Google

Translate my page Google

6 de abr de 2014

O dia que durou 21 anos. (Golpe de 64 Brasil)



Eu tinha apenas 4 anos quando os militares invadiram o Estado do Rio de Janeiro em 64 para depor João Goulart, e hoje eu assisti a um documentário sobre esse momento, fato que me ampliou um campo bem farto para pesquisa, sobre aquilo que "não vemos", ainda.


“O Dia que Durou 21 Anos” - é um documentário brasileiro, dirigido por Camilo Galli Tavares - produzido pela PEQUI FILMES.

Estreou nos cinemas brasileiros em 29 de março de 2013. Tendo também uma versão para televisão, exibida anteriormente, dividida em três episódios de 26 minutos cada que estou postando aqui hoje - ao final desse texto - onde nos mostra como a CIA manejou a preparação cuidadosa para um golpe desde 1962 até 1964, no Brasil. O filme tem como ponto de partida a crise provocada pela deposição do presidente Jânio Quadros, em agosto de 1961.

O jornalista Flávio Tavares, 27 meses depois de se radicar na Cidade do México 1971, seria pai do diretor Camilo, que fugiu a época do golpe para não ser vitima dos militares.

Inicialmente, o filme fora concebido para contar a história do pai do diretor, o jornalista Flávio Tavares, militante da oposição ao regime militar de 1964, porém, ao ter notícia da existência de um fabuloso acervo documental aberto ao publico pelos Estados Unidos sobre a deposição do presidente João Goulart pela CIA, Camilo Tavares mudou seus planos e decidiu abordar a participação do governo norte-americano na conspiração que resultou em uma ditadura de 21 anos.



O diretor se beneficiou de três volumosos pacotes de documentos, com divulgação autorizada pelo governo dos Estados Unidos. Além disso, o cineasta buscou mais informações em outras bibliotecas que conservam a memória de dois presidentes norte-americanos – John Kennedy (1961-1963) e Lyndon Johnson (1963-1969) – e em emissoras de televisão dos Estados Unidos.

Após assistir a todo material nesse vídeo faça as ligações com o venho postando aqui desde 2010. A morte de Kennedy em 1963 tem muito a ver com a nossa situação à época.

E o que não está nesse documentário para a TV?
Esse documentário tão rico de informações não será exibido pela rede globo, pois levantariam assuntos dos quais chamariam muita atenção aos sonâmbulos que futuramente passariam (se caíssem da cama) a ligar os pontinhos...

Então, aqui darei um pouco de historia sobre como somos manipulados pelas mídias profissionais orientadas pelos governantes “paralelos”. Cabe a você pesquisar o restante.

A emissora TV Globo nasceu junto com a ditadura militar. Foi ao ar no Rio pela primeira vez em 26 de Abril de 1965, pouco mais de um ano após o golpe militar.

O pai de Roberto Marinho havia fundado o jornal O Globo em 1925, mas morreu logo depois. Seus filhos herdaram o jornal. Aos 26 anos, em 1931,
Roberto Marinho tornou-se diretor do jornal. Na década de 40, Roberto Marinho deu início às transmissões da Rádio Globo e teve concessão de TV em 1957, pelo então presidente Juscelino Kubitscheck, cujo governo ele apoiava, e a segunda concessão foi dada pelo presidente João Goulart, cujo governo ele ajudou a derrubar...

A TV Excelsior havia sido a única empresa de televisão a se opor ao golpe militar de 1964 e os militares não se esqueceram disso. Em 1970 o governo cancelou sua concessão...


Em 1962 (dois anos antes do golpe) Roberto Marinho assinou um contrato de colaboração entra a Globo e o grupo americano Time-Life (coisas da CIA).

O acordo parecia contrariar a lei brasileira, na medida em que dava a uma empresa estrangeira interesses em uma empresa nacional de comunicações. Interesses na ordem de 6 milhões de dólares, enquanto que a melhor emissora do grupo Tupi tinha sido montada com 300 mil dólares.


Quando o segundo presidente militar, marechal Costa e Silva assumiu em 1967, o breve “Milagre Econômico Brasileiro” teve início. A
ditadura deu prioridade ao desenvolvimento de um moderno sistema nacional de telecomunicações. Os objetivos definidos foram, para variar, segurança nacional e integração (pão e circo). 


Chico Buarque comentou:
Era televisão e futebol. Construíram estádios e essa rede impressionante de telecomunicações por todo o Brasil, e ao mesmo tempo uma degradação crescente em termos de educação e saúde. Tudo isso foi descuidado

Após investigações parlamentares concluíram que o acordo Time-Life e Globo eram ilegais, a parceria foi dissolvida em 1969. Roberto Marinho ficou com total controle da TV Globo, enquanto suas concorrentes Tupi e Excelsior continuaram seu lento declínio.

Em 1972 o então presidente Médici inaugurou a televisão em cores em um grande festival, dizendo:

Sinto-me feliz todas as noites quando assisto o noticiário” ”Por quê?” “Porque no noticiário da TV Globo o mundo está um caos, mas o Brasil está em paz... É como tomar um calmante após um dia de trabalho...”

Roberto Marinho apoiou o candidato Tancredo Neves. Horas depois da sua eleição, Tancredo e Antônio Carlos Magalhães almoçaram com Roberto Marinho. Uma conversa particular apenas noticiada pelo O Globo, jornal do anfitrião. Tancredo “morreu” (ou foi suicidado) antes de assumir a Presidência da República, substituído por
José Sarney, um membro fundador do partido pró-governista militar.

A TV Aratu, em Salvador, Bahia, era afiliada à TV Globo há 18 anos, mas Roberto Marinho, em uma atitude unilateral inédita, encerrou o contrato da TV Aratu com a Rede Globo, em 1987, o que ocasionou uma queda de 80% na arrecadação daquela repetidora.

A nova emissora escolhida para repetir os sinais da Globo foi a TV Bahia, controlada por associados e parentes de ACM, àquela época Ministro das Comunicações, e com intenções de governar a Bahia.

A Globo sempre abria o jornal com o locutor dizendo assim:
Índice mensal da inflação foi de 40%. Caderneta de Poupança vai render 40%”. 

E a nova Constituição Brasileira tirou do presidente o poder de dar novas concessões de rádio e TV. Então... antes que ela entrasse em vigor, Sarney distribuiu 90 concessões para grupos políticos, sem contar com as 2 que são do próprio Sarney - afiliadas da Globo.

Temos que resgatar o documentário sobre a Globo feito pela BBC de Londres. Chama-se 'Brazil: Beyond Citzen Kane', (Além do Cidadão Kane) que Roberto Marinho impediu a entrada dele no Brasil...

Por que será?

laura botelho


Documentário exibido pela TV Brasil. Assista antes que tirem do ar.







meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos