Google

Translate my page Google

17 de mai de 2013

Jovens querem respostas


Gênesis 3
  • E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos,
  • Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais.
  • Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis.
  • Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.
  • E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.
  • Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.
  • E Deus (ENLIL) disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses?
  • Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi.
  • E disse o SENHOR Deus (ENLIL)  à mulher: Por que fizeste isto? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.
  • E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.
  • E a Adão disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dela, maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida.
  • Então disse o SENHOR Deus (ENLIL): Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente, O SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado.
  • E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.
O deus ENLIL mandou “GUARDAR O CAMINHO DA ÁRVORE DA VIDA” para que os humanos tolos não venham comer de seus “frutos” e tomar conhecimento sobre quem são e o que são. Deus ENLIL fica furioso quando eles procuram por respostas as suas duvidas e transgridem suas ordens...

Semanas atrás um jovem (hoje com 20 anos) de nome Lucas Pádua (com sua permissão) me escreveu fazendo inúmeras perguntas. Ele não foi o primeiro a me fazer taaannnntas perguntas, mas dentre os que me escrevem, suas duvidas me chamaram atenção, pois elas são bem pontuais e acredito que muitos também as têm, e resolvi postar aqui o que diria a ele somente.

Colocarei algumas questões que ele me fez, não todas, senão escreverei um  livro e não um texto explicativo. Darei abaixo a minha percepção sobre essas duvidas. Minha resposta não se trata ser a “certa” ou ser a melhor ou a “verdadeira”, apenas a minha versão. Se servir para alguém, ótimo, se não - passa batido.

O Lucas diz:Todas as realidades que eu vim sonhando em criar pra mim ao longo desta vida dependem claramente de um mundo externo para existirem…Se a realidade que eu quero criar é essa, eu estarei totalmente perdido se eu sair da matrix. Que parâmetros vão definir o que eu crio?”

LB - Estamos presos num campo de informação que está além das nossas percepções conscientes. A “vida” que estamos exercendo é uma ilusão “dentro da MATRIX (campo de informação)”, portanto, fazemos parte dela, somos um conjunto de informações. A física quântica postula que a matéria não existe, portanto NADA existe – tudo não passa de interconexão de informação que nosso cérebro cria.

O que faz as “coisas” existirem são conceitos, dogmas, crenças, símbolos etc que recebemos desde que chegamos aqui. Cada ser humano irá entender “seu mundo” conforme o conteúdo de seus arquivos pessoais.

Mundos diferentes – informações diferentes. Um índio no interior da floresta que nunca viu homem branco, não faz a menor ideia do “nosso mundo” dos nossos problemas existenciais – somos aliens para eles. 

Em algumas tribos as mulheres são as mandonas – os chefes. Homens obedecem e fazem o serviço todo. Elas punem os homens que não as obedecerem com a morte ou castigo. Em outras tribos quando nasce gêmeos, um deve ser morto pelo pai. Dois não podem viver. 

Em outras culturas no planeta, as esposas são passadas de pai para filho ou no caso de morte, para o irmão. No interior do Brasil é comum o pai ter filhos com as próprias filhas. Isso tudo se resume em sobrevivência. Isso pode parecer “errado” para você, pois seus códigos e símbolos são totalmente diferentes. Perceba, os “códigos ou scripts” são diferentes de um lugar ao outro, de grupo para outro e de pessoa a outra. São “mundos paralelos”.

Entender como “criar” uma “vida” além da Matrix é ter conhecimento (consciência) que ela existe e que exerce poder (num nível inconsciente) sobre nós, através da captação e interpretação dos “códigos” pelo nosso cérebro através do sistema nervoso = 5 sentidos. Se, estamos presos a esse campo de informação, podemos nos livrar dele usando o próprio campo de informação – usando o próprio sistema a nosso favor.

Assim como num “game”, nossa existência (vida) precisa ser “criada” por funções – programas – scripts - para que ela exista. Estamos aqui para construir passo a passo esse espaço (vácuo) do jogo, mas muitos não entendem como ele funciona e querem “pular etapas”. 

Logo; não vão conseguir chegar ao seu destino, ao final do jogo, pois não sabem o que querem, não têm METAS, não têm TRAJETO, não têm OBJETIVO, um roteiro definido de o que fazer e para onde ir. Então, como saber que ganhamos o jogo? Já dizia I. Kant: “Quem não sabe o que busca, não identifica o que encontra”

LP - Como sermos únicos se somos todos UM? Tenho problemas sérios com essa ideia de “unidade

LB – Adorei essa!! Esse “problema” acontece quando estamos elegendo o H. esquerdo para “ler” as coisas que não podem ser “traduzidas” facilmente. Se não temos “arquivos” com amplas definições... ficaremos que nem a “tradução de línguas do Google” = nada batendo com nada...

O nosso mundo é administrado 90% pelo H. esquerdo = lógico, metódico, analítico, sequencial, seletivo, que trabalha com partes. 99% da humanidade elege o H. esquerdo para “traduzir” tudo, pois não foram instruídos de maneira diferente, por isso não conseguimos “despertar”.

Ao contrário, os deuses “reforçam” o uso do H. esquerdo, já que temos que nos comunicar com palavras. O H. esquerdo traduz as palavras e dá o significado a elas mediante aquilo que tem em seus arquivos. 

Se seu arquivo não tem muita opção... vai ficar sem saber o que o símbolo significa ou ter uma ideia “aproximada” do que pode ser. A visão do TODO, a visão holística da coisa, é própria do H. direito e ele é abafado pelo H. esquerdo que é ditador, tirano e quer assumir sempre o controle de tudo. Ele rejeita aquilo que não faz sentido.

Agora me responda, você exercitou o H. direito? Você procurou ler sobre isso que não compreende? Não, não é? Queremos que a resposta caia no nosso colo sem muita responsabilidade sobre o que fazer com ela. Pior, vamos aceitar as “definições” que a MATRIX nos empurra. Somos todos “uns” tolos em achar que sabemos tudo e não procuramos mais fuçar nada e delegamos poderes a quem diz que sabe e ainda colocamos a culpa “nos negativos”. Falta responsabilidade na aquisição da informação.

Somos únicos porque nossa vibração (frequência de ondas) (eletromagnetismo que pode ser medido pelo eletroencefalograma) é único. Você vibra diferente de qualquer outro ser no planeta. A corrente elétrica do seu cérebro é singular, tais quais suas impressões digitais. Sua energia, sua mente (Você) pode ser identificado a distancia por um aparelho lá em Marte, caso se submeta a um teste. Eles vão saber que é você e ninguém mais, quem está transmitindo um pensamento. Isso já acontece hoje. Os “negativos” conhecem as ondas cerebrais de muita gente, sabem onde estão cada um dos rastreados através de supercomputadores.

Somos todos UM quando pensamos, damos foco a um objeto, um tema, uma imagem, um pensamento. Quando Airton Senna e Lady Dy morreram ou as torres gêmeas no 11 de setembro caíram, o Campo da Terra registrou um pico de energia acima do “normal” – isso ficou registrado em aparelhos de ressonância Schumann. Um numero espantosamente grande de mentes deram atenção ao mesmo evento e estavam em sintonia.

Somos UM a partir do momento que; o que um pensa afeta a realidade do outro na Matrix. A evolução depende muito mais de um grupo do que do individuo. A natureza não é baseada num sistema de competição (e é isso que eles nos fazem crer diariamente), mas baseado num sistema de cooperação, pois temos que VER a mesma coisa para mudar o campo de informação!

Somos poderosos, uma consciência de grupo ordenada pode criar um evento ou muda-lo. Eles temem isso, portanto nos dividem com times, raças, credos, cores, paredes etc e enquanto estamos “brigando por posições e pontos de vista nos grupos de estudo”, eles se alimentam dessa energia dissonante, desalinhada e desunida alimentando mais ainda a ira entre esses tolos.

E cada dia que passa fica mais difícil dos seres humanos adormecidos entenderem isso... Querem discutir, bater boca, xingar, ofender e machucar para terem “razão”. Só que não veem que esse comportamento nos leva a um lugar: ao inicio de um novo ciclo, daí vamos passar por tudo isso novamente... E os deuses se divertindo, pois estão ganhando o game.

LP –Bem, fora da matrix, fora do corpo, a gente pode perder a “identidade humana”, mas continuaria sendo a “mesma pessoa a nível de conhecimento, memória”… Tô enganado?"

LB - Se somos únicos em termos de frequência de vibração (informação) somos eternos. Sem um corpo (casulo que nos mantém aprisionados) ainda somos uma mente (energia de informação). A energia não pode ser destruída, apenas canalizada, aprisionada ou transformada, mas nunca aniquilada.

LP –“...vivo transitando entre diferentes versões de realidade. Parece que a minha versão de realidade é sempre a ultima que eu li…”

LB - É assim que funciona. Se você retém uma informação como sendo “verdadeira”, essa crença se torna um programa que será executado conforme suas necessidades. Portanto, se você for inflexível quanto a mudar sua crença, você não “enxergará” outra realidade, pois o H. esquerdo não vai deixar! Isso serve tanto para formular metas objetivas para sua vida quanto para destruir planos futuros, são faces da mesma moeda. 

Se você muda sua percepção das coisas e desiste de ir em frente, de dar devida atenção a ela por algum motivo, o caminho se desfaz criando alternativa. Mude sua visão sobre alguma “coisa” e a coisa muda, seja ela avaliada por você como “boa” ou não.

LP – Não entendo o seu conceito de “seres”… Já que fora da matrix, dessa dimensão não tem essa coisa de planetas, não acredito que esses “seres” possam ser “ets físicos”. Só entendo esse conceito de “seres” como indivíduos distintos (não “unos”) mas não sei definir o que eu entendo por “seres”, no sentido que você apresentou. Ashtar Sheran que não seria, né? Rsrs”

LB – Perfeito. Na minha percepção não existem “extraterrestres”, mas “seres” com informações diferentes fazendo o melhor que podem com suas devidas informações. Eles não são “maus”, nem “bons”, são energias seguindo aquilo que acreditam – suas crenças (script). Quem avalia se o outro nos faz bem ou não, somos nós com a nossa intuição sobre essas ações.

Fomos programados a acreditar que “DEUS” nos fez a sua semelhança, logo, um ser que não se pareça com “deus”, não existe. Mas agora sabemos também que há infinitas formas de vida no fundo do Oceano, interior das florestas, em ambientes inóspitos que a cada dia surgem nas informações conta gotas. São “seres” que sempre estiveram entre nós, mas que eram considerados mitos – como as lulas gigantes, por exemplo.

Só vemos o que conhecemos. Nos mostraram como “eles” são, então agora podemos “vê-los”, o que antes era impossível, mesmo convivendo dia a dia ao nosso lado. Muitos “seres” convivem conosco diariamente, mas dávamos o nome a isso de “espíritos”. Eles não vêm de lugar algum, apenas da nossa percepção em “decodificar” o que eles são e como são, baseados na nossa interpretação sobre eles, diante dos programas que nos dão. Nos disseram que muitos são baixos e tem olhos grandes, outros se parecem na forma de insetos, outros tem chifres e rabos... então, tudo que apresentar essas formas nós veremos. Também nos deram as formas das naves – que são redondas, ovais, cigarrete. Então agora as vemos em todo lugar!

LP –Explicando melhor: interpreto que na sua visão, após a morte, só levamos conhecimento, logo, os que têm conhecimento poderão “seguir adiante”, criar sua própria realidade e etc. E aqueles que não têm conhecimento serão vitimas dos “deuses”, que vão enganá-los á reencarnar entre outras coisas “de reptiliano”.”

LB - Essa é a minha visão, Lucas. Eu entendo que quando nos livramos do casulo (corpo que é um campo eletromagnético) o “gênio” sai da “garrafa” e pode realizar o que desejar... mas para saber o que deseja criar, você tem que saber o que quer! Você sabe o que quer? Se não souber... alguém fará isso por você! E é aí que os deuses entram. Entre os que têm conhecimento sobre essa manipulação e de “como” eles fazem isso com nossos cérebros, terão níveis diferentes de perceber o mesmo ambiente sobre sua existência, logo criarão destinos diferentes… 

LP- eu não gosto daquilo, aí leio uma mensagem contrária em outro site… Aí passo automaticamente a acreditar naquilo. Isso me faz parecer idiota, né?” Eu poderia criar minha própria versão de realidade, mas eu busco a “verdade absoluta” pelo fato de que se eu decidir criar minha própria realidade eu vou cair naquele problema de que “é impossível criar um mundo sem influencia externa” que eu apresentei posteriormente (Sei que o mundo é uma criação interna, porém só existe devido á uma interpretação (ainda que interna) de algo externo. Não é isso?"

LB- Numa visão simplista é. Sem muita informação você cairá no vazio da torre da qual você programou. Mas se você tiver muita informação, várias percepções, um leque de conhecimento que faça INTERCONEXÔES com o que você acredita intuitivamente, as respostas te levarão ao caminho que te satisfaça a materializa-las... essa é a chave.

Eu particularmente estou usando a chave a cada dia. É um exercício de reprogramação diária do meu cérebro. Consigo me manter equilibrada (saudável) mais do que qualquer pessoa que eu conheço. Não tomo nenhum medicamento, me alimento muito pouco durante o dia, pelo menos muito menos que a classe média nacional. Faço exercícios físicos, trabalho o cérebro e os membros. Percebo coisas que não são ditas, percebo energias que não podem ser percebidas por todos. Enfim, trabalho dentro do sistema da Matrix e faço uso do próprio sistema a meu favor. A Matrix (informação) está atuando, mas eu sei como ela atua na minha percepção, logo eu posso controla-la e reprograma-la, para que eu não seja tão afetada por ela.

LP –Ou seja, nada se cria, tudo se copia… Big brother, Faustão, nada é novidade. Então, me explica, como é que existe o mundo físico, desse formato, com montanhas, praias, casas, cadeiras?” “O Icke diz que esses reptilianos não tem capacidade de criar, por isso apenas distorcem a criação humana. Somos mesmos capazes de criar alguma coisa? Antes dessa realidade física existir, não havia matéria, não havia cadeiras nem arvores. Então de onde imaginaram cadeiras e arvores?

LB- O que “criamos” a cada dia já existia antes. As “coisas” não saem do “nada”, elas precisam de uma fonte de informação. Não sei como tudo isso foi inventado, Lucas, e provavelmente cairemos na história de quem veio primeiro – o OVO ou a Galinha? “Deus” fez a “luz”, fez os “rios e os peixes”, as “terras e montanhas” – já nos deu o jogo e suas regras.

O que vejo é que estamos apenas sendo levados a re-cria-las, somos “co-criadores” desse ambiente. Isso para nos afogar de novo no mesmo modelo. Eles reescreveram o programa querem que a gente siga o jogo como foi feito – Second Life.  Ou a gente aprende a “jogar”, ou a gente vai ter que voltar de novo para entender que nesse jogo a gente não pode “voar” sem o programa que eles determinaram.  

Mas o que pude perceber é que a “invenção” provém da necessidade de avançar no jogo. Queremos avançar etapas do jogo e então caímos num buraco sem fim. Perdemos “uma vida” e dependendo do avançar do game, teremos que voltar para aprender da melhor maneira a fase seguinte.

LP – A maldita e mal falada matrix soa mais genial e complexa do que essa ideia de ficar feliz com o nada… Será legal saber de tudo?”

LB – Lucas é por aí. Faça perguntas, mesmo que pareçam tolas a principio, o que no seu caso não é.  Eu pesquiso as minhas duvidas e não aceito fácil a primeira resposta que encontro, por isso insisto que todos pesquisem o que eu escrevo. São apenas links da minha versão, mas você encontrará outra que te satisfaça e que atenda suas expectativas.

Não é a toa que não conseguimos sair do lugar, dessa poderosa e ridícula cela sem tranca. A porta está aberta a todos, e assim como um pássaro que entra numa sala e se debate contra as paredes para sair de lá, não encontramos a saída!

Os mais “evoluídos” (que nos veem debater contra a parede) percebem nosso desespero e até “tentam” de todas as maneiras nos espantar, nos pegar com as mão, nos orientar com barulho para o caminho certo da liberdade... mas para nós, não nos parece a coisa certa.Talvez os “meios” não justifiquem os fins.

Precisamos aprender a nos acalmar, descansar, respirar fundo e não chamar “atenção” dos predadores. Temos que estudar o ambiente e devagar encontrar a saída por onde entramos. O que nos desespera é o MEDO, lógico. Mas a janela está logo ali... Vamos sair.

Será legal saber de tudo? No meu caso, sim. Hoje eu vejo a janela e entro na sala se quiser. Sei o que tem por lá e como sair. Os que não sabem sobre a “janela” podem bater contra os vidros, se esborrachar no chão, quebrar um pescoço e pior, ser presa fácil de um “evoluído” de “boa intenção” dentro da sala.

Se há “seres” inteligentes por lá, eles não “tentarão” nos pegar para “soltar depois”, pois isso pode nos matar no ato da nossa luta pela fuga. Se são seres “inteligentes” vão esperar que a gente se acalme e tome fôlego para acharmos a saída. No máximo ficarão atentos para que “um gato” não nos pegue antes, nada mais. Eles sabem que a Natureza sempre encontra um jeito e que o conhecimento é que nos tira da encrenca.

O que sinto é que estamos muito melhor do que antes num aspecto de grupo. A internet (que muitos alegam ser construção do diabo) nos uniu de forma irreversível. Perceba que a Matrix nos dá (num nível inconsciente) e nos tira (num nível inconsciente) a mesma informação.

Ela nos dá veículos para nos informarmos – que são inúmeros e de fácil acesso (livros, vídeos, palestras etc). Ela nos tira quando não usamos o que temos para nos despertar alegando que tudo está “contaminado” pelos “illuminatis” ou buscamos diversão fácil sem conteúdo fazendo o jogo deles. São sempre duas formas de ver a mesma coisa.

Temos que aprender a “ver”, “ouvir”, “sentir” a informação que nos chega sem rótulos prévios. Apenas pesquisar se faz sentido ou não para nossas metas, evitando a briga e divergência de opiniões. Cada um tem um script diferente, portanto enxergam o “mundo” diferente.

E quanto maior a dissonância – ausência de conexão entre os indivíduos que contribuem para um campo coletivo - mais contorcido e improvável ficará o futuro que desejamos.

laura botelho

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos