Google

Translate my page Google

25 de mai de 2015

Projeto HEAVEN-GEMINI: Mudando sua cabeça para outra vida


A Medical News Today informou esse ano que um cirurgião italiano tem planos para realizar o primeiro transplante de cabeça humana nos próximos 2 anos. 

Valery Spiridonov é um homem russo de 30 anos de idade que será a cobaia desse projeto. Se tudo der certo, nunca mais o russo terá dor de cabeça com seus problemas, apenas dor na cabeça, que é bem diferente. 


Vladimir é um pacato cientista da computação e apaixonado por programações. Foi diagnosticado com a doença de Werdnig-Hoffman quando tinha 1 ano de vida - uma condição de perda de massa muscular, um tipo de atrofia muscular espinal (SMA). 

Embora as pessoas com esse diagnóstico, raramente vivam além de 20 anos, o russo ganhou 10 anos de bônus, e pretende com essa operação de troca de cabeça, expandir o prazo para muitos anos adiante.

Essa condição degenerativa é causada pela perda de neurônios motores na medula espinal que dificulta a locomoção e, por conseguinte, a limitação e freqüente dependência da ajuda das outras pessoas. Diante desse quadro limitado em que se encontra, resolveu se submeter a essa nova perspectiva de “vida” – arrumar um corpo novo para sua alma definhada...

Projeto HEAVEN-GEMINI
Dr. Sergio Canavero é um neurocirurgião de renome e diretor do Neuromodulation Group em Turim, Itália, que executará a obra. Ele recebeu uma série de e-mails e cartas de pessoas que pedem para ser “o corpo” que a cabeça precisa, muitos dos quais foram de indivíduos transexuais. (não entendi essa parte)

No entanto, o cirurgião diz que as primeiras pessoas a se submeterem ao procedimento serão aquelas com condições de perda muscular como Spiridonov.

Esse evento terá a participação estimada de 100 cirurgiões para executarem a obra dentro de 36 horas – o que envolverá fusão da medula espinhal (SCF) - ao custo de um pouco mais de US $ 11 milhões

O Vladimir será mantido em coma por cerca de 3-4 semanas, diz Dr. Canavero, período em que a medula espinhal estará sujeita a estimulação elétrica através de eletrodos implantados a fim de impulsionar as novas conexões nervosas.
A cabeça de um corpo doador será removida. Será usada uma "lâmina ultra-sharp", a fim de limitar a quantidade de danos na medula espinhal

O novo corpo será retirado de "um doador com morte cerebral”, mas de maneira saudável, claro, enquanto que o cérebro do Vlad será arrefecido entre 50 e 60 graus Fahrenheit objetivando a manutenção e longevidade das células cerebrais que estarão sem oxigenação, para depois então, ser unido ao novo corpo com "uma puta cola biológica especial."

Colinha safada essa...
Uma vez que a operação esteja concluída, a cabeça e o novo corpo do russo Spiridonov serão colocados em processo de coma por 3 a 4 semanas para prevenir qualquer movimento in-voluntário.

Vai que o corpo quer fazer xixi, mas a cabeça se esqueceu de como se anda até o banheiro... para isso Vlad receberá uma carga violenta de medicamentos em seu novo corpo com imunossupressores – para que o corpo não rejeite o novo chefe. 

Dr. Canavero já havia admitido: existem só dois grandes desafios com o projeto HEAVEN-GEMINI: reconectar a medula espinhal cortada, e parar o sistema imunológico de rejeitar a cabeça. 


Eliminando isso... o resto é mole. Mas ele afirma que estudos recentes em animais têm demonstrado que o procedimento é "viável" e vai dar certo!

O mais interessante de tudo é que se a operação for bem sucedida, o pobre do Vlad será incapaz de se mover ou respirar ou se comunicar – o primeiro paciente de cabeça-transplantada poderá experimentar um destino "pior que a morte”.

Embora não tenha sido confirmada uma data para esse procedimento Vlad diz que isso poderia acontecer já no próximo ano – 2016. Mas o Dr. Canavero espera concluir a operação de transplante de cabeça em Spiridonov em 2017.

Por curiosidade, na década de 1950 um pesquisador soviético de nome Vladimir Demikhov transplantou fácil 20 cabeças de filhotes. A experiência mais bem sucedida durou 29 dias. Mas tudo faz crer que o russo viva mais que um mês.

Já em 1963, o Dr Robert J. White, em Cleveland, Ohio fez com sucesso um transplante de cabeça entre os macacos. O animal foi capaz de cheirar, provar, ouvir e ver. Os nervos ficaram totalmente intactos, e conectados ao cérebro a um suprimento de sangue que o mantinha quimicamente vivo. Ele repetiu essas experiências com ainda mais sucesso na década de 1970 e depois novamente em 2001.

A Ponte de Adão
A ponte tem 30 km de comprimento e separa o Golfo de Mannar (sudoeste) a partir do Estreito de Palk (nordeste). Alguns dos bancos de areia são secos e o mar na área é muito superficial, sendo apenas de 1 a 10 metros de profundidade em alguns lugares, o que dificulta a navegação.  


Rama Sethu é uma estrutura feita pelo homem. 
Foi o veredicto dado pela Suprema Corte de Madras que é composta por 52 juízes e um chefe de justiça na Índia. As evidências, dizem os especialistas no assunto, estão na coleção de imagens digitais. Uma curvatura única da ponte e sua composição revelam que é feita pelo homem. 

Um ex-diretor do Serviço Geológico da Índia, S. Badrinarayanan, afirma que seria impossível uma “formação natural” com essas características. Ele justifica sua posição baseado na presença de uma camada de areia solta sob corais por toda a extensão. 

Rama Sethu, segundo a tradição islâmica refere-se a uma montanha no Sri Lanka nomeada como a “Ponte de Adão”, na qual supostamente, descreve a travessia de Adão do Sri Lanka para a Índia. Esse “Adão” seria aquele “Adão” - primeiro homem - feito por deus, segundo narram textos antigos.

Ramayana é um épico da mitologia indiana. Há uma menção sobre uma ponte, que foi construída entre Rameshwaram (Índia) e litoral cingalês, sob a supervisão de uma figura chamada Rama, que é suposto ser, a encarnação do supremo - que pode ter ocorrido há apenas 1.700 mil anos atrás.

Como o Mahabharata, o Ramayana não é apenas uma história, mas um script (agenda) que desempenha um papel importante na literatura hindu - tal qual a Bíblia para o Ocidente - em que descreve os deveres das relações ideais; como o pai ideal; o servo ideal; o irmão ideal; a esposa ideal; e o rei ideal

E daí, Laura, onde quer chegar?
Calma, vamos tricotando... Acompanhe minha viagem.

Vanara – o homem macaco
Vanara significa "macaco". Ao contrário de outras criaturas exóticas, como os rakshasas, os Vanaras não têm um precursor na literatura védica. 

Ramayana descreve os Vanaras como seres humanos com referência ao seu discurso, vestuário, habitação, funerais, consagrações etc. São divertidos, infantis, ligeiramente irritantes, hiperativos, aventureiros, sem rodeios, honestos, leais, corajosos e gentis. Ele também descreve suas características físicas como macacos, com pelo e uma cauda, mas os vanaras femininos não têm cauda (rabo).

Homo floresiensis
Apelidado de “hobbit”, esse SER foi considerado como sendo uma espécie extinta do gênero Homo. Foram descobertos em 2003 na ilha de Flores na Indonésia, esqueletos parciais de 9 indivíduos, mas só foram revelados em 28 de outubro de 2004. 

Este hominídeo é notável pelo seu pequeno corpo e cérebro e possivelmente viveram 12 mil anos atrás. Um estudo dos ossos e articulações do braço, ombro e membros inferiores, concluíram que H. floresiensis era mais parecido com os primeiros humanos e os macacos do que os seres humanos modernos.

Para um cérebro pequeno o H. floresiensis tinha comportamentos avançados. Sua caverna mostrava evidências do uso do fogo para cozinhar, bem como utensílios domésticos.

Homens e Dinossauros
A ciência nos diz que os dinossauros foram extintos há 65 milhões de anos atrás, mas dados recentes nos dizem o contrário. Sir Richard Owen cunhou o termo "dinossauro" para descrever os gigantes "lagartos terríveis" cujos ossos foram descobertos em meados da década de 1800.

Hadrossauro como potinho de jóias feito pela tribo Dogon
O único esqueleto de hadrossauro foi descoberto em 1858, que incluía partes do quadril, um fêmur, parte de um pé, e uma seção de 10 metros de cauda, faltando a ponta.  Não se explica como uma tribo retratou algo que até pouco tempo não existia. Vai ter imaginação assim no inferno...

Heródoto, um pesquisador grego muito respeitado escreveu:
"Há um lugar na Arábia, situado muito perto da cidade de Buto, para a qual eu fui, na audição de algumas serpentes aladas; e quando eu cheguei lá, vi os ossos e espinhas de serpentes, em quantidades tais que seria impossível de descrever. A forma da serpente é como a da cobra d'água; mas ele tem asas sem penas, como as asas de um morcego"
(Heródoto,  Historiae , tr. Henry Clay, 1850, pp. 75-76.)

Essa é uma descrição notável de um pterossauro. Em seu terceiro volume, Heródoto fala sobre a forma como estes animais poderiam, por vezes, ser encontrados nos bosques árabes. Ele descreve seu tamanho, coloração e reprodução. Parece que as serpentes venenosas que voam foram famosas por viver em árvores.

Heródoto tem sido chamado de "o Pai da História", porque ele foi o primeiro historiador que recolheu seu material de forma sistemática e, em seguida, testou-os. 

John Goertzen observou a representação egípcia de  aletas de cauda  com répteis voadores e concluiu que esse povo via pterossauros, ou não teriam como esboçar esta cauda em forma de folha. (Goertzen, JC, "Shadows of Rhamphorhynchoid pterossauros no antigo Egito e Núbia",  criptozoologia , Vol 13, 1998.)

Dra. Mary Schweitzer, professora adjunta da marinha, da Terra e Ciências Atmosféricas da Universidade Estadual da Carolina do Norte, surpreendeu os cientistas, em 2005, quando relatou ter encontrado tecido mole em ossos de dinossauros. Foi então que em 2012 pesquisadores analisaram várias amostras de ossos de dinossauros no Texas, Alasca, Colorado, e Montana e verificaram que a datação do C-14 revelou que as amostras têm menos de 39.000 anos de idade

Estas descobertas notáveis ​​foram apresentadas por um físico alemão em uma conferência patrocinada pela União Geofísica Americana (AGU) e da Ásia Oceania Geociências Society (AOGS), em Cingapura. Mas, aparentemente, essa evidência era inaceitável para os evolucionistas influentes. 

O resumo da apresentação foi retirada do site da conferência por dois presidentes, porque não podiam aceitar estas conclusões. Recusando-se a desafiar os dados abertamente e apagaram o relatório da vista do público, sem dar uma palavra para os autores ou até mesmo para os oficiais AOGS!

Eles foram impedidos de apresentar em anais de conferências pela Convenção Paleontológico 2009 norte-americana, a American Geophysical Union, em 2011 e 2012, a Sociedade Geológica da América em 2011 e 2012, e pelos editores de vários revistas científicas. 

Mas felizmente, existe a Internet e estamos aqui para não deixar a boa informação passar. Temos que mudar essa informação caduca, refazer o programa. As crianças estão sendo orientadas a crer em algo errado!



O que tem a ver a troca de cabeça com uma ponte, com homens macacos, textos védicos e dinossauros?

Tudo, meu amigo!!!
Os deuses estão percebendo que estamos mais próximos da história real sobre a nossa existência. Já perceberam que falta muito pouco para que todo esse conhecimento tome uma dinâmica rápida, os deixando sem controle da situação. Quando isso acontece, eles destroem esse jogo e criam outro, com base nos dados anteriores.

O que ocorre a cada criação de uma civilização, ou destruição dela, é justamente a dinâmica da informação. Quanto mais acelerada é a associação dos fatos, mais rápida é a construção da ponte que nos liga a outras dimensões de percepção, nos mostrando a porta de saída!

Mais e mais seres atentos a esse engano e essa manipulação têm condições de observar o TODO e fazer escolhas assertivas! O que não era possível na idade média, por exemplo, onde todo conhecimento sobre tudo, ficava nas mãos de grupos dominantes.

A escravidão humana é passada de geração a geração, de civilização a civilização, até que seja interrompida por uma “luz” vinda do espaçoEssa energia não é “cósmica”, mas uma aceleração de partículas. Como uma mente tendo uma ideia original ! Uma explosão de conhecimentos! Um Big Bang!!

Essa luz chama-se NEXUS. Uma força eletromagnética que rompe a “cerca eletrificada” que nos mantém dóceis, cordeiros, obedientes, totalmente anestesiados e alienados da nossa grandeza espiritual.

A cada dia, mais e mais pessoas estão despertando, e o que me comove, é ver que entre eles estão os jovens!  Eles são muitos!! Estou perplexa com essa constatação!!

E é justamente para essa nova geração que escrevo e me empenho a cada dia.  Tenho certeza que eles são espíritos livres, pois já chegaram percebendo que as coisas estão muito erradas e querem mudar! O que estão lhes ensinando nas escolas, não bate! Mentiras seguidas de mentiras!

E o que “eles” querem ocultar?
Que seu conhecimento não está no seu cérebro/cabeça!!! Mas em cada átomo do seu corpo! Não adianta trocar a cabeça para um novo corpo se o programa que os mantém escravos ainda estiver ativo!!!

Seu cérebro é um computador! Trocar a cabeça é trocar apenas o aparelho!
O operador desse computador é a alma! Sua energia consciente! A informação que você tem e que gere suas escolhas. Ela não está no seu cérebro, mas em cada átomo!

“Eles” querem que você acredite que toda sua vida está na cabeça! Quando não está! O cérebro é apenas um ordenador de conhecimento. Ele organiza, agiliza e apresenta opções para aquilo que você deseja criar! Saiba usá-lo e não precisará mais dele!

Eles estão introduzindo um novo script; e esse novo programa é uma adaptação para a “nova civilização” que está por vir. Mais moderna, mas acelerada, cada vez mais longa. Ficará mais difícil perceber a cerca eletrificada.

O novo programa é para mentes distraídas, adormecidas, que ainda não estão prontas, maduras para despertar...


laura botelho


17 de mai de 2015

Video - Evidencias; Aliens estão entre nós

Nem todos têm assinatura de canais como o History Channel e outros veículos excelentes de informação. Mas curioso é que muitos têm acesso a esses programas, mas não querem ver ou não dão seu tempo para assistir a documentários que possam abrir um link fantástico para sua própria evolução.  

A informação está disponível, se você não quer saber ou não se interessa em saber, é pura questão de escolha. Mas há os que desejam muito entender todo esse contexto que envolve nossa existência, mas não sabem por onde começar a investigar. 

Aqui eu ofereço a você, que deseja muito saber, um video muito bom. Ele costura tudo que já sabemos e nos dá argumentos e evidências para entender porque essa "ciência moderna controladora" não deseja que a humanidade se itere de sua condição limitada de existir. 

Quem já foi iniciado tem condições de perceber claramente que a escravidão humana - por seres tecnologicamente avançados - é a tônica da questão. 

Fomos e estamos constantemente sendo avisados sobre isso!! 
O planeta é uma grande fazenda, e nós, os bichos de engorda para o abate. Eles farão de tudo para nos manter nesse ambiente simplesmente usando de nossa ignorância, portanto, do nosso total consentimento. Eles estão fazendo aquilo que acreditam e cabe a cada um usar sua liberdade de escolha. 

Estude, pesquise, entenda como tudo funciona. 
A "liberdade" que você almeja não está na quebra das algemas, na ruína das paredes do carcere ou na fuga para outro planeta, mas na conscientização de que somos almas livres e imortais - um fato que "eles" não querem que você saiba, nunca!

laura botelho


Em Busca de Alienígenas - O Conjunto das Evidências - Mistérios Fantásticos - Ciência from Bruno Guerreiro de Moraes on Vimeo.

11 de mai de 2015

Video - Entrevista de Gasparetto - Cidade de Akakor


Eu me deparei com essa entrevista essa semana que aborda um tema que já expus muito nesse BLOG. Mas o que chamou atenção, além dela ter sido feita nos anos 80 pela TV Gazeta, SP, tem como entrevistador Luiz Antonio Gasparetto.

O programa tem uma entrada sui generis... Com direito a piramide, olho de Hórus e unicórnios. O que eles sabiam antes, só agora o povo pode "enxergar". Nada como rever o passado. A gente começa a ligar as coisas e elas se ampliam e ganham vida própria. 

O programa Sexto Sentido recebe o arqueólogo Aurélio M. G. Abreu que fala com muita propriedade sobre mistérios da nossa Amazônia. Entre eles o desaparecimento do Cel. Fawcett; o assassinato do jornalista alemão Karl Brugger (autor do livro A Crônica de Akakor); a possível existência de pirâmides na área, fotografadas pela equipe de Erich von Daniken; bem como rumores da presença de um submarino alemão e nazistas na floresta.

Espero que você ligue as imagens com os fatos. Há muita incoerência no ar. Fraternidades e Irmandades desafiam o despertar da humanidade. É preciso ler muito, pesquisar muito para então enxergar além. 

Percebo que há muita gente perdida, achando que em outros "planetas" estarão muito melhor com "seres benevolentes", o que não faz sentido para mim. 

Acorda, isso é cilada.

laura botelho




7 de mai de 2015

Civilização Vinca, um passado recente.

Abraxas gerou a verdade e a mentira,
o bem e o mal, a luz e as trevas,
na mesma palavra e no mesmo ato. 
Portanto é Abraxas terrível.
“Sete Sermões aos Mortos
Carl.G. Jung, 1916

Rebis (do latim res bina, ou seja, a matéria dupla ou casal) é o produto final alquímico, dos opostos que se completam - opus magnum - ou a grande obra - uma reconciliação do espírito e da matéria. O dragão na alquimia representa a “matéria-prima”, a origem. A imagem do “Rebis”  apareceu pela primeira vez na obra “Azoth dos Filósofos” por Basil Valentine em 1613.


O Rebis é um símbolo do eu superior espiritual, o "deus eu", dentro de cada um de nós, uma revelação sobre a nossa natureza divina e eterna - não tão óbvia - devida as limitações de nossos 5 sentidos (ver, tocar, sentir, saborear, cheirar).

O povo Dogon é uma tribo indígena, atualmente com cerca de 100.000 membros que ocupa uma região em Mali, a sul do deserto do Saara, na África. É um povo recluso, isolado topograficamente e culturalmente do resto do mundo por incontáveis ​​séculos [3.200 aC]. Vivem em cavernas, nas encostas de montanhas de Homburi próximos Timbuktu. A palavra Dogon significa "fazer uma bebida” (?)

Esse povo milenar detém informações precisas sobre astronomia bem antes mesmo da ciência “moderna” do início do século 20.

Os primeiros cientistas ocidentais a visitar e estudar o povo Dogon foram os antropólogos franceses - Dr Marcel Griaule e Germaine Dieterlen - que inicialmente fizeram contato com eles em 1931, e continuaram a pesquisá-los nos 30 anos seguintes, culminando em um estudo detalhado realizado entre 1946 - 1950.

Durante seu trabalho os antropólogos documentaram a mitologia tradicional e as crenças sagradas do povo Dogon que incluía um corpo extraordinário de conhecimento antigo. Seu conhecimento é passado através da arte e da oralidade aos seus sucessores.

Sacerdotes Dogon narram com riqueza de detalhes sobre a estrela Sirius - 8,6 anos-luz da Terra - e nos informam que ela tem uma estrela companheira. Essa estrela realmente existe, mas era invisível o olho humano até pouco tempo. Sirius - o que hoje chamamos de Sirius A - não podia ser observado sem um telescópio até 1862 e não foi fotografado até 1970. Mas esse povo já sabia. Como?

O nome que os Dogon deram para “Sirius B” – a companheira de Sirius A - é [Po Tolo] nome da menor semente conhecida por eles – uma analogia "a menor coisa que existe."
Também contaram aos antropólogos que a estrela Po Tolo (Sirius B) orbita Sirius A e que uma órbita completa leva 50 anos, é "a mais pesada das estrelas", e de cor branca. A estrela, segundo eles, é composta por algo que eles denominaram “Sagala” - um misterioso metal super denso mais pesado que todo o ferro existente no planeta Terra.

Essa ideia “maluca” dos “indígenas ignorantes” só foi confirmada a partir de 1926, no qual cientistas modernos descobriram que esta pequena estrela é uma anã branca - uma categoria de estrela caracterizada por sua grande densidade. No caso de Sirius B, os astrônomos estimam que um único metro cúbico de sua matéria pesa cerca 20.000 toneladas.

Você pode alegar que os cientistas em 1931 treinaram os indígenas para repetir tudo isso como um papagaio caso fossem questionados, mas o que não poderiam fazer é criar peças esculpidas com mais de 400 anos de existência, descrevendo todo o sistema de Sirius quando nem eles conheciam isso. Forte essa, não?

O conhecimento Dogon não se resume a Sirius B, eles sabem que os planetas orbitam o sol, descrevem os anéis de Saturno, e as quatro grandes luas de Júpiter. Seus 4 calendários são orientados pelo o Sol, a Lua, Sirius, e Vênus. Tal qual povos antigos faziam, como os Maias, por exemplo.


O povo Dogon narra que seu conhecimento astronômico de uma forma geral foi dado a eles pelos Nommos - seres anfíbios que chegaram dentro do “fogo e do trovão” enviados para a Terra a partir de Sirius para “ajudar” a humanidade.

Nummos (ou nommos) são clamados por eles como "Mestres da Água", os "Orientadores”, e os “professores”...

Suas naves espaciais eram conhecidas como “carneiros celestes”
Isto porque a imagem do exterior da nave tinha uma tubulação curvada como chifres de um carneiro. Como resultado desta associação, o “carneiro” se tornou um símbolo importante da religião Dogon. Esses seres Nummos voltarão a Terra, segundo narra a história, mas desta vez em forma humana.

Tá Ligando os pontinhos? Calma, tem mais.

Dogons descrevem os seres com pés, mas são retratados como tendo uma grande “pele de peixe” escorrendo de seus corpos, eram como humanos, mas viviam na água. De acordo com lendas babilônicas, estas mesmas divindades aquáticas viriam em terra durante o dia para ensinar o povo e mergulhavam de volta à noite para o Golfo Pérsico, onde viviam em um palácio subaquático chamado de Apsu.

Estes seres com características de peixes e serpentes eram hermafroditas e passaram mais tempo na água do que em terra. Enquanto estavam em terra se moviam como serpentes em seus longos corpos magros.

Pesquisadores observaram que a crença/religião Dogon é o núcleo de todas as religiões hoje existentes. Elementos da religião Dogon aparece nas lendas do rei Artur e vêem sendo utilizados pela Sociedade Maçônica desde a formação das primeiras alianças, conectados com os merovíngios, os mitos associados com Maria Madalena, e do Livro de Kells.

Miriam ou Mariam. Palavra 'Mari' ou 'Marie' vem da palavra "mar". Criado a partir do mar. 

O povo Dogon reúne todos os links das raízes da civilização humana. Basta você desejar saber, querer ver a conexão entre os símbolos, que é absurdamente berrante.

Enki, Nommo, Oannes, Poseidon... A imagem sempre se repete. Muita coincidência? A figura muda conforme a interpretação e observação de cada povo, cultura, respeitando o grau de conhecimento de cada era. Usa-se a comparação com aquilo que já se conhece; um foguete espacial pode ser interpretado como “fogo e trovão”, por exemplo.
  
Uma figura com cabeça de leão e corpo de humano é uma escultura de marfin – até esse momento – a mais antiga escultura zoomórfica (em forma de animal) no mundo.


A estatueta foi identificada como tendo cerca de 40.000 anos de idade por datação radio carbono. Esculpida em presa de mamute, tem 29,6 centímetros de altura, 5,6 cm de largura e 5,9 cm de espessura. Está agora no museu em Ulm, Alemanha.

Essa escultura tem semelhanças com pinturas de murais nas cavernas francesas onde também mostram criaturas híbridas, com apenas uma diferença – a de milhares de anos mais antiga que essas pinturas francesas.

Narasimha, Narasingh , Narsingh e Narasingha em idiomas derivados é um avatar do deus Vishnu que também é o deus supremo Krishna e uma das divindades mais populares do Hinduísmo.

Narasimha é freqüentemente visualizado como meio-homem / meio- leão, com um torso humano e inferior do corpo, com um rosto e garras de leão. Ele é conhecido principalmente como o 'Grande Protetor' que especificamente defende e protege os seus devotos em “momentos de necessidade”. 

Zurvan é deus primordial na religião persa, mencionado nas origens da alquimia xamanica e esotérica. Está ligado com a astrologia babilônica. O pai dos opostos, do paradoxo entre o bem e o mal, o deus do destino, a luz e a escuridão. A forma de realização espiritual para esta reconciliação de opostos foi abraçado pelo pensamento grego e indiano. Eventualmente é conhecido como Cronos, o Guardião doTempo, o deus do tempo e do espaço infinito. Senhor dos quatro elementos.

Vai somando...

O Mistério das estatuetas Vinca
A cultura Vinča - também conhecida como cultura Turdaş ou cultura Turdaş-Vinča  - é uma  cultura arqueológica descoberta em 1908 no sudeste da Europa, na aldeia de Vinca (Sérvia), nas margens do Danúbio, datada do período 5.700 - 4.500 aC.

A escavação nas terras Vinca se deu entre 1918 e 1934 revelando uma civilização de 3 mil anos antes que a dinastia do Egito.  Uma típica cidade constituída de casas com layouts complexos arquitetônicos e várias salas, construídas de madeira. A cidade em Vinca foi o primeiro assentamento urbano na Europa, sendo muito mais velho do que as cidades da Mesopotâmia e Egito e a própria cidade de Vinca.


Uma das descobertas mais excitantes para os arqueólogos foi a descoberta de uma oficina de metal sofisticada em Plocnik, com um forno e ferramentas, incluindo um cinzel de cobre e um martelo de duas cabeças e machado.  

Uma sala com cerca de 25 metros quadrados, com paredes construídas em madeira revestida com barro. O forno, construído no lado de fora da sala, contou com saídas de ar da tubulação com centenas de pequenos buracos e uma chaminé para assegurar que o ar entrasse para alimentar o fogo no forno e que a fumaça saísse com segurança. 

A Idade do Cobre marca a primeira etapa do uso do metal dos seres humanos, com ferramentas de cobre utilizado juntamente com instrumentos de pedras mais antigas. Vinca poderia ser a primeira cultura que fez uso do metal na Europa.

Essa descoberta derruba a tese da idade do cobre, que acredita se agora ter se desenvolvido na Europa 500 anos antes.

"Estes resultados mais recentes mostram que a cultura Vinca foi desde o início uma cultura metalúrgica. Eles sabiam como encontrar minerais, para transportá-los e derretê-los em ferramentas." disse o arqueólogo Dusan Sljivar do Museu Nacional da Sérvia. 

O povo Vinca tinha um conjunto de símbolos gráficos - ou seja, eles provavelmente transmitiam mensagens entre si. O que também derruba a data da primeira escrita – isso tem mais de mil anos antes do esperado. A importância destes achados está no fato de que a maior parte dos símbolos Vinca foram criados no período entre 4.500 e 4.000 aC.

Segundo nossos cientistas a Escrita nasceu "de repente" de uma forma relativamente evoluída, não se sabia ao certo sua origem. O que significa que os Vinča tinham uma escrita antes mesmo das conhecidas tabuas pictográficas proto-suméria de Uruk (atual Iraque), que até então eram consideradas como o script mais antigo, por mais de mil anos. 

O mais perturbador para os céticos de plantão é que as análises desses símbolos mostraram que eles têm pouca semelhança com a escrita do Oriente, levando à conclusão de que estes símbolos e o script sumeriano provavelmente surgiram de forma independente. Ou os símbolos encontrados em Vinca são de um povo que não nasceu aqui, já vieram com eles.  

Vários estilos da cultura Vinca, em suas estatuetas, tem uma característica zoomórfica e antropomórfica. São mais de 2000 dessas figuras misteriosas. Isto de acordo com a maioria dos pesquisadores é considerada como uma anomalia arqueológica.

A característica mais marcante destas figuras misteriosas são faces triangulares em forma, grandes olhos amendoados, bocas e narizes que são inexistentes na maioria dos casos, que estranhamente parecem assemelhar-se animais como gafanhotos. Algumas destas estatuetas retratam misteriosamente uma combinação de seres híbridos, meio-humano metade réptil. São figuras humanóides estranhas, descritas como deidades “guardiãs”.



Fato: numerosos arqueólogos que estudaram esta civilização não têm uma “explicação convincente” para essa cultura anacrônica que era, obviamente, muito evoluída para época.

Isso quebra muitos padrões, dogmas e crenças que se pautam em dados errados ou não honestos com o que já se sabia há anos. Percebe-se claramente que a história já poderia ser reescrita, mas não foi, muito pelo contrário, grupos acadêmicos e intelectuais controlam toda uma sociedade, única e exclusivamente, mantendo informações em seus gabinetes de luxo...

Já é mais que sabido que quem tem conhecimento, tem grande poder sobre os que não o tem. Pesquisem e organizem o pensamento dessa nova geração. O conflito de geração está justamente na ausência da honestidade na informação. Acordem Mestres!!

laura botelho

5 de mai de 2015

Wave – A terceira de uma nova ordem e controle mundial.


É muito mais fácil lidar com uma dificuldade compreensível 
do que com uma escuridão incompreensível” 
Carl Jung

De fato, o experimento conhecido como “The third wave” [a terceira onda] - realmente ocorreu em abril de 1967, no Segundo Grau da escola Cubberley, em Palo Alto, norte da Califórnia/USA. 

Em 2008 esse evento real tornou se enredo de um filme com mesmo nome. Infelizmente há filmes que não ganham espaço na mídia ou nas reuniões sociais. É mais fácil falar de coisas banais como a novela das oito ou sobre as finais de um clássico de futebol. Mas acredito que as coisas estão mudando...

Professor Ron Jones
Certos temas assustam.
Podem mover comportamentos, promovendo movimento de escolha, e pior; fazendo as pessoas pensarem por si mesmas. Os filmes nos fazem pensar, ligar uma coisa que já sabemos, mas não sabemos que sabemos. Essa é a função da arte – o uso da metáfora como o “click” para despertar cérebros mais resistentes.

Essa semana tive a grata satisfação de falar com uma professora de uma escola estadual de Minas Gerais. Ela veio me indagar através do chat do meu Facebook sobre meu ponto de vista descritos nos meus textos. 

Para minha surpresa ela estava fazendo uma pesquisa sobre "conspirações em torno da Nova Ordem Mundial", envolvendo os "Illuminatis".

Essa ideia partiu dos seus alunos do 2º e 3º anos do Ensino Médio que solicitaram a essa professora que explicasse o que já está circulando nas redes sociais, mas que ninguém entende muito bem. A direção da escola foi consultada pela professora e liberada para os alunos.

Me enchi de felicidade! Não acreditei que aquilo estava acontecendo. Parece que a “onda” se espalhou e está afetando a consciência dos mais jovens!

Você caiu agora de pára-quedas na minha página e também não está conseguindo juntar “lé com cré? Calma, eu explico.

Por que as pessoas precisam saber sobre “Conspirações e Illuminatis”?
Por que esse é o momento de acordar, do esplendor da tão chamada “evolução da consciência”! 

Evoluir significa ter mais informação, mais conhecimento. Quanto mais se sabe, mais degraus você alcança nessa espiral dinâmica. Você dá um salto! Um “pulo quântico”, como dizem os físicos.

Um salto quântico, em física e química, acontece quando uma partícula (você é uma partícula) ganha energia (informação). Essa energia é liberada na forma de um fóton, o que ocasiona emissão de luz (informação). 

O movimento dos elétrons se acelera conforme a carga de “luz”, levando-os a se afastar do núcleo. Esse afastamento dos núcleos acontece na forma de "saltos" – do nível 1 para o 2 no primeiro salto, de 2 para 4 no segundo salto e assim sucessivamente.

A razão dos elétrons mais próximos do núcleo necessitarem de mais energia (e vice-versa) acontece devido à atração entre a parte positiva do átomo e a parte negativa (elétrons).


Quanto mais próximos o elétron do próton, mais ele é atraído pelo núcleo, criando um efeito de blindagem contra os saltos quânticos e assim "exigindo" maior energia para que os saltos sejam realizados e o elétron se afaste do núcleo.

Você ainda não entendeu nada do que eu quis dizer? Tia Laura explica de novo de “outra maneira”, até você dar o “click”...

A Terceira Onda foi um movimento social experimental criado por um professor de história - Ron Jones. Ele como bom professor criava situações para mostrar como o cérebro reage ao ambiente, mas de formas pouco ortodoxa; ou seja, o cara não só desenhava, mas fazia com que as pessoas exercessem a mágica na hora!

Uma dessas suas ideias foi fazer os alunos da escola (quase todos brancos) usarem diferentes sanitários para demonstrar como seria sentir o “apartheid” na pele, por exemplo. Uma coisa é saber, outra é experimentar. Por isso faço Workshops.

E os alunos entenderam a experiência e pediram mais. E numa das aulas sobre a segunda guerra as duvidas começaram – como explicar aos alunos por que a população alemã alegava desconhecimento do extermínio do povo judeu?

A partir da quantidade de elementos necessários para levar um povo a um controle total por um governo, seus alunos não entendiam como a sociedade alemã caiu na cilada do regime fascista. Como a população ficou pacata diante de tanta barbaridade?
Isso não entra na nossa cabeça nem antes, nem hoje. 

Professor Jones resolveu então mostrar ao vivo e a cores como a “mágica” acontece. Criou um movimento social ao longo de 5 dias através de uma série de exercícios em sua sala de aula, enfatizando a disciplina e a importância da comunidade. Mudou a fisiologia – comportamento gestual – o que é muito importante para novos aprendizados.

Bem, o que ele demonstrou é uma receita certa. Quem conhece um pouco de Neurolinguistica sabe como as coisas funcionam. Já mostrei a vocês como é fácil manipular um cérebro desnutrido de informação. Robôs são acionados remotamente. 


Esse torna-se uma caixa vazia, pronta para instalar um programa qualquer. E se esse programa é comungado por muitos... ele se espalha como um vírus contaminando todas as outras máquinas criando uma onda que só pode ser interrompida com a “quebra do padrão”.

O sucesso do experimento de Jones nos anos 60 levou a muitos a repensarem suas vidas e modelos de existir numa época em pleno andamento de movimentos anti-Vietnã e direitos civis.

Enfim, estou muito feliz por constatar que estamos quebrando padrões. Estamos explorando novos pontos de vista e reavaliando o nosso ambiente e o poder que ele tem sobre nossos cérebros. 

Ampliando o campo de informação, comparando, analisando, revendo nossas ações poderemos sem sombra de dúvidas dar um pulo e tanto nessa evolução. Entender como as coisas “funcionam” nos livra de muita encrenca. Acredite.


laura botelho

Filme completo - dublado



3 de mai de 2015

Video - Energia ! !


Este especial do History Channel traz a história de personagens históricos e contemporâneos que dedicaram suas vidas a encontrar novas formas de obter o bem mais precioso para o homem moderno: a energia

Nomes como Tesla, Bell, Mallove e Diesel, usaram toda sua criatividade para desenvolver energias alternativas para continuar alimentando o progresso da humanidade. 

Há entrevistas, material de arquivo e recriações, e aspectos importantes que essas mentes brilhantes enfrentaram como obstáculos para encontrar e apresentar uma nova fonte de energia com objetivo de evitar o "inevitável" - um colapso da sociedade.

Além dos segredos e interesses obscuros que manejam todo a informação, uma outra "energia" corre paralela - uma energia negativa que nos arrasta por séculos.

Divirta-se

laura botelho

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos