Google

Translate my page Google

23 de set de 2010

A canção da morte


"Assim como o ar é a atmosfera para o nosso corpo,
o tempo é a atmosfera para a nossa mente"
 Dr. J. Argüelles

Milhares de animais estão tendo um comportamento fora do esperado ultimamente. Sabemos que tudo tem uma explicação, porém não uma explicação que nos convença – não agora.

A morte acentuada de milhares de animais marinhos está chamando atenção nos últimos anos, mas a morte dos maiores mamíferos desse planeta está chamando mais atenção ainda.


O que esses eventos estão nos dizendo que ainda não estamos vendo?

Cientistas do “Scripps Institution of Oceanography” como Sarah Melnick e John Hildebrand, vêem estudando as grandes baleias azuis desde 1960, e seu comportamento em todos os mares do nosso mundo. Uma coisa chamou atenção: a freqüência das músicas tonais está caindo a cada ano por algumas frações de um hertz. Sua altura canção caiu em 31% desde o final dos anos 60

Isso quer dizer que os maiores animais da Terra estão cantando em voz cada vez mais baixa a cada ano. 

As explicações “cartesianas” são muitas desde a poluição sonora dos oceanos causada pelo aumento do tráfego marítimo, com as múltiplas embarcações alterando a dinâmica da população as novas estratégias de acasalamento. O ruído ambiental dos oceanos aumentou mais de 12 decibéis desde os meados do século 20. Mas nenhuma delas é totalmente convincente, segundo peritos.

"Nós não temos a resposta. Nós só temos um monte de gravações”, dizem os especialistas. E essas mudanças de comportamento em relação a
entonação do
canto das baleias pode ser observada de uns 8 anos pra cá, quando por muitas vezes tinham que recalibrar os detectores de musica automatizado usado para controlar as comunicações entres as baleias azuis. A cada ano o som ficava mais fraco...

Não seria mais sensato elas aumentarem o tom do canto, já que não podem ser ouvidas? O mais curioso é que cada população distinta têm uma musica diferente em diferentes oceanos, mas todas mostram essas mesmas mudanças em comum.

Cogitaram a possibilidade de que as baleias estivessem respondendo a dinâmica de mudança na forma como o som viaja através da água

Um fato marcante é que as águas se tornaram mais quentes e cada vez mais ácidas do que antes. Mas esses fatores são tão pequenos diante dessas mudanças tão grandes nas freqüências, dizem os cientistas.

Baleias aprendem umas com as outras. Seus cérebros são extraordinariamente grandes e complexos. Parecem compartilhar características sociais e cognitivas com as pessoas. Alguns acreditam que compartilham de uma mesma mente aquática. Todos estão se ouvindo...

No século 16, Nostradamus narra em seu texto - século VI Quatrains 21

Quando os do pólo Ártico estão unidos,
Grande terror e medo no Oriente:
O recém-eleito, o grande tremor suportado
Rodes, Bizâncio manchadas de sangue bárbaro.

É interessante notar que embora ninguém acredite em Apocalipse e profecias e autoridades negam, de pés juntos, que nada de errado está correndo em nosso planeta que não seja naturalmente explicado à luz da ciência falida dos tempos modernos, o fato é que os preparativos, desses mesmos governos para um “possível” cataclismo, estão a todo vapor!

Estão armazenando sementes em cofres subterrâneos na Noruega. Barack Obama está recolhendo seus militares de todos os cantos do mundo, diz que quer todos em casa em 2011...

Um relatório interessante no Extremo Oriente russo, mais precisamente na Península Chukchi, que circula no Kremlin, relata que velhos Xamãs tribais dos povos siberianos Yupik se reuniram recentemente em sua santíssima de conclaves. A primeira vez que fizeram uma reunião foi em junho de 1908 após a explosão de Tunguska.

Essa reunião recente em 2002 do conselho xamã Yupik em Yanrakynnot na Rússia, foi para alertar a humanidade que nosso mundo está em perigo. Nos disseram que enquanto não formos capazes de aprender as lições após as inúmeras guerras, pouco restará para nós um solo fértil futuramente.

Os Xamãs estão atentos aos presságios da mãe natureza que ocorrem em todo Ártico e em regiões do nosso planeta e um desses presságios diz respeito aos Guardiões da Terra = baleias azuis. Elas estão entoando a canção da morte... dizem eles

Em 24 de fevereiro de 2010 uma baleia do tipo Orca atacou e matou sua treinadora num show aquático americano em Sea World. Não se sabe ao certo porque o animal resolveu levar a treinadora para baixo d´gua e afogá-la.

Se tomarmos parâmetros desse comportamento como sendo apenas um episódio aleatório entre um animal “irracional” e um ser humano, vamos incorrer a idéia do que ELES querem que aceitemos - “Foi apenas um acidente”.

Mas se nos atermos a tudo que já pesquisamos até aqui podemos crer que nada acontece “ao acaso”. Os céticos terão muitas explicações sobre o que poderia ter ocorrido, mas somente os que usarem suas habilidades sensoriais poderão entender o que esse ser de uma dimensão diferente quis nos dizer que não conseguimos escutar...

Eu creio que esse SER nos disse:

Chega! Estamos fartos de sermos manipulados por vocês! De sermos um brinquedo para seu entretenimento! Libertem-nos!
Deixe-nos em paz!!

Será que você ouviu agora?

Laura botelho



meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos