Google

Translate my page Google

15 de mai de 2018

O zodíaco é um criptograma para alertar as civilizações futuras



Precisamos olhar para o passado a fim de compreender o futuro, estamos lidando com um fenômeno cíclico.

Amostras de gelo colhidas na Antártida e na Groelândia, onde foram feitos testes de berílio 10, que é um indicador da intensidade dos raios cósmicos que atingem a superfície da Terra, aponta como a intensidade desses raios variou durante os últimos cem mil anos, indo para trás é possível ver esses picos.


Pode-se afirmar que houve um grande evento no final da era glacial entre 11.000 e 16.000 anos atrás - e estamos com o prazo vencido para o início de um novo evento.

Uma superonda consiste de elétrons, raios gama, raios x, luz, ondas de rádio dos raios cósmicos - em todo espectro - junto com uma onda de gravidade e tudo isso está viajando a velocidade da luz em direção ao nosso sistema solar se propagando por toda a galáxia, como uma onda de choque viajando do centro de nossa galáxia em todas as direções.

Eventos mais longos podem realmente começar a afetar o clima, porque o que eles fazem é vaporizar o gelo dos cometas que cercam o nosso sistema solar, acabando por empurrar esse material nebuloso para dentro de nosso sistema, o que afetando a forma como a luz solar chega a Terra.

As Ejeções de Massa Coronal acabam fazendo mais danos à Terra do que a própria superonda.

A energética inteira em torno da Terra muda. O sistema solar e o sistema climático da Terra, estará sendo perturbado por condições que normalmente não existiam.

A intensidade do campo magnético tem mudado ao longo do tempo. Variando para cima e para baixo, por cerca de 50% durante este último período interglacial, nos últimos 11.000 anos. Na verdade, vem enfraquecendo a cerca de 2.000 anos.


Um terremoto de magnitude 5,2 atingiu as Filipinas essa semana atingiu 113 quilômetros de Davao, que abriga cerca de 1,2 milhão de pessoas em mais de 7.500 ilhas. -  o Anel de Fogo foi colocado em alerta. 

Dezenas de terremotos atingiram o Havaí este mês, seguido por uma erupção vulcânica, muitos temem que o Anel de Fogo tenha se tornado muito mais ativo.

O vulcão Kilauea, no Havaí, que pode ser definido para liberar sua maior erupção ainda na próxima semana, juntamente com o terremoto de magnitude 5,2 nas Filipinas, tem deixado cientistas de olho atento ao estado da Califórnia.

De acordo com “The Express UK”, os vulcões do Anel de Fogo do Pacífico são mais explosivos do que os localizados no estado da ilha do Havaí e os  geólogos estão alertando que a Califórnia pode ser a próxima na fila para uma erupção explosiva.

Califórnia fica no volátil Anel de Fogo do Pacífico, e está bem atrasada para um terremoto devastador e maciço.

O Observatório de Vulcões da Califórnia (CVO) revelou que 7 dos 19 vulcões do estado estão em alta ameaça, com três daqueles em risco "muito alto" de erupção iminente.

Segundo a CVO, esses vulcões da Califórnia são mais perigosos do  que os vulcões havaianos porque são vulcões explosivos, que são mais destrutivos.

O que nós esperamos aqui, seria mais como o Monte Saint Helens. Mais uma erupção explosiva”, disse Tim McCrink ao California Geological Survey.

O geólogo Montgomery Brown disse que há 25% de chance de que outro possa explodir nos próximos 30 anos. De acordo com Brown, isso é "a mesma probabilidade de um grande terremoto de falha de San Andreas". 

Mas a falha na Baía de Hayward, que atravessa a área altamente populosa de San Francisco Bay, na Califórnia, pode ser ainda mais perigosa que a de San Andrés.

A doutora Margaret Mangan, que administra a CVO, acrescentou o alerta.

"A Califórnia não é apenas um país de terremoto, é também um país vulcânico", disse Mangan. O Dr. Brian Hausback, geólogo norte-americano, disse à CBS:

Se um desses vulcões decidir entrar em erupção, atrairá a atenção do mundo. Essas áreas têm populações altas, infra-estrutura como usinas de energia e alto nível de tráfego aéreo na área”, disse ele.

Não há como parar uma erupção vulcânica. É muito provável que um deles entre em erupção no futuro próximo, é devido. ”

Não se trata de "catastrofismo" puramente explícito por mim há anos. Esse "alerta" vai soar como grito do menino avisando sobre "O LOBO".

Eu sei que ninguém vai acreditar... fazer o que?

laura botelho



meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos