Google

Translate my page Google

21 de nov de 2015

Estado Islâmico - um "Al Qaeda" que deu certo.


“Como pode a luz ser aprisionada? A resposta é: pela gravidade.
Se o campo gravitacional é suficientemente intenso, ele dobra a luz. Entendendo por dobrar a luz, que ela não mais se move em linha reta, mas segue em vez disso, uma linha curva. Quanto mais intenso for o campo gravitacional, mais a luz se curva. Adivinhe agora em que lugar a gravitação é a tal ponto excepcionalmente forte. Adivinhou? Sim, isso mesmo: num buraco negro”
Fred Alan Wolf e Bob Toben
Espaço, Tempo e Além, (pag. 149)

Revendo brevemente a história dos humanos para entender o “agora”.
Enlil convocou o Concílio Anunnaki – queria impor a ideia aos demais da sua espécie de que os terráqueos deveriam todos ser extintos no dilúvio, já que o irmão ENKI quebrou todas as regras, e fez “a tolice” de passar a sabedoria dos deuses aos “trabalhadores primitivos” (humanos), além de ter tido um filho - Caim - com um deles, a Eva.

hiroshi-hayashi-japan
Enki (Sumério) Ea (babilônicos) Ptah (egípcio), Poseidon (grego) é a serpente bíblica que avisa aos humanos sobre o significado da morte e sua prisão. É a serpente que ensina os poderes que os humanos têm. O nosso pai biológico.

Enlil respeitado por sua grande bravura como um guerreiro divino, era chamado “Touro do Céu”, também Baal o bezerro na religião semita. 

Enki e Ninmah (nossa senhora, mãe de todos nós) não gostaram do resultado da reunião, que foi a favor da extinção humana, pois tiveram um trabalho danado criando uma raça hibrida tão bonitinha e engraçadinha, divertida e inteligente... e vem o cara querer destruir tudo!

Não aceitaram a matança geral e conspiraram contra Enlil tentando captar o máximo de registros e programas em solo iraquiano. Montaram um banco de dados (ARK- arca) genético de todas as criaturas da Terra para salvar do impacto do dilúvio, sem que o draco Enlil imaginasse que eles estariam fazendo isso.

Thoth (Noé), filho de Enki, avisou aos humanos, (a mando do pai/Senhor), que o “fim” estava próximo e que deveriam subir as montanhas e se preparar para o evento. Mas... como a macacada não acreditou e preferiu continuar a vidinha de sempre, assistindo ao capítulo da novela - “os dez mandamentos” - e foi assim que boa parte da humanidade sucumbiu em frente a TV.

Por 40 dias ondas imensas e tempestades varreram a Terra, derrubando tudo no planeta, todas as construções mais imponentes já feitas pelos deuses foram ao chão. Mas os que se abrigaram no topo das montanhas ficaram seguros.

Quando Enlil desceu com sua nave e viu Thoth cercado de “humanos” sobreviventes, alegres e serelepes, ficou irado demais e quis matar o irmão ENKI, ele havia aprontado de novo.


O script do jogo dos deuses é básico, não dá pra se perder.
Tanto judeus quanto cristãos e islâmicos crêem na existência de um único Deus – não necessariamente no mesmo deus, cada um tem seu ícone - e a partida começa aí.

Mas sem dúvida é Abraão (ANU, o velho dragão), o pai dessas 3 grandes religiões monoteístas: o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. O tema é o mesmo nas três. O que eles discutem é a cor da camisa do time.

O objetivo do jogo é tentar aniquilar o maior número de MINIONS (escravos) possíveis em pouco tempo, até o próximo evento galáctico, que está próximo. Já as peças humanas, precisam escolher de que lado querem ficar, mesmo que não entendam bem as regras, ou se estão com o “deus certo”. Tudo é muito confuso, mas faz parte da dinâmica da dualidade, das regras do jogo.

Após o dilúvio veio a organização das tribos, ou melhor, das peças.
Enlil ordenou a seus seguidores do sexo masculino que cortassem o prepúcio, para que fossem visivelmente destacados de outros não “Elitistas” e que esse ritual deveria ser passado de geração a geração obedecendo cegamente, fielmente seus mandamentos.

Enlil, como bom réptil, adora normas, hierarquias, controle e violência e determinou regras para tudo: para comer, casar, trabalhar, orar e respirar. O livro sagrado dos judeus é a Torah. Seu dia de descanso e oração é o sábado. A devoção a Enlil é lembrada 3 vezes ao dia.

Ele diz: “eu sou o que sou” e basta, não precisa saber mais que isso.
O nome do deus na Torah é = Yahweh (YHWH) ou Javé o que serve para todos os times - e a galera fica doida sem saber quem é “deus” nessa zona!

Do árabe, a palavra símbolo “Islam”, literalmente significa "submissão”. ENKI não é menos idolatrado. Quer ser venerado 5 vezes ao dia - para renovar a hipnose – pra deixar claro quem é o criador por aqui.

Tudo com o ENKI é complicado... e o seu time não se entende e se dividiu predominantemente, entre xiitas e sunitas, mas compartilham do script central, como a fé no seu livro sagrado o Alcorão e o código de leis do islamismo – a Sharia. O dia que eles preservam é a sexta, pois o sábado, Enlil já pegou.

Há cerca de 900 milhões de sunitas no mundo e ao menos 120 milhões de xiitas, sugerem estudos. Os xiitas se caracterizam por serem tradicionalista, conservadores das antigas interpretações do Alcorão e da Lei Islâmica, a Sharia. Eles surgiram após o assassinato do quarto sucessor de Maomé, o califa Ali - também primo e genro do profeta Maomé. Como Maomé não indicou um sucessor, os califas – chefes de Estado – assumiram a liderança da comunidade muçulmana contra o desejo dos xiitas.


Leonel Brizola já dizia; “cunhado não é parente”, isso deve servir para genros também, e os xiitas passaram a defender que a única liderança legítima para o Islã deveria vir da linhagem direta de Maomé.

Os sunitas - termo que deriva da palavra Sunna – documento sagrado que narra às experiências de Maomé em vida – Diferentemente dos xiitas, defendem ainda que a religião e o Estado devem ser uma coisa só e acreditam que os quatro califas que sucederam Maomé lideraram a comunidade legitimamente.

Para os xiitas a pena capital mais aplicada é a forca. Para os sunitas, as sentenças variam. Por apostasia – abandono da fé – por exemplo, o condenado é decapitado com uma espada.

Anjos contra demônios e o jogo continua.
Apostol - do latim tardio Apostolus - Apostellein  - “pessoa enviada".

Zarathustra foi um Profeta, um enviado de um “deus”. Qual?
Diga você depois de ler tudo. Ele criou o Zoroastrismo - provavelmente a primeira religião monoteísta do mundo, muito antes do judaísmo, o cristianismo e o islamismo com um forte senso de dualismo, tendo origem no nordeste do Irã, uma religião nobre ariana.

Ahura Mazda - Ahura = luz ; Mazda = sabedoria - é o deus descrito como o mais alto espírito de adoração no Zoroastrismo. Avesta é o livro sagrado de Zoroastrismo. Ele contém preceitos rituais, para a vida diária e ritos de passagem para o nascimento, casamento e morte, mas o que se tem hoje do Avesta é o que resta de um corpo muito maior da escritura.

Os manuscritos volumosos do original teriam sido destruídos quando Alexandre, o Grande, conquistou a Pérsia. O presente Avesta foi montado a partir de restos e padronizado sob os reis sassânidas - último império iraniano antes do surgimento do Islã.

O profeta Zarathustra teve um nascimento milagroso: sua mãe, Dughdova, era uma virgem que o concebeu depois de ter sido visitada por um raio de luz. Logo após o nascimento do menino um homem mau chamado Durasarun planejou matar Zarathustra, por ter ouvido falar que ele teria sido enviado por Ahura Mazda para se livrar da maldade do mundo.

O Zara, foi ao deserto, onde fora tentado pelo diabo por 40 dias, mas não sucumbiu à tentação, ficou firme, não comprou nada. Após 7 anos de solidão completa, regressou ao seu povo, e com a idade de 30 anos levou a mensagem de seu deus a todos os povos, os ensinamentos no qual Ahura Mazda, o "sábio Senhor" era o criador.

De acordo com preceitos  zoroastras, o mundo duraria 12 mil anos. No fim de 9 mil anos, ocorreria a segunda vinda de Zarathustra cuja missão seria aperfeiçoar os bons para o fim do mundo.

A ideia dualista Zoroastra de bem contra o mal foi herdada a seguir pelas histórias judaicas e, em seguida, pelos cristãos e o islâmicos.  O profeta Zoroastro foi assim o primeiro a ensinar as doutrinas de um julgamento individual, Céu e Inferno, a futura ressurreição do corpo, o Juízo Final, na vida eterna para a alma e o corpo reunidos


O ícone Farvahar era um símbolo da religião do estado do Império Persa: o zoroastrismo. Porém, não foram removidos quando o Islã xiita se instalou, ao contrário, tornou-se um símbolo nacional entre os iranianos e governo atual, mesmo que o Zoroastrismo não seja mais a religião dominante.

Fravarti ou fravashi - pode derivar um significado alternativo de "proteger", implicando a proteção divina do espírito, guardião, anjo, mensageiro. Identificou a ideia? Sacou de onde vem a ideia de protetores com asas?

Problema – reação - solução 
Estamos agora na fase da Solução - a implantação de milhares se soldados armados nas ruas pagos pelo contribuinte para "proteger" franceses, belgas, alemãs etc, de um inimigo inexistente, foi a manobra final. Agora todos países poderão massacrar a Síria ou qualquer lugar onde esteja presente “o ninho da serpente”.

Ficou fácil, limpo, sem criticas da opinião popular, todos hipnotizados por uma vingança a altura. Dente por dente, míssil por míssil.

Quem é o pai desse Frankenstein? – do Estado Islâmico?
Uma Comissão de Assuntos de Defesa Externa e Forças Armadas, teve debate em sessão pública no Iraque - em 17 de dezembro de 2014 - Presidido por Jean-Pierre Raffarin.

A comissão ouviu o general Henri Bentégeat ex-Chefe do Estado Maior das Forças Armadas e Hon Hubert Védrine, e o ex-ministro das Relações Exteriores, o major-general aposentado Vincent Desportes - professor associado da Faculdade de Ciências Políticas em Paris – e o Sr. Jean-Yves Le Drian, ministro da Defesa.

O objetivo da comissão era deixar claro e sem rodeios – “Quem era o pai do Frankenstein?” Se referindo ao monstro descontrolado denominado ISIS. E a conclusão que chegaram, sem duvida alguma, é que foram os mesmo ícones que criaram todo o terrorismo no século XX.

EEUU, Reino Unido e Israel colaboraram juntos, através da Mossad (Agência de segurança de Israel), na criação do Estado Islâmico do Iraque.

Foi a Mossad, quem formou uma organização terrorista que pretendia unir a todos os grupos extremistas do mundo num só local, usando a estratégia denominada “o ninho da vespa”.


A chamada "Guerra ao Terror" é uma estratégia emocional para a manutenção de um estado militar permanente, seja em qualquer país. O terrorismo é uma justifica a vigilância intensa da massa humana. Uma nova ordenação mundial que está sendo implantada com nosso consentimento.

Mas como tudo isso começou?
Fatos indicam que os primeiros seres humanos estavam presentes na França pelo menos 1,6 milhões de anos atrás. O que hoje é a chamado de “França” era conhecida pelos romanos como Gália. Os gauleses, o grupo maior, entre 3 grupos distintos e mais bem documentados, eram os celtas.

A Batalha de Tours – foi uma guerra que manteve a Europa cristã por muito tempo afastando o Islamismo, do Califado Omíada, longe dos limites territoriais. Cronistas do século IX interpretaram o resultado da batalha como juízo divino em seu favor, o que deu a Charles Martel o apelido Martellus ("The Hammer").

Isso te remete alguma coisa? Celtas, loiros, martelo, asas na cabeça...

Se o Califado tivesse vencido a batalha, o mundo teria se tornado muçulmano. Hitler dizia que acreditava em espalhar a fé pela espada e subjugar todas as nações pela fé.

"Os povos do Islã estarão sempre mais perto de nós do que, por exemplo, a França". A. Hitler.

A dominação política e cultural islâmica tornou o mundo romano ex-cristão. A conquista muçulmana rápida da Palestina, Síria, Egito e da costa Norte Africana e todo o caminho para o Marrocos, resultou na imposição permanente por força da cultura islâmica sobre uma base cristã.

Com o fim da Primeira Guerra e o desmoronamento do Império Otomano, as regiões da Síria e do Líbano ficaram sob o domínio da França. As outras áreas, inclusive a Palestina, passaram para as mãos da Grã-Bretanha.

O colonialismo da França e da Inglaterra provocou fortes reações entre os árabes. Foi nesse contexto que surgiu no Egito a Irmandade Muçulmana, berço do fundamentalismo islâmico.

À Inglaterra coube a Palestina (incluídos os territórios da atual Jordânia e de Israel), a Mesopotâmia (Iraque de hoje) e a Península Arábica, que é composta por Arábia Saudita, Catar, Kuwait, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Omã e Iêmen.

Hoje, França e Inglaterraliberaram suas colônias”, mas continuam a manobrar suas políticas externas puxando as cordinhas. O jogo então, empatou de novo.

Al Qaeda significa, literalmente, uma abreviatura de "banco de dados" em árabe - originalmente a base de dados informatizada sobre células “islâmicas” que foram exaustivamente treinadas pela CIA e financiada pelos sauditas, a fim de derrotar os russos no Afeganistão no passado. Bin Laden trabalhava para a CIA. Fácil pesquisar e eu já escrevi isso aqui.

Abdel Fattah Hussein Saeed Khalilel Sisi - pros íntimos, é o sexto presidente do Egito, empossado em 8 de Junho de 2014. Como chefe das Forças Armadas egípcias, Sisi depos o presidente Mohammed Morsi em meio a “revolta árabe” em 2013.

Esse “novo chefe do Egito” - o al-Sisi - é um judeu, um agente do Mossad. Isso significa que o Egito de al-Sisi é território ocupado por Israel.


Não tá entendendo nada? Não estamos mais na idade média, acorda.
Hoje temos as perigosas redes sociais que vigiam tudo, são os olhos do mundo.

Daí, a solução para a proteção do “Estado Judeu” foi criar assim “um inimigo perigoso” perto das suas fronteiras, o que lhe garantiria direitos de aniquilar - “com legitimação diante da visão da população mundial” - quem resolvesse entrar na sua casa, ou tentasse atravessar seu território.

Uma vez que “muçulmanos são perigosos”, a palestina estaria em maus lençóis... Quando o “Estado Islâmico” realiza ataques no Oriente Médio, mata xiitas, sunitas e outros grupos religiosos. Estranho isso, não? Caiu a ficha?

O Estado Palestino é reconhecido por quase todos os países do mundo islâmico (com a exceção apenas da Eritreia), além da grande maioria dos países da Ásia e da África.

Este movimento ISIS foi criado para uma finalidade, mas acredita-se que saiu do controle e agora estão equipados, armados e furiosos, com forte capacidade de atrair violência e se expandindo como um vírus pelo planeta. Mas não se preocupe, em breve serão deletados como baratas.

A Líbia teve o mais alto padrão de vida de qualquer país da África
Isto foi atestado pela classificação do Índice de Desenvolvimento Humano das Nações Unidas para 2010. No entanto, nos anos seguintes ao golpe da primavera, o país mergulhou no caos. 

A Líbia está falida, saqueada. Todo arsenal bélico de Gaddafi foi enviado para os rebeldes para a Síria. O jornal TIME de Londres informou sobre a chegada da expedição de armas e mísseis na Síria em 14 de setembro de 2012, 3 dias após o embaixador Chris Stevens ser morto num “ataque” à embaixada dos EUA em Benghazi. Foi Chris Stevens que serviu de elo de ligação do governo dos EUA para com os rebeldes da Líbia desde abril de 2011.  

Queima de arquivo? A gente sabe como eles trabalham...

10.000 sítios arqueológicos espalhados pelo Iraque e a maioria deles não totalmente escavados. No Iraque, era uma questão de segurança nacional a proteção dos monumentos históricos, talvez por razões simples, eles marcam os locais onde se escondem os segredos dos deuses.

Um novo estudo pelo Instituto Watson de Estudos Internacionais sobre os custos dos projetos de 10 anos de guerra após a invasão dos EUA no Iraque, apontam gastos, dos cofres públicos, de US $1.7tn (um trilhão e setecentos bilhões de dólares) com um adicional de $490 milhões em benefícios devidos aos veteranos de guerra.

Essas despesas poderão crescer para mais de US $ 6 trilhões nos próximos 40 anos na contagem de juros. O número de mortes de civis iraquianos, as forças de segurança, jornalistas e trabalhadores humanitários é estimada em 189 mil pessoas, de acordo com o estudo. 

A questão é: o que faz um país investir tanto capital e vidas humanas em uma guerra? Liberdade? Petróleo? Água? Território?

Talvez a resposta mais apropriada seja: “Poder divino”...

Pascal Laloux, proprietário judeu que o comprou Le Bataclan em 1976, disse neste sábado (14/11/2015) após o ataque ao teatro Frances, que o espaço foi vendido no dia 11 de setembro de 2015, depois de 40 anos de funcionamento. 
Laloux tinha voltado para sua terra natal – Israel.


laura botelho

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos