Google

Translate my page Google

9 de mar de 2011

OVNI de Agudos - ouro do tolo


"Comece fazendo o que é necessário,
depois o que é possível,
e de repente você estará fazendo o impossível"
São Francisco de Assis

Hoje deparei com uma imagem que me fez relembrar os velhos tempos de minha infância... Acho que estou saudosa por estar as vésperas de completar 51 anos no dia 19 março...

Somos enganados muito facilmente desde criança, mas não com uma farsa ou um mal entendido qualquer, mas com uma visão focada e proposital para atender um objetivo específico que não podíamos ver por não termos outros parâmetros para comparar e analisar os fatos.

Papai Noel, coelhinho da Páscoa, fada do dente... quanta coisa nos foi programado sutilmente de forma divertida sempre tendo como fundo uma troca prazerosa. Hoje posso ver melhor a intenção por trás da “brincadeira inofensiva” que nos levava a passar essas informações para frente a novas gerações.

O cinema tem como objetivo, sugerir uma visão fantasiosa para nos proporcionar “prazer” ou um sentimento que provoque uma emoção contagiante. Há sempre a imagem ancorada a uma emoção equivalente. É assim que se faz na hipnose.

A própria palavra emoção já nos revela que há é um movimento para frente, mover, sair da mesmice, mudar de lugar ou simplesmente movimentar se!

A emoção tem como objetivo nos levar a lugares que não iríamos se não fossemos “provocados”. Raiva, ciúme, paixão, dor, medo, alegria, são sensações que nos movem a tomar alguma iniciativa. Se elas serão boas, acertadas ou não... só o momento nos dirá.

"Será nuvem, tempestade ou raio? Lutando pela paz do mundo... Domina o mundo da 4ª. dimensão...”  Nashônaru Kiddo!

A TV era preto e branco e com válvulas quando Nacional Kid chegou ao Brasil em 1965. O “efeito especial” era tão gaiato que hoje nos faz rir, mas para a época seria similar e contagiante como os filmes de George Lucas (respeitando as devidas proporções, OK?)


Nacional Kid foi um viral de uma campanha publicitária do Japão em 1960 para os produtos da empresa Matsushita Electric Co abrindo espaço para o primeiro herói japonês que podia voar. O homem que veio de Andrômeda foi filmado em película de 35 mm e, em nenhum outro país, Nacional Kid teve a recepção que teve como a dos brasileiros.

Quem dessa época não colocou uma capa e pulou de cima do armário para alcançar os céus? Eu fiz isso! Mas alguns de meus amigos tiveram problemas com suas capas e ganharam alguns pontos na testa e braços quebrados... Ah... mas foi muito bom acreditar que voar seria possível! Pelo menos nós tentamos!

Além de lutar com sua própria capa, National Kid enfrentou, os Incas Venusianos, comandados pela Imperatriz Aura, os Subterrâneos, os Zarrocos, os Seres Abissais cujo chefe era Nelkon e seu submarino em forma de peixe, o monstro Giabra (um Dino) e o maligno Dr. Koroiwa, um cientista que trabalhava arduamente para vender o mundo para as forças do mal...

Desde essa época eles já sabiam que nós fomos vendidos...

"Existem dois grandes inimigos do ser humano. As coisas que vêm de fora e as coisas que saem de dentro. Assim criamos dois tipos de vilões: os invasores vindos do espaço e os seres abissais saídos das profundezas do oceano", explicou Nagayoshi Akasaka surpreso com a repercussão que a série teve no Brasil.

Veio a ditadura militar e os censores proibiram a apresentação de qualquer super-herói na televisão brasileira. Com isso, vários seriados como Superman, National Kid, e outros não puderam ser mais apresentados.

Acho que foi nesse momento que perdi o link... e “meus heróis morreram de overdose...”, já dizia Cazuza.

Hoje não sabemos mais o que é ficção e o que é “realidade” na mídia. Antigamente não haviam efeitos sensacionais como os que existem hoje. 

Bastava um pouco de maturidade para dizer: “ah, isso é mentira, falso!” Mas agora está cada vez mais difícil essa afirmação. Basta que um “estudioso” ou um PHd ou um “especialista” nos diga que não é verdade ou não está correto para mudar totalmente aquilo que estamos vendo. Estamos sempre mais dependentes dessas pessoas e muito pouco de nossa intuição.

Pois hoje eu irei contra a correnteza.
Laura vai bancar a teimosa aqui e romper com um fato que muitos assumem como sendo - “falso”, “fantasioso”, “ilusão de ótica” - ou simplesmente uma brincadeira na internet sem “grandes pretensões”.

Me refiro ao OVNI de Agudos postado o youtube no dia 24 de fevereiro de 2011 por Henrique Barduco (24 anos),  um Auxiliar Administrativo residente em Lençóis Paulista, região de Bauru que publicou o vídeo abaixo.

Sobrevoando os céus sob algum ponto da Rodovia Marechal Rondon (SP-300) próximo a cidade de Agudos, na região de Bauru – Estado de São Paulo um Objeto Voador Não Identificado (ainda) paira nos céus sem se incomodar com os que possam avistá-lo.

Em entrevista à uma TV local, Henrique explica que recebeu a gravação das imagens de um amigo, cujo nome ele mantém sob sigilo. Diz ele: "E esse meu amigo recebeu as imagens de uma outra pessoa por e-mail, que não sabemos quem é”.

Geralmente é assim, não é mesmo? A gente tem o costume de postar no Youtube tudo que a gente recebe de sei lá quem, que recebeu de sei lá onde.

Vejam os relatos e as contradições;

Do sujeito que postou o vídeo
- Henrique Barduco afirma que decidiu postar o vídeo no YouTube com a intenção de que as pessoas opinassem se o filme era verdadeiro ou não. (??)

O depoimento ou “justificativa” dos autores do vídeo que antes não passavam de duas vozes masculinas e que agora, devido ao babado federal, ganharam rostos. Sabemos quem é o boca suja da história.

- O "cinegrafista" que reflete sua emoção através de palavrões é o designer 3D e editor de vídeo André Angélico.

- Já o "motorista", que se borra todo de medo e pede para ir embora, é o criador de layout Jônata Evangelista – vulgo “Rafa” (?)

O vídeo não passou de uma campanha publicitária de uma empresa de embalagensÉ o que dizem esses dois jovens e futuros funcionários do Luca’s Film.

Mas por conta da velocidade comunicativa da Internet, infelizmente a coisa "vazou" de forma extremamente fugaz... segundo o que eles afirmam.

- "Nossa intenção era fazer uma campanha viral. Não podemos revelar muito sobre qual seria a linha que seguiria, porém, seria algo falando da expansão da marca e de como ela chegou para ficar", aponta André Angélico.

Segundo André, foi exatamente nesse momento de enviar para algumas pessoas que o vídeo VIRAL acabou "vazando" pela Internet. "Não achávamos que as pessoas repassariam com tanta facilidade e agilidade como foi

Vem cá... é viral ou não é viral?
Ou vocês não sabem o que é um Marketing viral?

Esse pensamento “explicaria” segundo os autores, a informalidade do vídeo, o que justifica a ausência de qualquer item que aponte à marca, logo, do pretenso anunciante ou até mesmo a calibração da mensagem com a imagem oferecida.

- "Havia umas 5 ou 6 pessoas que sabiam da nossa campanha e do que estávamos fazendo. Como lançaríamos isso regionalmente, não queríamos que as pessoas nos reconhecessem, justamente para não diminuir o efeito de realidade que queríamos passar", afirma André.

- “Somente queríamos testar para ver como seria a reação e se não seríamos descobertos. Ainda iríamos finalizar (o vídeo)".

- "Era algo meio sigiloso” - (5 ou 6 pessoas numa cidade do interior não há sigilo, meu querido... Isso já é domínio público!!)

Mandamos para algumas pessoas justamente para ver se elas nos reconheceriam ou não (??). É engraçado que o nosso próprio chefe acabou sendo enganado. Sorte que aqui fazemos muitas brincadeiras e não houve maiores problemas com ele", conta André Angélico.

Você acredita nisso? Dois sujeitos montam um vídeo espetacular que ganha o mundo com um pretexto viral e não sabe para que fizeram o vídeo? Dois moleques não desejando ser reconhecidos pela mídia, pelos amigos?

Se não desejavam ser reconhecidos, não precisavam dar a localização de onde estavam, para onde iriam e a que horas!

Eles ainda vão mais longe, dizem que para evitar qualquer reconhecimento, apesar de a empresa ser de Lençóis Paulista, o local escolhido para as filmagens foi Agudos...

- "Queríamos disfarçar ao máximo que fomos nós que fizemos o vídeo. Por isso, não fizemos em Lençóis. Queríamos evitar que alguém reconhecesse a voz ou outro detalhe", aponta André.

Singelo isso, né gente?... Veja como eles queriam mesmo ficar na incógnita. Talvez a cidade seja tão pequena que até pela sombra eles podiam ser revelados.

Podiam ter feito o vídeo em Niterói, meus queridos. Aqui ninguém iria saber quem vocês são mesmo que saíssem na capa do mês do Jornal local. Em Nickty não se reconhece nem os profissionais da cidade quanto mais os de fora...

O tom “casual” de extremo baixo nível foi proposital para dar esse “efeito de veracidade”, o que funcionou bem, segundo eles disseram, visto que muitas pessoas ficaram impressionadas com o vídeo e muita gente chegou até acreditar nele – inclusive o próprio chefe da empresa que desenvolveu a campanha viral também "caiu que nem pato".

A empresa responsável pela campanha fica em Lençóis Paulista e se chama Atitude Media Box que comercializa embalagens de pizza - a cliente da campanha que causou todo o alvoroço. (Não deixem de ver no link azul a maravilhosa pagina na internet da empresa)

 - "Utilizamos uma câmera de qualidade e resolução mediana. A imagem de gravação era melhor do que essa que vocês viram. Mas nós pioramos a qualidade justamente para dar esse ar informal, de casual", completa.

Esses meninos estão perdidos em Lençois. George Lucas, cadê você?!! Olha que potencial tem esses garotos!! Escondidos numa cidadezinha do interior...!!!

- "Não imaginávamos essa repercussão toda. Era para ser algo local ou regional e acabou virando uma história nacional", conclui o design, editor de vídeo e "ator" e cara de pau, André Angélico.

Mas segundo André Angélico a campanha publicitária já estava sendo desenvolvida há algum tempo, porém, o tremor misterioso que afetou a região no começo do mês serviu de inspiração e mais motivação para a história.

- “Mas, tínhamos medo que fosse “algo bobo”. Quando saiu a história do tremor e toda a repercussão, vimos que a população ainda se importava com isso. Vimos que era algo a ser bem explorado". Diz o boca suja.


"Queríamos trabalhar com essa ideia (??) de que a marca era algo que estava em expansão  e com relação a esse lance espacial, extraterrestre” (mas vocês não sabiam ainda "a quem" iriam vender, lembra? Expansão da marca?)


Quem disse a eles que a explosão em
Agudos tinha origem extraterrestre?

Ele se refere ao fenômeno ainda não explicado pelas autoridades brasileiras que ocorreu no dia 8 (terça feira) de fevereiro por volta das 15:30h, 26 dias antes da postagem das imagens no youtube.

Foram 7 cidades da região Centro-Oeste de São Paulo a sentirem algo estranho, incluindo a zona rural, que ouviu uma grande explosão – seguida de um tremor de terra. Cidades estas que constam  de - Bauru, Lençóis Paulista, Pederneiras, Boracéia e, principalmente, Agudos e Borebi.

Click na imagem para aumenta-la

Deve ter sido algo com dimensões apocalípticas para atingir 7 cidades!

Várias hipóteses foram levantadas sobre essa explosão: terremoto, avião rompendo a barreira do som ou fenômeno atmosférico, explosão de mineradora, mas todas foram devidamente pesquisadas e descartadas.

Mas o astronauta bauruense Marcos Pontes foi mais longe e diz que o evento poderia ter sido ocasionado por um meteorito que explodiu ao entrar em contato com a atmosfera - o que explicaria a ausência de uma cratera no solo.

Gente... eu nem sabia que “nosso astronauta” era de Bauru!
A hipótese ganhou mais força por conta dos vários relatos da população de que haviam avistado um clarão no céu.

Dos moradores de Agudos - sobre explosão no ar
Segundo a redação da TV regional os departamentos de sismologia da Universidade de Brasília e da USP, de São Paulo, descartaram que tenha havido tremores de terra, no estado de São Paulo, na terça feira dia 8.

Em relação ao frame passado aos 39 segundos, quando o OVNI desaparece e que foi decisivo para apontar que houve edição na filmagem, o design e editor afirma que foi um "presentinho".

"Nossa intenção era justamente lançar uma caça ao tesouro. Era fazer com que as pessoas ficassem se perguntando se aquilo era real ou não e investigar. Assim, passariam para as outras. Tem mais alguns presentinhos lá que ainda ninguém descobriu", conta André, em tom tão misterioso quanto o vídeo polêmico.

Texto retirado do Programa Fala Cidade, da afiliada SBT em Jaú, gravado no dia 02/03/2011.


Dia 8 de fevereiro de 2011 às 15:30h
- Moradores da região relatam ter sentido as paredes e vidros vibrarem. Cidades como Lençóis Paulista, Agudos, Pederneiras e até mesmo Bauru, foram afetadas, porém onde a população mais percebeu o fenômeno foi no distrito de Borebi.



Antônio Marcos Leite, 40 anos, estava trabalhando no momento do barulho. “Ouvimos um estrondo grande. Eu achei que fosse um avião que tinha caído. Foi quando senti o tremor. Foi rápido, porém, deu para assustar”.

Em Agudos, o estrondo parecia queda de objeto
Para Maria Helena da Silva Rodrigues, moradora da área central da cidade, não foi um terremoto, mas sim uma explosão de uma caldeira ou a queda de um objeto muito grande sobre a Terra. Isso porque ela afirma que ouviu uma explosão forte, de barulho abafado, e em seguida, sentiu uma vibração do ar.

 “Eu estava sentando na cadeira quando ouvi a explosão e uma vibração no chão. Foi muito rápido, de dois ou três segundos. Era por volta das 15h”, conta ela, que chegou a acionar a Polícia Militar (PM) preocupada com a possibilidade de ter ocorrido um acidente grave nas imediações.

Moradores de um edifício do Jardim Estoril, em Bauru, também afirmam ter sentido tremores e ouvido um forte estrondo por volta das 15h30 da tarde de ontem.

Outras pessoas que estavam na zona rural de Bauru relatam ter avistado um risco no céu, o que levanta a possibilidades do tremor e do barulho terem sido ocasionados pela queda de um meteorito ou outro objeto, hipótese apontada também por Álvaro Brito.

E Você, ainda acha mesmo que esse conjunto de eventos e conversa fiada é mesmo produto de uma tremenda “coincidência”? Acredita mesmo que é apenas um vídeo inocente e cheio de falhas produzido por dois jovens talentosos demais que estão se revelando na mídia?

Eh... acho que estou ficando velha demais... ou vendo filmes demais... pode ser, mas não cheguei até aqui apenas concordando com o óbvio.

Ainda teimo muito antes de entregar os pontos e esse vídeo não será o ultimo que me fará desistir... ele é verdadeiro, autentico, e há muita coisa por trás disso que ainda não estamos vendo...

laura botelho




meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos