Google

Translate my page Google

1 de jul de 2010

Apenas 90 segundos


Compartilhar informação não é um acidente,
mas um método de aumentar a sobrevivência da biosfera

Como venho falando ao longo dos meus textos, somos máquinas de processar informação. Nesse mundo dualista e tridimensional, nos forçaram a ver o mundo através de apenas 5 sentidos. Somos fruto de um projeto genético muito bem planejado, mas que ao longo de milhares de anos temos sido ceifados e desviados dessas funções naturais próprias de seres especiais e energéticos que somos.

Tudo a nossa volta é composto de partículas vibratórias e giratórias Vórtices de energia. Um campo quântico complexo, turbulento eletromagnético de informação. Por isso urge entendermos como funciona essa complexa máquina cerebral que traduz toda essa freqüência, para nos tornarmos donos de nosso destino. Saber como usá-la nesse momento fará a diferença para entender a linha tênue entre cada dimensão que devemos alcançar em breve.

Assim que nos vemos diante de algo impactante, nossa mente processa essa informação e damos a ela um “valor” um “sentimento” àquilo que estamos sentindo. Entender como funcionam nossas emoções, esse conjunto de hormônios e estímulos, poderá levar-nos a um nível de equilíbrio vibratório sobre os estressantes desafios – isso serve para qualquer nível de desafio.
Nós estamos mudando, mas não apenas uma
mudança física/biológica,
mas de consciência/espiritual.

Cientistas estudando ossos encontradas na caverna de Blombos na África do Sul, datadas de 70.000 aC, encontraram um link que pode nos revelar muito do que os nossos cientistas estão descobrindo hoje em relação as mudanças do DNA humano e suas conseqüências.

Eles observaram que as inúmeras mudanças corporais da história da humanidade emergiram sempre que havia uma mudança significativa de consciência.

Ou seja, um novo conhecimento/pensamento, implica em mudança de comportamento. Mudando um comportamento, o ser muda seu corpo (INCONSCIENTEMENTE) para adaptar-se a um novo esforço físico. Hoje sabemos que o ambiente nos afeta mudando radicalmente nossa estrutura fisiológica e isso está sendo observado em nosso DNA agora.

As mudanças no ambiente mudam nossa resistência imunológica, nossa resistência física a determinadas complexidades de exigência ambiental como barulhos, cheiros, gostos, visões e sensações. Presenciamos ao longo do tempo como nossos corpos mudaram a partir dessa era “moderna”. A facilidade de adquirir alimentos X o investimento físico para te-lo. Ficamos OBESOS, lerdos e lesados!

Se o ambiente esfria de repente ou esquenta demasiadamente, logo aprendemos com exaustivas tentativas empíricas que temos que tomar ações diferentes e acertadas para nos manter vivos em longo prazo.

Essa mudança estratégica de comportamento é levada a orientar nossos pensamentos, nossas ações em relação ao meio. O organismo aprende a ficar resistente a doenças sazonais, a tipos de agressões sensoriais como a exposição ao sol.

Nosso corpo se prepara para isso criando grossas camadas de pele para resistir a altas temperaturas solares e agressões do meio ambiente. Mas se evitarmos essa exposição solar... Sofreremos mais quando estivermos expostos a ele. Somos mais vulneráveis hoje a essas mudanças do ambiente que nossos antepassados. Tanto PSICOLOGICAMENTE quanto FISICAMENTE.

Vários registros fósseis mostraram saltos evolutivos há cada 26 milhões de anos. As espécies da Terra de repente evoluíram, ou passaram por uma metamorfose após uma influencia externa energética que atuou de forma regular e cíclica. Essa visão científica endossa os relatos deixados pelos povos antigos como os Maia, tornando-os um argumento forte para respaldar nossos estudos.

Nosso DNA é como um hardware programável. Portanto, você muda a onda de energia (seu pensamento) e seu DNA será codificado em uma forma completamente diferente. Não há nada de “esotérico” nisso. Pura ciência.

As mutações ocorrerão tão rapidamente
e tão dramaticamente que não haverá “fósseis” desta transição.

Novas formas e habilidades extrasensorias serão desenvolvidas como conseqüências dessa aprendizagem. Os textos antigos nos relatam inúmeras vezes e insistentemente que desenvolveremos novas maneiras de ver, de sentir a nossa realidade – longe do alcance da informação da MATRIX.

Fomos programados desde a concepção a receber informações/vibrações de como veríamos e interagiríamos nesse novo mundo tridimenscional. Foi nos ensinado a ver, ouvir e sentir um mundo limitado em formas e padrões exatos, lineares e perfeitos. Vc se pergunta... mas como “ELES” puderam e podem fazer isso? Nos moldar a ver coisas, ter sensações e comportamentos sem nossa autorização?

Ahraa!! Não lhe dando informação de como sua mente funciona!

Basta não mostrar como se faz o truque, mas apenas a mágica! E é sobre isso que vamos estudar no capítulo de hoje – as várias formas de ver o mundo, o ambiente que nos cerca.

Para isso tomei vários trechos de um Best Seller que todos devem ler. “A cientista que curou seu próprio cérebro” é o livro da Dra Jill Bolte Taylor que nos relata com riqueza de detalhes as inúmeras percepções sensoriais, que até então ela desconhecia, no decorrer de um derrame quando tinha trinta e poucos anos de idade. O livro, assim como o vídeo de sua palestra no TED, são fantásticos e melhor = científicos.

Sua narrativa atinge as mentes cartesianas e irredutíveis a certos conceitos e fenômenos ditos “metafísicos”, difíceis de serem explicados a essas mentes reducionistas.

Reli o livro ontem que havia lido há muitos anos atrás por indicação de uma grande amiga – Dulce Gabiate, minha parceira de palestra – que me abriu os olhos para algo que eu tinha dificuldades para explicar a todos vcs. Acho que encontrei um meio através desse livro da Neurocientista. Então vamos ao trabalho!

Temos 2 mentes distintas.
Cientistas arriscam afirmar que são 2 entidades distintas num mesmo organismo. São eles: nosso hemisfério DIREITO e nosso hemisfério ESQUERDO do cérebro – uma CPU que abriga todo tipo de informação há milhares e milhares de anos luz...

Para entendermos como os negativos nos aprisionam em nossas próprias mentes temos que entender como eles fazem isso. Para tal temos que conhecer essas duas entidades que trabalham em conjunto, mas que desconhecemos totalmente.

Destaquei algumas frases do livro da Dra. Jill, que acredito serem importantes, para entendermos a chamada da nova era para o “despertar” do hemisfério DIREITO de nosso cérebro. Sua experiência durante o derrame é justamente essa – a percepção da ausência funcional do hemisfério ESQUERDO de seu cérebro nas atividades de interpretação do mundo em que pensamos que vivemos...

“Passei a existir em um mundo entre mundos”

“Você pode estar se perguntando como ainda me lembro de tudo que aconteceu (quando estava tendo o derrame). Quero apontar que, embora tenha estado mentalmente incapacitada, não perdi a consciência. Nossa consciência é criada por numerosos programas que rodam ao mesmo tempo. Cada programa dá uma nova dimensão à capacidade de perceber coisas no mundo tridimensional.”

“Era claro para mim que aquele corpo funcionava como um portal pelo qual a energia de quem eu era podia ser direcionada como um farol para um espaço externo tridimensional” -

“Perguntei-me como podia ter passado tantos anos naquele corpo, naquela forma de vida, e nunca ter realmente entendido que estava ali apenas como uma visita”

“Aprendi que podia usar o lado esquerdo da mente, por meio da linguagem, para falar diretamente com meu cérebro e lhe dizer o que eu queria e o que não queria.”

Prestar atenção a como as emoções eram sentidas em meu corpo foi o que deu formato à minha recuperação. Passei oito anos vendo minha mente analisar tudo que acontecia no meu cérebro”

Nada externo a mim tinha o poder de tirar a paz da minha mente e do meu coração. Isso era algo que cabia inteiramente a mim. Posso não ter o controle total do que acontece em minha vida, mas certamente estou no comando de como escolho perceber minha experiência de vida. Que maravilhoso presente havia sido esse derrame por me permitir escolher quem e como eu queria ser no mundo

“Além disso, a mente humana é um instrumento altamente          sofisticado de busca. Somos projetados para focar o que quer que estejamos procurando. Se busco vermelho no mundo, vou encontrá-lo em todos os lugares. Talvez só um pouco no início, mas, quanto mais tempo passar focada em encontrar o vermelho, mais verei o vermelho em todos os lugares”

“Sem estrutura, censura ou disciplina, nossos pensamentos rodam no automático”

“Por não termos aprendido como administrar com mais cuidado o que acontece no interior da cabeça, continuamos vulneráveis não só ao que outras pessoas pensam sobre nós, mas também à manipulação publicitária e/ou política

“Durante o processo de recuperação, descobri que a porção de meu caráter que era teimosa, arrogante, sarcástica e/ou invejosa residia no ego central daquele lado esquerdo danificado do cérebro. Essa porção de minha mente-ego tinha a capacidade de me fazer lidar mal com a perda, guardar ressentimentos, contar mentiras e até buscar vingança

“Defino responsabilidade (resposta-habilidade) como a capacidade de escolher como vamos responder ao estímulo que chega pelo sistema sensorial em dado momento no tempo”

“Embora existam certos programas do sistema límbico (emocional) que podem ser acionados de maneira automática, são necessários menos que 90 segundos para um desses programas ser acionado, percorrer nosso corpo, e depois ser completamente banido da corrente sanguínea.  Minha resposta de raiva, por exemplo, é uma resposta programada que pode ser disparada automaticamente. Uma vez desencadeada, a química liberada por meu cérebro percorre meu corpo e tenho a experiência fisiológica

90 segundos depois do disparo inicial, o componente químico da raiva dissipou-se completamente do meu sangue e minha resposta automática está encerrada.  Se, porém, me mantenho zangada depois desses 90 segundos, é porque escolhi manter o circuito rodando.  Momento a momento, faço a escolha de me ligar ao neurocircuito ou recuar para o momento presente, permitindo que aquela reação desapareça de minha fisiologia”

“Prestando atenção às escolhas que meu circuito automático está fazendo, apodero-me da minha força e faço escolhas de maneira consciente. É libertador saber que tenho a habilidade de escolher uma mente pacífica e amorosa (a do lado direito), sejam quais forem minhas circunstâncias físicas ou mentais, decidindo dar um passo à direita e trazer meus pensamentos de volta ao momento presente.”

“Dependendo do que estou atraindo, assumo a responsabilidade por como as coisas ocorrem e faço ajustes conscientes ao longo do caminho. Isso não significa que estou completamente no controle de tudo que acontece comigo. 

Porém, estou no controle de como escolho pensar e sentir a respeito dessas coisas. Acredito piamente que prestar atenção à conversa mental é de vital importância para a saúde da mente”

“Assim, se você tem dificuldade para acessar a consciência do circuito do lado direito de sua mente, deve ser porque fez um trabalho estupendo aprendendo exatamente o que lhe ensinaram enquanto você crescia”

“O lado direito percebe que a essência do meu ser tem vida eterna”

“Havia certas emoções, como raiva, frustração ou medo, que causavam desconforto quando fluíam por meu corpo. Por isso eu dizia ao meu cérebro que não gostava daquele sentimento e não queria percorrer aquelas voltas neuronais” 

“De maneira convincente, aquilo era como a boa e velha estrada de volta para casa, e eu gostava do que sentia”– Jill Taylor

Na imagem a baixo relacionei as características dessas duas entidades distintas de nosso cérebro.

Click na imagem para aumenta-la


A mensagem aqui é:
Precisamos dessas duas ferramentas que a natureza nos deu, mas ELES nos fazem - diariamente – FOCAR/TRABALHAR - com um só lado do cérebro. O uso inapropriado de qualquer um desses hemisférios, nos torna prisioneiros da situação e categoricamente IDIOTAS. Precisamos que os dois lados trabalhem em harmonia. Um necessita do outro, assim como necessitamos do próximo. Juntos, trabalhamos mais e melhor atingindo com bons resultados nossos objetivos.

Preste atenção na maneira como vc está usando sua mente. Preste atenção a cada pensamento seu HOJE. Você tem uma ferramenta que está altamente programada para fazer coisas fantásticas... Então aprenda a usá-la, pois do contrário... Alguém fará isso por você!

Laura botelho


11 comentários:

  1. Laura, a única coisa que posso dizer é:

    MUITO OBRIGADO!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Querida Laura você é uma criatura admirável, enquanto existir nesta dimensão 3D, quero sempre que puder entrar em conto com suas postagens, elas são maravilhosas!!!! JO

    ResponderExcluir
  3. Oi Laura,

    Que instrumento poderoso que é o nossa mente e tão mal utilizado por todos nós. Não é a toa que os negativos precisam da gente, nós realmente somos incríveis.

    Sentimos tudo quanto é emoção desagradável e em 90 segundos a química liberada por essa emoção/sensação se dissipa na corrente sanguínea? Que computador inteligente é nosso corpo e que "sistema" danificado estamos utilizando pra fazê-lo funcionar.

    Em outro texto, você já tinha comentado sobre o perdão, que o perdão é esquecer, liberar, cortar a ligação com seja lá o que tenha te feito mal...

    Acho que o princípio aqui é o mesmo, escolher continuar nas emoções que nos desagrada é o que nós faz doentes.

    Precisamos exercitar nosso lado direito para que haja um equilíbrio como você mesmo disse entre os dois, nosso lado esquerdo já foi incentivado demais.

    Se uma CIENTISTA conseguiu manter uma conversa mental saudável, se curar e desenvolver os potencias do lado direito do cérebro, todos nós podemos e devemos.

    Maravilha de texto Jedi.

    Beijão no coração

    ResponderExcluir
  4. ó Laura você precisa ter cuidado com os falsos profetas da Nova Era. Está a arrastar muita gente para o caminho errado.

    ResponderExcluir
  5. Ó StelaV.... Você tem um "GRANDE" senso de humor....[rsss]... ai ai ai VIU ... Se a Laura está indo pro caminho errado, qual será o certo??? Seguir os pastores evangélicos ladrões ou os padres católicos pedófilos??? hummm, que dilema heim ...[rss]... Bom, acho que vou escolher a Laura mesmo....rsss.... SÓ RINDO MESMO...

    ResponderExcluir
  6. na verdade não e seguir a Laura, mas a consciencia, e isto a Laura sabe fazer muito bem, provocar as pessoas com um excelente material informativo para detonar as mentes e seus padroes escravizantes de crenças e padrões impostos pelas trevas os negativos...ela acreditonão não quer seguidores, mas pessoas conscientes para receber a nova era e dar continuidade as infinitas possibilidades.... e preciso acordar, despertar desta hipnose de tantas eras, e exercer nossa divinidade... fui

    ResponderExcluir
  7. StelaV.....querida....lembra,todos nós somos responsáveis por nós mesmos e isso se chama livre arbítrio...sou responsável pelo que leio e pelo que busco,não quero mais brincar de procurar culpado pelas minhas atitudes ,chegou a hora amiga ,espiritualidade é isso...é buscar,estudar entender e ser responsável pelos seus atos.Não nos subestime.
    Andréia Almeida

    ResponderExcluir
  8. Creio que devemos tomar cuidado eh com os falsos profetas das igrejas.
    Soh nao ve, quem nao quer....os fundadores das igrejas sao milionarios....
    O vaticano eh uma entidade multimilionaria, que nao compartilha de seus bens/tesouros para as criancas que necessitam de educacao e passam fome!
    E esses falsos profetas das igrejas, para fazer sua fortuna, se baseia na biblia que foi toda manipulada por interesses proprios politicos/religiosos ao longo dos seculos, e se aproveitar do povao fazendo uma lavagem cerebral...

    ResponderExcluir
  9. Respeitar acima de tudo os limites de entendimento de cada um é crucial para entendermos que na vida so existem escolhas, gerando acões e reações, nos modificando não para o "bem" ou para o "mau" mas sim criando barreiras ou abrindo portas para nossa própria evolução.
    Permitam que as pessoas se expressem da forma com que forem capazes, mas, sem críticas. Essa forma limitada de criação não deixa de ser uma bela forma criadora; toda forma de expressão é uma forma de criação, mesmo que para os mais entendidos que aqui se encontram possa parecer ridículo. Um dia todos fomos mais limitados, só por que hoje, que não significa nada diga-se de passagem, estamos em um mísero instante mais lúcidos, não significa que somos superiores aos que estão atrás de nós na mesma caminhada. De nada adianta o conhecimento elevado se não mesclarmos idéias criadoras e revolucionárias com o amor fraternal. A crítica a inconpreenção aos limites alheios são fortes indícios de que as boas idéias estão sendo difundidas sem amor. Isso é perda de tempo.

    ResponderExcluir
  10. tenho aprendido muito com seus artigos. Grato.

    ResponderExcluir

Não serão publicados comentários racistas, chauvinistas, sexistas, feministas, flamenguistas, partidaristas ou que enalteça um ditador de bandeira vermelha de qualquer país. Tampouco não serão publicados ataques pessoais entre leitores ou a autora desse blog. Nem pensar publicarei observações ortográficas relativas aos meus erros crassos do Português, pois faz parte do meu show. Anônimos continuarão anônimos, não publicarei. Para ser sincera, não gosto de comentários. Não escreva.
laura botelho

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos