Google

Translate my page Google

9 de ago de 2011

Katchina Azul e outros povos


Quem conhece o trabalho de David Icke com certeza já ouviu falar no Africano Credo Mutwa.

O velho Mutwa é um Xamã da tribo africana Zulu. Escritor e com uma habilidade nata para se expressar. Atravessa ano após ano contando o que aprendeu com a sabedoria do povo do continente africano, os antigos, seus avós e outros povos desse planeta – Terra.

Ele nos diz que a morte de um idoso, em qualquer comunidade tribal, é lamentável, pois com ele vai se parte de uma riqueza de informação, de conhecimento, que é fundamental para a sobrevivência de todos que ficam e dos que estão chegando agora...

A palavra Zulu para viagens ocasionais como um nômade ou um cigano é Izulu. O povo Zulu na África do sul estava ciente do fato que você pode viajar através do espaço - não pelo céu como um pássaro, mas você pode viajar através do espaço e os Zulus dizem que há muitos, muitos milhares de anos atrás lá chegou dos céus uma raça de pessoas que eram como lagartos, pessoas que conseguiam mudar de aparência á sua vontade

Conhecimento que é valioso não apenas para a África e seus filhos, mas para a espécie humana como um todo. Uma herança passada oralmente que não pode sofrer “interferência” de negativos...

Não é à toa que eles dizimam dia após dia, indígenas, tribos e sua cultura milenar. Não é como colocar fogo num livro, incendiar uma biblioteca. O conhecimento sobrevive enquanto houver alguém que o tenha...

Não importa onde você vá na África, não importa o quão longínquo no interior do continente negro você pise, você irá encontrar histórias muito antigas, que são incrivelmente semelhantes.

Não importa a distancia entre uma tribo e outra, não importa sua raça, seu credo ou modo de vida, eles vão contar que sua origem  descende dos deuses que vieram do céu há milhares de anos atrás.

Podem mudar a forma, a dinâmica da coisa, pois sua transmissão de informação estará refletida na capacidade de identificação com a sua realidade.

Alguns vão dizer que os deuses desceram do céu com um “barco” mágico, talvez feito de canas ou de madeira ou de cobre ou até mesmo ouro.

Em outros casos, esses deuses e deusas são descritos como belos seres humanos cujas peles eram de um azul brilhante, prata ou verde. Tinham a capacidade de transformar, manipular a matéria, animais em pedras, pedras em seres vivos. Seres vivos em vegetais.
Muitas criaturas tinham uma aparência extremamente assustadora, formas bizarras e horrivelmente feias. Corpos escamosos, rabos, asas e chifres...

Diz-se ainda que alguns desses deuses do céu levaram suas almas em pequenos sacos que pendiam de seus cintos. Estas almas estavam na forma de esferas de cristais de um material transparente.

Esferas que poderiam flutuar no ar, e que emitiam uma luz ofuscante. Uma luz que poderia iluminar uma aldeia inteira à noite. (orbs?),

Em toda a África é dito que o conhecimento sobre leis, medicina herbal, artes, mistérios da criação do cosmo foi passada pelos deuses que vieram do céu em seus barcos flutuantes...

África Ocidental, na terra do povo Bumbara, esses deuses do céu eram anfíbios ou répteis, conhecidos como Zishwezi. A palavra zishwezi significa tanto nadadores, mergulhadores ou planadores. Dizia-se que esses deuses do céu poderiam mergulhar de cima das nuvens até o topo de uma montanha sempre que tinham vontade.

Adicionar legenda
O povo Bakwama são tão antigos que eles podem atualmente lhe relatar uma misteriosa aterrissagem apontando para as montanhas, comandada por um grande deus que tinha a cabeça de um ser humano e o corpo de um leão. 

Na terra do povo Dogon, encontramos os deuses Nommo, uma raça de seres répteis ou anfíbios que teriam vindo da estrela Sirius para dar conhecimento da religião para o povo negro do Dogon.

Os Dogon acreditam na existência de 24 planetas no sistema solar habitados por seres inteligentes de variadas formas. 

Quando o Nommo chegou do céu em sua nave, conta-se que haviam com ele várias delas, treze ou catorze.

Diz-se que antes do Nommo partir, retornando com um grande barulho de volta à sua estrela-mãe, escolheu um de seus “deuses” e o matou e cortou seu corpo em pedaços pequenos dando em seguida para os humanos comerem em primeiro ritual de sacrifício na Terra.

Quando o povo tinha comido a carne e bebido do sangue da criatura sagrada, o Nommo a partir do maxilar inferior de sua criatura trouxe a de volta à vida.

Diz se que este é o caminho que o Nommo ensinou o povo Dogon de que não há morte e que por trás de cada morte haverá uma ressurreição e que um indivíduo deve, por vezes, sacrificar a si mesmo para o bem da comunidade.

Entre os aborígines da Austrália, e entre os povos nativos das Américas, como na África, você encontra a crença na serpente arco-íris e a crença na serpente emplumada.

"Eles" também eram chamados de "Vigilantes"

Os egípcios originalmente migraram da terra bíblica de Shin'ar, o que significa a Land of the Watchers. (Terra dos vigilantes)

No Livro dos Mortos (Placas 7-10) há orações pela libertação do Watchers que vieram de Ta-Ur, a "Terra Longe".

Os escribas sumérios se referem à Watchers como Anunnaki, que, segundo eles, "vieram de Nibiru" para julgar os habitantes da terra.

A Bíblia refere-se a Nephilm, como “Aqueles que vieram do Céu para a Terra”.

O povo africano de Ruanda castigado por inúmeras lutas e guerras que beiram a carnificina, assim como os povos Hutu, bem como as os Watusi, afirmam que eles não são as únicas pessoas na África que tem relatado que; muitos de seus ancestrais são de origem de uma raça de seres denominados de Imanujelaque

Imanujelaque significa = "os senhores que chegaram". 

Uma palavra que alguém pode encontrar em Ruanda entre as pessoas Watusi e Rwandan Hutu que é muito parecida com a palavra do hebreu Immanuel que significa "o senhor está conosco"

Senhor = EL – EN
EN-Ki = Senhor da Terra
EN-lil = Senhor do Ar


A história da Kachina Azul é uma história muito antiga que faz parte do folclore do povo Hopi.

E assim como as histórias de povos como Sumérios, Dogon, Maias e outros todos têm algo em comum: a vinda de um astro que diante de sua aproximação mudará radicalmente a vida aqui na Terra como hoje a conhecemos.

“Quando a Estrela Azul Kachina fisicamente aparecesse em nosso céu significaria que estamos no fim dos tempos... Nos últimos dias vamos testemunhar o retorno de dois irmãos que ajudaram a criar este mundo no momento do nascimento

Poganghoya é o guardião do nosso Pólo Norte e seu irmão Palongawhoya é o guardião do pólo sul. 

Segundo conhecimento dos antigos indígenas do povo Hopi, nos últimos dias eles retornarão a Terra e a sua rotação natural, que é anti-horário. Segundo reza a lenda, a rotação da Terra tem sido manipulada por seres de estrelas não tão benevolentes.

Essa coisa de seres “benevolentes ou malevolentes” é um conceito difícil de discernir.

Se uma raça alien ajuda a humanidade fornecendo tecnologia avançada capaz de solucionar problemas sociais e físicos, resgate para outros planetas na esperança de salvar alguns “corpos”, isso pode acarretar numa mudança drástica na cultura de um povo de tal forma que prejudicaria sua essência espiritual por não estarem preparados para essa “tecnologia de fuga”, essa fuga de responsabilidade, essa proteção subserviente que daria origem a uma nova raça de escravos pós desastre... pense nisso.

“Os gêmeos serão visto nos nossos céus do Norte ocidental

Gêmeos –latim gemini – “em dois”- Em grego didumos = “dupla”.
Castor e Pollux – Apollo e Hercules

“O retorno do Katchina Estrela Azul, que também é conhecido como Nan ga sohu vai acordar para nos dar o novo dia e um novo modo de vida, o novo mundo que está chegando

“Não muito atrás dos gêmeos virá o Purificador - O Katchina Vermelho, trazendo o Dia da Purificação

“Neste dia da Terra, suas criaturas e toda a vida como a conhecemos mudará para sempre” “Muitos parecem ter perdido suas almas nestes últimos dias. 

“Tão intenso que na natureza das mudanças aqueles que são fracos na consciência espiritual ficaram loucos, porque nós não somos nada sem espírito”

“Eles desaparecem, porque eles são apenas vasos ocos que qualquer coisa pode usar. A vida será tão ruim nas cidades que muitos vão optar por deixar este plano” 

"Somente aqueles que retornarem aos valores serão capazes de encontrar paz de espírito”
"À medida que se aproxima mais da época da chegada do Purificador haverá aqueles que caminharão como fantasmas pelas cidades. Aqueles que andam por esses lugares, sua caminhada será muito pesada, quase dolorosa será dar cada passo, como se eles estivessem desconectando seu espírito da terra”

“Após a chegada dos gêmeos, eles vão começar a desaparecer diante de seus olhos com muita fumaça”

“Muitos terão grandes deformidades, tanto na mente como em seus corpos. Haverá aqueles que irão a pé em um corpo que não é desta realidade, já que muitos dos portais que uma vez que nos protegeu estarão abertos , haverá muita confusão. Confusão entre os sexos, crianças e idosos.”

“Quando o purificador chegar veremos primeiro como uma pequena Estrela Vermelha, que irá se aproximar e sentar-se em nossos céus nos observando

“Coisas invisíveis serão sentidas muito fortemente. Muitas coisas vão começar a acontecer que não farão sentido, uma vez que a realidade estará mudando dentro e fora do estado de sono

“Coisas há muito esquecidas vão voltar para nos lembrar de nossas criações passadas. Todos os seres vivos irão desejar estar presentes para este dia, quando o tempo expirar e entrar no ciclo eterno do Quinto Mundo” 

“Haverá muitos animais estranhos na terra naqueles dias, alguns do passado e outros que nunca viram antes” 

“A natureza da humanidade vai parecer estranha, nestes tempos que caminhar entre os mundos que habitam muitos espíritos, mesmo dentro de nossos corpos”

Informação Hopi Sinoma
20 de maio de 2003

Thoth é o “deus do conhecimento”, dos “mistérios dos céus”.
Seus ensinamentos foram deixados transcritos por ele em livros que são mantidos ocultos, longe do contato a qualquer mortal.

Ensinamentos dos quais só teriam acesso os Grandes Iniciados e Veneráveis Herméticos.

Tais escritos deveriam ser progressivamente conhecidos pelas gerações futuras na medida em que o desenvolvimento espiritual o permitisse.
Até lá então, somente aqueles que fossem merecedores poderiam sabê-lo.

Estes livros sagrados são chamados de “Os 42 Livros de Instruções” ou “Os 42 Livros de Thoth” que trazem os mais elevados conhecimentos esotéricos, místicos e metafísicos e sobre os quais se baseia a Gnosis Egípcia onde constam os meios de como atingir à imortalidade.

Neles estão registrados um imenso cabedal de instruções capazes de conduzir o ser humano à libertação do ciclo de reencarnações e a tomar ciência da Unificação Cósmica.

O símbolo para Gêmeos = "pilha de tijolos", refere-se a construção da primeira cidade. Um nome sumério para o mês de maio-junho, quando o sol estava em Gêmeos , significava 'Bricks’.

Maçonaria é a arte de empilhar uma pedra ou tijolo sobre o outro.
Tijolos e construção de cidades são aspectos do simbolismo de Gêmeos...


É muita coisa pra minha cabeça... e pra você?
O importante agora é aguardar os acontecimentos, pois mais e mais vemos que não se trata de “profecias” ou “mitos”. A tal evolução tão proclamada consiste justamente na compreensão dessas informações, na maneira como vamos interpretá-las, administrá-las e aceitá-las como sendo uma forma de mudança em gênero, número e grau para nossa existência daqui pra frente.

As revoluções estão em curso, as atividades solares estão mais e mais presentes e mais fortes, contribuindo para a reforma interna e externa desse “mundo” em decadência atual.

Muitos vão ficar mais agressivos, mais instáveis emocionalmente – depressivos - por não compreenderem o que está acontecendo a sua volta. Vão agredir a qualquer custo ou entrar no vácuo de sua ignorância – faz parte do medo que invade sua mente – Luta ou Fuga.

Mais e mais terror, fome, peste e miséria darão a tônica dessas mudanças. Só não verá quem não desejar ver e teremos que respeitar essa posição.

Cada mundo será feito a sua maneira. Seu desejo será uma ordem. Portanto, cuidado com o que andas desejando, pois você irá atrair o menor sentimento inspirado.

As paredes estão finas e elas estão para romper. Uma avalanche de imagens e eventos nos levarão a loucura – tudo que eles desejam.

Manter serenidade e equilíbrio na ação lhe dará mais alternativas de escolhas sábias para encontrar o caminho de volta pra casa, mas para isso cuidado, você tem saber o que quer.

"Você pode me ajudar?" diz Alice
 "Sim, pois não."
"Para onde vai essa estrada?", pergunta ela.
"Para onde você quer ir?". disse o gato
"Eu não sei, estou perdida."
"Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve."

laura botelho

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos