo” no ar alertando a macacada, mas falta percepção apurada pela maioria para essa sutil observação.

Ao longo dos séculos XX e XXI, tem havido uma grande quantidade de pesquisas coletadas e interesse no uso de armas "não letais" que se destinam a imobilizar ou prejudicar alvos sem causar danos permanentes ou graves para o corpo humano procurando criar armas que resultem em guerra sem morte (Scott & Monitor, 2010).

Narra a lenda que, há uma proibição global para toda pesquisa e desenvolvimento, seja militar ou civil, que procure aplicar o conhecimento da vibração química, elétrica, sonora ou outro funcionamento do cérebro humano ao desenvolvimento de seres humanos, incluindo a proibição de implantação real ou possível de tais sistemas. Mas a gente sabe que são apenas textos de livros que enfeitam as prateleiras das Nações Unidas

 Tem sido notado que certas frequências infrassônicas se conectam diretamente aos algoritmos do cérebro e do sistema nervoso. Frequências de 7 hertz, por exemplo, coincidem com ritmos teta, pensados ​​para induzir humor de medo e raiva.” (Goodman, 2010).

Após essa descoberta, Gavreau fez discussões que destacaram o efeito das frequências infrassônicas para os seres humanos, citando-a como uma possível causa do estresse dos moradores da cidade (Broner, 2003).

O infrassom de alta intensidade causa dor de cabeça, fadiga e ansiedade. Nossos órgãos internos (coração, fígado, estômago, rins) são presos aos ossos por tecido conjuntivo elástico, e em baixas frequências podem ser considerados simples osciladores, assim, os órgãos podem ressonar.

Um experimento intitulado "The Haunt Project", realizado pela Unidade de Pesquisa em Psicologia Anomalística do Goldsmiths College, em Londres, sujeitou 79 voluntários a uma variedade de frequências infrassônicas. A análise primária do estudo cita que “63 (79,7%) dos participantes sentiram-se tontos ou estranhos, 9 (11,4%) sofreram tristeza, 7 (8,9%) experimentaram terror (French, Haque, Bunton-Stasyshyn, & Davis, 2009).

"A frequência de ressonância do globo ocular tem um efeito direto sobre estados emocionais de ansiedade e estresse" (Prashanth & Venugopalachar, 2010).

O uso do LRAD (Long Range Acoustic Device) foi visto como um meio de controle de multidões e foi identificado em cenários como repelir piratas na Somália e homens-bomba no Oriente Médio (Goodman, 2009). O LRAD foca um feixe de som direcional de 15 ° a 30 ° entre 1kHz e 5kHz, atingindo uma distância de cerca de 5.500 metros (LRAD, 2015).

Quem com ferro fere, com ferro será ferido.
2016 a 2017 um grupo de diplomatas americanos em Havana, Cuba, sofreu perdas auditivas severas e inexplicadas no último ano. Canadá retira 14 diplomatas e suas famílias de Havana com sintomas estranhos. Caso similar também já se deu na China. Todos descrevem os mesmos sintomas: enjoos, fortes enxaquecas, zumbidos no ouvido e problemas visuais. Segundo autoridades americanas, foi causado por um dispositivo sônico secreto e avançado... 

“Secreto” é ótimo...


Deixo aqui mais um convite para a minha palestra - no dia 27 de ABRIL 2019 - na capital São Paulo – no Itaim Bibi – onde abordarei todos esses temas “secretos” de velha geração usados pelos Senhores do Tempo.

O Título da palestra será -  DOS ALIENS AO CANCROum resumo bem explicado e desenhado sobre os motivos e variados mecanismos e manejos que estão utilizando para nos aniquilar em massa. Eles estão seguindo uma AGENDA muito específica que tem data para encerrar - e estamos no limiar desse prazo.

Darei mais informações ao longo dos meses. Abrirei as inscrições em março. Vagas são limitadas.

laura botelho

Dica de filme que abre várias portas da percepção é esse “Fenômeno” (1996) com John Travolta. Fique atento as muitas informações que foram passadas, afinal, Travolta e Tom Cruise fazem parte de um grupo que sabe demais - a Cientologia




meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos