Google

Translate my page Google

28 de out de 2013

1994 - Mensagens dos céus para 62 crianças




"Procurar uma fonte extraterrestre a partir da expectativa de um sinal de rádio 
é provavelmente uma presunção cultural similar 
a pesquisar uma galáxia de um bom restaurante italiano" 
(Terence McKenna, 1991)

A necessidade de um mensageiro, de um canalizador, implica diretamente em como receber essa informação. Visto que vivemos num mundo dual, em duas ordens, duas “realidades” diferentes, o conteúdo se manifestará (materializará) conforme o grau de evolução de cada SER. A compreensão do que está sendo passado e recebido – traduzido e entendido – é muito particular, próprio da capacidade de entendimento de cada um.

O mito do mensageiro é a metáfora das duas dimensões. 
O “mensageiro” ou canalizador, tem algo de ambos os reinos, e por isso pode se mover entre um mundo e outro, que necessariamente não reflete o “mundo” de todos. É necessário entender a mecânica da percepção – daquilo que está recebendo e como está sendo traduzido pelos nossos filtros (crenças)

O “mundo” que estamos experimentando é dual – polarizado – uma armadilha entre muitas dimensões. Um paradoxo, um labirinto. E a ferramenta para sair dele é a nossa intuição. 

E é através desse conjunto de conhecimentos arquivados em cada célula de nossos corpos que precisamos resgatar, despertar, fazer renascer das cinzas.


"Conhecimento: a asa com que voamos para o céu"
(Francis Bacon) Shakespeare

Thoth foi o mensageiro com a cabeça de um IBIS – um pássaro. Uma espécie de cegonha. Para os Egípcios, a "alma era como os pássaros". Ornis, palavra grega para "pássaro", também significa "presságio", que se tornou em avis.  

Para as religiões cristãs os anjos são mensageiros de deus, e assim vemos Thoth, o pássaro, o escriba dos deuses, Hermes Trismegisto com asas em seus pés ou simplesmente como o mensageiro Arcanjo Miguel. 

A palavra hebraica para anjo é "malach" o que significa mensageiros. A Bíblia hebraica usa os termos - malakhi Elohim = "Anjos de Deus" - malakhi Adonai = "Anjos do Senhor" - b'nai elohim = "filhos de Deus" - ha-qodeshim = "os santos” – todos referentes aos seres interpretados tradicionalmente como mensageiros angelicais.

E por falar em anjos...
Na manhã de 16 de setembro de 1994, professores e funcionários da escola Ariel em Ruwa, Zimbabwe, Africa, foram surpreendidos quando os alunos com idades entre 5 a 12 anos de idade relataram que um objeto voador havia pousado no terreno da escola e seres com olhos estranhos lhes passaram mensagens...

As crianças da Escola Ariel - Processo n º 96. 
Texto resumido - UFO AFRINEWS 1994 por Cynthia Hind 

Na sexta-feira 16 de setembro, cerca de 10:15h, 62 crianças da escola Ariel, uma escola primária privada em Ruwa (cerca de 20 km de Harare) estavam em um intervalo de aulas no meio da manhã. 

De repente, eles viram três bolas de prata no céu sobre a escola. Estes desapareceram como um flash de luz e, em seguida, reapareceram em outro lugar. Isso aconteceu três vezes e então eles começaram a se mover em direção à escola quando um deles pousou (ou pairou) ao longo de uma seção do terreno acidentado composto por árvores, arbustos espinhosos e um pouco de grama cortada marrom-acinzentada com brotos de bambu.

Não é permitido as crianças a entrar nesta área, embora seja adjacente ao seu campo de brincar e não está vedado seu uso, mas por conta do ambiente favorável a cobras, aranhas e talvez outras criaturas nocivas, as crianças evitam o local. Há uma linha de postes de eletricidade e de acordo com um menino, o objeto seguiu nessa linha antes da aterrissagem. Há também alguma controvérsia sobre se o objeto pousou no chão ou pairou sobre ele. 

Na terça-feira, 20 de setembro, eu fui (Cynthia Hind) para a escola com um repórter da BBC, assim como o meu filho e Gunter Hofer, um jovem que constrói o seu próprio equipamento elétrico, ou seja, um contador Geiger, um detector de metais e um magnetômetro, para experimentar e ver se o objeto deixou qualquer vestígio para trás. 

O diretor da escola é o Sr. Colin Mackie, que foi mais cooperativo e, embora ele nunca tivesse se envolvido com UFOs ou seja um crente sobre o assunto, disse que ele acreditava que as crianças tinham visto o que eles disseram que viram. 

Pude entrevistar cerca de 10 ou 12 crianças mais velhas e isso foi gravado pela televisão BBC. Uma testemunha, Barry D., disse que tinha visto três objetos sobrevoando, piscando em luzes vermelhas. Eles desapareceram, e reapareceram quase imediatamente, mas em outro lugar. Isso aconteceu cerca de três vezes. O consenso da opinião era de que um objeto caiu na área em que eles indicaram cerca de 100 metros de onde eles estavam na borda do campo de jogo da escola. Em seguida, um pequeno homem (de aproximadamente 1 metro de altura) apareceu no topo do objeto. 

Johfra Bosschart. Sua arte está magicamente combinada a partir de três fontes
 baseados em estudos de psicologia, religião, a Bíblia, astrologia, 
antiguidade, magia, bruxaria, mitologia e ocultismo. 
Resumindo: Johfra sabia demais e desenhou pra gente.

Ele caminhou um pouco pelo chão áspero, tornou-se ciente das crianças e desapareceu. Ele, ou alguém muito parecido com ele, então, reapareceu na parte de trás do objeto. O objeto decolou muito rapidamente e desapareceu. 

O homenzinho estava vestido com um terno preto apertado que era "brilhante" de acordo com uma menina observadora (11 anos de idade). Ele tinha um pescoço comprido e magro, enormes olhos como bolas de rugby. Ele tinha um rosto pálido, com longos cabelos negros que iam abaixo de seus ombros. 

Sugeri a Mr. Mackie antes de visitar a escola e antes das crianças serem entrevistadas, para que as crianças desenhassem o que tinham visto e agora temos cerca de 30 - 40 desenhos, alguns dos quais são muito explícitos e claros, embora alguns sejam bastante vagos. 

As idades das crianças variam de 5/6 a 12 anos. Tenho 22 fotocópias dos desenhos mais claros como o Sr. Mackie gentilmente me permitiu escolher aquelas que eu queria. A maioria das descrições são semelhantes, mas algumas das embarcações são obviamente 'discos voadores', e me pergunto quantas dessas crianças tiveram acesso aos meios de comunicação. 

As crianças variam em culturas: existem crianças negras, brancas e asiáticas. Uma menina me disse: “Juro por todos os cabelos na minha cabeça e toda a Bíblia que eu estou dizendo a verdade"  Eu podia ver o prazer em seu rosto quando eu disse a ela que eu acreditei nela. 

Johfra Bosschart
As crianças menores de 5-7 anos estavam muito assustadas na hora e correram gritando: "Ajuda-me, ajuda-me". Quando as crianças mais velhas perguntaram por que eles estavam dizendo isso, a resposta foi: “Ele está vindo para nos comer”. Eu diria que isto se aplica mais para as crianças negras africanas que têm lendas de _tokoloshies_ onde monstros comem crianças.

Seus professores estavam em uma reunião e não saíram dela. Quando eu questionei o diretor sobre isso, ele disse que as crianças sempre gritavam e gritavam durante o recreio e ninguém achava que havia algo incomum acontecendo. O único outro adulto disponível na época era uma das mães que estava executando o Tuckshop. Quando as crianças chegaram a chamá-la, ela não acreditou neles e não quis sair: ela não estava preparada para deixar o Tuckshop com toda a comida e dinheiro. 

Gunter e os homens cuidadosamente examinaram o solo ao redor, onde as crianças tinham visto o objeto, mas não teve nenhuma reação no contador Geiger ou qualquer outro equipamento. Se o objeto esteve pairando talvez nada iria mostrar. Eu não encontrei nenhum lugar onde algum objeto poderia ter desembarcado e pressionado a folhagem. Na verdade, eu acho que os tocos de bambu teriam sido um impedimento. O dia estava quente, em torno de 33 C (91F) ... 

John Mack psiquiatra investigativo. Será que “foi suicidado”?

Dr. John Mack - aos 74 anos morreu em 27 de Setembro de 2004, quando foi atingido e morto por um motorista bêbado de um caminhão, em Londres, Inglaterra, enquanto participava de um Simpósio - TE Lawrence Society Symposium, em Oxford, Inglaterra. 

Ele passou vários anos 'pesquisando' as alegações de rapto e abuso sexual de seres humanos por extraterrestres humanoides cinzentos.  Tanto que ele se sentiu compelido a escrever um livro chamado Abduction: Human Encounters with Aliens, em 1994. E seu segundo livro sobre o assunto, "Passaporte para a Transformação Humana”  Cosmos-Alien Encounters em 1999 e formou o PEER organização sem fins lucrativos, para investigar o fenômeno UFO. Seus livros tornaram-se bestseller.

Ele viajou para muitos países, investigando relatos de OVNIs e em 1994 Dr. John Mack estava visitando Zimbabwe na época do evento e passou dois dias na escola Ariel com as crianças. Entrevistou além do diretor da escola, Colin Mackie, os professores e alguns pais. 

“Ouça e pense sobre o que eles estão dizendo”, aconselhou Dr. Mack. 
John e seu colega pesquisador, Dominique Callimanopulos, foram capazes de chegar até os pais e professores e convencê-los de que, mesmo se eles não acreditassem nas crianças, seria contra produtivo acusá-los de mentir. Seu interesse particular em psiquiatria infantil, também de grande utilidade durante o interrogatório, fez emergir muitas memórias ocultas que vieram à luz, algo que John tornou público mais tarde, quando ele teve a chance de reavaliar suas entrevistas.

Há outras implicações políticas/religiosas no fenômeno da abdução. 
Política, locais, nacionais e internacionais, afinal é um jogo de poder. As implicações econômicas do fenômeno da abdução são inseparáveis ​​aos de fórum político.

 Há a perda do sentido do sagrado, a desvalorização da inteligência e da consciência na natureza além de nós mesmos.

O fenômeno de abdução UFO apresenta um problema particular para muitas religiões organizadas e religião está ligada a Governos – a poder. Desde os primórdios da história grupos de seres humanos reconheceram o poder e os perigos potenciais de forças espirituais "lá fora" (espaço) que assumiram a tarefa de guiar-nos através das intempéries dessa vida. 

Assim líderes religiosos nos instruíram sobre a natureza de Deus, e determinaram para nós que seres espirituais ou outras entidades podem existir no cosmos. Qualquer coisa fora dessa compreensão não seria “saudável” a nossa existência.

"Na pior das hipóteses, para a percepção de polarização do dualismo cristão, esses seres de olhos escuros devem parecem ser os companheiros do Diabo" (Downing, 1990).

Às vezes, ao longo do caminho, quando se vai cada vez mais fundo na consciência da pessoa, em sua experiência, eles vão descobrir... O que é chamado de dupla identidade. Em outras palavras, que eles são ambos humanos numa dimensão, mas são também eles próprios uma identidade alien”  
(John Mack)

A dimensão alienígena é uma parte de nós mesmos. Na realidade, “os aliens” somos nós numa dinâmica futura, numa dimensão maior de informação que não temos acesso, ainda. Em outras palavras, isto é um fenômeno mundial que não se restringe a um grupo de pessoas que estudam esses eventos ou que desejam acreditar em qualquer outra coisa para escapar da vida que levam. Não, mesmo.

O que estamos presenciando dia após dia é a introdução conta gotas de uma nova teoria que em breve ser tornará prática, a de que estamos despertando para outros “mundos”, estamos esbarrando em outras dimensões, outras percepções de ver, sentir e experimentar aquilo que nós intuitivamente já sabemos, mas não podemos (queremos) acreditar.

E nessa rasa dimensão, para que algo se materialize, que seja “real”, é precípua a condição de acreditar, simples assim.

laura Botelho

Assista a esse video e veja a mensagem que "eles" deixaram as crianças...

Caso ocurrido en la escuela Ariel en Ruwa, Zimbabwe (16 de Septiembre de 1994) from


Reparem nessas imagens os olhos das esculturas deixadas pelos antigos gravados em pedra.





meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos