Google

Translate my page Google

27 de nov de 2013

ISON, ZION ou SION? Tanto faz.


ISON (C/2012 S1) = International Scientific Optical Network (local base Russa). Cometa identificado pelos russos Nevski e Novichonok em 21 de setembro de 2012.


Os astrônomos dizem que este será o "Cometa do século". Se ele não se “desintegrar” quando se aproximar do sol, caso seja realmente um cometa. Um evento que se tornará um dos mais brilhantes da história já registrada.

Estamos todos familiarizados com a palavra bíblica "ZION" (em hebraico "Tzion"). Seu sentido original hebraico diz que a palavra "Zion" vem do verbo "leTzaen", que significa "para marcar alguma coisa" ou "para enfatizar alguma coisa".

SION (ou Zion), termo hebraico, é o lugar mais sagrado para os judeus, uma montanha específica de nome Monte Sião, simbolizando um desejo dos povos por uma pátria (céu?) segura, uma nova Jerusalém. SION, para algumas denominações cristãs, será a última cidade possível de “viver” após o Armagedom. Em muitos textos antigos era a cidade em que vivia o profeta Enoque (Thoth) que devido à total retidão de seus habitantes, foi “levado aos céus”...

Para as Testemunhas de Jeová, SION significa o céu (domínio espiritual), onde somente os escolhidos de Deus irão “viver quando morrerem”. Em SION também vivem os “Anjos” e o próprio Jeová. Os que pertencem ao grupo das primícias (primeiros frutos) de deus viverão na terra, segundo Salmos 37:29 – “Os justos possuirão a terra e viverão nela para todo o sempre”

Estes otários serão novos escravos de algum Zeus ou outro mané reptiliano com codinome terminado em “eus”. Tudo de novo...

Isso tudo encontrado nos textos antigos faz um link com outras possibilidades narradas por pesquisadores modernos que acreditam que o “cometa” ISON seja uma nave mãe, ou o planeta vermelho, Hercolubus, Nibiru ou o diabo que nos carregue daqui. Algo gigantesco que recolha o gado se realmente as coisas ficarem feias com terremotos, vulcões, tsunamis, furacões e Zé Dirceu dirigindo um Hotel... Vai ser uma coisa de louco!

ISON chegará 100 vezes mais perto da Terra em final de novembro de 2013, mas somente após sua passagem ao redor do sol que ele fará a sua maior aproximação à Terra no dia 26 de dezembro de 2013, exatamente 9 anos depois do terremoto que abalou Sumatra seguindo com um monstruoso tsunami (dilúvio?) em 26 de dezembro de 2004 matando por volta de 230.000 pessoas em 14 países e inundando comunidades costeiras com ondas de até 30 metros de altura.

Seria coincidência intrigante a exatamente 9 anos menos alguns dias entre esse moderno evento "Grande Dilúvio" e "fim dos tempos" do calendário Maia em 21 de dezembro de 2012? Você se deu conta disso?

Eu não sei você, mas eu já estou de saco cheio dessa coisa de Planeta X, Hercolubus, Nibiru, ISON e o cacete! Que toda essa droga exploda!
Eu quero é mais!


laura botelho





25 de nov de 2013

Video - Thrive (Prosperar) - legendado Português


Eu guardei esse video para posta-lo numa época oportuna. E esse momento é agora.
Acredito que o conteúdo do documentário fará mais sentido hoje, já que estamos mais informados que antes. Muita gente já o viu, mas as informações são tão boas que assisti-lo várias vezes aumenta bastante o campo de observação. 

Esse documentário levanta o véu sobre o que está realmente acontecendo no nosso mundo. Revela a consolidação de poder global em quase todos os aspectos de nossas vidas que estão dramaticamente atados. Apontando sem nenhuma duvida que alguns poucos controlam todos os seres humanos através do conhecimento que ocultam, mantendo escravos os que nada sabem por anos e anos, gerações a gerações.

E o momento de virar o jogo é agora. Temos que acordar, despertar desse sono profundo para o que virá pela frente. 

Conectando avanços científicos, consciência e ativismo, o documentário Thrive oferece soluções reais, nos fortalecendo com estratégias inovadoras e ousadas para reivindicar nossas vidas e nosso futuro.

Entrevistas nesse documentário
Duane Elgin, Nassim Haramein, Steven Greer, Jack Kasher, Daniel Sheehan, Adam Trombly, Brian O'Leary, Vandana Shiva, John Gatto, John Robbins, Deepak Chopra, David Icke, Catherine Austin Fitts, G. Edward Griffin, Bill Still, John Perkins, Paul Hawken, Aqeela Sherrills, Evon Peter, Angel Kyodo Williams, Elisabet Sahtouris, Amy Goodman e Barbara Marx Hubbard.

Tire você mesmo suas conclusões com o que está sendo apresentado aqui.
Acolha aquilo que está coerente com o que acredita e o que não estiver, apenas perceba.
A verdade não existe, são apenas percepções particulares. Amplie sua visão para poder ver mais e mais e além. 

laura botelho




23 de nov de 2013

Video - JF Kennedy sabia demais...


São 50 anos de muito encobrimento, de muita matança para manter o controle do conhecimento. Muitos foram silenciados e outros ainda serão... a menos que um numero muito grande de seres desperte desse pesadelo e mude o rumo das coisas. 
Vamos acordar!

laura botelho



Por que os Guarda Costas são retirados da escolta? 

20 de nov de 2013

Video - O cometa elétrico - Documentário


“O universo visível é um teatro de partículas carregadas. Uma dança de elétrons e prótons mantém unida. Vemos seus ritmos e geometrias em detalhes microscópicos, assim como a sua música toca por todo o cosmos: átomos e moléculas unidos pela força elétrica, estrelas e galáxias organizadas e energizadas pela mesma força, e no nosso pequeno planeta Terra, os organismos vivos animados pela eletricidade da vida. Não existe espaço vazio. Tudo o que vemos agora é ligado pela dança universal de partículas carregadas.”
David Talbott , o Projeto Thunderbolts

Partículas carregadas preenchem a totalidade do espaço como condutor elétrico  de plasma. Vivemos em um Campo, num Universo Elétrico e o comportamento enigmático dos cometas fornece uma visão única para o papel de partículas carregadas e eletrificadas de plasma em todo o Cosmos. 

O Sol é plasma. Estrelas são plasma. Galáxias são plasma
As ilhas de galáxias isoladas no espaço não existem. A rede do eletromagnetismo conecta planetas, luas, estrelas e galáxias e todos os seres vivos. Tudo que vibra.

Telescópios modernos podem agora ver esses eventos em alta resolução e em todo o espectro eletromagnético com imagens de rádio, infravermelho, ultravioleta, e comprimentos de onda de raios-X que antes não víamos. Essas surpresas da nova “era espacial” exigiram uma reavaliação das teorias antigas sobre como o universo funciona.

A gravidade é relativamente fácil de modelar matematicamente, mas eletricidade no espaço é uma questão muito diferente, devido à complexa interação de correntes elétricas e campos magnéticos, dizem os cientistas. O que fica impossível "prever" o comportamento de alguma coisa.

Diante desses fatos que já sabíamos na teoria, agora a ciência expõe na prática como as “coisas” funcionam. O universo é um grande cérebro (visão subjetiva) e somente uma MENTE poderosa pode gerir esse cérebro = nós.

Tudo está ligado com tudo e somente no que dia que muitos puderem entender e começarem a praticar esse conceito, poderemos mudar a estrutura de nossos corpos, dos planetas, das estrelas e das galáxias...

Assista a esse vídeo maravilhoso mesmo que você não entenda a língua. Faça como eu, veja as figuras!

15 de nov de 2013

Video - a Chegada da estrela azul dos Hopis


Entenda melhor através desse documentário da History Channel (TV fechada) sobre o que narram as historias dos índios americanos da tribo Hopi no noroeste do Arizona. 

Moça Hopi              -               Princesa Leia - Star Wars
Por volta de 1545 após contato com homens “brancos”, Padres católicos espanhóis não foram bem sucedidos na conversão das crenças do povo Hopi para o catolicismo e prosseguiram de forma draconiana ações para aderirem em suas práticas religiosas. 

Espanhóis escravizaram o povo Hopi obrigando-os a suportar o trabalho forçado a abrir mão de suas terras sagradas e culturas. Hopis e indígenas de outras tribos vizinhas se organizaram pela primeira vez em  diversos grupos para expulsar os colonizadores espanhóis. Na revolta dos Hopi, missões da Igreja Católica espanhola foram atacadas, frades e padres foram todos condenados à morte, e as igrejas e edifícios da missão foram desmontados pedra por pedra... Mas não tardou os homens de cristo voltarem para dizima-los e abafar, desconstruir, toda sua história de origem e tudo mais que sabiam sobre TUDO...

E o que os indígenas sabiam (sabem) não está em livros, mas na mente de cada membro de suas aldeias. O que será que eles sabem que não pode ser revelado? Uma guerra estrelar para manter em sigilo de um conhecimento sobre uma "força" que desconhecemos?

A Um dos elementos importantes de Star Wars é a "Força", uma energia onipresente que pode ser aproveitada, usada, por aqueles que têm habilidade conhecida como sensitivosEssa força é descrita como um campo de energia criado por todas as coisas vivas que nos rodeiam, nos penetram, e mantém o universo (Campo) unido. 

A Força permite aos usuários executar várias experiências sobrenaturais, tais como telecinese, clarividência, precognição e controle da mente e pode amplificar certas características físicas, tais como velocidade e reflexos, podendo ser melhorada por meio de treinamento. 

laura botelho



14 de nov de 2013

Somos os Greys de amanhã

”Nunca tenha certeza de nada.
a sabedoria começa com a duvida”
S. Freud

Muitos estão chegando agora nesse meu BLOG e me fazem muitas perguntas. São tantas que não tenho tempo útil para responder a todos, mas uma coisa tem chamado minha atenção e me parece um tema geral, estão querendo “entender” quem ou o que são os “ETs”,  e por que os aliens estão mais perceptíveis só agora e o que eles querem conosco.

Temos seu DNA, somos os “aliens” nessa história toda. Somos subproduto de muitas raças e isso gera um fato interessante para o universo de seres diferentes de nós, pois nós humanos, temos algo que eles não têm – empatia – o que nos transporta a outras dimensões perceptuais das quais eles não conseguem atingir, mas estão trabalhando para isso.

Eu não sou estudiosa de “Aliens”, tão pouco ufóloga. O que faço é estudar “como” eles nos mantém sobre controle - e isso eu já sei = hipnose – e essa é minha praia - e outro fato; estamos mais atentos a suas aparições devido a própria evolução tecnológica crescente que une a mente de um grupo através da afinidade de valores e crenças, no caso, eu e vocês que gostamos desses assuntos. Uma espécie de joio e de trigo crescendo juntos no mesmo solo, mas que se tornarão distintos com o passar do tempo.

A tecnologia nos ajuda a “enxerga-los” e a consciência de grupo amplia a visão dos eventos para nossa avaliação. A existência deles entre nós já era um fato, registrados em muitos livros antigos, assim como nos hieróglifos nas pedras objetivando nos avisar, mas não tínhamos provas, contato visual ou entendimento para vermos como realmente são. Eles nos fizeram crer que eram os “anjos”, espíritos caridosos que nos acompanhavam com intuito de nos “salvar”. Nos enganaram como puderam por longo tempo, mas agora não é mais possível.

O Greys baixinhos (1m) de cabeça grande e olhos negros, são robôs, maquinas biológicas, e trabalham para os Greys de porte mais alto, que por sua vez obedecem a uma espécie reptiliana poderosa, os Dracos, que os deixou no comando da Terra quando partiram algum tempo atrás. 


O planeta Terra é uma BIG fazenda produtora de energia que os mantém, onde o plantel (seres humanos) é alimentado e protegido da morte prematura, tal qual fazemos com nossos bichos. Nós vacinamos, damos a melhor ração, protegemos do frio, do calor e dos predadores para então, irem para o abate. Lembrando que a pecuária é mencionada na Bíblia como a primeira tarefa dada por “Deus” (ENLIL) a Adão: nomear e cuidar do Jardim do Éden e dos animais (nós), e foi o que eles fizeram até hoje.

Analogamente comparando, estamos vendo outros seres (não humanos) assim como se as abelhas ao produzirem tanto mel, pudessem perceber o homem em sua grandiosidade. Como se as abelhas enxergassem o filho da pu13 que rouba o fruto de todo seu trabalho! Mais ou menos assim...

Bom, meu campo de pesquisa, primeiramente, consiste em conhecer a mim mesma e depois meu “inimigo” – esse foi um conselho que caiu muito bem no meu entendimento para seguir o que estou fazendo agora - e veio de alguém que entendia muito de mente humana, acredite.

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas”
Sun Tzu – A arte da Guerra

O que são os aliens Greys?
Muitos relatos sobre abdução reportam tipos diferentes de alienígenas, e foram catalogados um numero que chega a 50 características diferentes, mas os cinzas (greys) têm sido os mais comuns e os mais representados constantemente há mais de 10 mil anos. Greys estão sempre presentes nos encontros com quase todas as outras espécies de aliens narradas pelos abduzidos. São geralmente os seres que fazem o sequestro real, os caras do departamento de logística da coisa toda, e entregam a vitima para outros seres realizarem os testes que necessitam. De acordo com algumas fontes do governo americano, essas entidades biológicas extraterrestres são chamadas de EBEN -Extraterrestrial Biological Entity

O que chama atenção de um alien da espécie “grey” (cinza) nanico são seus olhos grandes e negros. Sua pele é extremamente fina e sem aparência muscular em seus braços ou pernas. Pescoço fino demais para a cabeça grande que sustenta. Os braços são mais longos do que dos humanos, terminando abaixo dos joelhos. Mãos com apenas quatro dedos e comprimentos diferentes.

São capazes de comunicação telepática, mas ela é limitada. Trabalham praticamente com hipnose levando as vitimas a um estado de relaxamento, alterando sua percepção quanto a realidade do evento através de imagens sugestivas, substituindo e inibindo as memórias da violência do sequestro.

Podem estar presentes em todos lugares se mantendo invisível ou parcialmente visível. São onipresentes e onicientes de tudo. Por vezes, se disfarçavam a fim de obter a cooperação do abduzido se transmutando em formas conhecidas tais como Jesus, Maria Santíssima, o Papa, até mesmo algumas celebridades que façam parte do repertório sugestivo de memória do contatado, não poupando nem a identidade física dos parentes mortos, se esses foram muito importantes emocionalmente em vida.

Muitos aliens profetizaram para contatados dos anos 50 alguns eventos que até hoje não se tornaram realidade, juntamente com a promessa de que eles os salvariam de todos os males. Se intitulam os "escolhido" para entregar essas mensagens para a humanidade, os pobres idiotas.

Os cinzas (greys) se dividem em hierarquia de cor e altura.
As espécies variam de tom de pele - do cinza azulado a bege, bege, marrom ou branco. Os “brancos” são mais poderosos, como sempre. Existem outros fatores que parecem afetar a cor da pele, e um deles é o estado de saúde geral da entidade. A cor da pele muda depois de terem consumido alimento, caso contrário, eles ficam “roxos” de fome... (piadinha)

Os Greys altos são as espécies dominantes e são basicamente o "tubo de ensaio" das espécies inferiores. A altura aproximada do cinza (grey) alto é de 3,5 a 4,5 metros de altura, e de acordo com registros obtidos entre 1951 e 1978, eles têm um peso médio de cerca de 40 quilos, têm um nariz mais pronunciado e são mais humanos na aparência física. 

Os Greys altos parecem ser menos propensos às fragilidades do sistema do que os Greys menores. Grupos de Greys baixinhos e cabeça grande são controlados a partir de uma fonte central - geralmente de Greys mais altos, ou humanoides arianos, ou outras espécies dominantes.

Os cinzas baixinhos de cabeça grande, não têm individualidade distinta, como os Greys maiores parecem ter.  A ideia da individualização da evolução parece causar uma grande perda de energia entre eles, já que não são dotados de aspecto emocional como os humanos.

Eles são clones (robôs) que possuem um conjunto complexo de memória social monitorado e controlado eletronicamente que lhes permite funcionar de forma eficaz coletivamente em um modo de mente de grupo. A evidência parece indicar que os baixinhos são subservientes aos Greys mais altos como um sistema de castas, sempre monitorando o que os subordinados estão fazendo.

Operam de forma muito eficiente no escuro, seus olhos são mais sensíveis à luz ultravioleta. A frequência cardíaca normal de um Grey é superior ao de um ser humano. A pele parece ter um teor de metal e uma pigmentação cobalto incomum. Muitos abduzidos notaram que os Greys tem uma série distinta de odores, muitos deles parecem semelhantes ao cheiro de canela mentolada. Os Greys consomem alimentos num processo de absorção através da pele que envolve espalhar uma mistura pastosa de sangue e outros fluidos biológicos (extratos humanos e de animais)  misturados com o peróxido de hidrogênio. Resíduos desse produto são por sua vez excretados também pela pele. 

Muitos não têm órgãos sexuais externos. A maioria das referências aos Greys como seres assexuados são aqueles que se referem à classe operária clonada (baixinhos) que realizam a maior parte do trabalho durante sequestros. Eles são Greys e não Gays.

Segundo narram os pesquisadores e contatados com a espécie greys (cinzas), que a principal motivação para o trabalho de genética com seres humanos envolve a sobrevivência da sua própria espécie (cinzas), que devido a um acidente nuclear no passado teria afetado geneticamente seu DNA os impedindo da utilização da percepção de outros níveis dimensionais fazendo-os prisioneiros desta triste dimensão de suas vidas. Seu campo energético em torno de seu corpo é diferente dos humanos, estando em oposição direta à nossa. 

Eles entendem o conceito de ligação entre mãe / óvulo / criança apenas intelectualmente – um propósito biológico que mantém a sobrevivência da espécie entre os mamíferos. Eles reconhecem a necessidade da criança ter a mãe por um tempo, mas somente em termos da manutenção da vida inicial.

Sua estrutura social é voltada para a obediência e dever, seus conceitos militares são agrupados em torno de conquista, colonização e dominação através do controle da mente. 

O resultado de seus esforços objetiva a busca de encontrar entidades humanas que vibrem em ressonância ao seu complexo vibracional. Um dos aspectos humanos que promove esta ressonância é o medo, que equivale a uma permissão de acesso, do ponto de vista de um Grey.
   
A motivação para conquistar um planeta como a Terra está na localização e identificação com seres que vibram em ressonância com a frequência de um nível negativo de espiritualidade.
   
Segundo a falecida Dra. Karla Turner, que já trabalhou com mais de 400 casos de abdução e escreveu o livro "Into the Fringe", o fenômeno de abdução inclui alguns dos seguintes detalhes que desconhecemos.

Aliens fazem previsões de um período iminente de caos global e destruição. Eles dizem que um certo número de seres humanos serão "resgatados" do planeta, a fim de continuar a espécie, seja em outro planeta ou de volta à Terra depois da destruição. Da mesma forma como da última vez – história de Noé.

Em 1960, o biólogo Allan Frey, então com 25 anos, estava trabalhando em Eletrônica Avançada do Centro de General Electric na Universidade de Cornell, quando ele foi contatado por um técnico, cujo trabalho era medir os sinais emitidos por estações de radar. O técnico alegou que ele poderia "ouvir" o radar.

Frey viajou para o local onde o homem trabalhava e ficou na borda do feixe de radar, e com certeza, ele podia ouvi-lo também. Frey passou a estabelecer que o efeito era radiação microondas que de alguma forma “tocava” seres humanos. 

A "audiência", descrita pelo técnico de radar no entanto, não aconteceu através de ondas sonoras normais percebidas através do ouvido, mas aparentemente em algum lugar no próprio cérebro. As microondas interagiram com as células nervosas do cérebro, que geram campos elétricos minúsculos – um fenômeno que passou a ser conhecido como o efeito Frey.

Frey fez ratos se tornarem dóceis expondo-os à radiação em um nível médio de energia de apenas 50 microwatts por centímetro quadrado e alterando comportamentos específicos de ratos em 8 microwatts por centímetro quadrado. Alterou a frequência cardíaca de rãs vivas em 3 microwatts por centímetro quadrado. Com apenas 0,6 microwatts por centímetro quadrado, fez o coração dos sapos parar de bater cronometrando os pulsos de microondas em um ponto preciso durante o ritmo do coração. 

0,6 microwatts por centímetro quadrado é cerca de 10 mil vezes menor do que a quantidade de radiação que um telefone celular ativo exporia o coração de um homem se ele carregasse no bolso da camisa.

Em um estudo publicado em 1975 em New York Academy of Sciences, Frey informou que as microondas poderiam induzir um "vazamento" na barreira entre o sistema circulatório e o cérebro, causando com isso um AVC apenas calculando a frequência certa.

Você tá aí pensando... “mas que mulher maluca essa laura, nos dá essas informações horríveis pra que? Quer nos matar de medo?”

E eu aqui, estou rindo baldes... Lembra do conselho do guerreiro? Tem mais essa aqui:

“Considere seus soldados como seus filhos, e eles irão segui-lo para os vales mais profundos; olhe sobre eles como seus próprios filhos amados, e eles vão ficar do seu lado até a morte”
Sun Tzu

Não pescou? Que pena, isso é sinal que um de nós é o Joio...

laura botelho


Phil Scheider foi "suicidado" 4 meses após essa apresentação.










8 de nov de 2013

Cometa com 6 caldas?


Um grupo de cientistas por esses últimos meses, usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, descobriu um objeto com multi-caudas, marcada por P/2013 P5, no cinturão de asteroides principal.

P/2013 P5 é um cometa (até que provem o contrário) tem cerca 240 m de diâmetro. Tem seis caudas que irradiam a partir dele, como os raios de uma roda. 

Foi visto pela primeira vez como um objeto incomum com o telescópio Pan-STARRS no Havaí 10 de setembro de 2013. Quando Hubble voltou para o objeto em 23 de setembro, a sua aparência tinha mudado radicalmente, parecia que toda a estrutura mudara.

"Estávamos literalmente estupefato quando vimos isso", disse o investigador principal David Jewitt, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles. "Ainda mais surpreendente, as suas estruturas cauda mudar dramaticamente em apenas 13 dias, uma vez que arrota para fora a poeira. Isso também nos pegou de surpresa. É difícil de acreditar que estamos olhando para um asteroide. Este objeto ejetou poeira durante pelo menos 5 meses". disse Jewitt

Os astrônomos descartaram a possibilidade de um cenário de impacto recente entre asteroides, porque uma grande quantidade de poeira teria sido lançada para o espaço de uma só vez.


Nós imaginamos que a superfície está à beira da instabilidade, como uma pilha de areia cotado para a beira do colapso. Mais observações serão obtidas para testar esta possibilidade

David Jewitt,
Jessica Agarwal,
Harold Weaver,
Max Mutchler
Stephen Larson



Se os doutores acima não sabem que diabos é essa coisa luminosa com 6 caldas... imagine nós, pobres mortais. Não sei você, mas eu tenho certeza que “alguém” sabe o que é essa coisa, mas vão ficar de bico fechado até que tudo fique tão visível aqui na Terra que não possa mais ocultar.

Daí, eles terão que tirar o elefante do centro da sala...

laura botelho


6 de nov de 2013

Documento sobre ETs por Einstein e Oppenheimer


O ano é 1947 e este documento de seis páginas, intitulado "As relações com os habitantes de Corpos Celestes", (versão original nesse link) é o primeiro documento a usar a frase Entidades Biológicas Extraterrestres, ou apenas EBEs.

Um trabalho conjunto entre os físicos Einstein e Julius Robert Oppenheimer (o pai da boma atômica) sobre a inevitável constatação de seres não humanos entre nós. O que fazer com eles? Como lidar com sua existência? Propostas sugeridas para uma possível colonização ou regras de boa vizinhança.

O documento  relata que a presença de naves espaciais não identificadas é aceita como fato pelos militares e discuti estratégias sobre como lidar ou como devemos fazer em caso de colonização e / ou integração dos povos, como administrar a ordem.

Há também propostas sobre a criação necessária de uma "lei internacional Cósmica", sobre o movimento de naves em nossa atmosfera, como resultado das ações de experimentos militares com dispositivos de guerra de fissão e fusão.

A autenticidade do documento é alta. Há uma quantidade considerável de investigação e testes que foram concluídos que dão fortes sinais de autenticidade na forma de conteúdo, forense, tipografia, etc.

Como toda publicação que faço baseado em minhas pesquisas, alerto sempre para atenção a investigação. Não deixe apenas por minha conta esse link, busque o que melhor se encaixe na sua visão sobre esse e outros assuntos. Divirta-se.

laura botelho

Tradução do texto em Inglês mal feita, mas foi o que consegui.  

"Relacionamentos com homens extraterrestres, não apresenta, basicamente, novo problema do ponto de vista do direito internacional, mas a possibilidade de confrontar seres inteligentes que não pertencem à raça humana o que traria problemas cuja solução é difícil de conceber.

Em princípio, não há nenhuma dificuldade em aceitar a possibilidade de chegar a um entendimento com eles, e de estabelecer todos os tipos de relacionamentos. A dificuldade reside na tentativa de estabelecer os princípios em que essas relações se devem basear.

Em primeiro lugar, seria necessário estabelecer a comunicação com eles ou por meio de uma linguagem a outra, e depois, como uma primeira condição para a inteligência, que devem ter uma psicologia semelhante ao do homem.


De qualquer forma, o direito internacional deve dar lugar a uma nova lei sobre uma base diferente, e que poderia ser chamado de "lei entre os povos planetários." Obviamente, a ideia de revolucionar o direito internacional para o ponto onde ele seria capaz de lidar com novas situações que nos obriguem a fazer uma mudança em sua estrutura, uma mudança tão básica que não seria mais o direito internacional, isto é, tal como é concebido hoje, mas algo completamente diferente, de modo que ele não poderia mais suportar o mesmo nome.


Se estes seres inteligentes estavam em posse de uma mais ou menos cultura, e uma organização política mais ou menos perfeita, eles teriam um direito absoluto de serem reconhecidos como povos independentes e soberanos, teríamos de chegar a um acordo com eles para estabelecer as normas legais sobre o qual os relacionamentos futuros devem ser baseados, e seria necessário aceitar muitos dos seus princípios.


Finalmente, se eles devem rejeitar toda a cooperação pacífica e tornar-se uma ameaça iminente à Terra, teríamos o direito à legítima defesa, mas apenas na medida em que seria necessário para anular esse perigo.


Outra possibilidade pode existir, que uma espécie de homo sapiens pode ter se estabelecido como uma nação independente em outro corpo celeste em nosso sistema solar e culturalmente evoluído de forma independente da nossa. Obviamente, essa possibilidade depende de muitas circunstâncias, cujas condições ainda não podem ser previstas.


No entanto, podemos fazer um estudo de base sobre a qual tal coisa poderia ter ocorrido. Em primeiro lugar, as condições de vida para estes organismos, digamos Lua, ou o planeta Marte, teriam que ser tal que permitam a um estábulo, e, até certo ponto, independente de vida, a partir de um ponto de vista econômico.

Muito se tem especulado sobre as possibilidades de vida fora existentes ou a nossa atmosfera e além, sempre hipoteticamente, e há aqueles que vão tão longe para dar fórmulas para a criação de uma atmosfera artificial na Lua, o que sem dúvida tem certo fundamento científico, e que pode um dia vir à luz.

Vamos supor que podem existir silicatos de magnésio na Lua e conter até 13% de água. Usando a energia e máquinas levadas para a lua, talvez a partir de uma estação espacial, as torres poderiam ser quebradas, pulverizadas, e depois recuadas para expulsar a água de cristalização.

Isto pode ser recolhido e, em seguida, decomposto em hidrogênio e oxigênio, utilizando uma corrente elétrica ou a radiação do sol, ondas curtas. O oxigênio pode ser utilizado para fins respiratórios, o hidrogênio pode ser usado como combustível.

Em qualquer caso, se não for possível existência de corpos celestes, com exceção de empresas para a exploração de suas riquezas naturais, com um intercâmbio contínuo dos homens que trabalham com eles, incapazes de estabelecer-se por tempo indeterminado e ser capaz de viver a vida isolada, a independência nunca ocorrerá.


Agora chegamos ao problema de determinar o que fazer se os habitantes dos corpos celestes, ou entidades biológicas extraterrestres (EBE) desejam se estabelecer aqui.


Se são organizados politicamente e possuem uma certa cultura semelhante à nossa, eles podem ser reconhecidos como um povo independente. Eles poderiam considerar o grau de desenvolvimento seria necessário na terra para colonizar.

Se considerar a nossa cultura para ser desprovido de unidade política, eles teriam o direito de colonizar. Naturalmente, esta colonização não pode ser realizada em linhas clássicas. A forma superior de colonização terá de ser concebida, que poderia ser uma espécie de tutela, possivelmente através da aprovação tácita das Nações Unidas.

Mas será que as Nações Unidas têm legalmente o direito de permitir que tal tutela sobre nós, de tal forma? Embora as Nações Unidas sejam uma organização internacional, não há nenhuma dúvida de que ela não teria direito de tutela, uma vez que seu domínio não se estende para além das relações entre os seus membros. 

Ele teria o direito de intervir se as relações ou uma nação membro com um corpo celestial afetasse outro país-membro com um povo extraterrestre além do domínio das Nações Unidas. Mas se essas relações implicarem um conflito com outro país-membro, as Nações Unidas terão o direito de intervir.

Se as Nações Unidas forem uma organização supra-nacional, teria competência para lidar com todos os problemas relacionados aos povos extraterrestres. É claro que, mesmo que seja apenas uma organização internacional, que poderia ter essa competência se os seus Estados membros estariam dispostos a reconhecê-lo.

É difícil prever o que a atitude do direito internacional será no que diz respeito à ocupação por povos celestiais de determinados locais, em nosso planeta, mas a única coisa que se pode prever é que haverá uma profunda mudança nos conceitos tradicionais.

Não podemos excluir a possibilidade de que uma raça de pessoas extraterrestres mais avançadas tecnologicamente e economicamente podem tomar para si o direito de ocupar um outro corpo celeste.


Como, então, se essa ocupação acontecer?
A ideia de exploração por parte de um estado celestial seria rejeitado, eles podem pensar que seria aconselhável para concedê-lo a todos os outros, capazes de chegar a um outro corpo celeste. Mas isso seria para manter uma situação de privilégio para estes estados.

A divisão de um corpo celeste em zonas e a distribuição deles entre os outros estados celestes. Isto iria apresentar o problema da distribuição. Além disso, outros estados celestes privados da possibilidade de possuir uma área, ou se eles foram concedidos, envolveria operações complicadas.

Indivisível co-soberania, dando a cada estado celestial o direito de fazer o que uso é mais conveniente aos seus interesses, independentemente dos outros. Isso criaria uma situação de anarquia, o mais forte venceria no final.

A entidade moral? 
A solução mais viável parece ser a presente, apresentar um acordo que prevê a absorção pacífica de uma raça celestial (s) de tal forma que a nossa cultura permaneceria intacta, com garantias de que a sua presença não pode ser revelada.

Na verdade, nós não acreditamos que seja necessário ir tão longe. Ele simplesmente seria uma questão de internacionalizar povos celestes e criando um instrumento tratado internacional de prevenção da exploração de todas as nações pertencentes à Organização das Nações Unidas.

***
Ocupação pelos estados aqui na terra, perdeu todo o interesse pelo direito internacional, uma vez que não havia mais res nullius territórios, está começando a recuperar toda a sua importância no direito internacional cósmico.


Ocupação consiste na apropriação por um estado de res nullius.

Até o século passado, a ocupação foi o meio normal de aquisição de soberania sobre territórios, quando explorações possibilitaram a descoberta de novas regiões, seja habitado ou em um estado elementar de civilização.

A expansão imperialista dos Estados Unidos chegou ao fim com o fim das regiões passíveis de serem ocupados, que já foram drenados da terra e só existem no espaço interplanetário, onde os estados celestes apresentam novos problemas.


***
Res nullius é algo que não pertence a ninguém, como a lua. 

No direito internacional um corpo celeste não está sujeito à soberania de qualquer Estado e é considerado res nullius .

Se pudesse ser estabelecido que um corpo celeste dentro de nosso sistema solar como a nossa Lua foi, ou é ocupada por uma outra raça celestial, não poderia haver reivindicação de res nullius por todo o estado na terra (se esse estado deve decidir, no futuro, enviar exploradores para reivindica- la).

Ele existiria como res communis que é que todos os estados celestes têm os mesmos direitos sobre ele.

***
E agora a última pergunta se a presença de naves na nossa atmosfera for um resultado direto de nossos testes de armas atômicas? A presença de nave espacial  não identificada voando em nossa atmosfera (e possivelmente manter órbitas sobre o nosso planeta) é agora, no entanto, aceito como de fato por nossos militares. 


Em cada questão a saber se os Estados Unidos vão continuar os testes de bombas de fissão e desenvolver dispositivos de fusão (bombas de hidrogênio), ou chegar a um acordo para desarmar e a exclusão de armas que são muito destrutivas, com a exceção de guerra química, em que, por algum milagre, não podemos explicar, foi alcançado um acordo, as lamentações dos filósofos, os esforços de políticos, e as conferências de diplomatas foram condenadas ao fracasso e ter nada realizado.

O uso da bomba atômica combinada com veículos espaciais representa uma ameaça em uma escala que torna absolutamente necessária para chegar a um acordo nesta área.

Com o aparecimento de veículos espaciais não identificados (opiniões estão fortemente divididos quanto à sua origem) nos céus da Europa e dos Estados Unidos tenham sofrido um medo inexplicável, uma ansiedade sobre a segurança, que está conduzindo as grandes potências a fazer um esforço para encontrar uma solução para a ameaça.

Os estrategistas militares preveem o uso de naves espaciais com ogivas nucleares como a melhor arma de guerra. Mesmo a implantação de satélites artificiais para coleta de informações e seleção de alvos não está muito longe. A importância militar de veículos espaciais, satélites, bem como foguetes é indiscutível, uma vez que eles projetam guerra do plano horizontal para o plano vertical em seu sentido mais amplo.


Ataque já não vem de uma direção exclusiva, nem a partir de um determinado país, mas do céu, com a impossibilidade prática de determinar quem é o agressor, como interceptar o ataque, ou como efetuar represálias imediatas. Estes problemas são agravados ainda mais pela identificação.

Como o operador de radar de defesa aérea identifica, ou mais precisamente, classifica o seu alvo?

Neste momento, podemos respirar um pouco mais fácil sabendo que bombardeiros lentos são o modo de entrega de bombas atômicas que podem ser detectados por radar de alerta precoce de longo alcance. Mas o que vamos fazer, vamos dizer daqui há dez anos?

Quando os satélites artificiais e mísseis encontrarem seu lugar no espaço, devemos considerar a potencial ameaça que as naves espaciais não identificadas. Deve-se considerar o fato de que o erro de identificação dessas naves para um míssil intercontinental em fase de re-entrada de voo poderia levar a uma guerra nuclear acidental com consequências horríveis.

Por fim, devemos considerar a possibilidade de que nossos testes atmosféricos podem ter influenciado a chegada do escrutínio celestial. Eles poderiam estar curiosos ou até mesmo alarmados com tal atividade (e com razão, pois os russos fariam todos os esforços para observar e registrar tais testes).


Em conclusão, é nossa opinião profissional com base em dados apresentados que esta situação é extremamente perigosa, e devem ser tomadas medidas para corrigir um problema muito grave e muito aparente,


Respeitosamente,


/ S / 
Dr. J. Robert Oppenheimer
Diretor de Estudos Avançados
Princeton, New Jersey

/ S /

Professor Albert Einstein
Princeton, New Jersey

***
Eu e Marshall lemos isto e devo admitir que há alguma lógica. Mas eu acho que o Presidente a considerá la pelas razões óbvias. Pelo que entendi, Marshall rejeitou a ideia de Oppenheimer discutindo este assunto com o Presidente.
Falei com Gordon, e ele concordou. "





4 de nov de 2013

Silencio perpetuo na casa de deus...


A Lei de Godwin – do advogado americano Mike Godwin – é conhecida desde 1990 como “A Regra das analogias Nazistas de Godwin” – “Godwin's law ou Godwin's Rule of Nazi analogies” - é um argumento  usado em discussão tanto virtual quanto pessoal.
  
Ele observou que á medida que uma discussão acalorada na WEB cresce, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Hitler ou nazismos aproxima-se de 1. E se tal comparação é feita, é porque quem mencionou Hitler ou o nazismo ficou sem argumentos, não sabe mais como sair por cima, se perdeu...

Parece tola essa observação do Godwin?
Pintura Maria e menino Jesus - 1913 - autor: Adolf Hitler
Eu não acho. Muito pelo contrário, faz todo sentido quando se trata de programação neurolinguistica. 

O cérebro busca a saída mais rápida para qualquer desconforto, ele nem sabe se está coerente com seu raciocínio ou se está falando algo que vai contra o que ele próprio acredita (dissonância cognitiva), mas o fato é que Hitler se tornou um ícone para “aniquilação humana” e todo ícone tem como função estar presente em cada cérebro que esteja no Stand By – ele funciona sempre, se acionado pelo ambiente.

Para sair do Stand By é necessário estar presente, atento, observando tudo a seu redor e muito bem informado para poder entender uma coisa e outra, as ligações – o todo e não só as partes isoladas.

Hitler era Católico e o Papa fingia não saber o que acontecia lá com os judeus, negros, ciganos, aleijados e pobres. A igreja odeia pobres. O Papa João Paulo pessoalmente pôs a hóstia na língua do casal Pinochet, pois considerava um casal católico perfeito. O Nazismo é socialista – Socialistas odeiam pobres, e fazem de tudo “pelo social”. Até fingir que vão cuidar deles.

Cerca de 9 milhões de pessoas foram acusadas e mortas pela Inquisição cristã, entre os séculos em que durou a perseguição mais ativa contra a Bruxaria [pessoas que sabiam tanto quanto os que escondiam a verdade]. Mas alguns autores colocam 20 milhões, quando somados todos os séculos de existência da Inquisição. Eles sabiam que a informação logo seria ampla, disseminada como um vírus e que não teriam muito tempo para cercar todo o gado, mas a tática funcionou, ainda salvaram muitas "cabeças".

Democídio é um termo criado por R. J. Rummel da Universidade do Havaí para designar os assassinatos realizados por governos em sua própria população. Através de um estudo sério e impecável o professor americano prova com números que o século XX (1900-1999) foi responsável por mais mortes que toda a história da humanidade até então e isso se deve a um desesperado método de manter um segredo que mantém os reis/donos do planeta no controle.

Que segredo é esse?

“A liberdade do homem não é seguro nas mãos de qualquer igreja. 
Onde quer que a Bíblia e a espada estejam, em parceria,
o homem é um escravo.
Robert Green Ingersoll


laura botelho


Parte 1


Parte 2


Parte 3


Parte 4


Parte 5


Parte 6




2 de nov de 2013

NASA e suas missões inexplicáveis


Frota de OVNIs voando ao redor da Terra, mas não são percebidas facilmente pela tripulação. Este vídeo foi gravado ao vivo pela STS-48 Space Shuttle usando uma câmera espectro ultravioleta extremo. Luz UV não pode ser vista pelo olho humano, de modo que os objetos que vemos normalmente não estão sendo captados pelo grupo interno do space shuttle. 

São diversos "objetos que transitam" tranquilamente em diferentes velocidades e trajetórias diante das câmeras de vídeo. As imagens apresentadas foram tratadas para que pudêssemos ver esse transito espetacular de... sei lá o que.

Me diga você o que são essas coisas no espaço sideral, só não me venha com a mesma história da NASA de que são cubos de gelo ou lixo espacial, por favor.

laura botelho

meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos