Google

Translate my page Google

2 de jul de 2014

Arenas, são cadeias GULAG?


São 12 os estádios oficiais da Copa do Mundo no Brasil. Não querendo bancar a “conspiracionista de plantão”, mas já sendo, você não acha esse número estranho demais? Podia ser 14; 17; 4;  Mas 12  ?!

Estão reservando o numero 13 para algum outro evento?

Mané
Com exceção da Arena Corinthians e da Arena Pernambuco, que são totalmente novos, todos os antigos estádios sofreram modificações. Desde reconstruções do zero, até reformas para se encaixar no “padrão FIFA”

Com ciclo de vida útil de cada arena – calculado em 30 anos - foram tomadas medidas de reaproveitamento de água da chuva, construção de jardins, captação de energia solar, concepção arquitetônica para facilitar a ventilação e o emprego de materiais que aumentam a reflexão da luz, etc - tudo padrão FIFA.

Em novembro, o governo federal revisou a Matriz de Responsabilidades, das três esferas do poder público com obras (e eu nem sabia que isso existia) que deveriam ficar prontas até junho de 2014 e para nosso total espanto... cerca de 20% dos compromissos já foram abandonados... deixa pra próxima.

Na última revisão, 14 obras saíram da lista, como por exemplo o BRT de Porto Alegre.  
R$ 1,2 bilhão é o custo das obras que saíram da matriz de gastos. E para onde foi esse dinheiro?

Governo gastou R$ 2,8 milhões para distribuir mil ingressos para uma lista de VIPs para a partida entre Brasil e Japão na Copa das Confederações. Mas ainda falta dinheiro. E olha que tivemos ajuda gratuita de muitos setores voluntários copistas...

São Paulo, Brasília, Cuiabá, Salvador, Fortaleza, Rio Grande do Norte e Belo Horizonte empregaram detentos e egressos nas obras para o Mundial. Segundo último balanço, 7 cidades sede da Copa 2014 cumpriram acordo para que, nos empreendimentos com mais de 20 operários, 5% dos postos de trabalho fossem reservados para detentos, ex-detentos, cumpridores de penas alternativas e adolescentes em conflito com a lei

Tudo bem, mas ainda assim tá faltando dinheiro. Será que estão construindo túneis extraterrestres? Naves espaciais para colonizar Saturno? Assentamentos de luxo para aliens arianos revoltados que não viram a COPA? Por favor, alguém me dá uma pista para onde foi esse dinheiro?!

1 - Estádio Mané - Brasília
Inaugurado em 18 de maio 2014, o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha é o 2º maior do país, podendo abrigar até 72 mil espectadores. A nova “arena”, mudou a paisagem no centro da capital federal, impondo respeito com seus 288 pilares de 36m de altura cada.

Mané
O velho Mané Garrincha, de acordo com o TC-DFT (Tribunal de Contas do Distrito Federal e Territórios), custou R$ 1,7 bilhão, sendo o estádio mais caro dentre as 12 que receberam a Copa de 2014. 

Somente sua cobertura custou R$ 209 milhões nas contas do órgão de controle. É o segundo maior “rombo” ficando atrás apenas do Maracanã. E mesmo depois desse gasto todo, ainda tem goteiras e vazamentos.

2 - Estádio do Mineirão - Belo Horizonte
Este estádio é de 1965 e foi completamente renovado. Número de Espectadores passou para 65 mil. Foram empregados 3 mil operários nessa obra. Desses 46 detentos (prisoneiros) tiveram a pena reduzida em troca do trabalho no Mineirão.

O custo total da obra foi de R$ 666,3 milhões, sendo R$ 400 milhões de financiamento federal. Na reabertura do Mineirão faltou água, os bares estavam fechados e o tropeiro custava R$ 12. Apesar de já ter sido palco de muitos jogos, essa foi a primeira Copa do Mundo para o Estádio do Mineirão.

3 - Estádio do Maracanã  - Rio Janeiro
TCE aponta Maracanã superfaturado em R$ 67,3 milhões e problemas na reforma. A reforma do estádio, orçada em R$ 705 milhões, tem custo final estimado em R$ 1,2 bilhão.

Alto nível tecnológico dos assentos - Maracanã
4 - Arena das Dunas - Natal
Capacidade para 42 mil pessoas, ao custo da obra R$ 400 milhões

5 - Arena Castelão - Fortaleza
Castelão passou dos 59.000 espectadores para 67.000 mil. O público decepcionou. Apenas 33 mil torcedores pagaram ingressos. Custo da obra R$518 milhões




6. Estádio Beira-Rio - Porto Alegre
Capacidade atual de 50.287 lugares teve custo da reforma de R$ 330 milhões

7 – Arena Pernambuco
Foi erguido do zero na região metropolitana de Recife, mais precisamente em São Lourenço da Mata, a cerca de 20 km do Centro. O estádio tem capacidade para mais de 42 mil pessoas e foi construído ao longo de 30 meses, a partir de outubro de 2010. A obra teve custo superior a R$ 500 milhões. O projeto original previa a construção de hotéis no complexo da Cidade da Copa, mas não foram erguidos... deixa pra próxima.

8 - Arena Fonte Nova - Bahia
Construído no mesmo local do antigo estádio Octávio Mangabeira, aberto em 1951 e demolido em 2010, depois de 2 anos e meio de obras, reabriu suas portas no dia 7 de abril de 2013. Para 55 mil lugares - Custo da reforma: R$ 591,7 milhões. Esse também levou mão de obra de 30 prisioneiros.
 
Salvador
9 - Arena Pantanal  - Cuiabá
Um estádio novo, datado de 1999, sofreu uma pequena renovação, que aumentando sua capacidade para 42.968 espectadores sentados. Custo Final: R$ 570 milhões. Entre os 12 estádios da Copa de 2014, a Arena Pantanal foi o 4º que mais estourou o orçamento inicial previsto – aumento de 66,67%.

10 Arena Corinthians - São Paulo,
Foi palco da abertura da tal Copa 2014. O “showzinho” das peruas não agradou e foi largamente manifestado tanto pelas redes sociais, como também pela imprensa internacional. Cadeiras vazias, e falta de glamour e criatividade foram os principais pontos apontados para o fiasco da apresentação que custou R$820 milhões - um pouco mais que o colã da Claudia Leite.

11 - Arena da Baixada – Curitiba
Este estádio foi recém construído em 1999, mas foi totalmente reformado para a Copa. Contando agora com mais de 43 mil lugares ao custo de R$ 326 milhões.

12 – Arena da Amazônia - Manaus
Manaus
A Arena da Amazônia que abrigou apenas 4 jogos da Copa do Mundo de 2014 pode ser transformada em uma penitenciária. O Tribunal de Justiça do Amazonas enviará ao governo do Estado a sugestão para que a arena abrigue os detentos recém-capturados.

Foram gastos quase R$700 milhões nesse “presídio”. Com este montante seria possível levantar ao menos umas 100 escolas padrão FIFA. Infelizmente a opção mais uma vez não foi pela educação dos brasileiros, mas para abrigar futuramente os milhares de analfabetos funcionais que abraçaram essa ideia toda.

GULAG – foram construídos sob os pés dos torcedores?

O termo oficial, "campos de trabalho corretivo", foi sugerido pelo Partido Comunista da União Soviética na sessão de 27 de Julho de 1929.


O GULAG foi inventado para isolar, socialmente perigosos, perturbadores, suspeitos e outros elementos estrangeiros de classes desleais cujos atos e pensamentos não estavam contribuindo para o fortalecimento da ditadura do proletariado com base no trabalho escravo – havia a punição ao criminoso político e campos de trânsito para homens, mulheres e crianças

Por causa de seu princípio de "correção pelo trabalho forçado", rapidamente se tornou, de fato, um ramo independente da economia nacional garantindo na força de trabalho barata apresentada por prisioneiros. O Gulag possuía funções tanto punitivas quanto econômicas. Tal qual se pratica na China e em outros países neste exato momento.

Entre 1920 - 1950, os líderes do Partido Comunista e do Estado soviético usavam de repressões, faziam uso dessa ferramenta para garantir o funcionamento normal do sistema estatal, bem como para preservar e fortalecer as posições de sua base social, apresentada pela classe trabalhadora na sociedade. De uma perspectiva de classe social, o Gulag é um movimento ascendente da classe operária que se tornou líder de classe da sociedade após a Revolução de Outubro. 

Ao contrário do sistema de campos de concentração da Alemanha nazista o Gulag não tinha campos de morte, ou seja, campos destinados a matar os prisioneiros imediatamente. Mas por outro lado o Gulag consistia de muitos mais campos com muitos mais prisioneiros ao longo de muitos mais anos do que o sistema de campo de concentração nazista fez. A prisão era a base que girava toda a economia do país.

GULAG - Campo escravo padrão FIFA
A maioria dos presos do Gulag não eram presos políticos, embora um número significativo de presos políticos poderia ser encontrado nos campos de uma só vez.  Metade dos prisioneiros políticos nos campos do Gulag foram presos sem julgamento; dados oficiais indicam que haviam mais de 2,6 milhões de sentenciados à prisão em casos investigados pela polícia secreta durante todo ano entre 1921-1953. 


Tá boiando? Não entendeu nada? Isso acontece.
Fiz essa pesquisa rápida, pois sei que muitos não gostam disso (pesquisar), dá trabalho, leva-se um dia inteiro, senão dois para juntar todas as informações e imagens para fechar um pensamento. Minha intenção foi a de dar elementos para sua pesquisa. Se você mora em um desses estados onde “arenas” foram construídas pode investigar como andam os movimentos sociais e políticos do entorno.

Pelo andar da carruagem e pelos vídeos que tenho exposto aqui você deve ter observado que estamos nos dirigindo para o abatedouro... e não é por falta de informação.

Mané, abre o olho... fica esperto, ao invés de assistir a um empolgante torneio de futebol num desses Estádios, não demora muito você estará é quebrando pedras! - No padrão FIFA, é claro.

laura botelho




meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos