Google

Translate my page Google

28 de abr de 2017

Judas o Escorpião, na Era de Aquários


 “A evidência é esmagadora que as grandes catástrofes globais foram ou acompanhada ou causada por deslocamento do eixo terrestre ou por uma perturbação nos movimentos diurnas e anuais da Terra ...”  - Velikovsky 


Fato: a exposição do Sol diante da Terra influencia o dia a dia dos seres humanos em todos os aspectos de sobrevivência. Se o Sol está distante (afélio) o clima esfria aqui embaixo. Se o Sol estiver mais próximo da Terra (periélio) o “clima esquenta”, em todos os sentidos. O mesmo vale para a Lua, que controla o movimento das marés, orientando aos navegantes e amantes da pescaria, com base nas tabelas de maré. Fato.


Se a Ciência comprova que esses astros (Sol e Lua) provocam mudanças de comportamento aqui na Terra, como não acreditar que outros astros possam ter esse mesmo poder?

Você sabia que a primeira hora de cada dia, que se inicia ao nascer do Sol, determina o planeta que rege o dia todo? Alguma vez se perguntou por que diabos temos uma semana de 7 dias?

Cada dia da semana está associado a um planeta em muitas línguas - A exceção da língua Portuguesa.

Domingo ao Sol – SUNday (Inglês)
2ª feira - à Lua, (Monday = Inglês) (Lundi = Frances) (Lunes = Espanhol)
3ª - a Marte,
4ª - a Mercúrio,
5ª - a Júpiter,
6ª - a Venus  
Sábado - Saturno.

A astrologia é uma ciência antiga, milenar, não é invenção de jornais. Nossos antepassados ​​podiam prever movimentos de planetas, eclipses, cometas, transições das estações, a duração do dia, a inundação dos rios, a oscilação das marés, afim de tomarem decisões futuras de melhor época para plantar e colher ou entrar em guerra.

Os primeiros astrônomos “receberam” observações matemáticas e descobriram “padrões”, “sinais”, por trás do movimento dos corpos celestes. Esses padrões se repetem e tornam-se “alertas” para a sobrevivência das espécies animais “inteligentes”.

Os animais, de um modo geral, se preparam para cada estação, e uma atividade normal em baixíssima temperatura eleva o grau de gasto de energia a procura por comida – e essa se torna escassa.

Sem alimento e pouca luz solar, o Inverno torna-se uma estação fatal.
A “chave para a sobrevivência” dos animais inteligentes está na conservação da energia (hibernação), armazenamento de alimentos ou mudança para locais mais quentes (migração) onde possam continuar sua atividade normal.

Nosso cérebro capta SÍMBOLOS, interpreta símbolos, traduz símbolos. Símbolos transportam mensagens passadas de geração a geração. A Semiologia é um estudo que persigo por anos, pois abre um “portal dimensional” sem precedentes na nossa vida. Espero que um dia você faça o mesmo.

Muitos livros foram escritos sobre os mistérios das catedrais góticas francesas e sua geometria sagrada usada em sua arquitetura. Um livro que expande esse conhecimento é "Le Mystère des Cathédrales" escrito em 1929 por Fulcanelli (1839 - 1953).

Fulcanelli foi um alquimista francês, um dos primeiros a escrever sobre os mistérios que cercam as catedrais francesas, e nos avisou que uma catedral é um livro alquímico escrito em pedra. Toda história humana está composta em suas paredes... mas é preciso saber ler.

Em 1969 o musical “Hair” chamava atenção para os sinais dos planetas. A canção tema do show prometia uma mudança da então turbulência em que a Terra passava, para um momento de “paz, amor e prosperidade”, assim que alcançássemos a Era de Aquário.

Astrólogos acreditam que uma era astrológica afeta a humanidade, possivelmente influenciando a ascensão e queda de civilizações ou tendências culturais.



Era de Aquário - fim de um ciclo - precessão dos equinócios.  
A Terra completa um ciclo de precessão - ou uma oscilação completa – a cada 26.000 anos. Desde os dias da Grécia antiga, a precessão levou todos os signos zodiacais, quase uma constelação inteira, para o oeste. Essa “nova era” estará causando ao longo do tempo grande turbulência, abrindo espaço para novos valores e comportamentos, quebrando paradigmas, apontando para a direção de nossa própria evolução.

Cada um de nós será convidado a fazer uma escolha. 
Por enquanto, as estações no ano estão sempre mudando, queira você ou não. Diante da farta informação de como cada clima se apresenta em cada canto desse planeta, temos a escolha de nos organizar, seja estocando, seja mudando de ambiente ou hibernando (opção da maioria)


Equinócio vernal está se movendo gradualmente em direção a um encontro com Aquário, pode-se dizer que estamos no "amanhecer da Era de Aquário". 

O nosso “mundo” está experimentando muita dor, desânimo, incredulidade e ausência de esperança, e isso vai acelerar. Este é o tempo de LIMPEZA como o povo Maya previu e do "tempo do não tempo", quando os valores antigos são substituídos pelos novos.

Devemos esperar mudanças galopantes (o que para muitos, isso já é uma realidade) em todas as áreas de nossas vidas afetando sobremaneira nossas percepções internas, revirando tudo que a gente nem sabia que sabia. Algumas dessas novas percepções poderão ser bem difíceis de aceitar, de assimilar, mas todas as mudanças serão relativas e afinadas com a nossa necessidade individual de evolução e de grupo afinados.

Quando você resiste, luta para não seguir em frente, mudar sua visão de “mundo” em uma transição natural como; tornar-se adulto, se responsabilizar por suas ações, você experimentará dor, desamparo, e consequentemente, medo de sucumbir, como está acontecendo agora. Muitos estão perdidos.

Podemos nos apegar e lutar para manter os antigos valores e crenças limitantes ou adotar novos e evolutivos conhecimentos. Nosso equilíbrio e paz dependem de nossas escolhas, melhores ações daqui em diante - e isso, incluem a reprovação de governos e corporações financeiras corruptas, eventos prejudiciais ao nosso ambiente, relacionamentos pessoais tóxicos, apego a deuses de qualquer espécie, revisão de hábitos alimentares e tudo mais que nos tire do centro.

Os Mayas e muitas outras culturas acreditavam que as tendências históricas se repetiam em ciclos. Acreditavam também que o tempo era circular como as estações do ano, e não lineares, como querem nos fazer crer os cristãos judaico e islâmicosNa verdade, os Mayas nos informaram sobre a grande "janela de OPORTUNIDADE para o crescimento espiritual" diante desse alinhamento histórico da Terra, do Sol e do centro galáctico do universo. É tempo de mudar.

Para fazer uma boa faxina é preciso tirar TUDO do lugar.
Arrastar objetos que permaneçam fixos por longo tempo no mesmo ponto, esvaziar as gavetas, se livrar do que não precisa em curto prazo, lavar e esfregar com força toda a sujeira, que parecia “invisível”, até que a água limpa revele...

Vamos a Faxina mental. Para melhor ajudar na sua evolução como um todo, você precisa entender a função das religiões nesse percurso caótico em que estamos passando.

Mitologia Solar 
Na antiguidade, o signo Touro era visto como o primeiro sinal natural da casa zodiacal ao invés de Áries como se apresenta hoje.


Jesus nunca existiu, é realmente uma alegoria com a função de ser passada oralmente a gerações futuras para que elas assimilem os sinais do céu. Uma história que foi repetida ciclo após ciclo com nomes, vestes e locais diferentes, mas com o mesmo objetivo; preparar você para as mudanças que virão.

Jesus é uma personificação simbólica do Sol, que morre no inverno (hemisfério Norte) e é ressuscitado na Primavera (hemisfério Norte), salvando a humanidade do mal do frio e da escuridão glacial em tempos remotos.

Gerald Massey (1828-1907), que passou sua vida estudando religião comparada, descreve:

"O diabo hebraico, ou Satanás, significa adversário, e o primeiro grande adversário natural reconhecido pelo homem primitivo foi a Escuridão - simplesmente a escuridão, o inimigo constante e eterno da luz - isto é, o poder da escuridão era literal

O homem primitivo contava o tempo por noites, e os anos por Eclipses. Este modo de contagem foi o primeiro e universal – é importante observar que a humanidade viveu tempos gelados, com pouca luz solar e isso irá acontecer de novo!

Esta história de Jesus, e de outros avatares, é impossível interpretar literalmente, mas bastante fácil de entender baseando se na mitologia solar – conhecimento abundante espalhado por todos os cantos do planeta.

João Batista personifica Aquário.
“Depois de João ter sido preso, Jesus foi para a Galiléia...” De repente João Batista é "posto na prisão", e Jesus simplesmente segue seu caminho alegre! Estranho isso, não? Faz sentido pra você? O texto não diz por que João Batista foi preso, que crime cometeu? Sem julgamento? E o amigo Jesus dá as costas para ele?

Isso fica estranho se João fosse uma pessoa real. A prisão é meramente uma alegoria para a constelação de Aquário ao pôr do sol se movendo abaixo do horizonte no final do mês e não pode mais ser visto

A palavra "Galiléia" significa literalmente "circuito".
Um "circuito" é um caminho fechado, geralmente circular. A eclíptica é o circuito que o Sol viaja ao longo do ano. Jesus (Sol) continua seu caminho ao longo da eclíptica, ou "Galiléia".

Em fevereiro, o Sol (Jesus) se move para Peixes
O rei visita Simão e seu irmão André, que são dois pescadores. Simão e André são personificações dos dois peixes


Em março os dias ficam mais longos e mais quentes, o Sol vai mais alto no céu, e as colheitas começam a crescer. Em março o Sol se move de Peixes para a constelação de Áries - o Carneiro, ou Cordeiro. 

Em abril, o Sol passa por Touro.
Em maio, o Sol passa pela Via Láctea - como um lago - pelo céu noturno. Neste ponto da história, Jesus cruza "o lago" e temos a história alegórica de Jesus acalmando a tempestade (representação simbólica do tempo se tornando mais suave e mais temperado ao redor da parte do ano).

Depois que o Sol cruza a Via Láctea, ele se move para a constelação de Gêmeos - Castor e Pollux – as duas estrelas brilhantes.

Na história de Jesus, depois de cruzar o lago (a Via Láctea), Jesus cura dois homens possuídos de demônios - Atos 28: 11 - "Depois de três meses, fomos para o mar num navio que havia invernado na ilha: era um navio Alexandrino com a cabeça de proa dos deuses gêmeos Castor e Pólux ".

Cristãos e Judeus celebram a Páscoa = Pass-over - porque o Sol está passando sobre a marca leste (East-er). Páscoa é definida como o primeiro domingo após a primeira lua cheia após o equinócio Vernal, quando o sol se levanta diretamente no leste.  É uma celebração de Primavera do renascimento do Sol, do astro Rei, a ressurreição da vida, dominando o frio e a escuridão do longo Inverno. 

Solstício de verão - A data de início é 21 de junho, o dia mais longo do ano no Hemisfério Norte, quando o sol está em sua ascensão mais alta brilhando suspenso “sob a montanha”. Depois deste dia o Sol vai para trás, (Câncer) começando a sua descida para o sul, à medida que os dias ficam cada vez mais curtos.

O Sol passa por Leão (23 de julho - 22 de agosto), mantendo dias fortes e quentes do verão. Final do verão no mês de agosto, época da colheita - a melhor época do ano.

Virgem - Uma nova constelação representa a colheita - uma virgem que segura um feixe de trigo. A entrada triunfante de Jesus em Jerusalém é uma alegoria para a entrada triunfante do Sol em Virgem, porque isso significa que é a época da colheita, a melhor época da vida.

Libra - "Balança da Justiça"
Setembro, após a colheita, o Sol se move de Virgem para Libra. A colheita foi recolhida, agora é hora de vender a colheita. As balanças são usadas na compra e venda da colheita e quando não há mais nada para vender, os cambistas empacotam e saem.

"Jesus entrou na área do templo e expulsou todos os que estavam comprando e vendendo lá. Ele derrubou as mesas dos cambistas”

Judas representa o Escorpião
No final de outubro no H. Norte, o sol entra na casa do Escorpião e os dias ficam mais curtos, a noite é mais longa e a escuridão e frio começam a reinar. 

Judas beija (pica) Jesus condenando-o à morte. O nome deste signo em árabe e siríaco é Al Akrab, o que significa ferir aquele que vem. Assim, quando o sol entra na casa de Escorpião é picado, ferindo-o e matando-o lentamente. O sol passa mais do seu tempo no submundo. O sol desceu ao inferno. Não há mais colheitas, a comida será escassa novamente para a sobrevivência dos humanos. 

O astro REI não pode permanecer no seu ponto mais alto para sempre, se o fizesse não haveria estações do ano e nenhum ciclo de colheita. E assim como o SOL (Jesus) não pode escapar do seu destino, a caminho de Jerusalém, ele prevê que vai “morrer”. 

Temos então a Última Ceia
Onde Jesus e seus doze discípulos (12 constelações), os doze meses do ano e se alimentam do pouco que tem.

Pilatos é a personificação de Sagitário.
"Pilate" {pil-at'-os} significa literalmente "armado com uma lança". O próximo signo no zodíaco que segue Escorpião fica abaixo do horizonte. Sagitário é a última constelação que o Rei encontra antes do solstício de inverno e quando a história termina. Sagitário é o último zodíaco do ano que o sol passa antes de morrer no solstício de inverno.

Em 22 de dezembro o Sol se vai, para ser “ressuscitado” 3 dias após (25 de dezembro) dia de Natal (nascimento) para começar de novo sua viagem para o norte.

O que acontecerá ao nosso salvador, o sol? Que faz crescer a colheita, nos dando o pão nosso de cada dia? Vai desaparecer para sempre? Esse é o fim?  Não, este não é o fim, é o prefácio de um novo começo.
O sol voltará novamente...
 
Catedral de Chartres - França
Naturalmente os escritos deixados são alegorias que deveriam ser passadas oralmente para futuras gerações, já que as pessoas da época, eram analfabetas, servos, oprimidos em estado de desalento pela fome, frio e incertezas de dias melhores. Com certeza, alguns espertos usaram da função original do texto para manejar a massa, como fazem até hoje.

É desgastante para quem estuda quando tentamos forçar esta história para um “contexto histórico”, pois nada bate com nada. Datas, locais, personagens, testemunhas - não participam da mesma linha cronológica.

Aqui estão alguns tópicos interessantes:

  • A maior parte da população da Terra habita o hemisfério norte.
  • A cruz que Jesus é crucificado representa a divisão das quatro estações do ano: Inverno, Primavera, Verão, Outono. Os quatro lugares da cruz dividem o ano nas quatro estações.
  • Imagem das Constelações não fazem o menor sentido, são apenas conexões imaginativas de pontos para desenhar uma imagem simbólica que liga aos momentos na terra.
  • Aquário não se parece com um homem segurando um jarro de água; 
  • Peixe não se parece nada com um par de peixes; 
  • Áries não se parece nada com um bode ou cordeiro. 
  • O sol está em linha reta ao meio-dia, quando o sol está no seu mais alto. Este é um bom momento quando ambas as mãos apontam para cima e suplicam ao “altíssimo”.
  • Devido à precessão da Terra, o Equinócio Vernal mudou gradualmente de Áries, o carneiro, para Peixes. O peixe e carneiro são símbolos notórios do cristianismo para alertar essa passagem.
  • Quando entramos na estação do outono, as folhas caem das árvores e as árvores parecem murchar. É neste ponto da história que Jesus amaldiçoa a figueira e a torna murcha, uma história que não faz sentido se Jesus fosse uma pessoa real, mas faz todo o sentido quando entendido como uma alegoria para o outono.
  • Evidências arqueológicas indicam que Belém da Judéia estava desabitada no tempo alegado do nascimento de Jesus. Não há nenhuma evidência arqueológica que amarre Belém na Judéia ao período em que Jesus teria nascido
  • Num ponto da história de Jesus uma coisa interessante acontece - João Batista tinha morrido e reaparece para ser decapitado. De acordo com a Bíblia, "João Batista ressuscitou dentre os mortos" (Marcos 6:14)
  • Depois de seis meses a constelação de Aquário (João Batista) começa a subir no horizonte oriental ao pôr do sol e parece que a cabeça de Aquário é cortada pelo horizonte.
  • ·Judas traiu Jesus por 30 peças de prata. 30 peças de prata, representando os 30 dias do mês. O mês é um ciclo das fases da lua. A lua, um pedaço de prata no céu.
  • Originalmente Jesus foi dito ter nascido em uma caverna e não num estábulo. A Enciclopédia Católica (1910) artigo sobre "Belém" diz: “A tradição do nascimento em uma caverna foi amplamente aceito, como se vê pelas palavras de Orígenes sobre um século mais tarde”.
  • A Catedral de Chartres (1:30h de Paris) uma das mais antigas na França está alinhada ao solstício de verão. No solstício de verão, o sol brilha através da janela de "Santo Apollinaire" com uma representação do deus do sol romano Apolo e seus raios caem diretamente sobre um prego de ferro no chão da catedral.
  • Dezembro. Papai Noel. Pólo Norte. Há muitas imagens em cartões postais como sendo um lugar ensolarado brilhante no inverno com muitas árvores verdes. O que será que isso significa? Que um dia o pólo Norte será vibrante e alegre de novo ao contrário dos 3 meses de escuridão que reina esse ciclo?
  • A constelação Aquários, o portador da água, é a constelação que se torna proeminente durante a estação chuvosa.
  • Uma teoria da "onda" do deslocamento das “Eras” sugere que a era de Aquários não chegará a uma data especifica, mas está em vez disso emergindo na influência sobre muitos anos, similar as ondas da maré.


Nós não fomos orientados na escola nem somos levados a pensar de maneira prática e racional para atentar que brevemente sofreremos mudanças radicais no âmbito climático, geológico, psicossocial e outros, caso aconteça um movimento cíclico com nosso planeta.

Olhar para as obras santas e registros das civilizações antigas, sua mitologia, lendas e folclores, podemos encontrar sinais do que resta do nosso tempo.

Eventos cataclísmicos em escala global são notórios em fases distintas.  A evidência é esmagadora em partes do planeta em toda a extensão da nossa história geológica. Algumas terras mudaram para climas mais quentes, enquanto outros, foram impulsionadas para zonas polares, sofrendo o mais terrível dos invernos, da escuridão, da falta de comida e sobrevivência frágil.

Todo texto antigo é importante, assim como textos religiosos que ajudam nosso entendimento de como funcionam os ciclos, mas seu uso não deveria submeter a nossa alma a uma eterna escravidão.

laura botelho


meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos