Google

Translate my page Google

22 de mar de 2012

História humana - ciência ou ficção?


Estou de volta!
Parei para ler, pesquisar. Meus dias estão cada vez mais curtos para tanta coisa a rever. Cada dia daqui a frente de nossas vidas será como um reveillon. Teremos que “zerar”, limpar os arquivos, as pastas, e começar a organizar a informação nova que está chegando, e estou zonza com ela...

Zero hora do dia 31 de dezembro, virada para 1º de janeiro de um próximo ano é um programa novo em nosso arquivo pessoal. Tem apenas pouco mais de 500 anos

A virada de um “ano novo” ou Réveillon (réveiller - Frances - significa = despertar, acordar) não é o mesmo para muitas culturas, mas os festejos ganharam uma dimensão além da “lógica” –  tornou se algo programático onde impele a humanidade a se voltar para essa data e hora agendada por todo o Globo terrestre.

No século XVI, o Ano Novo (despertar) era festejado em 25 de Março, data que marcava a chegada da primavera no Hemisfério Norte - A Primavera do hemisfério norte é chamada de "Primavera boreal", e a do hemisfério sul é chamada de "Primavera austral".

As festas dessa “virada” duravam uma semana e terminavam no dia 1º de Abril

A "Primavera boreal" tem início, no Hemisfério Norte, a 21 de Março e termina a 21 de Junho.

A "Primavera austral" tem início, no Hemisfério Sul, a 23 de Setembro e termina a 21 de Dezembro.

Um belo dia, um tal de Papa Gregório XIII instituiu que o 1º de Janeiro seria o primeiro dia do ano, mas alguns franceses resistiram à mudança e quiseram manter a tradição do dia 1º de abril como sendo a data de inicio para um novo ano.

Já viu que muitos soltavam fogos o ano todo, a coisa virou uma zona danada, ninguém se entendia se o ano era “novo” mesmo ou não, mas o importante é beber e comemorar!! Que interessa se o “ano é novo”? Vai ser a mesma droga dos anos anteriores...

Mas os que mantiveram o 1º de abril para fazer a festa foram sacaneados por isso. Institucionaram a partir daí o dia da mentira, ou dia dos “tolos”

Cá entre nós, seja inicio de abril ou de janeiro, todos os dias do ano são dos todos...

Na Babilônia, a festa do novo ano começava na lua nova indicando o equinócio da primavera, ou seja, um dos momentos em que o Sol se aproxima da linha do Equador – período em que os dias e noites têm a mesma duração.

No calendário atual, esse fenômeno ocorre em meados de março - mais precisamente em 19 de março, data que os esotéricos comemoram o inicio do ano-novo – é o dia so astro rei = Sol

História Oculta da Humanidade - Arqueologia Proibida

Anatoly Timofeevich Fomenko nasceu em 1945 em Donetsk, Ucrânia.
É um matemático Russo, topólogo, membro da Academia Russa de Ciências - pai da nova cronologia universal – ele deu uma nova interpretação para a história do mundo. 
.
Anatoly escreveu um livro que foi baseado em suas pesquisas e que hoje faz muito sentido com o que estamos vivenciando agora - e o título por si só já nos aguça a curiosidade.

“História: Ficção ou ciência?”

Casamento do Imperador Otto I
O matemático Anatoly é considerado o “pai da nova cronologia universal”. Ele “passou a limpo” a história da Terra com base em suas pesquisas e afirma que a cronologia do nosso mundo - como “eles” nos mostram - é falha, os dados foram simplesmente reunidos por métodos não-científicos e ninguém nunca se dispôs a contradizê-las, investiga-los...

Por que será...?

Sua teoria afirma que a história do mundo que “conhemos” começa a partir do século 11  (sobre os eventos antigos e “medievais”) e que dificilmente haverá um documento que possa ser confiavelmente datado antes do século 11

Ou seja, Antoly verificou que a história da nossa vida tem um pouco mais de 2mil anos apenas. A maioria dos antigos artefatos arqueológicos consensuais mostra que todos os eventos narrados nos livros escolares giram entre 1.000 e 400 anos atrás.

A alteração do calendário teria sido feita cerca do ano 700 depois do suposto nascimento do cristo, e se fôssemos corrigir as mudanças, o ano de 2.012 viria a ser 1.712.

O Imperador Otto contou com a ajuda do imperador bizantino Constantino VII e o Papa Silvestre II para falsificar as datas de registros antigos, e seus escribas não apenas reescreveram a história, mas fabricaram biografias de muitos indivíduos da história, como Carlos Magno Harun al-Rashid

Ele também argumenta que a maior parte da literatura Mundial, arte antiga, e a História foram criadas durante a Renascença.

Histórias da Roma Antiga, Grécia e Egito foram criadas durante o Renascimento por humanistas e clérigos na sua maioria com base em documentos de sua própria criação.

Que esta cronologia foi amplamente divulgada por Joseph Justus Scaliger no Opus Novum de emendatione temporum (1583) e temporum Thesaurum (1606), e representa uma vasta gama de datas produzidas sem qualquer justificação cientifica. Que esta cronologia foi concluída pelo jesuíta Dionísio Petavius ​​em De Doctrina Temporum , 1627 (v.1) e 1632 (v.2);

Antigo Testamento é uma interpretação de eventos de 14 a 16 séculos antes do cristo na Europa. O Novo Testamento é uma interpretação de eventos de 1.152 - 1.185 depois do cristo.

O protótipo mais provável para a história do personagem Jesus foi um imperador bizantino de nome Andrónico I Comneno (1152-1185), conhecido por suas reformas malucas foi condenado pelo povo. Suas características e ações foram refletidas em 'biografias' de muitas pessoas reais e imaginárias

Contas diferentes dos mesmos acontecimentos históricos são muitas vezes 'atribuídos' a datas e locais diferentes por parte de historiadores e tradutores, criando várias cópias "fantasmas" desses eventos. 

Estas "cópias fantasmas" foram frequentemente introduzidas por séculos ou mesmo milênios na cultura mundial e acabaram sendo incorporadas a cronologia convencional.

Datas Arqueológicas, datas paleográfica, datas numismática, datação por carbono e outros métodos de se encontrar um “tempo” dessas fontes antigas e artefatos conhecidos hoje, são errôneas, não exatas ou dependentes da cronologia tradicional que não é coerente!

Mas 37 horóscopos egípcios encontrados em Dendera, Esna estão precisos, com datas que vão desde do ano 1.000 e até 1.700 AD (ano domini). Ou seja, toda nossa “história” se resume a 2 mil anos.

Foi verificado por exaustivas pesquisas que a História “Oficial” Russa é uma falsificação grosseira inventada por uma série de estudiosos alemães (leia-se arianos) que trouxeram para a Rússia para legitimar a usurpação da dinastia Romanov

Moscou foi fundada tão tarde quanto acreditamos – em meados do século 14 BC. O czar Ivan, “O Terrível”, é um agrupamento de nada menos que 4 governantes, representando duas dinastias rivais: os governantes legítimos Godunov e os ambiciosos Romanov

Rússia e Turquia faziam parte do mesmo império. Este antigo estado russo foi governado por uma estrutura dupla de autoridades civis e militares e as hordas eram realmente exércitos profissionais com uma tradição de recrutamento ao longo da vida – um recrutamento chamado "imposto de sangue"

E para finalizar: O Apocalipse foi escrito depois de 1486 é um produto recente – um script para que o cérebro visualize e crie.

Eu já escrevi aqui muitas vezes que o cérebro é apenas um computador biológico que interage com uma entidade consciente – dê o nome que melhor lhe agradar – deus, alma, mente, espírito, energia, ego etc

O cérebro não é mais “consciente” do que sua calculadora de bolso ou PC, desktop. Ele é apenas um aparelho para a descodificação das informações que nos chegam, que analisa, explora e aprende com o universo tri-dimensional em que vivemos.

Portanto, aprender a usar essa máquina é fundamental, pois se você não souber, alguém o fará por você – sempre.

O cérebro é composto de circuitos, de uma série de complexas teias (WEB) (redes neurais) que estão sendo continuamente modificadas por nosso ambiente devido a carga de informação e experiências que nós vivenciamos diariamente. 

Nossa consciência é a interface com o cérebro para a transmissão das necessidades da "alma". 

A alma (consciência/informação) como fóton receptor/plasma eletromagnético, permite através do campo eletromagnético do corpo fazer comunicação com nosso sistema nervoso central - medula espinhal – uma interação que explica por que a alma se separa do corpo no momento da morte

Uma imagem análoga é a de uma TV que é destruída ao cair no chão. O aparelho já era, mas a transmissão dos dados pode ser captada em outro aparelho!!

Sacsayhuaman -Peru
O que nos diferencia em termos de “recepção” de informação da alma não é tão somente a qualidade tecnológica do “aparelho” de ultima geração, mas, e antes de tudo, o “programa” que essa “alma” está sintonizando!!

Se “essa alma” só gosta de sintonizar um determinado programa onde não lhe agrega informação que necessita para crescimento particular de seu “mundo”, essa alma estará sempre à mercê de uma informação viciada ou deturpada do seu mundo.

Saber sintonizar a informação no momento certo é seguir a intuição. E intuição nada mais é que INTERCONEXÔES de informações. Ela segue aquilo que você foca. Se sua intuição te levar a crer que Laura só diz besteira, procure outro canal!!! Pesquise! Mas não se limite a julgamentos sem fundamenta-los!!

A Torre de Babel – Genesis 11

1. Agora o mundo todo tinha uma linguagem e um discurso comum
2. Como as pessoas se mudaram para o leste, acharam um vale na Sinar (Babilonia) e lá se estabeleceram.
3. Disseram uns aos outros: "Vem, vamos fazer tijolos e cozê-los completamente." Eles usaram tijolos ao invés de pedra, e betume para argamassa. (daqui nasceram os maçons?)
4. Então eles disseram: "Vinde, edifiquemos para nós uma cidade, com uma torre que alcançará os céus, para que possamos fazer um nome para nós mesmos;. caso contrário, serão espalhados sobre a face de toda a terra "
 5. Mas o Senhor desceu para ver a cidade e a torre que as pessoas foram construindo. 
6. O Senhor disse: "Se como um povo falam a mesma língua desde quando começaram a fazer isso, então nada que pretendam fazer será impossível para eles .
7. Vinde, desçamos e confundamos a língua deles para que eles não se entendam um ao outro.
 8. Assim, o Senhor os espalhou dali sobre toda a terra, e eles pararam de construir a cidade.
9. É por isso que foi chamado Babel, porque ali o Senhor confundiu a linguagem de todo o mundo. De lá, o Senhor os espalhou sobre a face de toda a terra...

Kachina azul, Plasmas etc

Por mais de 30 anos Anthony Peratt, uma autoridade líder em fenômenos de plasma, concentrou suas pesquisas em laboratório sobre as formações instáveis ​​que se desenvolvem com alta energia de descarga elétrica registrando em imagens a evolução dessas configurações através de dezenas de fases

Diante dessas pesquisas David Talbolt chamou a atenção para a semelhança das imagens de descargas de plasma com as imagens de arte rupestres ao redor do mundo – o que comprova que enormes e aterrorizantes choques de plasma no ceús foram vistos por nossos antepassados e eles reproduziram o que viram nas paredes e pedras.

"Instabilidades Peratt" é o nome dado a essas descargas, a partir da pesquisa do autor, a ser o primeiro a documentá-las.

Não foi difícil daí em diante observar que o fenomeno “Peratt” estava em todos lugares esculpida em pedras por milhares de pessoas - as próprias formas que ele tinha observado em laboratório. 

A correlação foi tão precisa que chocou os cientistas.
Um fato que não poderia ser mera ”coincidencia” registrada com exatidão em 25.000 imagens de arte rupestre!

Ele diz em nota academica: “Os padrões petroglyphados recorrentes são reproduções de fenômenos de plasma no espaço".

O que nos leva a crer que o que nos foi deixado é um dramático esforço dos antigos para nos relatar o que se passava na época.

Portanto, imagens do sol, a lua e as estrelas refletem reais fenômenos celestes que são precisos e coadunam com investigações que só agora despertamos em pleno século XXl.

Peratt afirma que os artistas registraram fenômenos de descarga imensas vindas dos céus e se as conclusões de Peratt estão corretas, então, alguns anos atrás, o céu do nosso planeta esteve em chamas com tal atividade elétrica o que coaduna com relatos orais dos xamãs antigos.

As coisas vão mudar...

O que quero ressaltar aqui é que devemos questionar nosso passado. Está havendo uma cascata sucessiva de novas revelações. Não sabemos mais em que acreditar... estamos como cegos em tiroteio.

Mas uma coisa é muito clara para mim. O que está se passando já aconteceu antes – e não faz tanto tempo assim. E se algo catrastófico ocorreu recentemente, isso não afetou toda a vida  na Terra como “eles” querem que acreditemos.

Muita gente ficou presa no mesmo programa, pois não teve tempo de “acordar” e foram essas mentes presas aqui que retornam e retornam para descobrir uma saída.

A saída existe, mas vai depender única e excluisvamente de você – ninguém mais. Temos que fazer um exercício diario de pesquisa para despertar nossa mémoria aprisionada.

Lembrar quem somos nós e o que estamos fazendo aqui será o retorno ao divino, um retorno ao lar, depois de uma longa viagem no tempo...

laura botelho




meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos