Google

Translate my page Google

7 de jan de 2013

Albinismo – a prova que a mudança está em curso


"Se você quiser entender os segredos do Universo,
pense  frequência, energia e vibração” 
Nikola Tesla

O próximo máximo solar ocorrerá no período de tempo 2012 - 2014. 
A radiação ultravioleta ultimamente está em picos extremos neste verão de 2013. Uma situação semelhante que ocorreu entre janeiro e março de 2012. Estamos com níveis 14 e isso significa radiação extrema.

Radiação eletromagnética dentro do ponto de vista da Mecânica Quântica pode ser entendida como o deslocamento de pequenas partículas, fótons (energias) na atmosfera.

O espectro visível, ou simplesmente luz visível, é apenas uma pequena parte de todo o espectro da radiação eletromagnética possível, que vai desde as ondas de rádio aos raios gama.

Sabe-se que, em determinadas frequências, as ondas eletromagnéticas podem interagir com moléculas presentes em organismos vivos, por ressonância, isto é, as moléculas cujas frequências fundamentais sejam iguais à da onda em questão "captam" essa oscilação, como uma antena de TV.

Algumas dessas frequências existem na natureza, enquanto outros, como as frequências de telecomunicações, são feitas pelo homem. Equipamentos de telecomunicações trabalham na faixa de micro-ondas, como as estações rádio-base de telefonia celular. As células não apenas reagem a frequências faixa de microondas, mas em todo o espectro de frequências, de baixo para cima.

Para receber a informação é necessário estar ressonante
coerente com ela – ter ligação – estar em sinergia.

Ondas em frequências de ressonância podem afetar uma infinidade de outras moléculas. O efeito sobre a molécula depende da intensidade (amplitude) da onda, podendo ir do simples aquecimento à modificação da estrutura molecular.

Para título de ilustração, podemos comparar esse banho de energia vinda dos céus sobre nossas cabeças, como um grande aparelho de micro ondas doméstico, que é capaz de aquecer a água presente nos alimentos. Esse mesmo mecanismo afeta igualmente a todas as moléculas de água – incluindo a nós, humanos.

A pele é também um órgão de recepção de estímulos do meio ambiente. Por meio de grande número de receptores sensoriais nela existentes, somos capazes de detectar estímulos de diferentes naturezas, tais como estímulos térmicos, dolorosos, tácteis e muitos outros e as enviar para o sistema nervoso central.

O pigmento melanina está presente na pele em maior ou menor quantidade para a detecção e melhor absorção da ação dos raios ultravioletas. A partir das 10 horas da manhã recebemos uma carga maior e direta de raios ultravioleta e o que impede a muitos de receber essa “informação” sideral é a melanina.

A localização estratégica da melanina sobre os núcleos dos queratinócitos confere proteção máxima ao DNA contra os efeitos (informação/energia/fótons) dos raios ultravioleta (nexus)

Deu pra entender ou quer que eu desenhe?

A não-radiação térmica causa danos Biológicos. 
As células respondem como se estivessem em dificuldades. Vemos isso através da resposta ao estresse celular. 

DNA é uma antena fractal em campos eletromagnéticos
Somos banhados em uma ampla faixa de frequências a cada dia.
Energia, frequências, sons e vibrações estão por toda nossa volta, apesar de você não senti-la, acredite ou não, têm um impacto profundo em sua existência. 

Em poucas palavras, o corpo humano é construído com uma antena fractal dentro de cada célula, que responde a toda a gama de frequências no espectro EMF. O que isto significa é que seria tolice se concentrar em apenas uma frequência, porque somos bombardeados por todas frequências!

Todas estas frequências estão dentro da gama de radiação não ionizante, o que significa que eles não têm efeito de aquecimento suficiente, ou poder, para separar elétrons de átomos. Acima disso, você entra na faixa de frequência de ionização, que incluem raios ultravioleta (UV), raios gama e raios-x que afetam as estruturas atômicas.

O DNA está constantemente trocando informações e produzindo proteínas necessárias para as necessidades exigidas por você. A informação genética está constantemente sendo acessada para manter o funcionamento ideal dentro do seu corpo, em resposta ao seu ambiente. Coerente com aquilo que você acredita.

Alguns sinais hormonais como cortisol e a adrenalina são produzidas a todo momento em resposta ao estresse celular . Há cerca de 20 diferentes proteínas de estresse na natureza chamados de proteínas de choque térmico (HSP), que são usadas ​​pelas células para neutralizar estímulos nocivos. 

Sempre que uma célula é exposta a um ambiente carregado de estresse, o DNA separa em certas regiões e começa a ler o código genético para produzir essas proteínas de stress (HSP). Portanto, a presença de proteínas do stress é uma indicação que a célula está se comunicando e encontrando a melhor solução para suas necessidades.

DNA controla a resposta a campos eletromagnéticos. 
DNA é um receptor e transmissor electromagnético de informação. Mas a comunidade científica Cartesiana afirma que 1-3% da função do DNA é para a síntese de proteínas e o restante 97% é lixo. Mas esse DNA “lixo” segue o mesmo padrão que temos na linguagem. Portanto, tenha atenção as palavras que você usa!!!

Um búfalo branco ainda é considerado "extremamente" sagrado para a maioria das tribos indígenas americanas, incluindo o Cherokee. Há menos de uma em 10 milhões de chances de um búfalo branco nascer. Acredita-se que há apenas sete búfalos brancos existentes hoje no mundo e por conta disso muitos nativos americanos viajam em todo o país para testemunhar a chegada de um novo Búfalo Branco.

Em 1994, um búfalo branco chamado "Milagre", nasceu na fazenda Heider em Wisconsin. O bezerro "milagre" trouxe mais de 20.000 visitantes, incluindo o Dalai Lama e pessoas de todas as raças, culturas e religiões para fazer a peregrinação para visitar o bezerro.

Há uma lenda Hopi que diz que um búfalo branco é sinal de grandes mudanças no planeta e que devemos ficar atentos...

Albinismo – a prova que a mudança está em curso
A Terra está evoluindo bem como as formas de vida que nela vivem e dentro dela, este é um processo natural que ocorre a cada 25 mil anos ou mais. 

O aumento exponencial de terremotos, atividade sísmica, erupções vulcânicas e fenômenos relacionados com o tempo, estão ligados ao aquecimento do interior do nosso planeta Terra. À medida que o manto da Terra muda devido ao movimento da placa tectônica, permite o aumento da radiação do núcleo de se mover livremente para a superfície.

Enquanto a liberação de grandes bolsões de gás metano podem matar algumas espécies, como aves e peixes, a liberação de radiação do núcleo da Terra permite a mutação e evolução de outras espécies. Isso afeta as muitas formas de vida.

A principal fonte de radiação vem do Sol, mas também do centro da TerraO núcleo da Terra também produz radiação, seus efeitos sobre aqueles que habitam sobre a superfície do planeta são menos do que os efeitos que ocorrem diretamente do Sol, menos interferência. 

Devido às muitas mudanças de luz (fótons/energia/informação) para a Terra transformações/mutações estão ocorrendo diante de nossos olhos, mas poucos conseguem ver ou não desejam ver.

Aa mudanças no planeta afetam a genética (DNA), a geologia, o clima, e todo o bioma se transforma para se adequar as novas necessidades de “existir”.

O albinismo é uma condição que ocorre mais frequentemente em criaturas que vivem sob a superfície terrestre, longe da luz, tais como cavernas, o fundo dos oceanos e em rios ou lagos. Albinismo ocorre naturalmente em todos os mamíferos, répteis, peixes e aves, mas isso está ocorrendo com uma frequência acima da média, está em ascensão em muitas partes do mundo, mas principalmente no sul da África.

Beija flor fotografado em Niterói - Itaipu - meu condomínio.
Um número crescente de animais albinos tem sido observado em Shennongjia reserva natural na China central. Na floresta densa, pessoas relataram ter visto ursos, cobras e veados com pele branca

Testemunhas disseram ter visto até mesmo corvos brancos. Recentemente uma baleia branca rara foi vista nas águas do arquipélago de Svalbard da Noruega. Orcas brancas foram relatadas na costa da Rússia e Alasca e golfinhos Albino perto de Louisiana. 10% dos ursos negros supostamente no Canadá estão agora a nascer brancos, por uma razão desconhecida... (?)

Herman Melville publicou "Moby Dick" em 1851 após passar três anos a bordo de uma baleeira. Melville narra um "fenômeno fantástico, uma enorme massa com inúmeros braços irradiando de seu centro, torcendo-se e enrolando-se como em um ninho de serpentes".

Na mesma época, o zoólogo dinamarquês Johannes Steenstrup declarou que uma besta encontrada no estreito de Resund e presenteada ao rei era, na verdade, um cefalópode, em particular uma lula enorme. Conforme escreveu Richard Ellis em "Em Busca da Lula Gigante", o achado de Steenstrup "marcou a transição da lula gigante de mito à realidade científica". Júlio Verne também incluiu uma lula gigante em seu famoso "20.000 Léguas Submarinas".

O caso da lula gigante é interessante porque vários espécimes foram encontrados mortos em praias do mundo inteiro, pedaços foram resgatados dentro de estômagos de baleia; tentáculos de até dez metros de comprimento foram pescados. A lula gigante é menos conhecida que os dinossauros e jamais um espécime foi capturado vivo, apenas fotografada em 2004 por equipe de cientistas japoneses.

Encontrada baleia supostamente extinta há 2 milhões de anos.
A baleia franca-pigmeia (Caperea marginata) foi descrita e classificada em 1846 por John Edward Gray, pertence a um grupo de baleias que se acreditava extinta. Mas em 18 de dezembro de 2012 foi publicada a descoberta a baleia-franca-pigmeia morta numa praia.

Quase como um fóssil vivo, é o último espécime de uma linhagem bem antiga. A baleia-franca-pigmeia é relativamente pequena, com apenas 6,5 metros, e vive no oceano aberto, no hemisfério sul, tendo sido avistada poucas vezes. Praticamente não se sabe nada sobre o habitat ou estrutura social deste mamífero. A análise de DNA desta baleia apontou que ela divergiu das baleias modernas, como a baleia azul e a jubarte, entre 17 e 25 milhões de anos atrás. Entretanto, seu focinho, que é muito diferente dos das outras baleias, indica que ela tem um parentesco com um grupo que inclui a baleia-da-groenlândia.

Entretanto, não existem estudos de fósseis mostrando como foi a evolução da baleia-franca-pigmeia.

O mundo submarino é menos explorado do que o Universo. Estima-se que os oceanos contenham mais de 10 milhões de espécies animais, das quais conhecemos apenas 1/4.

Praticamente, do fundo do mar ao centro da nossa Galáxia, não sabemos nada. Vivemos numa bolha ilusória chamada “mundo”, na qual só vemos aquilo que nos for “permitido ver” ou... se por iniciativa própria, começarmos a fuçar e a pesquisar “as coisas”.

O fato é que: a percepção sobre o velho “mundo” mudou, ele faleceu. Um novo “mundo” nasceu e como todo “recém-nascido” temos que aprender a lidar com ele, saber ouvi-lo, conhecer sua “manha”.

Se você não percebeu isso ainda é porque te falta muita sensibilidade e atitude para enterrar o passado ou para admitir um futuro. Acorda, o mundo mudou!

laura botelho



meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos