Google

Translate my page Google

4 de nov de 2013

Silencio perpetuo na casa de deus...


A Lei de Godwin – do advogado americano Mike Godwin – é conhecida desde 1990 como “A Regra das analogias Nazistas de Godwin” – “Godwin's law ou Godwin's Rule of Nazi analogies” - é um argumento  usado em discussão tanto virtual quanto pessoal.
  
Ele observou que á medida que uma discussão acalorada na WEB cresce, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Hitler ou nazismos aproxima-se de 1. E se tal comparação é feita, é porque quem mencionou Hitler ou o nazismo ficou sem argumentos, não sabe mais como sair por cima, se perdeu...

Parece tola essa observação do Godwin?
Pintura Maria e menino Jesus - 1913 - autor: Adolf Hitler
Eu não acho. Muito pelo contrário, faz todo sentido quando se trata de programação neurolinguistica. 

O cérebro busca a saída mais rápida para qualquer desconforto, ele nem sabe se está coerente com seu raciocínio ou se está falando algo que vai contra o que ele próprio acredita (dissonância cognitiva), mas o fato é que Hitler se tornou um ícone para “aniquilação humana” e todo ícone tem como função estar presente em cada cérebro que esteja no Stand By – ele funciona sempre, se acionado pelo ambiente.

Para sair do Stand By é necessário estar presente, atento, observando tudo a seu redor e muito bem informado para poder entender uma coisa e outra, as ligações – o todo e não só as partes isoladas.

Hitler era Católico e o Papa fingia não saber o que acontecia lá com os judeus, negros, ciganos, aleijados e pobres. A igreja odeia pobres. O Papa João Paulo pessoalmente pôs a hóstia na língua do casal Pinochet, pois considerava um casal católico perfeito. O Nazismo é socialista – Socialistas odeiam pobres, e fazem de tudo “pelo social”. Até fingir que vão cuidar deles.

Cerca de 9 milhões de pessoas foram acusadas e mortas pela Inquisição cristã, entre os séculos em que durou a perseguição mais ativa contra a Bruxaria [pessoas que sabiam tanto quanto os que escondiam a verdade]. Mas alguns autores colocam 20 milhões, quando somados todos os séculos de existência da Inquisição. Eles sabiam que a informação logo seria ampla, disseminada como um vírus e que não teriam muito tempo para cercar todo o gado, mas a tática funcionou, ainda salvaram muitas "cabeças".

Democídio é um termo criado por R. J. Rummel da Universidade do Havaí para designar os assassinatos realizados por governos em sua própria população. Através de um estudo sério e impecável o professor americano prova com números que o século XX (1900-1999) foi responsável por mais mortes que toda a história da humanidade até então e isso se deve a um desesperado método de manter um segredo que mantém os reis/donos do planeta no controle.

Que segredo é esse?

“A liberdade do homem não é seguro nas mãos de qualquer igreja. 
Onde quer que a Bíblia e a espada estejam, em parceria,
o homem é um escravo.
Robert Green Ingersoll


laura botelho


Parte 1


Parte 2


Parte 3


Parte 4


Parte 5


Parte 6




meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos