Google

Translate my page Google

25 de mar de 2013

Cometas - rotinas de medo



Entender realmente como as coisas ocorrem e se modificam com o passar dos tempos, da era humana, é uma tarefa lenta, de puro investimento de tempo na pesquisa dos fatos, unindo um elo a outro, desfazendo nós até achar uma ponta para organizar o pensamento.


São tantas as disciplinas para estudar e muitas vezes, reler novamente, de novo, de novo, até que faça algum sentido para visualizar a imagem total a partir de pequenas partes. Um quebra cabeças gigantesco, tão grande que sozinho é impossível organizar.

Tais disciplinas e temas precisam ser lidas impreterivelmente, como a arqueologia, psicologia, linguística, biologia, astrofísica, geomagnetismo, religião, mitologia, astronomia, evolução, paleontologia, várias teses e métodos científicos, além dos estudos bíblicos e outros textos religiosos antigos, são indispensáveis.

E é com esse material que permeio minha linha de estudos, além das muitas dicas de amigos nas redes sociais. Sem esse “trabalho em grupo” não saberia nem por onde começar. Não se pode descartar nada, mas devemos sim ter um foco, um caminho a percorrer e analisar.

Tem dias que realmente não sei mais o que escrever, daí, fico no aguardo de uma pista do ambiente. E foi o que aconteceu essa semana. Me deparei com uma noticia sobre um evento que irá ocorrer 10 dias após a minha palestra em Serra Negra/SP que vai sacudir a Terra.

Um evento com implicações históricas para a humanidade.

Será realizado no Clube Nacional de Imprensa em Washington, DC entre 29 de abril a 3 de maio de 2013. Um grupo de 40 pesquisadores e militares, testemunhas que vão depor por 30 horas ao longo de 5 dias. 

Audiência para cidadãos sobre divulgação de uma presença extraterrestre envolvendo a raça humana, assunto adiado por 45 anos, enfim ganha força e legitimidade para sacudir e puxar o tapete daquele que se deitou e de lá não quer sair!

Tem muita gente que não compreende muito bem o que isso significa e duvida se realmente esse fato pode ser marcado nos anais da história do Homo Sapiens (homem moderno, mas tolo).

Já estou até vendo a cara dos “trouxas” que torcem o nariz pra tudo, questionar mais isso. Vai ter gente dizendo: “Laura, não vejo o que a descoberta sobre Aliens poderá mudar alguma coisa na nossa vida, a não ser na troca de tecnologia avançada”

Esse é o típico argumento de quem não sabe nada de absolutamente nada. O que é pior, acha que sabe. Mediante a esse evento nos Estados Unidos em breve, e a importância dele nas nossas vidas, resolvi montar um resumo do resumo, do resumo de alguns dos meus textos para explicar melhor aos que estão chegando agora [despertaram nesse ano] e dos que acreditam que sabem realmente alguma coisa. Para os que não acreditam em nada... deixe os dormir tranquilos no tapete.

Vou resumir da seguinte forma – em tópicos e com links de algumas matérias relacionadas. Então vamos lá. O tempo tá curto para tanta informação.

·         Evolução é um processo sistêmico – cíclico
Durante as duas últimas décadas, os pesquisadores encontraram evidências de mudanças climáticas abruptas aliados a colapso de civilização, bem como mudanças repentinas do nível do mar, inundações catastróficas, a atividade sísmica generalizada de características glaciais em torno de 2200 ± 200 aC.

E não muito tempo atrás um cluster significativo de cataclismos naturais provocados por influências não terrestres ocorreu entre 600 - 500 aC e alterou o mundo físico. 

Estes eventos causaram a transição do Bronze à Idade do Ferro levando a uma quase universal revolução cultural  em todas as dimensões da existência humana e em um grande número de elementos culturais sofreram mudanças rápidas dentro do mesmo curto período de tempo.

Diante das evidencias de eventos naturais num âmbito global, que não só encerrou uma era histórica, mas que levou também às especificidades culturais e habilidades distintas para a nossa era moderna - Somos o resultado de experiências humanas deste período anterior de turbulência – e em algum lugar no futuro da Terra, se esconde um cataclismo de fogo que será disparado pelo impacto com um grande corpo cósmico. 

