Google

Translate my page Google

5 de out de 2016

Fraternidade Branca, a família de Julian Assange


Julian Assange nasceu em 1971, fundador do site Wikileaks, veio a público ontem com a maior cara de pau prometer que irá detonar uma bomba sobre Hillary Clinton já na próxima semana. 

Recapitulando a história desse sujeito:
O nome de domínio wikileaks.org foi registrado em 4 de Outubro de 2006 elaborando e publicando seu primeiro documento em dezembro de 2006.  

Julian Assange tem sido predominantemente apresentado ao público desde janeiro de 2007 como "o coração e a alma desta organização”.

WikiLeaks não tem nenhuma sede oficial e se baseia em algum grau com ajuda de mais de 1.200 voluntários registrados de todas as partes do planeta.  Os SERVIDORES que hospedam o site estão na Suécia, isso porque tem uma das leis mais fortes do mundo para proteger as relações fonte-jornalista confidenciais.

Segundo o site WikiLeaks, o seu objetivo é:
 "levar notícias e informações importantes para o público ... Uma das nossas atividades mais importantes é publicar material original ao lado de nossas notícias que os leitores e os historiadores igualmente podem ver a evidência da verdade "

Outro objetivo da organização é garantir (?) que os jornalistas e denunciantes não sejam processados por e-mails, documentos sensíveis ou classificados. 

Depois de ter divulgado documentos sigilosos dos americanos – que inexplicavelmente não têm seus servidores protegidos contra pessoas “perigosas” como o Assange – foi acusado de espionagem, mas como qualquer julgamento, Assange precisaria ser extraditado para os Estados Unidos e encarar a lei, portanto, arrumaram um jeito simples de torná-lo “invisível” a esse poderio estadunidense.

Depois de Bin Laden, Assange é o cara mais difícil de ser capturado, mesmo todos sabendo seu CEP. Assange não foi suicidado por ter vazado "segredos" americanos, o que nos causa muita estranheza, em se tratando de violação de documentos americanos. Muita gente sumiu do planeta por muito menos.


Anna Ardin, uma amiga sueca de Assange o “acusou” de estupro, e desde novembro de 2010, Assange tem sido objeto de extradição para a Suécia, onde é procurado para interrogatório... vai esperando

Assange não poderia permanecer na Suécia, pois seria extraditado para os Estados Unidos com todas as pombas – o que estaria dificultando os planos de quem criou essa besta. O plano então, seria o de alojar o cara, confortavelmente, na Embaixada do Equador em LONDRES (agosto de 2012) indefinidademente, tornando-o “intocável” perante aos olhos dos otários que acreditaram nisso.

Julian Assange foi abandonado pelo pai ainda criança, mas quando Julian tinha 8 anos de idade, sua mãe, Christine, se casou com um membro da  "Fraternidade Branca" - também conhecida como "A Família” ou “Santiniketan Park Association, um hospital psiquiátrico de status privado nos arredores de Melbourne, Austrália, uma colônia com cerca de 200 membros, com ideias de uma “Nova Era”. 

Os membros dessa comunidade eram todos profissionais respeitados como psiquiatras, médicos - 25% eram enfermeiros - advogados e empregados civis, bem como assistentes sociais.

Entre os anos de 1960 e 1980, o Parque Santiniketan recebeu a visita da CIA e de acordo com Assange,  seus pais se separaram a partir de um culto entre a data de 1982 e 1990. Isso é tudo que Assange tem dito sobre o assunto, alegando que ele não se lembra da senhora Hamilton-Byrne ou qualquer coisa sobre o culto.   

Este culto está bem documentado a partir das investigações da Austrália e processos judiciais em destaque na mídia. Basta você querer pesquisar.

Julian ASSANGE partiu aos 20 anos para a Cisjordânia nos territórios palestinos, como um membro da "The Brotherhood", um "grupo cristão" que protestava as terras israelenses no território palestino.   

A operação Fraternidade Branca de Hamiliton-Byrne, aparentemente, era uma continuação do Lebensborn

A "Família" estava relacionada com a Nazi "Lebensborn e V", uma organização fundada em dezembro de 1935 como uma "associação devidamente registrada" - sob a autoridade da SS "bureau de extermínio" - que ostensivamente promovia o aumento da população em “declínio” da “raça pura ariana" na Europa. 

Lebensborn é um programa de criação de seres de raça pura que escolhe a dedo, voluntárias do sexo feminino para procriação. O projeto incluiu assistentes sociais que fazem triagem nas escolas e hospitais na Alemanha e na Europa de olho em lactentes e crianças que se encaixam nos traços da eugenia nazista.  

Havia (acabou?) mais de 30 dessas instalações em toda a Europa e milhares de crianças foram enviadas para locais como hospitais / academias para introdução da programação de controle da mente

Embora Hamilton-Byrne permaneça em silêncio, os membros da Fraternidade Branca sobre sua direção, dizem que ela “previu” um holocausto global que acabaria com a maioria da humanidade e ela estaria preparando as crianças como "herdeiros da Terra", sem que as crianças soubessem disso.

Cerca de 28 crianças foram 'recolhidas' sob a custódia da diretora, Anne Hamilton-Byrne , uma teósofa de carteirinha, que se apresentava as crianças como sua mãe biológica - apesar sua idade tornar isso impossível - e todos os outros membros da irmandade eram apontados como seus "tios ou tias”- mesmo que alguns destes fossem os verdadeiros pais biológicos de alguns deles.   
  
Os membros da seita disseram que as crianças foram coletadas para um "experimento científico" selecionadas por seus traços arianos.  

Mengele foi o arquiteto do MK-ULTRA, protegido pelo Escritório de Serviços Estratégicos (OSS) Operação Paperclip projetos secretos da CIA

A família de Hamilton-Byrne foi provavelmente uma das muitas células em um programa de pós-guerra nazista e certamente Ardin (a acusadora de estupro de Assange) é um agente duplo que faz parte dessa seita.


Grande Fraternidade Branca, Blavatsky, arianos, VRIL & SS são uma coisa só. Tenho dito isso aqui zilhões de vezes.

Mas você não precisa acreditar em mim, basta fuxicar na WEB e ligar os pontinhos.

O Diretor Rosie Jones passou anos cavando mistérios perturbadores desse grupo new age denominado “A família”. Com os sobreviventes e os membros do culto contando suas histórias, juntamente com as polícias australianas e internacionais que trabalharam no caso.

Este documentário abaixo expõe não apenas o que aconteceu dentro da seita ainda operacional, mas também dentro da comunidade conservadora em Melbourne que permitiu que “a família” florescesse.

O filme “A família” (2016) entra em cartaz sexta-feira, dia 7 e domingo 09 de outubro de 2016 em um Festival em Melbourne/ Austrália.

Agora, cá entre nós...
Tanta coisa rolando nos bastidores da conspiração e o danado do Assange deixa essa história de fora? E vai jogar bomba na Hilary? O que será que eles estão tramando? Investigue você também.

Laura botelho

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos