Google

Translate my page Google

28 de jan de 2014

DMT - A Molécula do Espírito


O documentário "DMT - A Molécula do Espírito" tem a direção de Mitch Schultz e foi lançado em 2010 nos Estados Unidos, mas tudo indica que esse, não chegará a sua TV tão cedo.

São relatos das experiências que o Dr. Rick Strassman obteve através de suas pesquisas pioneiras sobre a molécula dimetiltriptamina [DMT].

Esta substância de efeito "alucinógeno" é naturalmente encontrada em plantas e também produzida naturalmente em nosso cérebro. 
Com estrutura molecular simples seus efeitos são espantosos.

No Brasil a molécula DMT (dimetiltriptamina) pode ser também encontrada na bebida feita com a planta Ayahuasca, usada em rituais de culturas indígenas sul-americanas há milênios. É uma das ferramentas tradicionais dos xamãs na América do Sul, e em muitas regiões é até hoje é um medicamento comum usado para tratamento de várias doenças. Várias plantas são usadas em toda a América do Sul e a maioria dos quais têm altas concentrações de dimetiltriptamina.

Raimundo Irineu Serra nasceu no Brasil em 1892 tinha pais africanos que migraram para a Amazônia Ocidental em 1912 atraídos pelo “boom na indústria da borracha”. Irineu conheceu a ayahuasca na região da fronteira entre Brasil, Bolívia e Peru, após ingerir o liquido feito da planta enquanto passava dias de solidão na floresta, e como resultado da experiência em uma série de visões, Irineu começou a realizar cerimônias espirituais tal qual os xamãs indígenas faziam. Muitas pessoas se aproximaram dele doentes, procurando a cura que não podiam pagar ou não conseguiram encontrar na medicina convencional.

Santo Daime, às vezes chamado simplesmente de "Doutrina do Mestre Irineu", foi o nome dado à prática de tema religioso que começou na década de 1920 no Estado do Acre fundada pelo seu Raimundo Irineu, um imigrante do Maranhão.

Daime, como chamado originalmente por Irineu, vem da expressão “dai me”.
“Dai me força, dai me amor" - frases que se repetem nos hinos da doutrina. Originalmente, os ensinamentos do “Santo Daime” não tinham base em texto escrito, pois os primeiros praticantes eram analfabetos e  a aprendizagem era puramente experiencial e passada oralmente.

Em um estudo realizado de 1990 a 1995, a Universidade do Novo México, o psiquiatra Rick Strassman descobriu que alguns voluntários que injetaram altas doses de DMT relataram experiências com entidades alienígenas.


As entidades relatadas foram percebidas como habitantes de uma realidade independente. Subjetivamente, os resultados mais interessantes foram que altas doses de DMT permite que a consciência dos voluntários entrem em contato com ambientes não-corporais (não materiais) - independente da existência - habitada por seres diferentes que muitas vezes estavam a espera dos voluntários, e com quem os voluntários interagiam.

Pesquisadores acreditam que a molécula está relacionada à glândula pineal (conhecida como "glândula do espírito") e que ela pode ser uma facilitadora da dissociação momentânea entre corpo e alma que pode realmente ser uma porta de entrada para universos paralelos.

Esses universos paralelos estão sempre entre nós a nos transmitir informações constantemente, mas não podemos percebê-los porque não fomos “programados” para entendê-los, senti-los ou percebê-los. Não temos ferramentas sensoriais disponíveis para sintonizar e captar esta informação.

Neste vídeo documentário abaixo, cientistas mostram que atualmente não há como manter temas de cunho espirituais longe da ciência e que tais fenômenos devem ser estudados, pesquisados e aplicados.

"Nossa sociedade valoriza a consciência de alerta para resolver problemas. Desvaloriza todos os demais estados de consciência. Qualquer outra consciência que não está relacionada à produção de consumo de bens materiais é estigmatizada em nossa sociedade atual."
Rick Strassman

Estudos com substâncias “psicodélicas” foram sumariamente afastadas nos EUA, o que vem a ressaltar que descobrimos algo que pode nos levar a novas percepções de nossa existência – fato que “eles” não desejam que saibamos, o que reforça que tais fenômenos podem trazer mais esclarecimentos sobre o funcionamento estrutural da nossa realidade, das relações humanas e de como somos “manejados” facilmente com base na ignorância sobre muita coisa.

Estudos recentes propõem a probabilidade de que a DMT é a substância chave que altera as propriedades físicas do cérebro, alterando o funcionamento de como ele observa o “seu mundo”, de modo a permitir o acesso ou conhecimento sobre muitos mundos.

Esta possibilidade só confirma muitas das histórias relatadas por aqueles que usaram DMT de que não é apenas mera alucinação ou uma "viagem", pois interagiram com seres que habitam esses outros mundos... 


laura botelho




25 de jan de 2014

Aprendendo a morrer - parte 2


"É preciso a vida inteira para aprender a viver,
e o que talvez surpreenda mais
é que se leva a vida inteira para aprender a morrer"
Lucius Annaeus Seneca

Dra. Penny Sartori trabalhou como enfermeira em um hospital britânico por 21 anos, destes, 17 anos na ala de Terapia Intensiva (UTI). Ela é altamente experiente e qualificada em seu papel como assistente de enfermagem intensiva, e conduziu uma pesquisa única e extensa sobre Experiências Quase Morte (EQM) de seus pacientes. 

Em 2005, ela foi premiada com um PhD para sua pesquisa sobre EQMs e seu trabalho tem recebido atenção mundial e cobertura da mídia, em muitas conferências de nível nacional e internacional. 

Seu livro Sabedoria das Experiências de Quase-Morte” (The Wisdom of Near-Death Experiences) - Dr. Penny Sartori, Watkins Books - será lançado 6/fevereiro/2014.

No início de sua carreira, sua vida mudou quando ela estava trabalhando no turno da noite após a morte de um paciente. A maneira como aquele homem morreu a deixou muito sentida, o que a tornou determinada a encontrar uma maior compreensão sobre a morte, para que nenhum outro paciente tivesse que passar por um final semelhante assim.

Isso foi em 1995 e a experiência de cuidar desse paciente foi o que a motivou até o dia de hoje, o que a impeliu a entender a condição de “morte” em sua totalidade, não apenas no corpo físico (isso ela já sabia), mas para dar um foco especial nos cuidados com pacientes terminais.

Ao refletir sobre sua extensa pesquisa, Dra. Penny percebeu que temos negligenciado o entendimento da fronteira entre o “estar vivo” e o “estar morto”. O livro está repleto de ricos exemplos de experiências de morte empáticas e outras experiências semelhantes que ocorrem em torno da morte, relatados por pessoas que buscaram contato com a autora ao longo dos anos. 

Ela acredita que há uma grande sabedoria por trás dos depoimentos dessas pessoas e que se todos nós ouvíssemos o que elas têm a dizer nos beneficiaríamos de tudo, ampliando um mapa, antes muito restrito, a conceitos ditos “esotéricos”, o que mantém as pessoas afastadas da informação, do sentimento de “ridículo”, nada “científico”.


Este livro da Dra Penny pode ter um grande impacto para todo Sistema de Saúde, e a maneira como vemos a “doença”, bem como nossa passagem espiritual. No entanto, as EQMs não são um fenômeno novo, pois já foram relatadas ao longo da história da humanidade por inúmeras vezes, incluido em textos mundialmente conhecidos como a Bíblia, A República, de Platão, e o Livro dos livros - o Tibetano - “livro dos Mortos” (Thoth), um texto claro explicativo sobre o intervalo entre a “vida e renascimento”. 

“Sua dor era insuportável, mas ele ainda podia recordar vividamente quão pacífico ele sentiu naquele quarto rosa.  ele me disse: 'se isso é a morte, é maravilhoso”
(The Wisdom of Near-Death Experiences)

Tomemos, por exemplo, o caso de Fred Williams, um pensionista com seus 70 anos que sofria de estágios finais de um problema cardíaco terminal. Uma noite no hospital, ele perdeu a consciência e temíamos que ele estivesse prestes a morrer. Mas de alguma forma ele conseguiu manter o aperto vacilante sobre a vida. E quando ele finalmente chegou a, percebi imediatamente que ele parecia muito feliz. Meus colegas também comentaram sobre isso. Na manhã seguinte, Fred se recuperou o suficiente para ver seus parentes ansiosos. Para espanto de todos, ele lhes contou que tinha sido visitado - enquanto inconsciente - por sua mãe e sua avó, ambas estavam mortas, assim como por sua (viva) irmã. Eles apenas ficaram ao lado da cama, mantendo vigília. 'Eu não conseguia entender por que minha irmã estava lá também ", ele comentou. Desconhecido para ele, sua irmã tinha realmente morrido na semana anterior. Temendo que a notícia pudesse prejudicar sua recuperação, sua família guardou esse fato dele. Pobre Fred nunca soube a verdade, e morreu uma semana depois”
(The Wisdom of Near-Death Experiences)



“Mas talvez o caso mais extraordinário que eu conheço pessoalmente é o de uma mulher marroquina com seus 30 anos que dirigia um negócio de roupas. Em novembro de 2009, Rajaa Benamour recebeu uma injeção anestésica para uma pequena cirurgia, após a qual ela se viu viajar mentalmente através de toda a sua vida, de volta ao seu nascimento. Ela o descreveu como uma rápida análise da criação do universo. Depois de ter recebido alta do hospital, ela começou a tentar encontrar livros sobre o que tinha aprendido durante a sua visão. Eventualmente, ela percebeu que tinha, de alguma forma, adquirido uma compreensão profunda da física quântica - apesar de nunca ter tido conhecimento anteriormente sobre o assunto. Isto a motivou a estudar o tema a nível universitário. O professor responsável de seus estudos ficou surpreendido. O conhecimento que ela tinha adquirido, segundo ele, não poderia ter vindo do poucos estudos de livros escolares ou de algum curso rápido. Mais estranho ainda, ele ficou intrigado com algumas de suas teorias científicas - ainda que ele já tivesse ciente dessas teorias por trabalhos publicados em revistas de física”
(The Wisdom of Near-Death Experiences)

O que é a morte, afinal? 
Seria algo tão terrível que deveríamos fazer tudo ao nosso alcance para atrasá-la com drogas poderosas e máquinas? O que acontece quando morremos? Por que temos tanto medo de morrer?

Pessoas que tinham experimentado estas visões estranhas e intensas pareciam estar dizendo a mesma coisa: a morte não tem nada para temer. 

Diante dos muitos testemunhos de milhares de experiências iguais Dra. Penny entrou de cabeça na pesquisa e leu tudo sobre morte, resolveu ir a fundo numa especialização do assunto embarcando em um PhD sobre o tema, levando paralelamente seus trabalhos no hospital com cuidados intensivos (UTI)

Como todo aquele que entra em uma jornada contra a correnteza - dos que não desejam que a gente saiba a “realidade” - seus “colegas” resumiram os eventos como fruto de “alucinação”, intoxicação do cérebro quando privado de oxigênio. Mas isso pareceu extremamente improvável depois de suas pesquisas.

Redução de Oxigenação?
Ao reduzi os níveis de oxigênio no sangue, o cérebro torna-se cada vez mais desorientado, confuso e desorganizado, e isso está em total contraste com aqueles que tiveram uma EQM, segundo Dra Penny. Com muita clareza, eles relatam experiências estruturadas que, em muitos casos, permanecem vivas em suas mentes ao longo da vida

Em outras palavras, não seria uma reação “normal” que se esperaria de um cérebro desorganizado com reduzido fluxo sanguíneo. E se as experiências de quase-morte são devidas à falta de oxigênio, em seguida, todos os pacientes que tiveram uma parada cardíaca teriam um. Outro puxão de tapete na teoria de oxigênio é que dois pacientes dela tiveram o sangue retirado no momento de sua experiência de quase-morte e seus níveis de oxigênio estavam perfeitamente normais.

Efeito colateral de altos níveis de dióxido de carbono no sangue?
Com níveis elevados de dióxido de carbono no sangue a pessoa se sente eufórica, seus músculos se contorcem e sacodem convulsivamente, o que não ocorre durante uma experiência de quase-morte.

Drogas? 
20% dos pacientes da Dra Penny não receberam nenhuma droga em momento algum. Na verdade, quando ela analisou sua pesquisa, descobriu que a dor intensa aliviada com sedativos, especialmente em níveis elevados, parece torná-lo menos provável que um paciente tenha uma experiência de quase morte. Além disso, ela entrevistou 12 pacientes que tinham tido alucinações induzidas por drogas e elas eram aleatórias e estressantes, muito assustadoras - como sendo perseguido e esfaqueado com agulhas por traficantes – nenhuma relação com EQM.

Dra Penny viu milhares de pacientes morrerem e alguns estavam fortemente drogados ou ligados a várias máquinas, muitos já não eram capazes de fazer contato visual ou verbal. Simplificando; os médicos bem-intencionados que desejam que seus pacientes morram de maneira tranquila podem estar negando-lhes uma visão final biologicamente natural que trás uma sensação reconfortante, foi a conclusão da Dra. Penny.

Endorfinas?
Os opiláceos são produzidos naturalmente pelo próprio organismo e se o corpo libera endorfinas quando morremos, esperaria se que todos à beira da morte tivessem uma experiência maravilhosa.

Uma espécie de realização?
De desejo inconsciente do paciente diante do inevitável? A maioria das EQMs ocorre quando um paciente adoece inesperadamente, não tendo chance de contemplar sua própria morte – o indivíduo simplesmente não tem tempo de pensar sobre o que está acontecendo.

Então o que exatamente é uma experiência de quase-morte? 
Os pesquisadores concordam que cada visão irá conter pelo menos um dos vários componentes reconhecidos, como viajar por um túnel em direção a uma luz brilhante, recebido por parentes mortos, ou ter uma experiência fora-do-corpo.

Quando a pessoa 'deixa' o seu corpo, ele pode ouvir um zumbido, assobio, ou um cantarolar, ou um clique. Outro componente comum das EQMs é um belo jardim com grama verde e flores em cores vivas. Pode haver um córrego ou rio ao fundo. Algumas pessoas entram no jardim, enquanto outros alcançam uma porta ou barreira - e então sabem que eles vão morrer se passar por ela.

Ao longo de uma EQM, a audição e a visão tornam-se mais agudas, e consciência é elevada. Muitas vezes, a experiência tem sido descrita como "mais real do que real".

O Tempo deixa de ter significado
Em muitos casos, ele se sente como se a experiência durasse horas, mas a pessoa ficou inconsciente por apenas alguns segundos ou minutos. Às vezes, ele se sente como se o tempo acelerasse, às vezes fica mais lento.

São relatados por muitos pesquisadores – que algumas pessoas desenvolvem uma nova sensibilidade à eletricidade ou têm problemas com seus relógios de pulso. Muitos dizem que pararam de usar relógios após sua experiência de quase morte, pois invariavelmente os relógios não funcionam.

Uma mulher conta que ela “golpeia” as lâmpadas regularmente, tanto que isso se tornou uma piada na família. "Eu também sou jogada para trás e para a direita na sala várias vezes ao usar ou tocar em aparelhos elétricos", disse ela. De forma diferente há relatos de pessoas que desenvolveram tendências psíquicas depois de ter uma experiência de quase-morte. Uma mulher narra que poderia posteriormente prever 'coisas ruins' que iriam acontecer, e até mesmo prever quando as pessoas iriam morrer ou "ler a mente de outras pessoas" – o que a afligia muito porque sentia como moralmente errado.

Pam Williams teve uma EQM, enquanto tinha uma hemorragia após o parto. Embora inconsciente, ela "viu" um estrondo médico em seu peito, respirar em sua boca e inserir uma agulha em seu coração. Todo o tempo que isso acontecia, eu me sentia bem: cheia de alegria, paz, flutuando suavemente para a luz brilhante. De repente, ao longe, ouvi o grito de minha filha mais velha," Mãe". Eu me lembro de pensar: 'Oh querida, Jacquie precisa de mim', e eu voltei com uma sacudida. Eu não sou uma pessoa religiosa, mas eu [agora] acredito que há um lugar quente, calmo, bonito, após a morte

Uma coisa é clara: as pesquisas mostram que as experiências de quase-morte muitas vezes levam as pessoas a uma reavaliação espiritual e independentemente do que elas creem, muitos se tornam mais atenciosos com o próximo, um amor incondicional invade sua alma. Já outros acham que a sua religião, em particular, já não suporta adequadamente o que foi "revelado" ou sentido durante sua EQM, percebem de uma maneira dramática que precisam re-avaliar o que fazer com sua própria vida.

Eu particularmente creio que há um “mundo” maravilhoso a nossa espera, mas... como todo “mundo” de percepção ele corresponderá aquilo que acreditamos, aquilo que entendemos como plena existência. Muitos passarão para o outro lado e pouca diferença sentirão.

O “conforto” de ter os “seus” por perto, ter um “lar”, ter um território, ter um grupo, ter um governante, pode trazer um impasse no caminhar em seguir em frente na sua evolução. Lembrando que aqui nesta dimensão usamos o verbo TER, mas lá, o verbo usado é SER... Somos livres, somos fortes, somos felizes, somos parte da natureza, somos o todo, somos pura e infinita energia.

laura botelho






22 de jan de 2014

Tragados pelo Quinto Sol


Astrofísicos e astrônomos modernos mesmo com todo seu aparato tecnológico só agora confirmam o que os povos “primitivos” já sabiam: que no centro de nossa galáxia há um enorme e faminto buraco negro – Sagitário A*.

Como se isso não bastasse os povos “primitivos” também sabiam, e nos avisaram [exaustivamente] através de glifos, prédios e arte por todo planeta, que a Terra estaria se aproximando novamente do centro desse buraco negro, representado pelo povo Maia como Hunab Ku.

A narrativa desse povo nos fala sobre a “Borboleta Galáctica – uma relação metafórica com a transformação da humanidade que se rasteja por um tempo, se recolhe em casulo, se desmancha, se transmuta, até passar a outra fase onde ganhará os “céus”.

Hunab'Ku era, para os maias, o deus supremo e Criador localizado no centro da galáxia - Via Láctea - representando a porta de entrada para outras galáxias/dimensões. Hunab Ku, de acordo com os maias, é também a consciência/informação que organiza toda a matéria a partir de um disco espiral – de estrelas, planetas e sistemas solares. (como um átomo - do macro ao mico)

Eles também acreditavam que o Criador emana de tempos em tempos rajadas de energia de consciência/informação.

Zuvuya é o termo maia para o circuito de memória universal. Outros nomes  resultam na mesma ideia como as egrégoras (grego egrêgorein, Velar, vigiar) Campos Morfogenéticos, Éter, arquétipos etc. Zuvuya é o fio interdimensional como todos nós, uma onda dinâmica que envolve e interage nossa realidade física 3D com a realidade de outras dimensões.

Os Maias disseram que a humanidade entrou em um novo começo, uma nova era, um novo mundo de consciência elevada que teve início em 21 de dezembro de 2012, quando o atual período de 5.125 anos de seu calendário terminou.

Acredito que eles queriam nos avisar que a partir dessa data (21/12/2012) teríamos que mudar urgentemente nossa visão de “mundo” para nos preparar para o que está vindo em nossa direção - uma emissão colossal de energia consciente/informação vinda do nosso Centro Galáctico = Hunab'Ku ?

Será que desenhando fica mais fácil?
A serpente emplumada, o deus Quetzalcoatl (Thoth) disse que retornaria e que a nossa consciência iria mudar, bem como nossos corpos (casulo) também, trazendo a humanidade um novo começo, o tal “salto quântico” que alguns teóricos em física explicam. Um novo paradigma/modelo/padrão/script entrará em vigor e durará até o ciclo seguinte se repetir como tantas vezes no passado.

Os antigos astrônomos maias acertaram com precisão - há mais de 1500 anos atrás - o alinhamento exato da Terra, o Sol, as Plêiades (conjunto de estrelas), com o centro da nossa galáxia que se confirmou pela ciência atual. Como eles sabiam disso?

Eu já escrevi muito sobre tudo isso e os links em azul te levarão a meus pensamentos e pesquisas passadas que só confirmam que estamos no caminho. Ressaltando que o MUNDO não vai acabar, ele ACABOU e você tem que entender que o novo “mundo” não será necessariamente mais aquele que foi projetado pelos antepassados.

A antiga Matrix estará impregnada em nossos átomos, em nosso DNA e precisamos REPROGRAMA – LO para um mundo novo, uma nova maneira de ver a vida, uma nova maneira de viver.

Cada um terá um “mundo” conforme essa compreensão de “existir”. Se você acredita que precisa plantar, matar animais para se alimentar, é assim que você verá seu “novo mundo”. Se você acredita que é doente e que está à mercê de vírus, bactérias e fungos “terríveis”... é assim que será seu “novo mundo”.

Se você acredita que não consegue viver sem seus familiares de sangue por perto... É bom se preparar, rever seus conceitos, pois cada ser terá uma percepção de “mundo” diferente e será primordial para a elevação da sua consciência que você entenda que cada ser é único e indivisível, portanto seguirá um caminho que necessariamente não será o seu. Faremos escolhas baseadas em nossos aprendizados o que pautará seu “mundo”.

"O elemento do Quinto Sol é celestial. Dentro do contexto do Éter pode haver uma união das polaridades. Chega de trevas ou a luz nas pessoas, mas uma unidade erguida. Mas agora o reino das trevas não está interessado nisto . Eles estão organizados para bloqueá-lo. Eles procuram desequilibrar a Terra e seu ambiente assim estaremos despreparados para o alinhamento em 2012. Precisamos trabalhar juntos pela paz e equilíbrio com o outro lado. Precisamos tomar cuidado com a Terra, que alimenta e nos abriga. Precisamos colocar toda a nossa mente e coração em busca de unidade e união, agora, para enfrentar o outro lado e preservar a vida. Estamos incomodados - não podemos jogar mais. Nosso planeta pode ser renovado ou devastado. Agora é a hora de despertar e agir. Todo mundo é necessário. Você não está aqui por sem motivo.Todo mundo que está aqui agora tem um propósito importante. Será difícil, mas um momento especial. Temos a oportunidade de crescimento, mas temos de estar prontos para este momento da história. Vivemos em um mundo de energia. Uma tarefa importante neste momento é aprender a sentir ou ver a energia de todos e de tudo - pessoas, plantas, animais. Isso se torna cada vez mais importante à medida que se aproximam ao Mundo do Quinto Sol, pois está associado com o elemento "éter" - o reino onde as vidas de energia tecem”
Carlos Barrios
Ancião Maia e Ajq'ij
 xamã cerimonial e guia espiritual do Clã Águia.

Sinceramente? Espero não ver o Quinto Sol, pois isso só me dará uma certeza: caí na armadilha de novo...


laura botelho


21 de jan de 2014

As quatro Luas de Sangue


Atenção: se você tem idade mental de 5 anos, mude de canal agora. Não venha dizer depois que fez xixi na cama por que Laura Botelho te assustou... sai! dá linha! Vaza!

Esse cara tá chegando com espada e tudo e eu que ponho medo em você?!!
http://www.bibliaonline.com.br/acf/mt/10
De acordo com a antiga tradição judaica, um eclipse lunar é um prenúncio de eventos significativos para o povo de Israel. Luas de sangue (vermelhas) que acontecem durante as festas bíblicas parecem ser particularmente significativas e se há um eclipse... é um sinal de que uma guerra está chegando. 

A próxima tétrade lua de sangue vermelha foi descoberta pelo Pastor Mark Biltz de El Shaddai Ministérios. Ele descobriu que este é um evento muito raro que só aconteceu 7 vezes desde “a crucificação de Jesus Cristo” – há mais de 2000 anos atrás.

Então essa tétrade de lua vermelha de sangue será a 8ª ocorrência testemunhada.

O Talmude diz:

 "Quando a lua está em eclipse, é um mau presságio para Israel. Se o seu rosto é vermelho como o sangue, “a espada” está chegando para o mundo". 

“É como se Deus quisesse sinalizar para nós, um sinal de que Ele vem ou de que está vindo”, diz pastor Mark Biltz

Para explicar sua teoria, o pastor cita que no Antigo Testamento, o profeta Joel afirmava que “o sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes do grande e terrível dia do SENHOR” (Joel 2:31).

Já no Novo Testamento alerta:
“Logo depois da tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz [...] E então aparecerá o sinal do Filho do homem no céu, e então todas as tribos da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória”
(Mateus 24:29-30).


Segundo a NAZI (NASA), um eclipse lunar ocorre quando as linhas da Terra diretamente entre o Sol e a Lua bloqueiam os raios do sol e lança numa sombra sobre a lua. 

Como a Lua se move cada vez mais fundo na sombra da Terra, a Lua muda de cor diante de nossos olhos, virando de cinza para uma laranja ou profundo tom de vermelho. 

A lua assume esta nova cor porque a luz solar indireta ainda é capaz de passar através da atmosfera da Terra lançando um brilho na lua. Nossa atmosfera filtra a maior parte da luz de cor azul, deixando os tons de vermelho e laranja que vemos durante um eclipse lunar. 
Partículas extra na atmosfera (??) de uma erupção vulcânica recente, podem fazer com que a lua apareça com um tom mais escuro de vermelho...

Essa parte da explicação eu boiei... que erupção, cara pálida? São tantas?

Enfim, o resumo é seguinte:
O Papy (Senhor/ amo/ patrão/ dono/ mestre/ deus ou simplesmente ENKI ou ENLIL) tá chegando, isso é fato. Tem muita nave sendo exposta no ar, muita TV dando enfoque para essa coisa de UFO, de denuncia de Snowden sobre o governo americano ter um caso de amor com os Aliens etc. Tão nos preparando para algo significativo.

Esses eclipses raros fazem parte de um ciclo de eventos narrados por povos antigos, nada demais. Temos que observar que as “datas religiosas” marcam eventos significativos que ocorreram e que vão sempre ocorrer devido a esses fenômenos naturais e cíclicos - uma forma de manter na mente (CAMPO) a informação que deve ser passada de geração a geração como forma de mudança de percepção.

Os textos religiosos em todo planeta falam sempre da mesma coisa e são nada mais que programas/scripts para nos manter focados naquilo que “eles” querem que a gente veja. Se ninguém der bola, não acontece, pois é a mente humana que cria a experiência [isso é física!!]

Não sei você, mas eu estou ansiosa para ver se o “papy” vem mesmo, se coisas bizarras vão ocorrer com essas luas de “sangue”. Esse “novo mundo” tá precisando de roupa nova, de umas sacudidelas, de uns eventos bem radicais. Não gostaria de perder isso por nada!!

laura botelho

Religiões tem a ver com guerras, sangue, domínios, fronteiras, limites, reis buscando retomar seus "reinos". Abre o olho!!




18 de jan de 2014

Vídeo - Conspiração Orion, por Seb Janiak

Como já perceberam, estou postando mais vídeos do que meus textos.
Isso significa que não tenho mais o que dizer? Absolutamente que não.

Isso significa que já cheguei a um ponto onde a base de informação do que precisamos saber para entender nossa própria existência está espalhada na WEB em zilhões de BLOGs, sites, vídeos, imagens que não tínhamos antes – lá nos idos de 2007 quando eu e muitos outros blogueiros como Ravena,  Rodrigo Morais, Sergio Russo e tantos outros [que não dariam para nomear aqui] divulgaram na internet o que sabiam.

(1788 - 1847) Kappa (criança do rio) - aliens vistos e retratados no Japão - pesquise
http://www.onmarkproductions.com/html/kappa.shtml
Há gente com mais de 40 anos estudando sobre todos os temas e "mitos" que eu trato aqui, mas muita coisa está em livro, em textos, artigos que se perderam no tempo em algum local, biblioteca, link ou ambiente próprio para temas “conspiratórios” ou dados como "folclóricos", "mitológicos". 

Em dezembro de 2007, [depois eu abri esse BLOG], o motor de busca de blogs Technorati rastreou a existência de mais de 112 milhões de blogs na WEB naquela época.

O termo “weblog” -  web log, "diário da rede" - foi criado por Jorn Barger em 17 de dezembro de 1997, mas a abreviação blog, por sua vez, foi criada por Peter Merholz, que brincando desmembrou a palavra web log para formar a frase “we blog ("nós blogamos") na barra lateral de seu blog Peterme.com, em abril ou maio de 1999.

blog atual é uma evolução dos diários online, onde pessoas mantinham informações constantes sobre suas vidas pessoais, sites de noticias ou referencias sobre algum tema de opinião publica. Os primeiros blogs eram simplesmente componentes de sites atualizados manualmente no próprio código da página. Meu primeiro site foi feito em 1998. Desde aí preferi os BLOGs, já que antes eu tinha que atualizar tudo na unha, em HTML... um saco.

A mensagem passou a ficar fácil, democrática e ilimitada, quando no início de 2000, o Blogger introduziu uma inovação – o permalink – que garantiu a cada publicação num blog uma localização permanente - uma URL (link) – que poderia nos levar facilmente a "lugares nunca pensados" abrindo nossa mente em segundos!

Atualmente mais de 100 mil Blogs são criados diariamente, de acordo com o estudo State of Blogosphere. Portanto, EU não vejo motivos para “re-inventar a roda” – chover no molhado. Tá tudo aí, basta você seguir as migalhas de pão.

Espero que você faça bom uso do que expus aqui em links anteriores onde mostrei as “portas” quando elas não estavam facilmente visíveis. Eu gosto de escrever, mas só o farei quando realmente encontrar algo que me motive e que seja muito importante que você perceba e passe para frente, do contrário, o que eu poderia te oferecer está nos arquivos desse BLOG. 

Postarei vídeos e colocarei sempre links para ajudar a você que está acordando agora a esse meu espaço juntar as peças que te faltam. E uma pessoa me lembrou desse vídeo abaixo - eu já o tinha esquecido numa postagem de 2010 - mas acho que será oportuno revê-lo agora. Será muito bom para você que está buscando entender tudo o que eu posto diariamente no meu facebook.

Eu volto a escrever, mas com calma. OK? Por enquanto te darei bons vídeos que hoje estão legendados, o que antes não estavam... e isso muda tudo!


laura botelho

Conspiração Orion saiba mais sobre esse trabalho do artista Seb Janiak

O propósito do artista e autor Seb Janiak é mostrar o que os governos há anos escondem de nós para manter-se no poder. Este trabalho não é um filme, nem um documentário, mas uma excelente compilação artística promovida por atores para nos dar um resumo de tudo. Um show de imagens - muitas ilustrativas, outras reais.








13 de jan de 2014

Videos - Historia da Humanidade - fora dos nossos livros da escola



Klaus Donna é Austríaco e vive desde 1982 em Viena, onde atua desde 1987 em um escritório no centro da cidade. Durante anos Klaus Dona foi um expositor cultural de objetos antigos e com o passar do tempo se dedicou à investigação das ruínas enigmáticas pelo planeta. 


Abra sua mente.
A realidade está sempre mudando,
o que era "verdade" antes,
hoje não é nem de longe. 

Ele buscou explicações racionais para a feitura de objetos e construções de monumentos que não são encontradas em nenhum livro de história antiga, pelo menos não em livros dedicados ao público comum. 


Devido a sua paixão pela arte, Donna viajou o mundo todo fazendo pesquisa sobre o que via e catalogou, pesquisou e conversou com muita gente reunindo fatos que nos fazem pensar. Klaus agora leva ao público esclarecido e ávido de informação, tudo que as Universidades não nos contam - ou porque desconhecem ou porque não podem passar a realidade adiante.

A real História da Humanidade foi "mexida",  mudada, refigurada, suprimida e inibida ao povo da Terra. Eles sabem que quando encontramos uma "ponta", é fácil desenrolar todo o nó no novelo... e isso eles não querem que a gente "desenrole".


Nesses videos você terá uma aula de Antropologia por Klaus Donna que nenhum PhD que você conheça poderá lhe dar. 

Questões levantadas:
  • Como artefatos pré históricos foram feitos por ditos - "homens das cavernas"?
  • Quem eles eram e como tinham tanta tecnologia?
  • Como habitantes da Terra que não conheciam a "roda ou o fogo" puderam construir, criar coisas que nem o "homem moderno" consegue HOJE replicar?
  • O que ocorreu no passado para que monumentos arqueológicos de pedra maciça (granito puro) fossem ao chão e se quebrassem como pedra pomes? 
  • Que evento dramático foi esse? Precisamos saber se isso se repetirá.
  • O que é "fake" na internet pode ter um lado "verdade"? 
Achei a entrevista de 2010 legendada!! 

Não perca essa oportunidade de abrir seu campo de informação.
laura botelho




9 de jan de 2014

Arrebatamento involuntário


O conceito de “arrebatamento” foi criado a partir do século XIX, cujo pontapé inicial foi dado pelo ministro anglicano John Nelson Darby. Uma interpretação folclórica de vários livros bíblicos, como, por exemplo, o Apocalipse, livro da revelação apontado como sendo fruto de previsões do apóstolo São João sobre o “futuro da humanidade”.

O arrebatamento seria coisa do deus “Jesus” hoje já com uma nova versão de Sananda. Este resgataria “os salvos” (?) para a “Nova” Jerusalém, deixando no planeta Terra os demais seres humanos que não o aceitaram como seu salvador.

Que chato...

click pra aumentar a imagem
E a tal “Nova” Jerusalém, a que o salvador levará a galera, está descrita no livro do Apocalipse (revelação), como uma “cidade” que deus fará só para seus fiéis. Os “justos” seriam salvos e gozariam da vida eterna. A criação (gado) será renovada para engorda e abate e “os maus” condenados à eternidade sem deus (um dono), que é o inferno para muitos.

Já viu que o cara é taxativo; “não me aceita, não te levo para minha cidade nova” – lá o PT é o partido atuante e lidera a bancada e prefeitura. A Nova cidade tem bolsa família, gás de graça, bolsa escola, mas tem que votar no Jesus todo ano, senão sua vida vai ser um inferno e olha que ele entende muito disso.

O tal São João descreve a nova cidade do Jesus como uma noiva arrumada para seu marido... Já viu que é cilada. Muita maquiagem, roupa apertada para esconder a gordura, muita expectativa antes de colocar a aliança, depois de assinado o papel, aí sim, você verá com quem casou.

A tal “nova” cidade é descrita no texto apocalíptico como um quadrado de face igual a doze mil estádios, iluminada (?) de forma excepcional, com um grande muro de 144 côvados = [Medida de comprimento que foi usada por diversas civilizações antigas. Era baseado no comprimento do antebraço, da ponta do dedo médio até o cotovelo] com 12 portas, cada uma correspondendo a uma das tribos de Israel.

E continua... A cidade não necessita de templo (a cidade já é um templo) nem do Sol e da Lua. No centro da cidade há uma praça com a Árvore da Vida. E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, por que o senhor Deus os aluminará; e reinarão para todo sempre...
que lindo gente...

Será que ainda não é dessa vez que o danado do Jesus vai contar pro povo sobre a energia livre? Será que o povinho ainda vai cair nessa de iluminação de deus? (risos, gargalhada)

Sério agora. Voltando a história do arrebatamento, o texto da revelação (apocalipse) diz que haverá um grande caos na terra durante 7 anos (3 anos e meio de falsa paz e 3 anos e meio de guerras) – com o governo do Anti-Cristo (líder político mundial), do Falso Profeta (líder religioso ecumênico) e da Besta (O deus da religião do futuro).

Qual é a diferença entre falsa paz e guerra propriamente dita? Boiei...
Percebeu os números? A simbologia cabalística? 144 – 12 – 7 – 3

Esse período chamado de Grande Tribulação (aflição) é mole pra nós... Essa é a descrição perfeita de partido político depois de vencer as eleições; “3 anos de falsa paz” e 3 anos e meio de guerra”, nada que a gente já não tenha visto.

Mas somente depois destes 7 anos das eleições anteriores é que Jesus voltaria novamente junto com os salvos para reinar (o rei voltou novamente) o planeta Terra por mais mil anos.
Aja paciência... isso é a descrição do inferno.

Deixados pra trás (Left Behind)
Este é o titulo de uma serie de livros  de Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins. Uma obra ficcional, de temática religiosa, que narra os últimos dias na Terra após o arrebatamento, baseado na interpretação do livro Apocalipse de João na Bíblia Sagrada.

Sucesso de vendas os livros venderam mais de 70 milhões de exemplares e foi publicado em mais de 34 idiomas. O tema principal é o final dos tempos. As filmagens baseadas no livro começaram em Abril de 2013 e tudo indica que o filme será lançado mundialmente em 2014.

O texto narra os últimos instantes dramáticos onde milhões de pessoas de todas as partes do mundo desapareceram durante uma serie de cataclísmico. Simplesmente as pessoas somem. Deixam para trás tudo o que é material: roupas, óculos, lentes de contato, cabelos postiços, aparelhos de surdez, próteses, joias, sapatos e até mesmo marca passos e pinos cirúrgicos.

Mas outros milhões ficam - alguns adultos, porém não as crianças, e apenas alguns adolescentes. Todos os bebês, inclusive os que estavam para nascer, desaparecem — alguns até mesmo durante o parto.

Algo bizzaro está ocorrendo e não é ficção

David Paulides, um ex guarda florestal americano, lançou o primeiro livro Missing 411” - que narra um estudo sobre o desaparecimento misterioso de grupos de pessoas em Parques Nacionais dos Estados Unidos. Não é ficção.

À primeira vista, pessoas desaparecidas em Parques Nacionais não é algo de se estranhar, pois podem ter se perdido, sofrido ataque de animais selvagens, caído em buracos, valas profundas, mas esses mais de 400 desaparecimentos desafiam explicação de especialistas e David descobriu algo real e preocupante. 

David levou 3 anos e um esforço investigativo de 7.000 horas para entender as histórias por trás de pessoas que desapareceram, entre elas crianças, adultos e idosos que por vezes sumiram na presença de amigos e parentes. Alguma coisa está acontecendo, e este é um assunto que as pessoas precisam de saber.

Nesse estudo discutiram exaustivamente os padrões e casos individuais para ilustrar o quão estranho esses desaparecimentos são. Pessoas, muitas vezes crianças pequenas desapareceram no ar, às vezes nunca mais foram encontradas, às vezes encontradas mortas e, ocasionalmente encontradas vivas. As circunstâncias são bizarras, e como são os padrões. Os cães farejadores ficaram desnorteados, não conseguiam encontrar uma pista, uma orientação a seguir, como se as pessoas desmaterializassem no mesmo local.

A pesquisa mostra 28 grupos de pessoas desaparecidas em todo o continente americano, algo que nunca foi exposto pela mídia ou entidades do governo e foi uma descoberta chocante para os pesquisadores. O estudo chegou a uma interseção para a idade das vítimas e certos grupos têm idade específica e a consistência do mesmo sexo é desconcertante. 

Este não é um fenômeno que vem ocorrendo em apenas as últimas décadas, grupos de pessoas desaparecidas foram identificados, já em 1800.

O terceiro livro de David é o "Missing 411, North America e Beyond" que pesquisa o desaparecimento de pessoas em locais remotos do mundo com fatos relevantes de 5 países (Austrália, Inglaterra, França, Islândia e Indonésia), fora da América do Norte e examina os paralelos entre os casos. 

Esta edição tem casos da Flórida, Texas, Havaí e quarenta outros estados. Há novos grupos que são identificados de pessoas desaparecidas de Sequoia e o Parque Nacional Mount Rainier, Três Irmãs Selvagem (OR) e o Adirondacks (NY) e Canadá com casos de seis províncias que estão incluídas. 

103a  andar  prédio em Chicago
Bom, os desaparecidos registrados pelo autor são pessoas com famílias e uma história anterior que pode ser rastreada facilmente para ampliar as buscas, mas imagine você o que tem de gente que some e que não tem família, uma história, alguém para sentir sua falta, um lastro anterior para ser rastreado?

Nós não temos ideia da quantidade de crianças que são tragadas do nada todos os dias. Lembrando que muitas são órfãs, ignoradas e depositadas em locais onde a sociedade não tem acesso ou controle sobre sua existência. Essas crianças não existem! Portanto, podem “sumir” do mesmo jeito que apareceram no mundo e não teremos como saber.

Esse “arrebatamento involuntário” tem um destino e muitos de nós sabemos para onde essas pessoas estão sendo levadas. Os deuses têm fome e se alimentam de “novas energias”. Energias que ainda não estão contaminadas de informação sobre quem eles são e o que eles objetivam.

Já escrevi muito sobre isso. Se quiser saber mais, os links em azul no texto te levarão as repostas. Abri essa postagem sobre desaparecidos porque precisamos bater nessa tecla, precisamos encontrar elos entre as religiões e essa escravidão eterna que REINA e abusa dos ignorantes, iludidos, fracos e sem esperança de uma existência ideal.

Tudo que precisamos saber já está cientificamente provado, basta você querer saber! Não precisamos de deuses, salvadores, guardiãs, anjos e santos, isso é uma cilada!

Vamos recapitular:

  • Rogar a deus para livrar das doenças é mergulhar a cabeça na areia fofa sempre que tiver problemas para resolver. A “doença” não existe como vendida para nós – os sintomas são programas biológicos naturais, fazem parte do nosso aprendizado.
  • TODOS têm sintomas! É necessário tê-los ! Quando uma “doença” surge, é sinal que você tem que aprender mais sobre como você está levando sua vida, se está travando batalhas pessoais, se fazendo de vítima das circunstancias. Portanto, podemos nos manter saudáveis por longo tempo se desejarmos aprender mais sobre como interpretamos nossas experiências.
  • Com seu deus ou sem um deus você ficará doente e morrerá, portanto aprenda mais sobre isso. Precisamos aprender a gerenciar nossa energia, pois do contrário alguém fará isso por nós. Precisamos aprender a crer no EGO, no EU, no DEUS interior ao contrário de dar procuração a seres que não existem ou pelo menos não do jeito que são ilustrados para você.

Trabalhamos, nos estressamos diariamente por coisas que não fazem sentido!! A energia é livre, está em toda parte do ambiente para acender lâmpadas, ligar máquinas, carros e fazer tudo mais que você possa imaginar!!!
Eles nos escravizam para trabalhar como mulas, nos estressar para buscarmos justamente a “salvação”. Eles escondem uma realidade que não temos acesso facilmente, ou pelo menos, muitos não desejam ter.

Precisamos ter METAS, OBJETIVOS ESPECÍFICOS!

Sem um futuro o cérebro pira!!! Muitos estão enlouquecendo porque não conseguem ter uma visão de ETERNIDADE, pois são tão rasos de esperança e fé em si mesmos que não encontram forças para seguir adiante.

Sem metas específicas você não terá para quê se movimentar! Você estará descendo o rio sem rumo até encontrar uma cachoeira fatal. Você precisa de planos, de foco, de um ideal de vida! Você precisa de emoções fortes que te impulsione pra frente! Sem movimento não há realização, concretização de planos! Saia da estagnação!! É preciso tirar a bunda da cadeira e fazer as coisas acontecerem ao invés de esperar um deus fazer o que você não tem coragem!!

Mas se você prefere servir a seres que se alimentam de sua energia... continue como está; doente, obeso, cansado, estressado, desanimado, sem esperanças, sem metas e uma luz no fim do túnel.

É disso que eles precisam para identificar você e saber que és um forte candidato ao arrebatamento involuntário...

laura botelho







meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos