Google

Translate my page Google

6 de dez de 2013

Mandiba, o bode expiatório


Quem controla o passado, controla o futuro; 
quem controla o presente, controla o passado... 
quem controla o passado, controla o futuro. 
Quem controla o presente agora?!
George Orwell (1984)


Bode expiatório
O Antigo Testamento diz que um animal tipo um bode, por exemplo, simbolicamente arcaria com todos os pecados dos filhos de Israel, passando a ser sacrificado na data do Yom Kippur para livrar Jerusalém de suas iniquidades.

Os deuses necessitam sempre de sacrifícios em troca de indulgencia e rituais semelhantes foram realizados em outras partes do mundo antigo para transferir a culpa para outros. 

Na Grécia antiga, bodes expiatórios humanos foram espancados e expulsos das cidades para mitigar calamidades. No direito romano uma pessoa inocente era autorizada a assumir a pena do outro, se assim o quisesse. 

Já no cristianismo essa noção de bode expiatório se resume na imagem fabricada de um personagem de nome Jesus que foi sacrificado para expiar os pecados de toda humanidade...

Essa relação de perdão X sacrifício é uma prática estabelecida paulatinamente há milênios. Essa ideia precisa ser reforçada dia após dia, ano após ano para que a humanidade não esqueça de quem manda no pedaço.

Modos de Punição que atravessaram os tempos:
Apenas comparativamente citarei alguns poucos casos encontrados em textos antigos onde realça o castigo dos deuses.

Blasfêmia, idolatria, quebra dos sábados, feitiçaria, prostituição por uma virgem desposada, ou que tenha enganado o marido no casamento como a sua castidade (21 Deut. xxii.), e um filho rebelde são, de acordo com as leis do Pentateuco, punidos com a morte por apedrejamento. Já os casamentos bígamo com a mãe da mulher e da prostituição de filha de um sacerdote são punidos por queimaduras.

Com referência a todos os outros crimes capitais, a lei ordena que o autor deva ter uma morte violenta, que tradicionalmente era entendida como estrangulamento. Ocasionalmente, o texto bíblico acrescenta a expressão "Seu (sua) sangue estará sobre ele (eles)", que tradicionalmente era entendida como morte por apedrejamento. 

Como pode ver, essa coisa de matar de maneira cruel como esquartejar, queimar, enforcar, apedrejar eram distração/sacrifícios que deliciava deus/deuses. Essa distração/sacrifício continua até esse momento que escrevo essas linhas.


Em 21 de março de 1960, um protesto pacífico contra a lei do apartheid resultou num massacre pela polícia Sul Africana contra seu povo matando 67 manifestantes desarmados e ferindo mais de 180. A maioria dos mortos e feridos eram mulheres e crianças. O alvoroço entre os oprimidos foi imediato, e na semana seguinte houve manifestações, passeatas, greves e tumultos em todo o país. 

A coisa saiu do controle, pois “eles” não esperavam que o gado fosse reagir com tanta força e disposição. Ficaram realmente assustados com a revolta popular, tanto que em 30 de março de 1960, o governo declarou estado de emergência, e a detenção de mais de 18.000 pessoas. E as campanhas para o fim do Apartheid, e pelos direitos democráticos para todos os sul-africanos foram proibidos.

Passados mais de 50 anos desses eventos é fácil perceber que nada mudou de lá pra cá. Foi um dos analistas mais importantes da África do Sul, o falecido Frederik van Zyl Slabbert, que observou:  "a única coisa entre a 'velha' e a 'nova' África do Sul têm em comum é a paixão por inventar história”

A história do “Apartheid” não é vista como um inquérito imparcial sobre o que realmente aconteceu, mas sim como parte de uma estratégica mobilização política para promover auto interesse coletivo para um alvo e desviar de outros.

O mito da luta armada foi usado na África do Sul endoçado por um “prisioneiro” ilustre que deu sua “liberdade” em troca da liberdade de seu povo. Lindo isso... o povo adora uma história de sacrifícios, tá no seu DNA.

Um historiador britânico, o professor Stephen Ellis, desenterrou novas provas de que, durante seus primeiros anos como um ativista, o então advogado Nelson Mandela detinha posição sênior do Partido Comunista Sul-Africano, ou SACP, mas... o ex-presidente Sul-Africano, que ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1993, negou de pés juntos ser um membro do movimento que montou uma campanha armada de resistência guerrilheira, juntamente com o ANC.

Em seu livro Prof Ellis fornece detalhes sobre como a ala militar do ANC tinha aulas de fabricação de bombas do IRA, e treinamento de inteligência Alemã para realizar interrogatórios brutais de suspeitos de "espionagem" em campos de prisioneiros secretos.

Não há mais Apartheid?
A vida é pior na África do Sul agora, e isso é o resultado de um governo socialista baseada na falsidade de seus governantes. Os pobres são mais pobres, e a classe média está desaparecendo, porque tudo de valor (diamantes, ouro) foi levado, sua economia está um caos.  

Em 2006, apenas 5.000 dos mais de 35 milhões de sul-africanos negros ganhavam mais de $ 60.000. ¼ de toda a população vivia em barracos sem água corrente ou eletricidade. A taxa de infecção por HIV / AIDS / TB são as piores do mundo. A expectativa de vida caiu 13 anos. 40% das escolas não têm eletricidade. África do Sul apresenta 114,8 assassinatos por 100.000 habitantes, a mais alta do mundo. A taxa de homicídio – é cerca de 5 vezes superior ao do segundo colocado - o Brasil.

Congresso Nacional Africano (ANC) é uma República da África do Sul governada por partidos políticos, apoiado por uma Aliança com o Congresso dos Sindicatos Sul-Africano (COSATU) e do Partido Comunista ul-Africano (SACP), desde o estabelecimento da democracia “não racial” em Abril de 1994.



Onde está a preocupação do ANC agora para com o povo Africano? Obviamente tudo foi muito bem arquitetado como uma artimanha que permitiu que os banqueiros ganhassem controle sobre os recursos da África do Sul sem que houvesse uma guerra civil para chamar atenção para o país, da mesma forma que fizeram há 70 anos atrás na Rússia. 

Os donos do planeta não queriam uma África do Sul independente, dividido em estados separados, onde cada nação (brancos, Zulus, os índios, etc) teria auto governança e Soberania, isso não dá certo, dificulta o controle e manejo de influencia.

Que pacto foi esse entre Mandela e os brancos arianos?
De ser o bode expiatório para carregar “o sofrimento do seu povo”? Uma estratégia da elite apoiada pela mídia para manter mais um mito de sacrificio?

Marx, Lênin, Hitler, Mao, Mandela, “os Silvas” e agora Obama – O que eles têm em comum? Todos são fachadas do socialismo. Cada qual levando uma técnica de manipulação diferente, cada qual adequando um discurso para cada cultura, “time” e frequência certa de sua estrutura política vigente.

Mandela teve seu divórcio finalizado em 1996 e sua esposa Winnie obteve um acordo de US $ 5 milhões !! Como alguém que viveu 30 anos preso conseguiu juntar mais de 5 milhões de dólares!!!!!????

Nelson Mandela era um agente do MI6 do Reino Unido. Um link de operações de espionagem autorizado a se basear na África do Sul - isso foi o que revelou o livro polêmico, "MI6: Cinquenta Anos de Operações Especiais”' pelo especialista em inteligência Stephen Dorril e o resto deixo pra você descobrir.

Eles brincam com as mentes inseguras, com as mentes que ignoram suas vidas e perdem com frequência o rumo delas. Como um cardume que segue um líder que ao menor sinal de movimento carrega zilhões de um lado para outro a seu bel prazer. Isso só ocorre por ausência de pesquisa, de interesse pela pesquisa, o que facilita em muito o trabalho desses grupos que arrastam zilhões de uma poderosa classe trabalhadora a uma ditadura sem que ao menos se deem conta de que caíram na rede há muito tempo. "Tá tudo bem, ainda há água por todos os lados" - pensam “os peixes”.

"A liberdade é escravidão", segundo Orwell, e ela só funciona quando não sabemos que somos escravos. Foi o que fizeram aos africanos. Deram a massa inconsciente a ilusão do sacrifício por uma "liberdade" pós Mandela, o grande e velho bode expiatório.

laura botelho


meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos