Google

Translate my page Google

30/03/2012

Muito barulho por nada?



AL Tchijevsky, cientista russo apresentou um documento à Sociedade Meteorológica Americana, na Filadélfia, já no final do século 19.

Ele construiu um "Índice de Excitabilidade da Massa Humana", que abrange a cada ano estudados de 500 aC a 1922 dC.

Ele investigou as histórias de 72 países nesse período, observando sinais de inquietação humana, como guerras, revoluções, motins, expedições e migrações, e mais o número de seres humanos envolvidos.

Tchijevsky descobriu que 80% dos eventos mais significativos ocorreram durante os anos de máxima atividade solar. Ele sustentou que o período "excitante" pode ser explicado por uma mudança aguda no caráter nervoso e psíquico da humanidade, que ocorre em manchas solares máximas.

Tchijevsky descobriu que o mínimo solar (menos energia/informação) é o período de latência, quando a repressão é tolerada pelas massas, como se os humanos não tivessem a energia vital para fazer as mudanças necessárias.

Ao contrário, da máxima com manchas solares, o movimento de seres humanos tem um pico, diante do mecanismo que leva radiação ultravioleta em maior quantidade ao planeta.

Uma radiação que produz corrente elétrica, vibrações no Campo que operam de forma adaptativa do organismo como um todo, produzindo memória, razão, imaginação, emoçãosecreções, ação muscular, a resposta à infecção, o crescimento normal, e o crescimento de tumores benignos e cânceres, os quais são regidos por adaptativamente as cargas elétricas que são geradas pelas ondas curtas ou radiação ionizante no protoplasma.

De acordo com George Lakhovsky, o núcleo de uma célula viva pode ser comparada a um circuito elétrico oscilante e o desequilíbrio dinâmico das células gera um sintoma, uma “doença”.

Não estamos apenas sendo constantemente bombardeados com radiação do espaço, mas também estamos vivendo em um mundo de motores elétricos e ondas sem fios, os nossos corpos estão constantemente levando uma surra de todas essas radiações ao nosso redor.

Ter consciência sobre isso lhe dará condições de se re-equilibrar sempre que sentir suas energias baixando. Procure sempre o equilíbrio.

A máxima de manchas solares está ocorrendo, as erupções solares e as reações subsequentes geomagnéticas efetuam as muitas mudanças sutis que ocorrem dentro de nossos corpos em nível atômico.

Sabemos que é o magnetismo sutil de cargas positivas e negativas que puxam certas partículas através das membranas das células para produzir energia.

O aumento de ondas de energia durante uma tempestade solar provoca uma excitação nestas reações electroquímicas dentro do nosso corpo mudando naturalmente os processos biológicos dos seres vivos. Estamos vibrando mais.

Dados do século 19 sobre alucinações e distúrbios magnéticos foram encontrados para exibir uma correlação direta e estatisticamente significativa sobre influências magnéticas no hormônio pineal, na melatonina, sugerindo uma fonte de variação de humor.

Todos recebem a mesma luz/energia/informação no planeta


A informação que está chegando está afetando seu comportamento, suas ideias, sua maneira de ver o seu próprio mundo. Os que não têm informação sobre esses aspectos envolvidos sentem-se mal, não sabem lidar com essas mudanças e vibram diferente, em desarmonia.

Muitos são levados a reagir com violência a essa sensação inexplicável. A taxa de homicídios disparou no mundo todo com requintes de crueldade, violência.

Os crimes considerados violentos são homicídios, tentativas de homicídio, estupros, roubos e roubos a mão armada.

Crimes violentos cresceram quase 11% em Minas Gerais no ano passado
Segundo o Pnud, à exceção de Barbados e Suriname, as taxas de homicídio subiram nos últimos 12 anos em todos os países do Caribe. Junto com a América Latina, a região é responsável por 27% das mortes criminosas no mundo.

Suicídios, ataques cardíacos, derrames, depressão profunda, pânico, fadiga e irritabilidade são todos produtos do medo – medo inconsciente de algo que não conseguem explicar, apenas somatizam.

Somatizar = O termo foi gerado pela tradução cientificista em inglês do termo alemão Organsprache "fala dos órgãos", originalmente criado por Wilhelm Stekel (1868-1940) no início do Século XX. Pesquisem sobre ele.

O MEDO provoca duas ações – o ataque e a fuga – cada um desses é um programa básico que nos mantém VIVOS - a todos seres nesse planeta - e cada um reage conforme seu programa/script = ataca ou foge.

A melancolia, depressão é um sintoma de medo, medo do futuro, do incerto, do que não se pode controlar - uma FUGA

Agitação social, agressão física a gays, crianças, mulheres e a todo tipo de segregado, são sintomas de ATAQUE – Medo das suas necessidades básicas não serem atendidas.

Perceber esse mecanismo de comportamento lhe dará condições de mudar o rumo de sua história e vibrar em consonância, coerência com aquilo que acredita. Essa é a hora.

Eles estão nos guiando para o matadouro...

A grande depressão em 1929 foi deliberadamente criada pela Federal Reserve

Escreveu Alan B. Jones em seu livro - How The World Really Works - 1996, mostrando como o mundo realmente funciona

Federal Reserve foi criado como uma ferramenta para consolidar e controlar a riqueza mundial.

“Os banqueiros internacionais estavam agora prontos para fazer uma matança grande", afirmou Allen. 

Entre 1923 e 1929, Alan Jones descreveu, "o Federal Reserve expandiu (insuflou) a oferta de dinheiro em 62%. Boa parte desse dinheiro foi usada para novo lance do mercado de ações até alturas vertiginosas. Ao mesmo tempo em que enormes quantidades de dinheiro de crédito estavam sendo disponibilizados"

O "corte", escreveu Alan, causou um desespero que produziu uma disposição para aceitar uma grande expansão do controle do governo sobre a economia. 

Ele aconselhou: “A próxima depressão será usada como desculpa para completos socialista-fascistas controlarem em casa a criação de um mundo Superestado internacionalmente” (Nova Ordem)

O congressista Louis McFadden, presidente do Comitê Bancário da Câmara, declarou sobre a Depressão = "Não foi acidental. Foi uma ocorrência cuidadosamente planejada"

Os banqueiros internacionais buscaram trazer uma condição de desespero aqui para que possam emergir como governantes de todos nós. "A Grande Depressão é outro exemplo da fórmula Problema-Reação-Solução”

"Os preços das ações despencando arruinaram os pequenos investidores, mas não os principais “insiders de Wall Street" “ escreveu Perloff. 

Paul Warburg tinha emitido uma dica em março de 1929 de que o acidente estava por vir. Antes que o fizesse, John D. Rockefeller, Bernard Baruch, Joseph P. Kennedy, e outros barões do dinheiro saíram do mercado.

“O abandono precoce do mercado não só preservou as fortunas desses homens, como também lhes permitiu retornar mais tarde e comprar empresas inteiras falidas” disse Perloff

Praticamente todos do clube interior foram poupados do futuro "naufrágio". Não há registro de qualquer membro da direção com bloqueio entre o Federal Reserve e os principais bancos de Nova York, e seus clientes principais terem sido pegos de surpresa.

“Com efeito, os banqueiros internacionais, tendo criado a Grande Depressão, agora emprestam a América o dinheiro para recuperar-se” Ele acrescentou

Naturalmente, os juros sobre esses empréstimos seriam suportados nas costas dos contribuintes para os próximos anos.

"Pensar que o Crash cientificamente de '29 foi um acidente ou o resultado de estupidez, desafia toda a lógica", concluiu Alan.

Muito barulho por nada?
Você ainda acredita que o Brasil está de vento em popa para negócios? Estamos bem na fita perante outros países do mundo? Somos os reis da cocada preta? Vamos comprar apartamentos em Miami e criar cabras no Central Park?

Que “porto maravilha”, copa do mundo e pré-sal é a melhor coisa que podia nos acontecer?

Fica esperto, alguém vai puxar seu tapete em muito breve...

“Muito barulho por nada” é titulo de umas das inúmeras peças marcantes da pseudo autoria do ilustre Shakespeare, um texto escrito por volta de 1598-99, por aí.

Shakespeare tem seus mistérios... Mas eles não estão em seus textos, mas, e precisamente, em sua vida particular.

Dezenas de volumes têm sido escritos por respeitados historiadores, que deduziram através de muita pesquisa que Sir Francis Bacon é o verdadeiro autor das peças e sonetos atribuídos a um senhor de nome William Shakespeare...

Claro, que isso não será pauta de tese de mestrado em Línguas ou Filosofia em nenhuma universidade do mundo. Você faz ideia o que isso poderia causar na cabeça arcaica de quem não tem a menor ideia sobre o que realmente acontece nos bastidores da história da humanidade?


“Como assim?
Não foi Shakespeare que
escreveu Romeu e Julieta???!!!”

Pois é... não foi, não.
Sir Francis Bacon, um Rosacruz de alto escalão, editor da Bíblia "moderna", patrono da democracia "moderna", e um dos fundadores da Maçonaria "moderna", do Direito  "moderno", escreveu e reproduziu sua vasta cultura e ensinamentos secretos da Fraternidade e os verdadeiros rituais da Ordem Maçônica, em textos sublimes, mas que não poderiam ser dedicados a ele à época.

Suas obras em metáforas poéticas atravessariam séculos mantendo sua identidade a salvo dos caçadores de illuminatis e para isso, atribuiu seus pensamentos a um homem humilde e ignorante que não lhe daria trabalho futuramente.

Essa suspeita se fosse anteriormente provada, envolveria aspectos mais profundos da ciência, religião e ética, encontrando também nessa pauta, a chave para a sabedoria perdida da antiguidade – uma realidade que jamais poderia sair de um ambiente altamente controlado à sete chaves por grupo dominante.

Mas foi WF Wigston em seu livro que chamou atenção para o fantasma Shakespeare e a máscara Rosacruz.

William Shakespeare – “Billzinho” para os íntimos - não poderia, sozinho, produzir escritos imortais que carregam seu nome até essa data. 

Ele não possuía cultura literária necessária para a cidade de Stratford onde foi criado. Shakespeare tinha pouca escolaridade. Não teria capacidade intelectual de transmitir as informações da forma que fez e passar a aprendizagem refletida nos escritos atribuídos a ele. 

Seus pais eram analfabetos.
Lembrando que parte da população considerada menos privilegiada nos séculos anteriores ao “Renascimento”, composta normalmente por lavradores, comerciantes e artesãos, não tinham direitos políticos nem acesso ao saber.

Só a classe dominante podia ter
conhecimento sobre nosso passado, isso ainda é poder!!

Esse filme nunca foi publicado - foi suspenso
Mas não estamos falando do conhecimento de “cátedra”, viciado, manipulado e contra-informativo. Esse não. Falo do conhecimento sobre quem realmente somos e o que somos diante dessa apresentação teatral ridícula e falaciosa que vivemos.

"Não pode haver nenhuma dúvida que Ben Jonson - Um íntimo de ambos Bacon e Shakespeare - estava na posse da composição do segredo das obras de Shakespeare." - disse Caldecott.  

Jonson foi por algum tempo o ex-taquígrafo e intérprete Latino, e teve sua estreia como dramaturgo produzido por Shakespeare - ele foi colocado perfeitamente no lugar certo, uma peça fundamental para manter a farsa adiante.

Na verificação da vida de Shakespeare pode ser constatado que mesmo sendo ignorante no aspecto didático, ele ainda tinha total desprezo para qualquer tipo de estudo.

O método de rabiscar seu nome nas assinaturas é uma copia preparada e guiada de sua mão enquanto escrevia. 

Uma biblioteca bem abastecida seria no mínimo uma parte essencial do equipamento de um autor cujas produções literárias demonstrariam estar familiarizado com a literatura de todas as eras, o que não há registro de que Shakespeare possuía uma biblioteca, nem se faz qualquer menção de livros em seu poder.

Não há manuscritos autografados por "Shakespeare" que possam ter acesso ao público, peças ou sonetos. Nem o conhecimento sobre eles. Onde é que William Shakespeare garantiu seu conhecimento do francês moderno, italiano, espanhol e dinamarquês, para não dizer do latim clássico e do grego?

Sua residência em Londres ao longo de um período de 25 anos, período durante o qual supõe-se que tenha escrito 37 dramas, 150 sonetos, e dois ou três poemas menores, além de acumular uma fortuna considerável, nunca foi visto pessoalmente, foi totalmente desconhecido do círculo social literário e político da época.

O que também chama atenção é que nenhum de seus herdeiros foi envolvido na herança após a impressão do First Folio após sua morte. Se ele tivesse sido o seu autor, manuscritos de Shakespeare e peças de teatro inéditas, certamente constituiriam os seus bens mais valorizados mundialmente.

Certos absurdos também na vida privada de Shakespeare são inconciliáveis. Embora supostamente no auge de sua carreira literária, ele estava realmente envolvido na compra de malte, presumivelmente para um negócio de cerveja! Ele era um boêmio, amante da vida boa!

Quem, conhecedor do conceito de saúde como Paracelso poderia ter concebido, Sonho de Uma Noite de Verão? Um pinguço!?

Constance Mary Fearon Pott (1833-1915) observou que muitas das ideias e figuras de linguagem no livro de Bacon também podem ser encontradas nas peças de Shakespeare.

"Todas as coisas que as peças de Shakespeare demandam que um autor deve ser - um homem de vasta ambição e sem limites e conquistas, um filósofo, um poeta, um advogado, um estadista " Caldecott

Não se pode escrever algo que você desconhece. Shakespeare era um analfabeto funcional, seus pais assinavam documentos com um “X”. Seus dois filhos não sabiam ler, mal assinavam seus nomes. Sua filha mais velha não podia reconhecer a assinatura do próprio pai.

A revelação mais notável nesse babado todo foi que Bacon era o filho da rainha Elizabeth que estava “secretamente casada” com Robert Dudley, conde de Leicester, que foi pai de ambos BaconRobert Devereux - 2 º Conde de Essex, impiedosamente executado pela própria mãe/rainha em 1601. 

Bacon foi o verdadeiro herdeiro do trono da Inglaterra, mas foi excluído do seu lugar de direito. Esta trágica história de vida era o segredo escondido nas peças teatrais de grande sucesso a que nos tanto emocionou todos esses anos...

Henry VIII - pode ser interpretada como alusão à queda de Francis Bacon do cargo de Procurador-Geral em 1621, o que coincidiu com o fim de Shakespeare, a saída do autor de cena.  O jogo tinha sido alterado, pelo menos, 5 anos após a morte de Shakespeare, em 1616. 

First Folio foi publicado em um período de (1621-1626), quando Bacon tomou a publicação de suas obras para a posteridade após sua queda do cargo, o que lhe deu muito tempo livre para juntar seus textos e organiza-los para não serem perdidos ao acaso.

O que podemos ver claramente é que esses fatos não podiam ser amplamente divulgados por conta da dificuldade de acesso a livros, textos em várias línguas diferentes, o que ficava sempre restrito a um grupo dominante dessa informação.

Gênesis 11
A Torre de Babel
1. Agora o mundo todo tinha uma linguagem e um discurso comum.
2.Como as pessoas se mudaram para o leste, acharam um vale no Sinar e lá se estabeleceram.
 3. Disseram uns aos outros: "Vem, vamos fazer tijolos e cozê-los completamente." Eles usaram tijolos ao invés de pedra, e betume para argamassa.
4. Então eles disseram: "Vinde, edifiquemos para nós uma cidade, com uma torre que alcança os céus, para que possamos fazer um nome para nós mesmos;. caso contrário, serão espalhados sobre a face de toda a terra "
 5. Mas o Senhor desceu para ver a cidade e a torre que as pessoas foram construindo.
 6. O Senhor disse: "Se como um povo estão falando a mesma língua antes que começaram a fazer isso, então nada que pretendem fazer será impossível para eles .
7. Vinde, desçamos e vamos confundir a língua deles para que eles não mais se entendam um ao outro."
8. Assim o Senhor os espalhou dali sobre toda a terra, e eles pararam de construir a cidade.
9. É por isso que foi chamado Babel, porque ali o Senhor confundiu a linguagem de todo o mundo. De lá, o Senhor os espalhou sobre a face de toda a terra.

Em Muito Barulho por Nada, obra atribuída a autoria de Shakespeare, narra um conflito diário entre pares, pessoas que se amam, mas que não podem ficar juntas ou seguirem felizes seus objetivos por conta de intrigas e mentiras.

Francis Bacon mostra os jogos e as trapaças na sociedade que levam as pessoas a sua própria ruína diante da contra informação social a que estamos sendo levados.

Mas agora nós sabemos e vamos fazer muito barulho, mas não será por "nada" - será para despertar quem ainda está dormindo...

laura botelho

Filme que retrata a historia real por trás dos bastidores.

meus livros

meus livros
Click na imagem para saber mais

meus livros

meus livros

Vulcões ativos