Mudanças climáticas no planeta anteriormente devem ter ocorrido repentinamente e não em longo prazo, como querem que a gente acredite. Desastres naturais consistentemente desempenham um papel vital nas tradições antigas como história com índices de distúrbios em uma condição idealizada de equilíbrio dinâmico. 

Nesta mudança catastrófica do clima rápido todos os mamutes da Sibéria morreram. Em 1799 corpos congelados de mamutes foram encontrados na tundra. Os cadáveres estavam bem preservados, e os cães que puxavam trenós comeram a carne dos mamutes que parecia fresca como saída da geladeira.

Se processos geológicos tivessem sido lentos, os mamutes não teriam sido pegos de surpresa com frio extremo nas colinas isoladas levando-os a fome, pois em seus estômagos e entre os seus dentes havia grama ainda não digerida.

As espécies de folhas e galhos encontrados em seus estômagos agora não crescem mais nas regiões onde os animais morreram, mas floresceram agora ao sul, mais de mil quilômetros de distância. O homem se mudou para o sul quando a Europa estava coberta de gelo e retornou quando o gelo recuou. Historicamente o homem testemunhou grande variação climática. 

·         Homens e dinossauros juntos
e mais recentemente os mamutes extintos, conviveram juntos no passado não muito remoto. O mamute viveu na idade do homem retratado nas paredes das cavernas; restos de homens têm sido repetidamente encontrados na Europa Central, juntamente com restos de mamutes e pegadas humanas com as de dinossauros.

·         Ultimo período glacial
De acordo com o acadêmico suíço François Forel, 12 mil anos se passaram desde que a folha de gelo do último período glacial começou a derreter, o que vai contra a informação recebida de que o gelo terminou 30 – 50 mil anos atrás. Portanto, o tempo decorrido desde o fim do último período glacial deve ter sido ainda menor do que nos contado.

derinkuyu
Há um período narrado por Censorinus - um escritor romano do século 3 dC, autor de uma obra perdida onde conteúdos desses textos são de natureza variada: a história natural do homem, a influência das estrelas e dos gênios, música, ritos religiosos, astronomia, as doutrinas dos filósofos gregos etc. E ele falava sobre “o supremo ano”  - que no final do qual o sol, a lua e todos os planetas retornariam à sua original posição...

Este “ano supremo” tem um grande inverno, chamado pelos gregos kata-klysmos, o que significa dilúvio, e um grande verão, chamado de ekpyrosis, ou de combustão do mundo. O planeta, na verdade, parece ser inundado e queimado alternadamente em cada uma dessas épocas.

Devido à periodicidade das convulsões terrenas, o lapso de tempo entre duas catástrofes é considerado como um "grande ano". 

·         Colisão de mundos
Numa visão não muito simplista, uma catástrofe encerra uma visão de “mundo” após sua destruição. Essa, colidi com outro “mundo”, que rui em átomos dos quais, em um longo processo, uma “nova terra” será criada em algum lugar do universo.

Novos aprendizados, novas maneiras de ver a vida, o existir. Novos conceitos, paradigmas e até uma nova (com botox e cirurgicamente retocados os velhos deuses reaparecem) religião.

·         A Idade do Sol
Uma ocorrência tão repetida nas tradições da Idade do planeta é o advento de um novo sol no céu no início de cada idade. 

Substitua a palavra "sol" pela palavra "idade" “era” nos textos antigos de muitos povos em todo o mundo e terá a real idade da Terra. Os Maias contaram suas idades pelos nomes de seus sóis consecutivos. Estes sóis marcam as épocas em que são atribuídas inúmeras catástrofes que o planeta sofreu.

·         Mundo vermelho
A queda de poeira de meteorito é um fenômeno geralmente conhecido que ocorrer principalmente após a sua passagem; este pó é encontrado na neve das montanhas e em regiões altas.

Original de "Mundos em Colisão" foi o livro encontrado aberto
na mesa de Albert Einstein, no momento de sua morte.
Narra a lenda que um cometa estava a caminho de seu periélio e tocou a terra pela primeira vez com sua cauda gasosa envolvida em nuvem de pó de óxido de ferro de cor vermelha. No mar, lago, rio este pigmento deu um colorido sangrento a água. Devido a estas partículas ferruginosas ou outros pigmentos solúveis, o mundo ficou vermelho.

"O rio é sangue” = (Êxodo 7: 20): Pela presença do pigmento nos rios causou a morte de peixes seguido de decomposição e cheiro. 
"E o rio cheirou mal" (Êxodo 7:21). 
“E todos os egípcios cavara a mão ao redor do rio, para beberem água, pois eles não podiam beber da água do rio" (Êxodo 7:24). 

·         A chuva de pedras
Seguindo a poeira vermelha, um "pó pequeno", como "cinzas do forno," caiu "em toda a terra do Egito" (Êxodo 09:08), e em seguida, uma chuva de meteoritos voou em direção à terra. 

Uma torrente de pedras grandes que vêm do céu, um terremoto, um turbilhão, uma perturbação no movimento de terra; esses quatro fenômenos estão sempre presentes nos contos antigos em 4 cantos do planeta.

Um grande corpo celeste deve ter passado muito perto de nosso planeta e interrompeu o seu movimento natural e uma parte das pedras dispersas no pescoço e cauda de um cometa feriu a superfície da terra em um golpe devastador. Nosso planeta entrou mais fundo na cauda do cometa.

·         Fogo no ar






As caudas de cometas são compostas principalmente de carbono e gases de hidrogênio. Sem oxigênio, eles não queimam no vôo, mas os gases inflamáveis, passando por uma atmosfera que contenha oxigênio, serão incendiados. 

Se carbono e hidrogênio, gases ou vapores de uma composição desses dois elementos, entrarem na atmosfera em grandes massas, uma parte deles vai queimar, ligando todo o oxigênio disponível no momento.

Na década de 1950, um cientista alemão chamado Ludwig Biermann postulou que não importa se um cometa é dirigido para perto ou longe do Sol, sua cauda sempre apontará para longe do sol. Isso acontece porque o Sol emite um fluxo contínuo de partículas que empurram a cauda do cometa para longe...

·         A escuridão na terra
No passado, furacões terríveis varreram a terra por causa da mudança ou reversão da velocidade angular de rotação da Terra, e por causa dos gases de varredura, poeira e cinzas de um cometa. O ​​vento era extremamente forte e soprou durante 7 dias durante sua passagem.

A Nona Praga do Egito: 03 Dias de Escuridão

[Êxido 9:21]
Então disse o Senhor a Moisés: Estende a mão para o céu, para que haja trevas sobre a terra do Egito, trevas que se possam apalpar.
22 - Estendeu, pois, Moisés a mão para o céu, e houve trevas espessas em toda a terra do Egito por três dias.
23 - Não se viram uns aos outros, e ninguém se levantou do seu lugar por três dias; mas para todos os filhos de Israel havia luz nas suas habitações.
"E houve trevas em toda a terra do Egito por 3 dias, eles não viram um ao outro, e ninguém se levantou do seu lugar por três dias”

Durante a catástrofe acompanhada por furacão e terremoto, apenas as pessoas que viviam em pequenas cabanas ficaram ilesos; maiores edifícios foram arrastados e destruídos. Quem achou que a construção de sua casa seria forte para aguentar o terremoto, perdeu a vida embaixo dos escombros. As casas simples não fizeram entulho.

Documentos dos Maias descrevem uma catástrofe cósmica onde o oceano avançou sobre o continente e um furacão terrível varreu a terra. Vulcões explodindo, marés varrendo sobre montanhas e ventos impetuosos mudaram a face da Terra. Mudou montanhas, curso dos rios, a formação de lagos, praias e ilhas. Uma nova terra foi criada gerando assim um novo mundo – o nosso.

·         Parte da evolução
Esperamos, portanto, fluxos maciços de desintegração partículas contendo uma alta proporção de quilômetros de sub-meteoróides próximos a órbita terrestre que proporcionarão um bombardeio cíclico seguido de um resfriamento global da Terra. 

Cometas e colisões com asteroides com a Terra agora são vistos como cruciais para a origem e evolução da vida, e o que pode ser observado é que o fenômeno é cíclico e a evolução e destruição de civilizações devem ser estudadas, analisada e passada adiante com mais seriedade.

·         Nunca foi tão quente quanto há mais de 11.000 anos atrás.
Apenas um século é um período muito curto para esse aumento. Nada que conhecemos justifica esse aumento de calor no planeta. Um pico de calor como este não tinha acontecido antes, pelo menos não nos últimos 11.300 anos, disse Shaun Marcott climatologista, que trabalhou em um novo estudo sobre as temperaturas globais de antiguidade.

"Se você tivesse de fazer uma previsão com base em nossa localização, a posição do Sol e da nossa inclinação, você poderia ver que nós ainda estaríamos mais frios, mas não estamos", disse Marcott.

C/2012 S1 (ISON)
é um cometa descoberto em 21 de Setembro 2012 por Vitali Nevski e Novichonok Artyom.


Uma bola de gelo e rocha com 3 quilômetros de extensão que poderá ser um dos mais brilhantes da história. Sua órbita é quase parabólica, o que sugere que ele pode ser um cometa dinamicamente novo vinda recentemente da nuvem de Oort.

O cometa está agora passando por Saturno, ganhando velocidade e se tornará mais brilhante a cada dia.

S1 cometa C/2012 virá a periélio (abordagem mais próxima do Sol) em 28 de Novembro de 2013.  A Terra é esperada passar através da órbita do cometa em 14-15 janeiro de 2014, o que pode resultar na criação de uma chuva de meteoros.

Na maior aproximação, o cometa de 3 km de comprimento passará cerca de 0,72 UA (10.800 mil km; 6.700.000 mi) de Marte em 01 outubro de 2013, e vai passar cerca de 0,42 UA (63.000 mil km; 39.000.000 milhas) da Terra em 26 de Dezembro de 2013. 

Durante agosto de 2013, ele deve se tornar brilhante o suficiente para ser visível através de pequenos telescópios ou binóculos, tornando-se visível a olho nu no final de outubro ou início de novembro e permanecendo assim até meados de janeiro de 2014.

Na época em que o cometa atingir o seu periélio em 28 de novembro 2013, pode tornar-se extremamente brilhante, mais brilhante do que a Lua cheia, podendo atingir magnitude [-17]. Em dezembro, supondo que permaneça intacto, será visível de ambos os hemisférios da Terra, possivelmente com uma longa cauda.

A escala de grau de luminosidade é feita para trás, para as expectativas humanas quanto maior o numero negativo, maior seu brilho. O sol tem um número 26 negativo [-26], a Lua um 13 negativo [-13]. Jupiter e Marte [-3]. O mais brilhante cometa desde 1935 foi Comet Ikeya-Seki em 1965 com magnitude [-10]

·         O Mundo da Iluminação
Os índios Hopi são os Guardiões dos registros históricos dos nativos americanos. Os Hopis chamam essa fase de "A Quarta Idade do Homem". De acordo com os Hopis que estamos prestes a entrar "A Quinta Idade", que eles chamam de "O Mundo da Iluminação".

A mensagem levada pela descoberta da ameaça do impacto de um cometa ou asteroide significa que não podemos mais acreditar que a civilização vai durar para sempre e no rumo que desejam... e uma vez que tomemos consciência disso, o que vamos fazer a seguir?

Estamos prestes à beira de uma nova extinção?
Por que nos enganam com informações falsas, datas e tempo diferente?
O que a nossa espécie vai fazer com esse conhecimento? 
E o que implica essa consciência (conhecimento) sobre nosso lugar no espaço?

Tudo isso é um processo sistêmico de evolução e é sobre isso que falarei lá em Serra Negra no dia 20 de abril de 2013.

Ah! e o que tudo isso tem a ver com a revelação sobre os Aliens 10 dias depois da minha apresentação?

Vou deixar essa para a próxima postagem.

Laura botelho


Fim do embargo a verdade sobre Ufos e aliens

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos