Google

Translate my page Google

31 de mar de 2016

Uma Força Nacional de Segurança contra o povo brasileiro


O Departamento da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) foi criado em 2004, com sede em Brasília, no Distrito Federal, durante a gestão do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, idealizado pelo Ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, com o intuito de se tornar a principal e mais bem treinada tropa policial brasileira.

O Batalhão de elite da FNSP tem sede na cidade-satélite do Gama, no Distrito Federal e é acionada sempre que situações de distúrbio público, originadas em qualquer ponto do território nacional, requerem sua presença.

Seu efetivo treina com unidades de elite do Brasil e exterior e está apto a ser empregado no policiamento ostensivo ou em operações policiais especiais em qualquer parte do território Nacional.

Preste atenção a essa mudança
Uma intervenção em algum Estado do Brasil teria que ter a aquiescência do governador do estado em questão, porém em 12 de março de 2013, através do Decreto Presidencial no. 7.957, a interferência armada nos Estados da União dispensa a anuência por parte do governador do respectivo estado... Se o Governo Central mandar, eles entram e operam.

A Força Nacional de Segurança é acionada quando é requisitada para conter atos que atentem contra a lei e a ordem e que perigam sair do controle das forças de segurança locais.

Regina e Cardozo
O atual Ministro da Justiça (até esse exato momento que escrevo) é o Ministro Eugênio José Guilherme de Aragão e a secretária nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça é a Sra. Regina Miki (PT) que assumiu o cargo no Governo Dilma em 10/01/2011.

O Gaeco ABC (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), vinculado ao Ministério Público, acusou Regina e seus comparsas  16 integrantes da GCM (Guarda Civil Municipal) - de formação de quadrilha na época em que Regina Miki era titular de Defesa Social do governo de José de Filippi Júnior (PT- 2001 a 2008) em Diadema 


Entre os réus está Emílio D’Angelo Júnior, ex-comandante da GCM e braço-direito da hoje secretária nacional do Ministério da Justiça, mas tudo indica que a denuncia do Ministério Público não deu em nada...

Temos como Ministro da Defesa um Comunista de carterinha – Aldo Rebelo – que em 2007, quando ainda deputado, tentou realizar no Congresso uma sessão solene em comemoração aos 90 anos da Revolução Russa.

07/01/2016 – A ex-deputada federal (PCdoB/AC) Perpétua Almeida foi nomeada secretária de Produtos de Defesa (Seprod) do Ministério da Defesa, com a função de assessorar o ministro em questões relativas à política nacional de defesa.

O estatuto do PCdoB, documento que Aldo Rebelo e todos os políticos do partido se comprometem a obedecer, diz:

O Partido Comunista do Brasil luta contra a exploração e opressão capitalista e imperialista. Visa a conquista do poder político pelo proletariado e seus aliados, propugnando o socialismo científico. Tem como objetivo superior o comunismo. Afirmando a superioridade do socialismo sobre o capitalismo, almeja retomar um novo ciclo de luta pelos ideais socialistas…”


Descrevi isso tudo acima para que você entenda a gravidade da denúncia do coronel Adilson Moreira, que pediu demissão do comando da Força Nacional de Segurança nesta última quarta feira - 30/03/2016.

E justifica sua saída a seus subordinados com o seguinte email:

"Caros TCs da FN,

Desejo lhes informar, que na data do dia 21Mar16, após reunião com a secretária e seu chefe de gabinete, solicitei a ela que me exonerasse do cargo no prazo máximo de 15 dias.

Como os senhores depositaram suas confianças em mim, solicitando minha permanência, nada mais justo do que lhes informar a minha decisão de não mais permanecer na FN.

Caríssimos, a única motivação que me prendia na FN era o desejo de não produzir nenhuma “solução de continuidade dos trabalhos”, sendo um facilitador das suas aspirações e assim mantive meu compromisso.

Fui a Santa Catarina em meados/fim de janeiro e solicitei a minha família a autorização para permanecer na FN até o fim dos Jogos Olímpicos e os convenci disso. Também informei ao meu amigo Nazareno de tal intenção, pois foi ele quem me trouxe para cá.

Somente aí aceitei o convite da secretária. No entanto, faço registrar, que o “conflito ético” de servir a um governo federal com tamanha complexidade política sempre me inquietou.

Agora em março não foi mais possível manter o foco na área técnica somente.
Minha família exigiu minha saída, pois não precisa ser muito inteligente para saber que estamos sendo conduzidos por um grupo sem escrúpulos, incluindo aí a presidente da República. Me sinto cada vez mais envergonhado. O que antes eram rumores, se concretizaram. [grifos meus]

Coronel Adilson Moreira
A nossa administração federal não está interessada no bem do país, mas em manter o poder a qualquer custo [grifos meus]. Como o compromisso era de não causar solução de continuidade, solicitei para a secretária apontar em alguns dias um substituto.

Desse modo manterei nossa programação, sem “sobressaltos”.

Óbvio que passei por cima de algumas incoerências ao longo da caminhada aqui na FN, mas isso tudo fica no campo da experiência profissional. Entendo que nossos cronogramas estão muito ajustados e como tudo foi muito “socializado”, em termos de planejamento e execução, tenho a convicção de que tudo caminhe normalmente sem minha presença e com um novo Diretor.

O que posso dizer: MUITO, MUITO OBRIGADO PELA OPORTUNIDADE."

Bom, depois dessa, só posso alertar o que já venho escrevendo há anos sobre "conspirações"... apertem bem o cinto, pois vamos sacudir!


laura botelho



25 de mar de 2016

Serviço de Inteligencia do Governo a serviço das sombras


Veja o vídeo logo abaixo desse texto com o tenente-coronel André Soares, ex-analista da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) que revela casos que marcaram a atuação da agência, como a “Operação Mídia” e a recente “Operação Satiagraha”.

ABIN foi criada em 1999 pelo governo de Fernando H. Cardoso para assessorar a Presidência da República com informações e também para “proteger o país de ameaças”.

Refrescando a memória nacional

Operação Satiagrah - as peças se encaixando
Uma operação da Polícia Federal Brasileira contra o desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro (em Portugal também chamado de branqueamento de capitais) desencadeada em princípios de 2004 e que resultou na prisão, determinada pela 6ª Vara da Justiça Federal em São Paulo, de vários banqueiros, diretores de banco e investidores, em 8 de julho de 2008.

Satyagraha foi o termo usado pelo pacifista indiano Mahatma Gandhi durante sua campanha pela independência da Índia que em sânscrito Satya, significa 'verdade'. Já agraha quer dizer 'firmeza', “firmeza na verdade” -  mas não senti muita firmeza nessa operação...

A Operação Satiagraha abriu uma verdadeira "caixa de Pandora". Negócios ligados ao nome do banqueiro Daniel Dantas, desde o governo Fernando Henrique até a gestão Lula foram trazidos a consciência popular.

Mas você não ligava pra isso na época, lembra? Conspiração é algo que você não lida. Muita abobrinha por metro quadrado, certo?

A Operação Satiagraha, apreendeu no apartamento do banqueiro Daniel Dantas documentos que comprovavam o pagamento "de propinas a políticos, juízes, jornalistas" no valor de R$ 18 milhões. Imagina...

Gilmar Mendes, então presidente do STF na ocasião, concedeu habeas corpus a Daniel Dantas, o que gerou debates em fóruns de discussão na internet, com milhares de mensagens contra e a favor da decisão, mas como sempre, não deu em nada.

Também foi motivo de debates um estudo da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), divulgado dia 5 de Julho de 2007, no sentido de que desde 1988 até maio de 2007, nenhuma autoridade foi condenada nas 130 ações ali protocoladas

Rodrigo De Grandis, procurador da República, classificou como "ilegal e inconstitucional" a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, de conceder habeas corpus ao banqueiro Daniel Dantas. 

E seu conhecimento parado...

Grandis defendia que o mérito do habeas corpus deveria ter sido julgado primeiro pelo TRF (Tribunal Regional Federal), para depois ser julgado pelo STJ e só então chegar ao Supremo.

A meu ver, a decisão cria um foro privilegiado para um banqueiro, que não existe na Constituição” — Procurador Rodrigo De Grandis.

Uma nova ordem de prisão foi solicitada pela Polícia Federal em São Paulo a partir de documentos encontrados por uma testemunha que prestou informações sobre "a ligação entre o preso e a prática do crime de corrupção contra um policial federal que participava das investigações.

Dantas ao ser preso pela segunda vez teria dito ao delegado Protógenes Queiroz que: iria contar tudo que sabia sobre suas relações com a política, com os partidos, com os candidatos, com o Congresso, sobre suas relações com a Justiça, sobre como corrompeu juízes, desembargadores, sobre quem foi comprado na imprensa, sobre como pagou um milhão e meio para não ser preso pela Polícia Federal em 2004.

Já viu esse filme? 
Dejavu? 

Não se sabe por que, mas Gilmar Mendes concede um segundo Habeas Corpus a Daniel Dantas e a Associação de Delegados da Polícia Federal (ADPF) divulga uma nota à imprensa criticando a decisão do presidente do então STF de suspender a prisão preventiva do banqueiro Daniel Dantas em desacordo com a jurisprudência dominante.

Congresso Nacional ficou em silêncio e ninguém queria saber de uma investigação séria sobre o assunto. Dantas unificou a oposição e a situação, já que são notórias as suas ligações com parlamentares de ambos os lados.

A poeira assentou... e recentemente transitou em julgado dia (19/8/2015) a decisão do Supremo Tribunal Federal confirmando o sepultamento da operação satiagraha. 

Operação Lava Jato buscava
tráfico de drogas e máfia italiana e
topou com o Governo Central

Alberto Youssef e Carlos Habib Chater foram pegos pelo Policia Federal no caso de tráfico internacional de drogas, operação que contava com a participação da Ndrangheta, máfia da região sul da Itália.

Youssef e Chater eram responsáveis pela parte financeira da operação criminosa, que contava com a participação da também doleira Maria de Fátima Stocker, que atuava com a dupla.
Yousseff vai abrir o bico!!!! 

A droga entrava no Brasil por via terrestre, depois de ser embalada no Paraguai. Os pagamentos aos traficantes eram feitos por Alberto Yousseff, que tinha Habib Chater como um dos seus principais operadores.

Para ser solto rapidamente, Alberto Yousseff disse que estava disposto a fazer um acordo de delação premiada, desde que fosse garantida sua imediata soltura, mas acho que o Dr. Moro não aceitou tão facilmente esse trato.

A prisão de Yousseff causou agitação no meio político, pois 85% dos políticos estavam de alguma forma envolvidos com o doleiro, com o tráfico e corrupção.

Nomes que foram logo citados daí em diante: Roseana Sarney (que saiu do cenário político rapidinho), Eduardo Campos (que tiraram do cenário rapidinho) e Sérgio Cabral Filho (que se escondeu rapidinho), todos envolvidos com a Petrobras e outros desvios.

O final dessa história você agora já conhece.
Mas não acredite no que escrevo, faça sua própria pesquisa e reveja a “suposta bravata” de Gilmar Mendes e de outros que se dizem “contra as ações do governo”.

Não salva um! Eles estão nos enganando. Nada vai mudar. Não vejo impeachment. Não vejo prisões.

Eles nunca saíram do poder e não vão sair facilmente. Não, nessa civilização...

laura botelho
parte 1

parte 2


23 de mar de 2016

O grande e ultimo golpe


Golpe de Estado,
Consiste na derrubada ilegal, por parte de um órgão do Estado, da ordem constitucional legítima.Os golpes de Estado podem ser violentos ou não, e podem corresponder aos interesses da maioria ou de uma minoria.

Um golpe de Estado costuma acontecer quando um grupo político renega as vias institucionais para chegar ao poder e apela para métodos de coação, coerção, chantagem, pressão ou mesmo emprego direto da violência para desalojar um governo.

Outros aspectos comuns que acompanham (antecedendo ou sucedendo) um golpe de Estado são:

  • Suspensão do Poder Legislativo, com fechamento do congresso ou parlamento;
  • Prisão ou exílio de oposicionistas e membros do governo deposto;
  • Intenso apoio de determinados setores da sociedade civil;
  • Instauração de regime de exceção, com suspensão de direitos civis,
  • Cancelamento de eleições e decretação de estado de sítio, estado de emergência ou lei marcial;
  • Instituição de novos meios jurídicos (decretos, atos institucionais, nova constituição) para legalizar e legitimar o novo poder constituído.

O dito “Golpe de 64”- designa o conjunto de eventos ocorridos em 31 de março de 1964 no Brasil, que culminaram, no dia 1º de abril de 1964, com um a retomada do poder pelos militares encerrando o governo do presidente João Goulart, também conhecido como Jango.

Jango havia sido também democraticamente eleito vice-presidente pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) – na mesma eleição que conduziu Jânio da Silva Quadros, do Partido Trabalhista Nacional (PTN) a presidência da Republica – mas Janio abriu mão de ser presidente rapidamente,  alegando que “forças ocultas” o orientaram a isso.

Modus Operandi...

O Caso dos Pinhos – A Odebrecht dos anos 50.
Em 1954, fora iniciada uma investigação para apurar o financiamento ilegal da campanha presidencial de Getúlio Vargas de 1950.

A acusação era de dinheiro vindo da Argentina, à época governada pelo General Juan Domingo Perón. O interlocutor das tratativas com Perón era nada menos que o jovem João Goulart, homem da confiança de Getúlio, similar a um “José Dirceu” da época.

A interferência de Perón no governo brasileiro já havia sido denunciada em 1954, pelo então Ministro das Relações Exteriores de Vargas, o sr. João Neves da Fontoura -  um inocente útil, tolinho que não sabia de quase nada...


Essa denúncia deu processo a crise naquele governo e que teve como ápice da história o delcídio, digo, suicídio de Getúlio.

O dinheiro usado para financiar os governos petebistas Vargas e Jango se deu por meio da exportação de "toras de pinho". Isso não é uma metáfora. OK?

Perón havia criado uma série de estatais em 1947 que detinham o monopólio de quase toda a atividade econômica no país. Uma dessas empresas, a CIFEN (Comercial, Inmobiliaria y Financiera E. N.) era a responsável pelo comércio de madeira.

Perón ordenou que se pagasse um preço supervalorizado dos carregamentos de pinho provenientes do Brasil e ainda autorizava o pagamento de comissões de corretagem a uma empresa na qual João Goulart era sócio, a Vale do Uruguai Ltda, com sede em São Borja-RS. 

Em 1964, houve um movimento de reação, por parte de setores conservadores da sociedade brasileira - ao temor de que o Brasil viesse a se transformar em uma ditadura socialista similar à já praticada em Cuba - após a falha do Plano Trienal do governo de João Goulart de estabilizar a economia...

Plano Trienal
Aumento dos impostos e tarifas, ignorando o efeito sobre os investimentos privados e a redução do desperdício público. O plano estava condenado ao fracasso antes mesmo da derrubada do governo Goulart. Em 1964 a inflação geral fechou em 91,8%.

A falha do Plano Trienal criou uma séria crise institucional.
João Goulart, em desespero, passou a fazer uso de decretos-lei, tentando nacionalizar várias empresas privadas de petróleo, e desapropriando algumas áreas para fins de uma suposta reforma agrária, causando a ira da população, já desgastada pela má condição econômica.

Inúmeras entidades sociais anticomunistas  e sem Facebook, foram criadas naquele período, ante ao "perigo vermelho", o que favoreceu à derrubada do presidente Goulart com a ajuda dos militares.

A derrubada do comando vermelho marcou o início de um período de profundas modificações na organização política do Brasil, bem como na vida econômica e social, mas durou pouco tempo, pois o comando vermelho voltou a atacar novamente, mas com “olhos grandes, nariz grande e um bocão enorme”...

A vigilância do sistema social pelos militares durou até 1985 – foram 21 anos – tempo suficiente para que a futura nova geração não tivesse acesso ao real movimento anterior.

A realidade dos fatos foi modificada, transmutada, adaptada a tropicália. Jovens idiotizados, bêbados, drogados e rebeldes, sem nenhuma causa, lutaram sem metas, mas cheios de testosterona, por uma agenda oculta a ser cumprida.

Tancredo Neves (avô de Aécio Neves) foi eleito, indiretamente, como primeiro presidente civil desde 1964, e tudo parecia que algo novo iria nascer, mas algo deu errado... Tancredo não assume a presidência, mas eles sim.

Enfim, não vai ter golpe, pois o golpe já foi dado em 85 – foram 31 anos – tempo suficiente para idiotizar, drogar, emburrecer, alienar, hipnotizar duas novas gerações.

O golpe final será concluído após a teatral votação do impeachment.
Não haverá impeachment, não haverá mudança governamental, pois ELES estão no Parlamento, no Senado, nos Ministérios, no Supremo...

Por que eu digo isso?
Hoje foi vazado - sem a autorização do Juiz Moro - na rede da internet um PDF do processo da Lava Jato com a Xerox de planilhas de pagamentos da Odebrecht a quase todos partidos políticos e com mais de 200 nomes de políticos com o valor correspondente recebido e checado!

Portanto, meus caros leitores, esse foi mais um golpe mortal dos vermelhos com a Lava Jato... Vazaram nomes com foro privilegiadoSenadores e Ministros – com datas de 2012 a 2014.


Prato cheio para o Supremo de Dilma e para o seu Ministro da Justiça que tá espumando bílis. Armaram um golpe de mestre, de forma a complicar o andamento do processo Lava Jato, complicar a apuração do conselho de ética no caso Cunha, a votação do impeachment e o “caso Lula será esquecido”.

Bom, mesmo que você não tenha nascido e vivenciado essa época de 64, a história se repete, e o modo de operação é o mesmo, nada mudou, e se não popularizamos os eventos passados, a memória do povo se vai – e a próxima geração ficará à mercê de um grupo que mantém o script de controle o perpetuando.

Esse golpe foi duro, mas necessário, para que cada um de nós veja, nitidamente, quem são “eles” sem as máscaras. São todos comprados, acredite, eu consegui ver todas as planilhas.

Espero que um dia, a próxima história da nossa nação tenha um final feliz, e que você possa contá-la melhor do que eu as futuras gerações.  Não estarei aqui para ver esse “final feliz”, por certo, mas acredito que a nova civilização, nunca a esquecerá.


laura botelho


20 de mar de 2016

Prepare-se, entraremos em GUERRA CIVIL


Como sempre digo aqui: não se trata de "alarmismo" da minha parte. Eu trabalho com PREVENÇÃO! 

Estar atento ao que "poderá" acontecer é estar a frente de qualquer situação em termos de comunicação com seus parentes, provisão de alimentos, água em casa etc. 

Quem nunca passou por uma guerra ou revolução social não sabe que tudo pára. As ruas ficam intransitáveis e o único local seguro é estar entre nossa família e amigos.

Se nada disso ocorrer nos próximos dias, meses, ótimo!!!. Foi só um susto.

Mas quero lembrá-los que o acesso ao nosso país está liberada ao estrangeiro por decreto da Dilma para "facilitar" a entrada das pessoas para os "JOGOS" em agosto - nossas fronteiras estão sem vigilância! 

Quero lembrá-los também que temos 50 mil soldados Haitianos e muitos cubanos entre nós. 

Onde eles estão nesse momento? Em locais estratégicos, alimentados e seguros apenas aguardando um comando para agir. 



"Morales, um aliado de Dilma e Lula, a quem chamou várias vezes, no passado, de irmão mais velho, afirmou ontem que a direita brasileira quer tomar o poder através de um golpe e frustrar uma eventual intenção de Lula de concorrer novamente à presidência.

Outros países, como Uruguai, Venezuela e Equador, mostraram publicamente apoio à presidente brasileira, enquanto o secretário-geral da Unasul, o colombiano Ernesto Samper, expressou a Lula solidariedade e afirmou que o ex-presidente é vítima de um "linchamento midiático".

O presidente boliviano também mostrou preocupação com a situação na Venezuela, onde afirmou que os Estados Unidos preparam "um golpe ou uma intervenção militar".

"Tenho muito medo. Se houver golpe de Estado, novamente os trabalhadores irão se organizar em guerrilhas, haverá confrontos armados. Quem perde? O povo", disse."

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/03/bolivia-pede-cupula-da-unasul-no-brasil-para-defender-dilma-e-lula.html

Espero sinceramente que eu esteja errada e que os prognósticos futuros sejam mudados...

laura botelho


16 de mar de 2016

O contator de casos. Lula e se a Terra fosse quadrada.

POLÍTICA é a arte de conquistar,
manter e exercer o poder, o governo,
Nicolau Maquiavel.

Teoria de “Conspiração mundial” pra mim, nunca foi “teoria”, basta para isso que você leia muita coisa que não sai na mídia controlada. Há um “mundo” paralelo em termos de informação do que acontece nesse planeta, e se você só vive no “mundo” que eles querem que você veja, sinta, cheire e ouça...

Daqui pra frente sentirá um baque danado quando esses dois mundos (explicito e o implícito) colidirem, e você não saberá bem o que está vendo e tão pouco terá condições de fazer uma análise criteriosa para suas escolhas em diante. Pra quem estava alheio a tudo, só restará sentar, chorar e rezar para um deus que não existe.

O planeta Terra é administrado por forças muito maiores dos que as que podemos perceber. O que muitos estão vendo agora é uma pequena peça de um grande quebra cabeças – mas ainda faltam muitas peças para serem analisadas e colocadas no seu devido lugar.

Talvez, (quem sabe?) essa seja umas das últimas postagens onde poderei exercer o poder de expressão a respeito desse assunto = política interna brasileira.

Do jeito que as coisas estão caminhando, penso que o marco cível da internet será um instrumento inibidor de informações que irá controlar o que nós blogueiros mostramos diariamente. Inibir nosso trabalho será fundamental para manter as ovelhas pastando como sempre fizeram. Darão início a caça as ovelhas “negras” – que tanto trabalho dão, para quem controla o rebanho.


Então, vou agitar o rebanho enquanto ainda posso.

Casa Civil no Brasil,
é o órgão diretamente ligado ao chefe do Poder executivo de uma federação ou unidade da federação criado pelo decreto-lei n° 920 de 1 de dezembro de 1938.

Devido à ligação direta com a Presidência da República, o chefe da Casa Civil geralmente é considerado o ministro mais importante, podendo ser comparado à figura do primeiro-ministro nos regimes parlamentaristas.
As atribuições básicas de uma Casa Civil envolvem o assessoramento direto do Chefe do Poder Executivo na coordenação de ações de governo, inclusive de outros ministérios.

Também são responsáveis pela avaliação das propostas legislativas que o Chefe do Executivo encaminha ao Poder Legislativo, além de cuidar da publicação de atos oficiais do governo.

O Contador de casos
Destaquei alguns trechos e sublinhei frases do depoimento do Lula ao Delegado da polícia Federal no dia 04 de março de 2016, que tanto indignou o dono do Brasil. Acredito que muitos não leram o depoimento e nem vão ler, uma pena.

Você acha perda de tempo? Deve ser por isso que eles ainda governam...


Delegado da Polícia Federal:­
Mudando um pouquinho de assunto agora, o senhor conhece a empresa G4 Entretenimento e Tecnologia Digital?

Lula:­
Eu não conheço, mas eu sei que acho que é do, o meu filho acho que era sócio dela, G4.

Delegado da Polícia Federal:­
Qual filho?

Lula:­
O Fábio.

Delegado da Polícia Federal:­
E quem é o tesoureiro do instituto?

Lula:­
Olha, eu vou repetir aqui, ou é o Celso Marcondes ou é a Clara Ant, se não for nenhum dos dois é o presidente do instituto.

Delegado da Polícia Federal
O Paulo Okamotto então pode ser tesoureiro também, ele pode exercer a função de tesoureiro também?

Lula:­
Quem?

Delegado da Polícia Federal
O Paulo Okamotto.

Lula:­
É que o presidente é a maior autoridade do instituto, é a maior autoridade do instituto, então mesmo coisas que a tesouraria faça muitas vezes têm que passar por ele, é assim até no Corinthians.

Delegado da Polícia Federal
O senhor saberia dizer quem na Camargo Correa seria o interlocutor da Camargo Correa para fazer doação, ou da OAS?

Lula:
Não sei. Não sei.

Delegado da Polícia Federal:­
Alguém da OAS, alguém da Andrade Gutierrez, que a gente possa verificar porque passou por essa pessoa?

Lula:
Eu já disse para você que a mim não interessa discutir esses assuntos, não me interessa.

Lula:­
Deixa eu lhe falar uma coisa, um Presidente da República que se preze não discute dinheiro de campanha, se ele quiser ser presidente de fato e de direito ele não discute dinheiro de campanha.

Delegado da Polícia Federal
Certo. Uma doação de 2,4 milhões feita pela UTC Engenharia, o senhor não tomou conhecimento?

Lula:­
Nem essa e nem outras.

Delegado da Polícia Federal
Então o Instituto Lula cuida das suas palestras também?

Lula
De algumas, de algumas.

Delegado da Polícia Federal
E a receita dessas palestras vai para o instituto ou para a LILS?

Lula:­
Ela fica na LILS e vai ser utilizada quando todas as empresas que vocês estão destruindo nesse país não puderem contribuir mais financeiramente, o dinheiro vai ser utilizado para manter o instituto.

Delegado da Polícia Federal:­
Então, uma das empresas que passou dinheiro, essa, por exemplo, 36 mil. Tem uma aqui que talvez o senhor vá lembrar porque é mais de 1 milhão de reais, G4 Entretenimento e Tecnologia.

Lula:­
É o que eu disse para vocês, se a G4 prestou serviços para o instituto, se ela prestou serviços, o instituto paga corretamente os serviços prestados.

Delegado da Polícia Federal
Certo. Para a G4. É do seu filho Fábio, não é?

Lula:­
É. Isso já foi apresentado para a receita federal, já esteve lá xeretando.


Delegado da Polícia Federal:­
Aqueles nomes que eu lhe falei, que o senhor não conhece, por exemplo, a Nemala, ela é recebedora a título de serviços prestados...

Lula
Ah, deve ser, lá trabalhou recebeu, lá não é que nem o poder público que não paga não, lá a gente paga.

Delegado da Polícia Federal
A qual o senhor se refere, ao federal...

Lula:­ Hein?

Delegado da Polícia Federal
A que poder público o senhor se refere, federal, estadual ou municipal?

Lula:­
Todos. Uma das coisas que fomentou a corrupção no Brasil ao longo do tempo é que o Ministério Público, o poder público fingia que contratava obra, fingia que pagava, a empresa fingia que fazia, ficava tudo como antes. Antes de eu chegar à presidência, o servidor público fingia que trabalhava, o governo fingia que pagava, o Brasil se fodia, então, desculpe a palavra horrível, então nós resolvemos moralizar tudo isso, eu adotei como política o seguinte, é o seguinte, primeiro pagar em dia, eu só tenho credibilidade com as pessoas se eu pagar em dia, se eu fingir que pago e a pessoa finge que recebe alguém vai enganar alguém, então eu optei pela seriedade e isso vale para o instituto.


Delegado da Polícia Federal:­
Certo. Qual a quantidade média de palestras proferidas pelo senhor por mês?

Lula:­
Eu tenho que falar uma coisa, eu preciso explicar uma coisa porque se não explicar é difícil vocês entenderem, quando eu deixei a presidência da república no dia 31 de janeiro, no dia 1º de janeiro de 2002, eu era o Presidente da República considerado o melhor Presidente da República do início do século XXI, pois bem, quando eu deixei a presidência todas as empresas de palestras, que organizam palestras de Bill Clinton, Bill Gates, Kofi Annan, Felipe Gonzales, Gordon Brown, todas as empresas mandaram e­mail, mandaram telegrama, mandaram convite, telefonaram, que queriam me agenciar para fazer palestra, nós então fizemos um critério de não aceitar nenhuma empresa para me agenciar, primeiro por cuidado político, que a gente não sabia quem eram, e segundo porque a gente queria fazer palestras selecionadas, ou seja, que a gente pudesse falar do Brasil, eu posso até mandar para vocês alguns discursos que eu faço, ou seja, a gente fazia discurso primeiro mostrando o que aconteceu no Brasil em 8 anos, que era o que todo mundo queria, e depois a gente dizia qual era o futuro do Brasil, o que o Brasil tinha de perspectiva para a frente, e decidimos, decidimos cobrar um valor, todas as minhas palestras custam exatamente 200 mil dólares, nem mais e nem menos.


Delegado da Polícia Federal
“Nós”?

Lula:­
Eu, eu decidi, eu decidi. Nós pegamos um valor do Bill Clinton e falamos o seguinte “Nós fizemos mais do que ele, então nós merecemos pelo menos igual”, e aí passamos a viajar, eu viajei muito em 2011, até porque eu queria sair do Brasil para não ficar atrapalhando a presidente que tinha tomado posse, não sei se você sabem que um ex­presidente deixa o cargo ficando no mesmo espaço, depois de 2011, em outubro eu peguei um câncer, aí fiquei paralisado quase em 2012, em 2013 fiz palestras, em 2014 eu parei em março de fazer palestras por causa das eleições, em 2015 eu quase não fiz palestras porque eu queria que primeiro a presidenta apresentasse os grandes programas de futuro para o Brasil, porque quando você vai fazer palestras você tem que vender o teu país, você tem que mostrar o que vai acontecer nesse país, você tem que atrair investidores, você tem que mostrar que você é melhor do que o México, você tem que mostrar que você é melhor do que o Canadá, você tem que mostrar que você é melhor que a China, então quando eu viajava, até 2013, o Brasil estava construindo as três maiores hidrelétricas do mundo, o Brasil estava construindo 6 mil quilômetros de ferrovia, 10 mil quilômetros de rodovia, 20 mil quilômetros de linha de transmissão, tinha os estádios todos da copa do mundo, tinha as olimpíadas, então o Brasil tinha um portfólio de coisas que eu, se fosse a Dilma, eu viajava todo mês para fora para vender as coisas do Brasil, porque ela não viaja? O Peru viaja, a China viaja, a Rússia viaja, o México viaja, a Nova Zelândia, todo mundo viaja vendendo o seu país, mostrando o que é, e eu fazia isso com muito orgulho, fazia com muito orgulho; eu, se tivesse disposição, em 2011 eu teria feito acho que uma palestra por dia, ou até duas por dia se eu quisesse, eu tive proposta de fazer palestra de 500 mil dólares na Coreia e eu não fui.

Delegado da Polícia Federal:­
Do norte ou do sul?

Lula:­
Não fui. Então, querido, é por isso que eu fui fazer palestras, porque foi a forma mais decente e a mais digna, recebi proposta para ser conselheiro do Banco de Desenvolvimento da China não aceitei, recebi convite para ser conselheiro de empresas multinacionais que trabalham no Brasil não aceitei, porque eu não quero ser consultor e não sou conferencista, eu sou um contador de caso, de uma história de governança bem resolvida.


Delegado da Polícia Federal
Quem define o tema das palestras?

Lula:
Normalmente, cada convite que vem, você pergunta: “Que tema o senhor gostaria, ou a senhora, gostaria que fosse abordado?” Se é a questão ambiental, se é a questão econômica... No meu caso, e é isso que me dá orgulho, o que mais as pessoas queriam saber é qual foi o milagre que aconteceu no Brasil. Qual foi o milagre. Porque o Brasil passou de repente a ser sinônimo de coisa boa. Porque que, de repente, Bush passou a falar bem do Brasil, o Chirac passou a falar bem do Brasil, Ângela Merkel passou a falar bem do Brasil, Hu Jintao passou a falar bem do Brasil, Putin passou a falar bem do Brasil, Sarcosi passou a falar bem do Brasil, o New York Time passou a falar bem do Brasil, a Revista Time passou a falar ... De repente por que essa coisa aconteceu, por que aconteceu? Porque as pessoas viram no mundo pela primeira vez o pessoal do degrau de baixo subir um degrau na vida e fortalecer aquilo que eu dizia: “Pobre não é problema, pobre é solução.” Empresta 1 bilhão para um rico, ele vai abrir uma conta pra fazer especulação, com a própria taxa Selic nossa. Empreste 50 reais para um pobre que ele vai comprar pão, ele vai comprar um chinelo, ele vai comprar uma coisa que vai fazer o mercado funcionar no dia seguinte.

Uma breve palestra sobre Mudanças climáticas.


Delegado da Polícia Federal
Certo. Vamos mudar de tema agora, José Carlos Bumlai e Schahin Engenharia, é...

Lula:­
Eu já respondi isso em Brasília, não é possível que vocês não estejam... Você sabe que o...

Delegado da Polícia Federal:­
O senhor está respondendo por fatos aqui, não é por pessoas.

Lula:­
Você sabe que o atentado às torres, uma das coisas que dizem que aconteceu aquele atentado foi porque a polícia não se comunicava. Eu já fui à Brasília pra...


Delegado da Polícia Federal
Frequenta propriedades dele? (Bumlai)

Lula:
Não, não porque eu fui eleito logo Presidente da República, e eu queria dizer que como Presidente da República eu fiquei 8 anos lá, sem ir num restaurante, sem ir num aniversário, sem ir num casamento. Eu fiz um celibato quando eu fui Presidente da República


Delegado da Polícia Federal
Quando que os seus amigos compraram o sítio para o senhor usar para descanso ou pra qualquer outra atividade?

Lula:­
Eu sei que eles deram sinal, depois pagaram, e foi dividido, e eu fiquei sabendo no dia 13 de janeiro de 2011 e fui conhecer o local dia 15 de janeiro. Sei também, dito pelo companheiro Fernando, pelo Jacó Bittar e pelo Jonas, de que uma das ideias deles era, não só que eu tivesse um lugar pra descansar, mas também que tivesse alguma coisa pra guardar as tralhas de Brasília, que é muita tralha que a gente ganha.

Delegado da Polícia Federal
E o senhor conseguiu fazer isso?
Lula:­
Está lá.
Delegado da Polícia Federal:­
Tudo?
Lula:­
Uma parte, pequena coisa.
Delegado da Polícia Federal:­
Onde é que está o resto?
Lula
Hein?
Delegado da Polícia Federal:­
Onde está o resto que saiu de Brasília?
Lula:­
Uma parte deve estar no sindicato, porque tem várias coisas, tem coisas de valor...
Delegado da Polícia Federal:­
Qual sindicato?
Lula:­  
Hein?
Delegado da Polícia Federal:­
Qual sindicato?


Lula:­
Acho que é no sindicato nosso, dos metalúrgicos. Tem coisa de valor que deve estar guardada em banco, tem coisa... Eu já tomei uma decisão, terminada essa porra desse processo, eu vou entregar isso para o Ministério Público, vou levar lá e vou falar “Janot, está aqui, olha, isso aqui te incomodou? Um picareta de Manaus entrou com um processo pra você investigar as coisas que eu ganhei, então você toma conta”

Lula:­
Eu falei tralhas, que eu nem sei o que é, mas é tralha, é coisa...
Delegado da Polícia Federal:­
Sim, mas o senhor disse que tem bens valiosos.
Lula:
Hein?
Delegado da Polícia Federal
O senhor disse que tem alguma coisa valiosa.
Lula
Eu não sei onde está, mas tem muita coisa valiosa. Tem muita coisa valiosa que eu não sei como é que aquilo está...


Delegado da Polícia Federal:­
Qual era a intenção da segunda visita?

Lula:
Quando eu fui a primeira vez, eu disse ao Léo que o prédio era inadequado porque além de ser pequeno, um triplex de 215 metros é um triplex “Minha Casa, Minha Vida”, era pequeno.

Delegado da Polícia Federal
Isso é bom ou é ruim?

Lula:­
Hein?

Delegado da Polícia Federal:­
Isso é bom ou é ruim?

 Lula:­
Era muito pequeno, os quartos, era a escada muito, muito... Eu falei “Léo, é inadequado, para um velho como eu, é inadequado.” O Léo falou “Eu vou tentar pensar um projeto pra cá.” Quando a Marisa voltou lá não tinha sido feito nada ainda. Aí eu falei pra Marisa: “Olhe, vou tomar a decisão de não fazer, eu não quero” Uma das razões é porque eu cheguei à conclusão que seria inútil pra mim um apartamento na praia, eu só poderia frequentar a praia dia de finados, se tivesse chovendo. Então eu tomei a decisão de não ficar com o apartamento.


Delegado da Polícia Federal
O senhor comentou agora que o apartamento não é seu, que o senhor estava querendo o dinheiro de volta...

Lula:­
Estou querendo, não recebi ainda, estou querendo.

Delegado da Polícia Federal
O senhor fez o requerimento, é um termo de declaração com o requerimento de admissão do quadro social da Mar Cantábrico, da Bancoop. Quando é que foi feito esse requerimento para o senhor sair da Bancoop?

Lula:­
Agora em dezembro.


Delegado da Polícia Federal
Ok. Houve troca de diretorias da Petrobras no início do seu mandato?

Lula:­
Houve, era tudo tucano, porra. Só tinha tucano, eu fui obrigado a tirar. Tinha um que era tido como um deus, tinha um que era tido como um deus da Petrobras, aí eu tirei, foi trabalhar com o Eike Batista, é o que o afundou o Eike

                                            xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Como você pode ver, esse sujeito é um contador de casos e é o que ele sabe fazer de melhor. É tão bom no que faz, que ele mesmo acredita no que diz e faz muita gente crer também. 

Vamos aguardar o final dessa história, da nossa história. Posso lhe adiantar que não será um final feliz, pois há uma agenda a ser cumprida mundialmente e a America Latina é apenas mais um curral, uma parte da fazenda humana que terá que ser “limpa”.

Fique atento e cuide-se

laura botelho




meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos