Google

Translate my page Google

4 de set de 2017

Furacão IRMA pode resignificar a data “11 de setembro”


Nem bem o furacão Harvey passou, vem outro na sua cola, e muitos outros virão.

Isso não é uma “profecia”, é pura ciência.

O furacão Harvey, que afetou o Texas e a Louisiana - e continua a afetar grandes áreas de Houston, Beaumont e outras no mês de agosto 2017 - parece ser um dos desastres naturais mais prejudiciais na história dos EUA, até esse momento que digito essas palavras.

Harvey estabeleceu o recorde de precipitação de ciclones tropicais medida em qualquer lugar nos EUA ao longo dos últimos 50 anos.

Embora seja muito cedo para identificar o preço final de Harvey sobre as vidas e as propriedades afetadas, as melhores estimativas desse impacto, até agora, apontam que os danos chegariam a mais de US $ 190 bilhões, superando o furacão Katrina. 

Os 10 furacões mais destrutivos causaram prejuízos de US $ 442 bilhões e Harvey e outros desastres climáticos fazem parte de uma tendência desastrosa em todos os quesitos daqui em diante.

No alemão antigo, o nome "Irma" - "irmin" alemão antigo – se traduz por  "deusa da guerra"

Meteorologistas estão chocados com a rapidez com que o furacão Irma está se fortalecendo a caminho da costa dos Estados Unidos.


Existe uma possibilidade muito real de que o furacão Irma possa ser pior ainda. 

De acordo com o National Hurricane Center, às 5 horas do dia 08/09 (sexta-feira), o IRMA já apresentará ventos devastadores, mas pode se transformar em tempestade de categoria 5 (numa escala de até 6) com ventos de quase 300km/h – e se isso acontecer... a devastação será absolutamente sem precedentes...

Irma começou a se formar na quarta-feira (30 de agosto) nas águas quentes da costa da África Ocidental e intensificou-se a uma taxa mais rápida do que qualquer tempestade já apresentada  em quase 20 anos. Levou apenas 30 horas para se fortalecer para uma categoria 3 com “um olho” bem definido, um sinal clássico de um forte furacão.

Já na terça-feira (06), espera-se que a tempestade se torne um furacão da categoria 4.
Irma está prevista para se tornar um "grande furacão" até a noite de quinta (07), à medida que ele se mova para o oeste em direção às Ilhas Sotavento, pode atingir o solo das Carolinas em 10 de setembro.

Há uma divergência quanto aos modelos de trajetória entre os americanos – que levam os ventos para as Carolinas no próximo domingo – e os europeus que levam os ventos para Cuba e, possivelmente, ameaçam o sul da Flórida.


"As pessoas precisam estar preparadas para um poderoso evento de tempestade e um evento de vento de energia ao mesmo tempo impactando a costa leste", disse Megan Linkin, meteorologista, especialista em perigos naturais da Swiss Re, com base em Zurique.

Alex Kaplan, vice-presidente da Swiss Re Global Partnerships, disse que o governo em todos os níveis deve "se proteger financeiramente para garantir que suas comunidades possam voltar a se levantar o mais rápido possível" após um desastre.

Os efeitos do Harvey ainda estão sendo sentidos pelas indústrias de petróleo e gás. Cerca de 10% das plataformas de petróleo tripuladas no Golfo foram evacuadas, de acordo com o Bureau of Safety and Environmental.

Já viu que os preços do gás aumentaram e o barril do petróleo tende a seguir o mesmo.

Desde 2010 estou aqui escrevendo sobre desastres e eventos com grandes “possibilidades” que nos levarão a razoável diminuição da população mundial, bem como a mudanças radicais de paradigmas na estrutura socioeconômica, afetando dramaticamente a mente dos menos avisados.

Quem nessa trajetória se preparou – espiritualmente, emocionalmente e fisicamente - se fortaleceu, mudou suas crenças, resignificou seu velho script e criou novas estratégias e habilidades para superar esses desafios, não tem com o que se preocupar pelo que ainda virá pela frente.

Digo isso, porque sabemos que os eventos vão acelerar de tal maneira que muitos não terão condições físicas, mentais, emocionais - e principalmente espirituais - para reagir, entender e se orientar a ponto de minimizar tanto sofrimento.

Estamos a beira de uma grande guerra de conseqüências inimagináveis que resultarão em uma escalada de acontecimentos “apocalípticos”...

Não significa que TODOS verão a mesma “imagem” nesse grande holograma, mas a maioria sucumbirá a planos espirituais que eu chamo de “limbo”.

Quando muitos morrem juntos dificilmente conseguem identificar o “fim do jogo” e acreditam que ainda estão dentro dele. É preciso ter muito preparo e informação para “diagnosticar” a realidade dos fatos.
 
Ilha de Manhattan/NY - inundação Sandy - 2012
Eu exemplificaria esse momento como estar preso a um intenso pesadelo, desses que a gente jura que é real, em que a gente chora, sua, corre, grita, sente dor, mas só se sente realmente seguro quando “acorda”, abrindo os olhos para verificar que não está mais sonhando...

Bom, esse é meu resumo rápido para o que quero que você entenda nessa semana e se você ainda insiste em reproduzir o velho disquinho ranheta do: “Você está incutindo medo nas pessoas”...

Caramba... você já está no limbo.


laura botelho


meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos