Google

Translate my page Google

10 de nov de 2017

Transgêneros, mudanças para uma dimensão desconhecida


"O sucesso é fazer o que você quer fazer,
quando quiser, onde quiser,
com quem quiser,
tanto quanto você quiser".
Anthony Robbins

Um médico de família inglês, Ronald Gibson, iniciou uma conferência sobre conflitos de gerações, recitando quatro citações:

  1. "Nossa juventude gosta de luxo e é pobremente educada, ignora as autoridades e não tem respeito pelos idosos. Atualmente, nossos filhos são verdadeiros tiranos. Eles não se levantam quando uma pessoa idosa entra. Eles respondem aos pais e são simplesmente ruins"
  2. "Eu não tenho mais esperança no futuro do nosso país, se os jovens de hoje assumirem o poder amanhã, porque essa juventude é insuportável, por vezes desenfreada, simplesmente horrível"
  3. "Nosso mundo atingiu um ponto crítico. As crianças já não ouvem seus pais. O fim do mundo não pode estar muito longe ".
  4. "Esta juventude está estragada até o fundo de seu coração. Muitos jovens são malfeitores e ociosos. Eles nunca serão como a juventude de antes. A juventude de hoje não será capaz de manter nossa cultura ".

Depois de declarar essas quatro opiniões, o Dr. Gibson observou o quanto da aprovação fez a plateia vibrar. Ele esperou por alguns momentos para os murmúrios acamarem, comentando sobre a declaração e, em seguida, revelou a origem das frases acima:

A primeira frase é Sócrates (470-399 aC)
A segunda é ainda mais antiga, Hesíodo (720 aC)
A terceira remonta a um sacerdote anônimo de 2.000 aC.
A quarta frase foi escrita em um vaso de argila descoberta nas ruínas da Babilônia (agora Bagdá), com mais de 4.000 anos de existência.

E concluiu dizendo: "Senhoras mães e pais cavalheiros: relaxem ... a coisa sempre foi assim...

Então por que estamos tão apavorados com o futuro da humanidade? 

Afinal, as civilizações são cíclicas e parecem se repetir como um disco arranhado.

Os milenares
Os autores William Strauss e Neil Howe são autores de livros como: A História do Futuro da América, 1584 a 2069 (1991) e Millennials Rising: The Next Great Generation (2000).

Millennials” foi a melhor definição encontrada para muitos pesquisadores que não aderiram o termo “Geração Y” – também chamados, às vezes, de Echo Boomers devido ao aumento significativo nas taxas de natalidade desde o início da década de 1980 até meados da década de 1990.

Características indicam que os Millenares têm um perfil com ambições de vida e carreira, e atitudes voltadas ao voluntariado e ao ativismo.

Tendo crescido sendo bombardeado por publicidade, os milenaristas tendem a ser céticos quanto a material promocional de qualquer tipo. Seja comprando produtos e serviços ou considerando o emprego, os milênios são mais propensos a ouvir seus amigos do que serem afetados pelo material de marketing ou de relações públicas.

Essa característica faz com que as práticas convencionais de marketing e contratação de empregados sejam muitas vezes ineficazes para os Millennials.

Essa geração e sua convivência com as mídias sociais ajuda muito aos “convictos” em sua autopromoção, mas paradoxalmente, muitas vezes resulta em problemas “gástricos” para outros, quando estão em desvantagens emocionais, se frustrando facilmente e constantemente ao se deparar com imagens postadas na internet - o que os leva crer sem questionamentos - que a “grama do vizinho está sempre melhor” que a sua.



Os autores William Strauss e Neil Howe acreditam que cada geração tem características comuns que lhe conferem um caráter específico com quatro arquétipos geracionais básicos, repetindo-se em um ciclo.

Cerca de 9 em cada 10 Milenários colocam uma importância significativa no equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, que favorecem valores familiares sobre os valores corporativos, bem contrastante com a atitude centrada no trabalho dos Baby Boomers (minha geração)

Verificou-se que essa geração reflete uma tendência onde até mesmo em esportes competitivos, a mera participação já é suficiente, recompensador, o que criou um problema para os ambientes corporativos altamente competitivos.

Alguns empregadores estão preocupados com o fato de que Millennials troquem de emprego com frequência, ocupando muito mais empregos que as gerações passadas, devido às suas grandes expectativas quanto a sua qualidade de vida, o que não abrem mão.

A revista Time publicou uma capa intitulada Millennials: The Me(eu) Me(eu) Me(eu) Generation – “Geração mememe” - Uma alusão a sua condição narcisista.

Outros pesquisadores atribuíram aos Millennials traços de confiança e tolerância, mas também descreve um senso de narcisismo, em comparação com as gerações anteriores -  quando eram adolescentes e em seus 20 poucos anos - onde hoje os seres masculinos se exibem mais e com maior ênfase em média do que os seres femininos.

As pesquisas do Instituto Urbano realizadas em 2014 nos USA, projetaram que, se as tendências atuais continuarem, os milênios terão uma menor taxa de casamento em relação às gerações anteriores, prevendo que, aos 40 anos, 30,7% das mulheres permanecerão solteiras. Os dados mostraram tendências semelhantes para os homens.

Um estudo de 2016 mostrou que os Millennials atrasaram algumas atividades consideradas ritos de passagem da idade adulta com dados que mostram que adultos jovens de 18 a 34 anos foram mais propensos a morar com pais do que com um parceiro de relacionamento, uma ocorrência sem precedentes desde que a coleta de dados começou em 1880.

Um economista sênior da Pew Research, disse sobre Millennials:
"eles são o grupo muito mais propensos a viver com seus pais. Estão se concentrando mais na escola, carreiras e trabalho e menos focados na formação de novas famílias, cônjuges ou parceiros e filhos

Menos religião
Os Millennials são menos propensos a serem religiosos. Existe uma tendência para a não religião que vem aumentando desde a década de 1940.

Mais de metade dos milenaristas entrevistados no Reino Unido em 2013 disseram que "não tinham religião nem frequentavam um lugar de culto", além de um casamento ou um funeral.

A pesquisa também descobriu que 41% acreditava que a religião era "a causa do mal" no mundo mais frequentemente do que o bem.

Sem dúvida, é uma geração que busca mais informação que as gerações passadas. O que destaca uma quebra fantástica no modelo orwelliano na condução de suas vidas. Precisamos nos livrar do grande irmão.

Na visão das perspectivas econômicas, cerca de 9 em cada 10 Millennials sentem que têm dinheiro suficiente ou que atingirem seus objetivos financeiros de longo prazo, mesmo durante os tempos econômicos difíceis

Além disso, Millennials também são mais abertos às mudanças do que as gerações anteriores, o que lhes dão vantagens em muitos aspectos, inclusive na manutenção de sua saúde.


Trans – formas, Trans – humanos
O casal trans gênero que vive no Equador fez história, porque eles são o primeiro casal trans gênero na América do Sul a ter um filho gerado por eles. Nenhum dos dois fez cirurgia de reatribuição de gênero, de acordo com a BBC.

Fernando Machado, que nasceu uma mulher (Maria), e a parceira Diane Rodríguez, que nasceu um homem (Luiz), disseram que querem ter mais filhos. Eles se conheceram no Facebook e Fernando (Maria) ficou grávida depois de viverem juntos por apenas três semanas.

"Nós somos o mesmo que outras famílias. Mesmo que possamos não ter os mesmos direitos, somos os mesmos ", disse Machado à BBC. O bebê é agora chamado de Caraote ou o Caracol.

A estimativa é que na Alemanha haja aproximadamente 80.000 intersexuais, pouco menos de 1% da população, mas que tiveram voz nesse ano para mudar algumas coisas.

O Tribunal Constitucional da Alemanha nesta semana, solicitou ao governo que permita na certidão de nascimento o registro de pessoas com um terceiro sexo (seja como “intersexual” ou “diverso”), além de feminino e masculino.

A sentença baseou-se no direito constitucional alemão à proteção da personalidade, que as pessoas que não são nem homens nem mulheres têm direito a inscrever sua identidade de gênero de forma “positiva” na certidão de nascimento.

A reforma legal de 2013, que seguia a recomendação do Comitê Ético Alemão, estabelecia que:

 “Se um bebê não pode ser identificado como pertencente ao gênero masculino ou feminino, não será preenchida a seção correspondente no registro de nascimento”.

Ser um transgênero ou intersexo independe da sua orientação sexual.
Seres trans podem se identificar como heterossexuais, homossexuais, bissexuais, assexuados, etc. ou se recusarem a serem rotulados sexualmente.

Como a definição dos Anjos, eles podem ser simultaneamente masculinos e femininos (andróginos), o que nunca foi problema para o pensamento de qualquer dogma religioso.



Hormônios e cirurgia.
A cirurgia não é necessariamente necessária para ser trans. Pode-se tomar injeções hormonais diárias específicas para qualquer gênero, além do mais as mudanças que ocorrem durante o processo de transição não são apenas físicas.

Não existe um único tipo de cirurgia que alguém possa optar. Por exemplo, aqueles que transicionam para mulheres podem sofrer uma orquiectomia (que é a remoção de testículos) ou uma vaginoplastia completa (uma cirurgia que essencialmente "cria" uma vagina)

De acordo com uma entrevista em Cosmopolitan, uma mulher trans (referida apenas como "Mulher C") afirmou que ela não tem certeza se ela realmente irá cumprir com toda a transformação. Ela vê isso como "um processo sem fim".

Eu vejo que os seres trans gêneros embarcam em mais do que apenas uma jornada física e emocional, eles estão atravessando um portal dimensional, confuso, estreito e pouco iluminado nesse momento.

Para mim a expressão que melhor descreve essa experiência trans humana é; vivendo em outra dimensão. Como num sonho gostoso ou num pesadelo, não temos certeza da realidade, apenas estamos navegando nele sem muito controle sem sabermos se uma hora iremos acordar.

Neste momento da nossa era, as imagens que conhecíamos não fazem mais sentido, estão distorcidas, pouco nítidas, algumas vezes bizarras, mas... são experiências que nos levarão a um evento futuro de tal grandeza que não poderemos mais “despertar”.

O fim de uma civilização é brutalmente ceifada, quando menos se espera.
A erupção do vulcão de Santorini há 10 mil anos proporcionou o ocaso da civilização minóica em Creta.

O vulcanólogo grego Giorgos Vugiukalakis disse que o episódio da erupção do Santorini causou 3 anos de "inverno vulcânico" nos quais tudo estava coberto por cinzas, a temperatura na Terra chegou a 3ºC ao ano e as ondas marinhas tinham uma altura de 17 a 20 metros.

Acredita-se que o evento inesperado e a pouca adaptação das mudanças comportamentais a época levaram a derrocada de mais essa era.


Isso porque, as mudanças comportamentais são tão dramáticas, tão avassaladoras que para os que não estavam preparados para essa transição são pegos com as calças (ou saias?) ainda nos pés e não sobra muito tempo para pensar se termina de se vestir ou se sai correndo...

Aristóteles já dizia que: “Há mudanças e há mudanças”.
Ele acreditava que todas as transformações na natureza podiam ser classificadas como “naturais ou violentas”.

A forma natural é aquela que nos impulsiona para a vida, aquela que não nos causam nenhuma surpresa, o que nos parece seguir um destino. Mas por vezes, há um movimento brusco de mudança imposto por alguma coisa externa. Na mudança violenta algo se move de maneira desordenada a violar a natureza interna.

Estudos indicam que ambientes violentos geram mudanças internas na estrutura celular, reprogramam o DNA. Mas isso é um assunto muito difundido aqui nos meus textos nesse meu BLOG, não irei revitá-lo agora.

E como sempre alerto, prepare-se para as mudanças e “as mudanças”, prepare-se para outras dimensões, o portal já foi aberto.

Laura botelho

Cenas de uma cantina no filme Star Wars 1977 - te parece mais familiar?





meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos