Google

Translate my page Google

2 de dez de 2010

Nibiru e os adoradores do Sol



Dezembro chegou, e com ele toda a gama de símbolos que ele representa para a humanidade. Ultimo mês do calendário gregoriano, nascimento de Jesus para os cristãos, mês de pagamento do 13o para os materialistas, férias escolares para as crianças... Festas e mais festas e muito daqueles cartões com belas passagens, imagens e frases como “que a paz, a saúde, alegria e amor estejam com vc...blá, blá, blá”

Dezembro deveria ser comemorado o mês do cara de pau

O povo xinga no transito, grita com os filhos e a patroa, agride os funcionários (professores, guardas de transito, médicos, enfermeiros, atendentes etc, etc), trai, atropela, mata, bate, injuria, critica, acusa, calunia, mente, forja, debocha e.... no mês de dezembro ele é canonizado, vira SANTO. Parece que a paz de cristo (literalmente) reina em seus insensíveis corações...

Mithra – é um deus solar. Seu nascimento é celebrado em 25 de dezembro. Esse Deus representava o bem e a libertação da matéria.

O culto de Mitra chegou à Europa onde se manteve até o século III. Em Roma, foi culto de alguns imperadores, denominado Protetor do Império.
 
Como todo “mito”, é nomeado de acordo com a língua nativa. Mithras (Mesopotâmia) e Horus (Egito) David e Phaeton (Israel e grego). Em todas as histórias, seja lá de que cultura fosse, continha uma advertência: de que o mestre seria morto pelo seu próprio povo.

Conhecido como Mitra para os índios, Mithra à Iranianos e zoroastristas - e Mithras aos romanos, este deus é a mais antiga de todas as divindades conhecidas

Seu culto durou mais de 3.500 anos e continua até hoje. Paralelo a ele deve-se uns 500 anos de competição com o cristianismo pelo domínio de Roma e toda a civilização ocidental. 

Seus crentes chamavam um ao outro de "irmão" e eram liderados por um "pai". Os sacerdotes Mithrianicos eram governados por um "pai dos pais" que viviam em Roma. Este "pai dos pais", como o papa, era eleito por um conselho de sacerdotes.

No Mithraismo tinha-se um ritual de incluir o vinho como um símbolo do sangue sacrifical e pequenos pães marcados com uma cruz para simbolizar a carne.

No Tibete, o Dalai Lama também era conhecido por celebrar a Eucaristia com pão (carne) e vinho (sangue). A eucaristia foi também encontrada entre os nativos mexicanos, muito antes dos cristãos chegarem à América.

Para efeito de curiosidade: a palavra Eucaristia - grego - "reconhecimento" Também é denominada "ceia do Senhor", “refeição noturna do Senhor” – Os deuses sempre faziam uma boquinha antes de deitar.

Roma tinha conquistado o mundo, mas não encontraram nenhuma solução para a ganância desequilibrada que deu origem a desordem das invasões. Nos tempos antigos, os seguidores de Mithras eram os persas, indianos e romanos, então para fazer diferença desse poder o Imperador Constantino inventou o personagem Jesus.


Quando os seguidores de cristo conquistaram ascendência no império romano, eles fizeram da igreja de Mithras a sua. Destruíram todas as liturgias de outros deuses, roubaram ou queimaram seus textos, livros e perseguiram seus seguidores.

Construíram as suas próprias igrejas sobre as ruínas dos templos Mithra. Mataram certa vez um sacerdote e deixaram o corpo sobre o altar. Procuraram por todos os meios para limpar a memória do deus Mitra da face da terra.

Os monges cristãos queimaram seus livros, mas muitos foram guardados a sete chaves e só pouquíssimos sacerdotes tinham acesso a esses textos antigos, pois narravam toda a história do mundo e como deveríamos proceder no próximo retorno de Mithra.

E pregá-lo em uma cruz seria a melhor forma para lembrar aos seguidores de sua chegada. Em termos Mithrasiano, isso significa fixar o significado nas estrelas.

Cada etapa faz nascer uma próxima
fase de desenvolvimento da consciência
em uma seqüência perfeita

A seqüência simbólica é:

1. Câncer - eu acho
2. Gêmeos - eu acredito
3. Touro - eu sinto
4. Áries - eu tenho 
5. Peixes - eu sou
6. Aquário - eu creio
7. Capricórnio - eu uso
8. Sagitário - eu vejo
9. Escorpião - eu desejo
10. Libra - eu balanço
11. Virgem - eu analiso
12. Leão - eu vou



Uma Nova Ordem Mundial exigia um salto de fé maior do que qualquer outro antes na história da civilização.

Eles sabiam que tudo iria acontecer outra vez. É um ciclo, não vê?
Ele viria de novo. A sociedade iria ruir. Os conceitos e paradigmas, cultos, deveres e obrigações se dissipariam, escravos seriam soltos, reis perderiam seu reinado, não haveriam chefes, controle, muros, e um seguidor, tal qual na última vez que ele passou - há 3.600 anos atrás !

A bíblia deveria ser o verdadeiro e único Livro da Vida. E um grupo seleto de pessoas adotou esse Livro como livro de sua história, mas uma história errada ou pelo menos mal contada e contraditória.

Isso explica porque é mais fácil conseguir “passar um camelo pelo buraco da agulha que um rico no Reino dos Céus – Homens ricos não são humildes, não dividem, não unem e não abandonam seus bens materiais. Para alcançar a verdadeira intuição (céu) é necessário o desapego.

Anti-cristo é todo aquele que estiver convencido de que seu caminho está certo e todos os outros errados. O anti cristo é contra a coerente informação (contra a nova consciência). Não relaxa a guarda, não abre mão de seus dogmas e de seus objetivos individuais.

Descrições históricas sobre a prorrogação do dia ou da noite, em conexão com grandes cataclismos estão presentes nos papiros do Egito ("O Kolbrin"), México ("Anais da Cuautitlán" e "Popol Vuh") e China ("Livro 5 de Mozi"). O prazo para esses eventos, em todos eles, foi de cerca de 1.500 antes de Cristo

Kolbrin é chamado de Bíblia paralela. Tal como acontece com o Livro de Enoque (Manuscritos do Mar Morto) Kolbrin foi protegido pelos Culdians, salvo antes da queima do Mosteiro Glastonbury, na Escócia.

Tanto o Livro de Enoque e Kolbrin inclui mais detalhes
sobre o passado e o futuro e a inversão dos pólos.

Kolbrin sobre o Dilúvio cita que uma poeira vermelha seria vista no céu. E a Noé é dado um aviso.

“... A hora do julgamento se aproxima... Abandone sua residência e possessões, a hora do juízo final está próximo, nem ouro nem tesouro pode comprar um indulto.”

USA - 2010
Reinava o caos, o mesmo tipo de caos e medo que todos os governos do mundo encontrarão em seu futuro próximo. 

“Os guardas deixaram seus postos, e empregados domésticos roubaram de seus mestres e se arrastou para longe da interminável noite aparentemente. Os governantes se preocupavam e discutiam entre si como poderiam aplacar os deuses. A elite militar, utilizado para controle total  não toleraria desafios às suas ordens, reagir ao caos, tentando restabelecer a ordem histérica, incapazes de compreender o que estaria acontecendo com eles, não estavam dispostos a aplacar seus superiores e, portanto, os militares estavam envolvidos com batalhas internas por algum tempo. Não foi até que a rotação da Terra foi re-estabelecida que os governantes egípcios e os seus líderes militares conseguiram recuperar o controle das tropas. Por esse tempo, bem como a história conta, o êxodo judeu foi um sucesso!”

 O Êxodo ocorreu no final do Império Médio, na verdade, dentro de seus últimos dias, a travessia do Jordão e a chegada em Jericó.
As pragas que aleijaram o Egito foram imediatamente antes de Moisés conduzir o povo judeu do Egito (Êxodo) - manifestações de um cataclismo. 

Inscrições no Egípcio quase desaparecem depois de 1750 aCristo e não voltam a seu fluxo normal até aproximadamente 1.580 a.C.

Os eventos nos anos de 1600 a.C  são quase inexistente até depois de 1400 aC. Registros assírios somem de 1.780 e (com exceção de um curto circuito de inscrições poucos 1570-1520.) não aparecendo novamente até depois de 1.450 aC

Não há praticamente nenhuma inscrição contemporânea do Império Antigo. Em suma, o certo é que houve uma interrupção catastrófica do fluxo normal da história antiga. 

Emmanuel Velikovsky reivindicada em seu livro - Na Idade no caos – que; as histórias do Antigo Egito e Israel antigo estão 500 anos fora do tempo. Há um buraco de informação. O que aconteceu nesse ínterim?

Uma vez que estas provas são eliminadas, novas perspectivas são lançadas, não só sobre a realidade da Idade das Trevas, mas também sobre a Guerra de Tróia, da fundação de Roma, a origem do alfabeto grego e a Idade de Ouro de Salomão.

Um fato nos chama atenção, o tempo foi modificado, foi alterado de forma a nos manter fora de sincronia com o tempo.

próximo movimento 7 

A chegada do Nibiru à parte interna do nosso sistema solar em Março de 2003 foi apanhada por sismógrafos em todo o mundo. Em 19 de abril de 2009, SOHO novamente filma um objeto com a característica "asa" do padrão de Nibiru, à direita do sol. Nesse momento nenhum dos outros planetas do nosso Sistema Solar estavam naquele setor do céu.

O símbolo do globo alado é encontrado em todas as culturas do antigo Oriente a partir dos Sumérios para os egípcios. Acadêmicos modernos incorretamente interpretam o símbolo como o sol

Enquanto a Terra e os outros planetas do nosso Sistema Solar giram em torno de seu horário próprio eixo e se movem em sua órbita em sentido anti-horário solar, Nibiru gira no sentido horário.

Esta é a razão pela qual Nibiru no hemisfério norte
será visto à direita do Sol,
e no hemisfério sul será visto à esquerda do sol.

O último deslocamento dos pólos ocorreu durante a época de Moisés, cerca de 3.600 anos atrás, e o tempo das pragas e a mudança em si foram registradas no Livro do Êxodo pelos egípcios que narram fatos que podemos facilmente verificar diariamente.

Nibiru significa = "o planeta de passagem".
             
Nibiru tem a sua maior velocidade quando cruza a meio eclíptica entre o Sol e a órbita da Terra e os efeitos podem ser sentidos no meio geocientífico, movimento da placa-tectônicas, meteorológico, biológico e eletromagnético

Relatos antigos identificam fortes tempestades de granizo, um dos problemas que afligiram os egípcios durante o tempo que levou ao êxodo judaico. Levaram muita pedra na cabeça!

O campo de força magnética do planeta causou uma mudança geomagnética, ou seja, os dois pólos magnéticos da Terra mudam o núcleo fluindo suas posições. 

Velikovsky acredita que o deslocamento da crosta da Terra está relacionado com uma paragem de alguns dias de rotação diurna da Terra. Esta mudança geomagnética tem, devido ao atrito, provocado o deslocamento da crosta, o que significa que a crosta da Terra como uma casca de laranja se move em relação ao núcleo da Terra.

O chão está se mexendo e com ele estamos nós

Cientistas reuniram evidências de que uma dramática formação de montanhas (orogênese) aconteceu por volta de 9.500 aC, em todo o mundo. O Himalaia, os Alpes e os Andes estavam abaixo dos oceanos há 10 mil anos atrás elevando-se atualmente a 1- 4 km

Louis Agassiz (1807-1873), fundador da teoria da idade do gelo, concluiu que as geleiras anteriores tinham coberto a Índia, África equatorial (Madagascar) e equatorial do Brasil

A explicação que os geólogos dão para a idade do gelo que chamam  Pleistoceno, surge no deslocamento da crosta terrestre a placa tectônica da região polar -  tudo é - ou parcialmente - movido para fora da região de uma zona temperada ou tropical

O manto sendo movido todo ou em parte, na região polar, de repente dá inicio a "idade do gelo”. Do mesmo jeito ocorre o degelo súbito de partes congeladas anteriormente – como no Himalaia – Alpes - causando as inundações nas cidades abaixo do pé da montanha ou submergindo ilhas e países, cidades costeiras quando há derretimento do Glaciar.

Nem mamutes nem bisontes teriam sobrevivido na Sibéria hoje, com um frio cortante do inverno que dura nove meses, com uma temperatura média de -18°C, o que facilmente pode cair ainda mais até -40°C. Depois de alguns dias eles teriam morrido de frio e falta de comida e água. 

No estômago de muitos foi encontrado plantas pertencentes a uma zona de clima moderado. Grande parte da Europa, da Rússia e da Sibéria provavelmente foi um ambiente muito fértil, onde mamutes e bisões pastavam em estepes e prados.
 
A extinção do mamute lanoso foi parte do Pleistoceno. Uma extinção global em massa / Holoceno da megafauna, coincide com o fim do último período glacial assumido 9.700 aC . A explicação mais natural de uma extinção em massa global de flora e fauna é um cataclismo global

Em uma caverna em Yorkshire, norte da Inglaterra, ossos de espécies tropicais, como hipopótamos, rinocerontes, hienas e tigres foram encontrados. Ossos de hipopótamos são encontrados por toda a Inglaterra. 

A Terra regularmente alternar entre as idades de gelo globais e idades tropicais. Há sempre mudanças por aqui e temos que aprender com elas.

Alguns destes efeitos estão sendo mantidos em segredo para a população mundial, ou dada uma explicação sem sentido para não provocar pânico. Um fato que levanta muita polemica.

Percebam que alguns destes efeitos são apresentados na mídia como acontecimentos isolados e cabe a cada um de nós ajudar na compreensão desses acontecimentos de forma séria e serena, levando ao ouvinte uma alternativa SEMPRE – a de mover-se para o conhecimento da espiritualidade, da nossa divindade e imortalidade.

laura botelho

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos