Google

Translate my page Google

24 de abr de 2014

Terceiro passo: forças militares estrangeiras no nosso país.


O Plenário da Camara dos Deputados Federais acaba de aprovar por 270 votos a 1 - o Projeto de Lei Complementar 276/02 - que autoriza o executivo a decidir sem ouvir o congresso (leia-se; ouvir as opiniões do povo dessa merda desse país) sobre trânsito e permanência de forças militares estrangeiras.

A proposta foi aprovada pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, em 2002; (ano em que Lula estava no poder) e pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, em 2003, na forma de substitutivo. Desde então, o texto aguardava votação em Plenário para uma hora propícia para aniquilar o país.

Eles trabalham em etapas
Primeiro passo - fazem com que 70% da população faça parte folha de pagamento,
Segundo passo - arrasam a economia do pais, destroem suas melhores empresas e enquanto estão se divertindo no gramado do circo, eles dão o terceiro grande golpe - militares nas ruas.

Esse projetinho na Camara foi aprovado por unanimidade, isso porque o único cara que votou contra, saiu do banheiro naquela hora sem saber do que estavam falando, quando perguntaram a ele se queria trabalhar todas as sextas feiras, ele gritou NÂO!!!!

Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia
(FARC)
Esses filhos de+puta+dos seus estados concordaram com esse absurdo mesmo após terem ciência da pesquisa aberta aos internautas no próprio site da Câmara sobre o assunto.

A pesquisa mostrou que 80% dos que votaram foram contra o projeto que dá poderes imperiais para o Executivo sobre o estacionamento de forças militares vermelhas em território brasileiro, sem quem ninguém fique sabendo.

Tropas estrangeiras (de bandeira vermelha) podem entrar e se divertir com nossas mulatas, beber da nossa água (que está escassa), comer da nossa comida e prender ou matar quem desejar – já fazemos isso todos os dias mesmo, vamos dar agora direitos aos estrangeiros com foices e martelos fazerem também.

Vamos esperar ver se existe alguma “Oposição no Senado” para que “analise” essa beleza de “emenda substitutiva” apresentada pelo... Lincoln Portela (PR-MG) que deverá ser votada ainda pelo Senado.

Mas fique sabendo de antemão que: se já emprestamos bilhões para Cuba construir Portos, compramos Petrolíferas falidas pelo triplo do valor, perdoamos dívidas da Nigéria e outras tantas coisas bizarras sem o aval do povo, nesse pais do futebol... pode ter certeza, esse projeto é gol na certa.

O que prevê essa “emenda” - AQUI

O Projeto de Lei Complementar 276/02, do Executivo, autoriza o presidente da República a delegar ao ministro da Defesa e aos chefes das Forças Armadas a permissão para forças militares estrangeiras transitarem pelo território nacional ou permanecer “temporariamente” nele.

Será que está especificado no documento o que eles denominam de “temporariamente”? Seriam 2 meses? 1 ano? 21 anos? Enquanto o PT estiver no poder?


O objetivo do projeto é desburocratizar o andamento dessas autorizações, ao delegar poder ao ministro da Defesa.



É a primeira vez que leio algo sobre “desburocratizar” alguma coisa no Brasil, nem sabia que isso funcionava aqui. Essa prática de “desburocratização” já ocorre em diversos países = Rússia, África do Sul, Venezuela, Cuba, Bolívia...


para garantir segurança no Mundial de Futebol.

O Estádio de Maracanã vai acolher o maior número de partidas da competição, 7 confrontos ao todo, e nele será disputada a final da copa a 13 (???) de Julho (7), com os agentes moçambicanos privilegiados para reforçar o controlo de segurança.


Por que Moçambique?
A República Popular de Moçambique se auto declara estado socialista - comumente conhecido como um Estado comunista no Ocidente.

Depois de obter a independência de Portugal em 1975, a República Popular de Moçambique foi criada logo após, com a Frente de Libertação de Moçambique ("Frelimo"), liderada por Samora Moisés Machel, envolvida em uma guerra civil brutal com a Resistência Nacional Moçambicana ("Renamo"), um movimento de guerrilha.

O exército Moçambicano é Expert em guerrilha urbana.

Depois de três derrotas (1989, 1994 e 1998) em eleições para presidente do Brasil, Lula foi eleito somente a partir de 2002. Coincidentemente justamente no ano em que as urnas eletrônicas foram instaladas em todo território brasileiro. Isso te diz alguma coisa?


Por Reinaldo Azevedo
21/10/2013
“Segredos bilionários
Os brasileiros estão obrigados a esperar mais 14 anos, ou seja, até 2027 para ter o direito de saber como seu dinheiro foi usado em negócios bilionários e sigilosos com Angola e Cuba.

Pelas estimativas mais conservadoras, o Brasil já deu US$ 6 bilhões em créditos públicos aos governos de Luanda e Havana. Deveriam ser operações comerciais normais, como as realizadas com outros 90 países da África e da América Latina por um agente do Tesouro, o BNDES, que é o principal financiador das exportações brasileiras. No entanto, esses contratos acabaram virando segredo de Estado.

Todos os documentos sobre essas transações (atas, protocolos, pareceres, notas técnicas, memorandos e correspondências) permanecem classificados como “secretos” há 15 meses, por decisão do ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, virtual candidato do PT ao governo de Minas Gerais.

É insólito, inédito desde o regime militar, e por isso proliferam dúvidas tanto em instituições empresariais quanto no Congresso — a quem a Constituição atribui o poder de fiscalizar os atos do governo em operações financeiras, e manda “sustar” resoluções que “exorbitem do poder regulamentar ou dos limites de delegação legislativa”.

Questionado em recente audiência no Senado, o presidente do banco, Luciano Coutinho, esboçou uma defesa hierárquica: “O BNDES não trata essas operações (de exportação) sigilosamente, salvo em casos como esses dois. Por que? Por observância à legislação do país de destino do financiamento.”

Resistência Moçambicana

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) interveio: “Então, deve o Brasil emprestar dinheiro nessas condições, atendendo às legislações dos países que tomam emprestado, à margem de nossa legislação de transparência absoluta na atividade pública?” O silêncio ecoou no plenário.

Dos US$ 6 bilhões em créditos classificados como “secretos”, supõe-se que a maior fatia (US$ 5 bilhões) esteja destinada ao financiamento de vendas de bens e serviços para Angola, onde três dezenas de empresas brasileiras mantêm operações.

Isso deixaria o governo angolano na posição de maior beneficiário do fundo para exportações do BNDES. O restante (US$ 1 bilhão) iria para Cuba, dividido entre exportações (US$ 600 milhões) e ajuda alimentar emergencial (US$ 400 milhões).

O governo Dilma Rousseff avança entre segredos e embaraços nas relações com tiranos como José Eduardo Santos (Angola), os irmãos Castro (Cuba), Robert Mugabe (Zimbabwe), Teodoro Obiang (Guiné Equatorial), Denis Sassou Nguesso (Congo-Brazzaville), Ali Bongo Odimba (Gabão) e Omar al Bashir (Sudão) — este, condenado por genocídio e com prisão pedida à Interpol pelo Tribunal Penal Internacional.

A diferença entre assuntos secretos e embaraçosos, ensinou Winston Churchill, é que uns são perigosos para o país e outros significam desconforto para o governo. Principalmente, durante as temporadas eleitorais”

Tá difícil de entender ou ainda quer que eu desenhe?


laura botelho


meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos