Google

Translate my page Google

29 de jul de 2013

Em nome de deus...


David Yallop escreveu o livro “Em Nome de Deus” (1984) que propõe a teoria de que o papa João Paulo l estava em "perigo potencial" por causa da corrupção no Istituto per le Opere religiöse (IOR, Instituto de Obras Religiosas, vulgarmente conhecido como o Banco do Vaticano).

O Banco do Vaticano perdeu cerca de um quarto de bilhão de dólares e cabeças rolaram por isso, pois a igreja não perde dinheiro nunca.

O Papa João Paulo I - nascido Albino Luciani – teve morte súbita 33 dias após sua eleição como Papa em 28 de setembro de 1978. Seu reinado de 33 dias está entre os mais curtos na história papal.

De 1958 até 1964, Malachi Martin serviu em Roma como um padre jesuíta, onde ele era um colaborador próximo e realizou muitas missões sensíveis para o famoso jesuíta cardeal Augustin Bea e Papas João XXIII e Paulo VI. Mudou-se para Nova York e se tornou um escritor de best-sellers de ficção e não-ficção.

Martin fez a primeira referência explícita a um ritual diabólico realizado em Roma em 1990 em seu best-seller não-ficção sobre a geopolítica e o Vaticano no livro “ The Keys of This Blood” .

Martin não tinha medo de contar o que sabia, começando com a cumplicidade do Vaticano com os "ratlines" nazistas que lhes ajudou a fugir para a América do Sul, em troca de ouro roubado de suas vitimas. O livro abrange também em generosos detalhes todo o escândalo do Banco do Vaticano, a política do Vaticano II, a infiltração da KGB no coração da Cúria e seu uso de "teologia da libertação", e contra movimentos do Vaticano na Europa Oriental, dando uma aparência muito interessante sobre as finanças do Vaticano e as forças que realmente governam a Igreja.

Padres católicos ditos “satanistas” como Sean Fortune e Bernard J. Lane praticavam uma forma de religião mais diabólica. Na verdade, eles realizaram o que Martin se referia como "o culminar de ritos do anjo caído" - ou seja, o estupro de crianças do sexo masculino. Neste cenário horroroso a criança tornava-se através do sacrifício, um substituto para Cristo (quem seria cristo?).

A política da Igreja sobre a proteção deste culto foi escrito pelo Cardeal Alfredo Ottaviani , em 1962, e foi destinado a ser um documento secreto interno do Vaticano apenas para ser lido por bispos e cardeais da Igreja de Roma, mas uma cópia deste documento vazou por um insider do Vaticano e foi parar na rede CBS News que relatou o seguinte:

“O documento, uma vez que "guardadas nos arquivos secretos" do Vaticano, incide sobre crimes iniciados como parte da relação confessional, e o que ele chama de "pior crime": "assalto sexual cometido por um padre" ou "tentada por ele com jovens de ambos os sexos ou com animais irracionais. Bispos são instruídos a buscar esses casos "da forma mais sigilosa ... contido por um silêncio perpétuo ... e todos (incluindo a suposta vítima) ... a observar o segredo mais estrito, que é comumente considerado como um segredo do Santo Ofício ... sob pena de excomunhão ". 

Nada mais é que um manual de instruções sobre como enganar e como proteger os pedófilos. Quando a CBS informou sobre a existência deste documento secreto, prelados católicos alegaram que o documento estava restrito a crimes sexuais cometidos na confissão (isto é, os padres abordando sexo durante o sacramento católico da confissão).

Então sacerdotes satânicos eram protegidos por um bispo sob esta política de confissão? A resposta é = sim.

A jornalista  irlandesa Alison O'Connor relata em seu livro Mensagem do Céu (2000) que, quando Bispo Comisky foi inicialmente exposto para proteger o padre satanista Sean Fortune em 1998, ele alegou que ele não poderia tomar nenhuma ação efetiva no assunto, porque as situações envolvidas em questão são protegidas pelo “ato de confissão” o que o prendia pela política da igreja de permanecer em silêncio sobre o assunto.

Mais surpreendentemente, o autor Martin relata que havia um “segredo” e não especificado, entre a Santa Sé e um “órgão misterioso” = Maçonaria - que todos os papas desde Pio IX assinaram e selaram essa união. Desde então Estados Pontifícios barganham com a Maçonaria permitindo que o Vaticano continue a existir como uma potência política e econômica no mundo. Martin ainda acusou Paul IV de ser um membro Loja Maçônica além de outros membros da cúria romana.

Malachi Martin
O Padre Malachi Martin via pouca diferença entre homossexualidade e pedofilia, neopaganismo e satanismo em seus relatos. O que de repente, tornou-se indiscutível que agora durante estes últimos papados a organização católica romana carregava uma permanente presença de clérigos que apresentavam e apresentam comportamentos bizarrossem distinção de hierarquia – podendo ser bispos, padres - meninos sodomizando uns aos outros, freiras que realizam "Ritos de magia negra" de Wiccas e que vivem em relações lésbicas todos os dias, inclusive aos domingos e dias santos além de  atos de perversão e indiferença com suas crenças cometidos e permitidos em altares sagrados por homens que eram denominados de “homens santos” por anos e anos e que muitos de vocês beijaram suas mãos...

Tanto quanto se sabe, o padre Martin nunca se retratou em qualquer de suas alegações em que foi baseado rituais satânicos no Vaticano, nos primeiros dias do reinado do Papa Paulo VI, nem sobre a existência de uma conspiração geral satânica dentro da Igreja Católica Romana.

Por que será? Pois se a IGREJA fosse desmentir teria que provar... Então é melhor ficar de boca calada... eles sabem que o tempo abafa tudo, cai no esquecimento.

De acordo com uma pesquisa de 1996 - com freiras dos Estados Unidos - relata que um mínimo de 34 mil freiras católicas (cerca de 40% de todas as freiras americanas) afirmaram terem sido abusadas ​​sexualmente. Três em cada quatro dessas freiras afirmaram que foram sexualmente vitimadas de um padre, uma “irmã” freira, ou qualquer outra pessoa religiosa. Duas em cada cinco freiras que declararam que foram abusadas sexualmente alegaram que a sua exploração incluía alguma forma de contacto genital. Todas as freiras que afirmavam exploração sexual disseram que foram pressionadas pelos superiores religiosos em troca de favores sexuais.

O estudo do Vaticano de 1994 pela Irmã Maura O'Donohue, uma médica e freira católica, que investigou os abusos sexuais de freiras na África relata:

"Infelizmente, as irmãs também relatam que os padres têm explorado sexualmente delas, porque eles temiam a contaminação de HIV por contato sexual com outras mulheres”.

Em novembro de 2001, o Papa João Paulo II se desculpou publicamente pelo abuso sexual de freiras por padres, mas isso passou despercebido pela mídia e interessados no caso.

O Procurador-Geral de Massachusetts, Thomas Reilly, que tratava do chamado escândalo dos abusos sexuais do clero na Arquidiocese de Boston – “a maior tragédia que se abateu sobre as crianças" - em Massachusetts, envolvia muito mais padres e muitas mais vítimas.

Em seu relatório sobre seus 16 meses de investigação, O Procurador-Geral deixou claro que ao longo de 6 décadas (60 anos), pelo menos, 237 sacerdotes e 13 outros funcionários da igreja foram acusados ​​de molestar pelo menos 789 menores. Reilly disse que o número real de vítimas pode ser muito maior e, provavelmente, superior a 1.000 crianças.

Uma semana após a publicação do livro de Yallup em 1984, uma das testemunhas mais importantes da morte do Papa João Paulo I, a irmã Vincenza, foi encontrada morta em sua cama. Uma morte prematura que impediu a versão dos acontecimentos a serem verificados pela justiça.

Lorenzi Calo “caiu” do 6 º andar de uma varanda. Calo foi Secretário do Papa João Paulo I – que assistiu a todo movimento e funeral urgente na noite da morte prematura do papa.

O Papa João Paulo l (que sabia demais e queria mudar muita coisa) foi encontrado morto de manhã, mas às 6:30h da tarde seu corpo já havia sido embalsamado. Essa é uma técnica conhecida da máfia Italiana, quando envenenamento por arsênico lento é o instrumento de assassinato. Embalsamar o corpo logo após a morte apaga os sinais óbvios de intoxicação. Embalsamar um corpo antes de 24 horas após a morte era ilegal na Itália, mas a lei italiana não se aplica dentro dos muros do Vaticano...

Por que só agora estamos despertando para a manipulação da religião, política, saúde e tudo aquilo que acreditávamos ser “certo”?

Teoria do biólogo Rupert Sheldrake sobre ressonância mórfica ressalta a similaridade na vibração entre membros de uma mesma espécie. A frequência de ressonância de cada indivíduo, determinada pela sua experiência de vida, corpo físico e energia, limita ou aumenta o que eles podem perceber ou não no ambiente.


Com um mesmo comprimento de onda, um grupo é capaz de explorar a informação que se refere unicamente a eles o que é despercebido pelos demais que não ressoam nessa onda de informação. Sheldrake vai ainda mais longe e sugere que os campos mórficos podem explicar como a memória humana funciona. 

Hoje sabemos que a memória não está no cérebro, mas armazenadas no campo mórfico, num campo que pode ser acessado por qualquer um, basta que para isso ele esteja “sintonizado na mesma frequência em que a informação está sendo passada”. Nosso cérebro mediante a um foco, uma meta, irá buscar a informação que mais se adapta a nossas exigências de vida, tal qual um rádio ou uma TV sintoniza uma estação em particular.

Se você está satisfeito com sua vida e acredita que nada precisa mudar... Então toda a informação será limitada àquilo que você precisa para mante-la INTOCÁVEL. Mas se você está em busca de mudanças que lhe tragam bem estar geral, você estará navegando em temas como o desse meu BLOG e outros afins.

Sincronicidade e Campos de Significado
Similaridade em vibração explica o fenômeno de sincronicidade ou das chamadas "coincidências" de eventos aparentemente não relacionados que compartilham um significado comum. Não existem “coincidências”, mas SINCRONICIDADES. Você busca, você acha.

O dia fora do tempo
Todo 25 julho do nosso calendário gregoriano condiz com o último dia do ano galáctico para o povo Maya, o que significa que das 13 luas por ano em um ciclo de 28 dias e 364 dias, há um dia extra dentro dos nossos 365 dias do ano gregoriano que é justamente o dia 25 de julho – um dia fora da linha do tempo Maya.

O Calendário de 13 luas mede o tempo a partir de uma perspectiva quantitativa e qualitativa de uma 4ª Dimensão da percepção humana, revelando a natureza sincrônica e cíclica do tempo com a mente humana.

Estudos mais recentes por epigrafistas mayas indicam que o Deus dos Nove Passos - Bolon Yokte – ressurge no final de cada baktun, assistindo a Criação de um novo mundo, estando sempre presente a próxima criação. 

Narra a lenda que ele retornaria a Terra a partir do nosso ano de 2012, abandonando seu reino subterrâneo e subindo a superfície da Terra, onde daria inicio a uma batalha com os 13 deuses do céu. (?)

Bolon Yokte – segundo o povo Maya, tem uma associação com o submundo, conflitos e guerras, tempos perigosos de transição, agitação social, eclipses e desastres naturais. Ele é retratado nas imagens nos templos com uma corda amarrada ao redor do pescoço, e em outra com um saco de incenso, em conjunto, significando um sacrifício para terminar um ciclo de anos.

Já o povo Hopi diz que há um total de 7 mundos, ou eras, e que cada uma é regida por um centro psíquico - o mesmo que os 5 principais chakras do sistema hindu – e que nos diz que nossa consciência descerá do chakra coronário, tanto quanto o plexo solar na era atual - cada um mais materialista do que o último - numa transição que será Mundial promovendo uma inversão drástica da direção dos chacras.

Trecho do filme Matrix
Morpheus - Você acredita no destino, Neo?
Neo - Não.
Morpheus - Por que não?
Neo - Porque eu não gosto da ideia de que não tenho o controle de minha vida


E Você? Acredita que pode controlar sua vida?
Eu sim
laura botelho










22 de jul de 2013

Martelo das Bruxas

Embora a internet seja uma ferramenta maravilhosa que nos ajuda mais rapidamente na captação e distribuição da informação, por outro lado da mesma moeda, ela distribui e capta a DESinformação.

Desinformação nesse caso, não se refere a uma informação “falsa” ou “verdadeira”, “certa” ou “errada” (isso não existe, tudo é informação), mas tende a desviar a atenção daqueles que não sabem o que procuram e se perdem na distração dos joguinhos e entretenimento fácil que a internet oferece.

Mas sem duvida alguma, a WEB usada com critérios de um pesquisador que sabe o que quer, e sabe separar o joio do trigo - abre um campo de experiências sem danos a cultura geral. Basta que você pegue o que acredita ser melhor para suas necessidades, e o que não está em sincronia com suas percepções do momento, descarte ou arquive para mais tarde.

E navegando por esses dias a procura de um tema, esbarrei em outra coisa que me intrigou. Se são “verdadeiros” ou não os relatos que investiguei, não vem a caso. O que me chamou muita atenção foi o “objetivo” por trás da história toda.

Jovens e crianças com olhos negros ou BEK (Black Eyed Kids)
Essa história sobre crianças com olhos inteiramente negros teve destaque a partir de 1988, começando com a narrativa de um jornalista de nome Brian Bethel que relatou uma reunião com duas crianças extraordinariamente confiantes e eloquentes que tentaram convencê-lo a dar-lhes uma carona em seu carro numa noite muito estranha.

Bethel disse que foi dominado por uma resposta de "luta ou fuga", foi tentado a permitir a entrada dos meninos no veículo, mas após se deparar os olhos "negro carvão", sem íris ou pupila, sem o branco ao redor, apenas um negro sem expressão, vazio, sem alma naquilo que pareciam apenas crianças, negou a carona.

Diante de uma sensação estranha, Bethel ficou momentaneamente paralisado de medo e assim que as crianças perceberam que ele estava receoso com o que viu, ficaram com raiva e insistentes, fazendo com que o jornalista acelerasse o carro e fosse embora rapidamente fugindo do local deixando aquilo que pareciam “crianças” pra trás.

Há muitos outros relatos de experiências semelhantes em outras partes do país que geralmente envolve pedido de crianças com olhos negros para deixá-los entrar em seu carro ou casa. As crianças se aproximam silenciosamente, mas com determinação. Elas insistem em querer entrar em sua casa para usar o telefone muitas vezes com a desculpa do - "Eu preciso ligar para minha mãe", ou de querer fazer xixi, pegar um gato fugitivo ou para obter apenas um copo de água. Muitas vezes no meio da noite.

O mais bizarro relatado nesse encontro com estas crianças é que elas emitem uma vibração assustadora que gera desconforto em que as atende, sentindo-se literalmente ameaçados, em pânico e até mesmo desorientados, sofrendo algum tipo de telepatia, geralmente na forma de responder a algo que a vítima estava pensando, ou dominação mental de algum tipo, sugerindo-as a fazer alguma coisa contra sua vontade.

E depois de muito pesquisar sobre esses encontros com os BEKs (Black Eyes Kids) pode se observar que a abordagem segue uma regra: Elas não podem ou não entram em um estabelecimento ou ambiente reservado sem serem convidados ou consentidos a entrar. Essa persistência para ser convidado a ter sua entrada no resinto é similar aos contos antigos sobre vampiros que, segundo narra a lenda, só podiam permanecer no local se fossem consentidos.

Agora pense bem, escolher a forma de uma criança é um bom álibi, pois quem deixaria uma criança no meio da noite à porta da sua casa desejando contato com sua mãe? Você deixaria?

Lembrando mais uma vez que temos o poder de dizer não a todo tipo de violação da nossa integridade, seja ela física, moral ou espiritual – “eles” têm que respeitar o livre arbítrio, sempre!

Resolvi trazer essa informação para que você mesmo tire suas conclusões. Tem muita coisa bizarra acontecendo ultimamente e descartar qualquer coisa apenas alegando ser “falso”, sem abrir critérios de pesquisa, nos remete a conceitos primários da era da caça as bruxas – onde saber mais e além, do que a maioria, fazia de você um “bruxo” merecedor de uma  bela fogueira.

O mais famoso manual de Caça às Bruxas é o Malleus Maleficarum (Martelo das Feiticeiras) de 1484. Ao contrário do que se acredita a caça às bruxas foi uma perseguição social e religiosa que começou no final da Idade Média e atingiu seu apogeu na Idade Moderna.

Embora supostas bruxas tenham sido queimadas ou enforcadas num intervalo de quatro séculos — do século XV ao século XVIII — a maioria foi julgada e morta entre 1550 e1650, nos 100 anos mais histéricos do movimento - bem no apogeu do nascimento da "Idade da Razão" (Iluminismo).

No início do século XIV, na parte central da Europa, surgiu rumores e pânico acerca de “conspirações malignas” que estariam tentando destruir os reinos cristãos através de magia e envenenamento; falava-se de conspirações por parte dos muçulmanos e de associações entre judeus e leprosos ou judeus e bruxas. Já ouviu isso antes?

Depois da Peste, espalhou-se pela comunidade a ideia de que tomar banho frequente desprotegia a pele e trazia doenças para o corpo através da água. Perceba que a contra informação está sempre em pauta. Quando não se sabe o TODO, uma parte ganha dimensões assustadoras.

Supõe-se que o número de vítimas de acusação de bruxaria é algo superior a 60 mil pessoas. Numa média, 25% das vítimas foram homens, para 75% mulheres. Até onde se sabe, algumas vítimas adoravam entidades pagãs, eram parteiras oucurandeiras”.

Lembrando que ninguém poderia curar, se não fossem médicos cubanos.

Ir contra os ditames da igreja fazia mal a saúde. Você não iria acabar bem.
Ptolomeu dizia o que a igreja queria ouvir – que a Terra era o centro do Universo e essa ideia foi adotada pelos teólogos medievais e mantido e ensinado durante quase 14 séculos. Só no século 16 Copérnico o substituiu pelo sistema heliocêntrico depois confirmado por Galileu.

Mas o esperto do Copérnico que afirmava que a Terra não era o centro do Universo, e sim o Sol, teve que bancar o maluco para não parar na fogueira da Inquisição. Mas Galileu deu “mole” e em 1633 resolveu confirmar suas teorias e foi a julgamento o que o levou oficialmente a ser condenado por "grave suspeita de crime de heresia", ficando 8 anos em prisão domiciliar próximo a Florença, onde veio a morrer. 

Em muitos casos a igreja alegava "bruxaria" e "possessão demoníaca" com o fim de se apropriar ilicitamente de bens alheios ou como forma de vingança por alguém decidir enfrenta-la. Mas isso são águas passadas. Os representantes dos deuses não usam mais essa tática, agora eles usam “laranjas” para fazer o serviço sujo. Não dá pra “queimar” todo maluco que aparecer negando as verdades da igreja.

Não temos como saber se uma coisa é “verdadeira” se não temos provas que algo assim possa ter existido. O fato é que, um grupo está DESESPERADAMENTE tentando ocultar outras dimensões dessa mesma realidade. Por quê? Porque se não soubermos quem somos e o poder que temos, fica fácil nos controlar. Mas como eu disse, está ficando muito difícil esconder as coisas ultimamente.

29 de maio de 2008 
Pegada petrificada de um suposto ser humano que caminhou entre 5 e 15 milhões de anos sobre o altiplano andino da BolíviaAmerica do Sul - foi dado como oficialmente crível em 2008. Essa prova foi encontrada nas proximidades do Lago Titicaca, a cerca de 70 km a oeste de La Paz, entre as cidades de Tiwanaku e Guaqui, habitada por indígenas aimarás.

Perfeitamente impressa em uma pedra de um metro de largura e 3 metros de comprimento e cerca de 30 centímetros de espessura tornando-se visível a pegada humana, tal qual na areia molhada. Estudos morfológicos asseguram que a pegada é de um homem que calçaria tamanho 39 com altura mediana de 1,70m, com um peso de 70 quilos. Um modelo normal e perfeito de equilíbrio, peso e altura. 

E daí?
Daí que essa pequena pegada de mais de 5 milhões de anos contradiz tudo que a comunidade científica internacional prega e nos faz acreditar nas instituições de ensino superior. Segundo narra a lenda oficiosa, a espécie humana “surgiu” na África cerca de apenas 2 milhões de anos e a formação rochosa que apresenta a pegada, segundo estudos, pertence ao Mioceno do período terciário, o que significa que é a mais antiga pegada humana descoberta no mundo até essa data que vos narro essa historia.

"É uma pegada paleontológica muito antiga do período terciário, quando a Cordilheira dos Andes estava se formando e especialmente, as montanhas, perto do Lago Titicaca", acrescentou o relatório da Unidade Nacional de Arqueologia. 

E pensar que tem gente que passa anos defendendo tese sobre a origem da raça humana...

Não sei você o que pensa, mas a cada dia percebo que existe um “mundo” paralelo que estava oculto da nossa compreensão e que está se descortinando e revelando, nos mostrando como fomos iludidos e embriagados, dopados durante tantos séculos. As informações foram desviadas, descategorizadas, ocultadas, destruídas, fragmentadas, modificadas e QUEIMADAS conscientemente por um grupo que não deseja que saibamos realmente o que aconteceu e o que acontecerá com a nossa existência nessa dimensão.

Que “grupo” é esse? Todos que cultuam os deuses.
O termo catedral vem do latim cathedra que quer dizer cadeira ou trono de quem ensina, tendo sido depois aplicado ás sedes episcopais, no tempo de Carlos Magno.

Com a morte do imperador Carlos Magno o poder político fragmenta-se, passando do rei para o controle da nobreza. Os bispos abandonam os castelos dos senhores feudais que os protegiam e regressam aos núcleos urbanos, onde as catedrais voltam a ter sentido.

A passagem do estilo românico de catedrais sólidas e escuras do século VIII para o estilo gótico de linhas leves e de grande luminosidade, não está ainda bem explicada, mas percebe se uma mudança de ponto de vista sobre a função da “cátedra”.

A ordem da cisterciense opinava que as igrejas deveriam ser templos de luz, já que esta estava “intimamente ligada com a divindade”. A casa de Deus (ou dos deuses) deveria ser o templo de luz e, para tal, era necessário aligeirar as paredes e abrir-lhes grandes janelas com vitrais coloridos o que só era realizável com abóbadas de arcos cruzados e arcos em ogiva para iluminar todo o interior dos prédios. 

O abade de Saints Denis aplicou esta teoria na construção da sua basílica, começando assim o estilo gótico que rapidamente se espalhou por toda a Europa.

Sabedores da Geometria Sagrada
Mas somente os monges tinham os conhecimentos necessários sobre essa construção das catedrais, e ela não poderia ser passada a qualquer um, mas em breve apareceriam os mestres de obra e os operários especializados como pedreiros ferreiros, carpinteiros, vidreiros e outros que agrupados em diferentes grêmios, trabalhavam como uma só equipe (leia-se maçons) mantendo todo controle do conhecimento em suas várias etapas da vida.

Ou seja, o PODER central dos Reis foi dividido estrategicamente por grupos com o controle de toda a informação e a pirâmide foi estabelecida.

Gárgulas e outros bichos
Durante o século 12, quando as gárgulas apareceram na Europa, a Igreja Católica Romana foi ficando mais forte e convertia muitas pessoas. A maioria da população nessa época era analfabeta e, portanto, as imagens foram muito importantes para transmitir ideias sobre a representação do mal.

No mundo medieval muitas criaturas tinham poderes místicos atribuídos a eles. Grotescos são muitas vezes confundidos com gárgulas, mas a diferença é que gárgulas são figuras que contêm uma bica de água pela boca, enquanto grotescos são apenas figuras bizarras para “espantar” maus espíritos.

Arquitetos frequentemente utilizavam várias gárgulas em edifícios para dividir o fluxo de água da chuva do telhado para minimizar o dano potencial de uma tempestade.  A palavra holandesa para gárgula é waterspuwer, que significa "cuspidor de água" ou "vomitador de água." 

Pensa-se que as gárgulas foram usadas ​​para assustar as pessoas a entrar nas igrejas, lembrando-lhes que o fim dos tempos estava próximo e que a sua presença fiel assegurava que o mal estaria mantido fora dos muros da igreja. 

No século 12 um líder de igreja chamada St. Bernard de Clairvaux foi famoso por falar contra gárgulas.

"O que são esses monstros fantásticos fazendo nos claustros diante dos olhos dos irmãos enquanto eles leem? Qual é o significado desses macacos imundos, estes leões selvagens estranhas e monstros? Para que finalidade são colocados aqui estas criaturas, metade animal, metade homem, ou estes tigres manchados? vejo vários corpos com uma cabeça e várias cabeças com um corpo. Aqui está um quadrúpede com uma cabeça de serpente, há um peixe com cabeça de um quadrúpede, então, novamente uma metade cavalo animal, metade bode ... Certamente, se nós não corarmos de tais absurdos, devemos, pelo menos nos arrepender do que passamos com eles. "

O leões foram os animais não-nativos mais comuns trabalhados como uma gárgula no período medieval. O leão foi de longe o mais popular animal não-europeu a ser usado em igrejas e catedrais na Idade Média. Eles eram populares como gárgulas durante os tempos mais antigos - Pompéia está cheia deles - pois simbolizavam o sol

O Leão é um signo importante para a humanidade, regido pelo Sol, que por sua vez rege todos os mistérios solares que governa todas as expressões humanas através de Sirius. O Sol cria e sustenta as condições para o desenvolvimento da vida como experiente através de Leão. Leão é o Rei, entidade soberana que tem domínio sobre si mesmo. Propósito espiritual mais profundo do signo de Leão é a de expressar a Vontade Divina. Este signo é um sinal peculiarmente humano e está ligado de uma forma definitiva, com o aparecimento da humanidade na Terra

Maurice Cotterell acredita que nós somos afetados por campos mais poderosamente no tempo que somos concebidos do que no dia em que nascemos. Sua pesquisa estabeleceu que a atividade de manchas solares corresponda a ciclos de fertilidade humana e com o apogeu e declínio de grandes civilizações e impérios.


Cientistas como Cotterell, têm também descoberto que humanos tem um relógio interno que está em sincronia com o Sol. Em resumo, o efeito do Sol na vida humana é fundamental e bem além de sua óbvia contribuição de calor e luz.

Imagine o poder que você teria para manipular a raça humana se você soubesse os ciclos de energia do Sol e dos outros planetas e como eles afetam a consciência humana.

Você saberia quando as pessoas estariam mais propensas a raiva, agressão, dúvida e culpa, portanto, armados para fazer suas guerrascolapsos econômicos e assim por diante.

Ter conhecimento sobre tudo que nos cerca não é bom nem ruim, mas necessário, pois abre um leque de opções. Controlar a história de alguém (ou de um povo) é ter poder sobre ele, pois a percepção que damos a seu passado constrói o terreno para que possa influenciá-lo na percepção do seu presente/futuro.

O poeta da Grécia antiga, Hesíodo, descreveu o mundo de uma 4ª Dimensão.

"Os homens viviam como Deuses, sem vícios ou paixões, tormento ou trabalho árduo. Em feliz parceria com seres divinos, eles desfrutavam seus dias em tranquilidade e alegria, vivendo juntos em perfeita igualdade, unidos por mútua confiança e amor. A Terra era mais bela do que agora, e espontaneamente produzia uma abundante variedade de frutas. Os seres humanos e animais falavam a mesma língua e conversavam entre si. Os homens eram considerados meros garotos aos 100 anos de idade. Eles não tinham nenhuma das enfermidades da idade para preocuparem-se e quando eles faziam a passagem para regiões de vida mais elevadas, isto era em uma suave soneca”

Fim do mês de julho... Inicio do signo de Leão, inicio de um novo reinado.


laura botelho



O Martelo das Bruxas



Avô de G. W. Bush seria um Bruxo?

15 de jul de 2013

Ex ministro da China diz que extraterrestres vivem entre nós.

Dr. Sun Shili, é um cientista e ex-Ministro do Exterior da China e afirma que extraterrestres vivem entre os humanos no planeta Terra – hoje e sempre. 

Na limitada compreensão de quem
testemunhou no passado
viu apenas "carros voadores"
Shili afirma que pesquisas sérias sobre OVNIs poderiam levar a novas tecnologias, tais como viagens de alta velocidade, energia limpa e renovável, e culturas de crescimento mais rápido. Tudo aquilo que os “deuses” não querem que a gente saiba e nem quem mantém a ignorância aos humanos.

Shili, que já testemunhou um OVNI e é agora presidente da Beijing UFO Research Society, não está sozinho nesta afirmação. Outros cientistas chineses também acreditam que ETs e OVNIs tem uma presença definitiva no planeta. 

A China tem cerca de 50.000 membros em suas associações de OVNIs registrados oficialmente, mas alguns estimam que há dezenas de milhões de cidadãos chineses que estão interessados ​​no assunto. 

A mídia chinesa relata regularmente avistamentos de OVNIs e com o apoio de cientistas respeitados e dos militares, lhes dá um caráter de credibilidade científica a esse trabalho. Cerca de um terço de todos os membros da sociedade Ufológica na China são também membros do Governo. O estudo sobre Extraterrestres NÃO são sistematicamente marginalizados como no Ocidente - que leva essa linha de eventos UFOs a ridicularização.

O que acontece com a maioria dos humanos da parte Ocidental do planeta é explicado pelo sintoma da dissonância cognitiva.

Eles conseguem acreditar e cultuar todo santo dia e, sem nenhuma explicação com base “CIENTIFICA - que uma jovem virgem - escolhida entre tantas (não se sabe por que) - foi engravidada por uma “Luz divina” dando origem a um Rei, filho de um Rei maior, com o objetivo de disciplinar a todos humanos através do medo e sacrifício de sangue para obter um espaço privilegiado no céu ao lado do seu trono real.

Caso os humanos não sigam as regras pré-estabelecidas por mandamentos = “Ação ou efeito de mandar. Uma ordem, mandado. Voz de comando. Preceito do decálogo, preceito da Igreja” - esses tolos do rebanho queimarão no inferno.

Eu apoio essa ideia – tem que virar churrasco mesmo!

A data do curso mudou!
Precisamos ter uma compreensão ampla de diferentes disciplinas para entender esses fenômenos que se mantém despercebido pela maioria, mas que por não terem vontade de pesquisar e romper com os dogmas religiosos que os mantém no curral, preferem ignorar todos os indícios para não terem que mudar seu comportamento diante de tantos fatos.

Pesquisas sobre fenômenos UFOs são pautados por disciplinas como a matemática, nova física, história, filosofia, Teologia, antropologia, geologia, biologia e metafísica (fenômenos paranormais) e muitas outras.

Se você não quer pesquisar, ótimo. Mantenha-se na ignorância, deus ajuda. Mas se você sente que as coisas não são mais como nos disseram na escola... por favor, desperte para essas mudanças. Não se trata mais de acreditar ou não no que os ufólogos nos dizem, mas de provocar ações, movimentos para buscar outras formas de ver seu novo “mundo”.

O velho “mundo” acabou!! Não existe mais e você precisa acordar! Estamos em outra percepção de existência e não podemos mais conviver na planolandia!

Simplesmente? TUDO.

Muda a forma de ver quem você é em relação a outras pessoas no mesmo ambiente. Muda a forma de você sentir por que andas tão doente e nunca vê uma saída no fim desse túnel em que se enfiou. Muda a forma como você enxerga seu trabalho, seu emprego, sua atividade remunerada. Seus medos do futuro para “existir”. Muda sua forma de experienciar sua vida em todos os aspectos!!!
  
Boa semana a você, pois a minha será ótima.
laura botelho


Essa entrevista está em Espanhol e Inglês. Fácil compreensão








12 de jul de 2013

Vídeo - resumo da historia da humanidade com os Anunnaki


Acabei de encontrar esse vídeo (espanhol) com um resumo da historia da chegada dos Anunnaki a Terra e todo seu desenrolar – a criação dos humanos com seus atropelos.

Se você está chegando agora e não compreende bem como foi a história dos Anunnaki e só ouvir falar e está com uma preguiça do cão de ler para saber, não deixe de assistir a isso. Vai economizar muitos livros de leitura, muitos que eu tive que ler para escrever meu livrinho – “O segredo dos deuses”.

E se você leu meu livro vai poder identificar as passagens nesse vídeo. Quem montou esse documentário usou imagens (desenhou) para descrever como poderia ter ocorrido a chegada dos deuses e tudo mais que a gente já sabe depois das muitas traduções das escritas cuneiformes.

Não perca. Essa é a minha dica para o fim de semana.

laura botelho

8 de jul de 2013

Mitose celular em escala hiperdimensional


"Caindo a polaridade - não pensando em termos de bom ou ruim, mas vendo a integridade e a conclusão e perfeição da vida É uma mente muito clara, emocional e resposta do organismo. A resposta do corpo é aquela em que seu corpo simplesmente faz, não reconhecer o bem ou mal, mas vê-se que há um propósito maior por trás de tudo ". 
Drunvalo Melchizedek em mudanças no DNA e ativação

Como postei em textos anteriores, escreverei bem menos que antes, pois não vejo muito que agregar de informação que a maioria já não saiba. Entramos num novo ciclo de conhecimento e ele está nítido no que implica na ressonância e coerência com seus iguais. O que antes não se podia enxergar, agora está claro e na ponta do nariz. Não vê quem não quer.

De agora em diante é pura questão de escolha.
Escolher mudar sua postura diante da sua conturbada existência ou mante-la do jeitinho como está. O que tínhamos que saber já sabemos – individualmente em grau maior ou menor - mas ainda assim conscientes que nada mais é o que “acreditávamos” ser.

Tudo mudou, nada mais faz sentido se tomada a regra antiga. Os padrões e modelos do velho mundo ruíram e pouco sobrou para aproveitar a não ser não repetir os mesmos erros que nos levem a atalhos tortuosos no caminho.  

Estamos diante do grande salão dos espelhos e podemos ver nitidamente o reflexo daquilo que não queríamos enxergar.

O elefante sempre esteve no meio da sala, mas não queríamos ver, talvez por medo justamente de ter que tomar as rédeas da vida e de nossa responsabilidade sobre nossas próprias experiências. Não dá mais para esconder o elefante, minha gente... A realidade é dura, dramática, grandiosa e assustadora, e serão poucos os que vão trilhar o caminho do meio e manter o equilíbrio daqui em diante.

Catalisadores experienciais estão empurrando as pessoas de cima do muro, forçando-os a descobrir quem realmente são e o que representam na sociedade ou nos grupos familiares. Espero que você que lê e pesquisa sobre tudo seja um desses que deu o salto na qualidade de informação e viaja tranquilo observando as mudanças com relativa serenidade evitando a polaridade dos assuntos.

A Mudança
O mundo está experimentando agora uma separação de caminhos entre os setores da população. Quem não está mais em ressonância com o outro se afasta ou cria antipatia. É uma fração de campo, uma clivagem de campos - separação ou diferenciação dos grupos sociais, por razões ideológicas, religiosas, culturais, econômicas ou étnicas.

O fenômeno da polarização começa com desinteresse mútuo entre indivíduos de caminhos incomuns. Pode haver confronto radical e separação, afastamento ou circunstância que pode simplesmente trazer uma despedida suave consciente de suas convicções. A medida que o tempo passar as pessoas se reunirão em seus domínios coletivos mais harmoniosos. Haverá um abismo entre dimensões de percepção até o momento da partilha coletiva universal...

Separação de “mundos”
Os requisitos de aprendizagem de cada esfera coletiva podem tornar-se tão contraditórios que eles não poderão mais compartilhar o mesmo espaço, o mesmo cronograma, a mesma densidade dimensional seguindo uma trajetória diferente para seu futuro.

Forças de dimensões negativas conspiram para uma retomada de ação iminente. Eles desejam coibir essa debandada geral de mundos diferentes dos que eles têm controle. Para maior manejo da manada, do gado, é necessário que TODOS estejam no mesmo ambiente, no mesmo cercado, com o mesmo comportamento – o de seguir um guia, um sino, um pastor, um rei, um líder, condutor.


Caso contrário, se um resolver pular a cerca ou desviar o grupo da ordem, este será contido. É hora das “ovelhas negras” atuarem com inteligência e não com estripulias evitando chamar atenção dos predadores... se é que vocês me entendem.

Os que transitam em frequências de quarta dimensão negativa estão contando com uma supressão da frequência em massa bloqueando a humanidade em um “futuro provável”, com objetivo de colher boas safras de energia mantendo-os fortalecidos nesta densidade ou numa próxima. 

Isso significa assimilação genética com outros seres causando a perda da intuição e informação adquirida anteriormente retornando a escravidão espiritual e não mais distante dessa etapa a robotização da mente humana através do transhumanismo galopante. A maquina não saberá que tem uma alma e lutará para manter a matéria a todo custo.

A escolha coletiva materializa o cenário a que mais se identifica e se um grupo escolher a negação do livre arbítrio isso significa dar forças para que energias negativas possam reescrever a história (como fizeram antes) a fim de expandir e solidificar o controle no presente e futuro. 

Os antigos nos deixaram muitas mensagens e muitas delas nos orientando a ouvir nossa intuição e lembrar quem somos e relevar a essência da nossa alma. Na verdade, são âncoras de frequências deixadas para nos mostrar que a vibração que temos determina a dimensão que passaremos a atuar.


Se você teme a tudo, você será guiado por alguém que lhe diga o que fazer. Se você é forte e seguro sobre suas convicções e tem um grau de evolução que estabelece suas escolhas com equilíbrio, você estará fora dessa corrente que arrastará milhões. Você escreve seu mundo.

A manipulação ocorre através da vulnerabilidade espiritual, psicológica e emocional do indivíduo. Assim, o método preferido de manipulação é a programação do cérebro enquanto o individuo não tem consciência sobre quem ele é.

Existem frequências de supressão e frequências de libertação. 
Você não só é um exemplo para os outros, você também ajuda a expandir a dimensão do Campo local e global. Suas emoções são imitadas e compartilhadas com o seu grupo social. Mantenha o seu equilíbrio através da turbulência. Não conduza ou seja lanterna de ninguém, mas brilhe como um farol em meio à neblina. Fique parado e aguarde quem foi atraído a você chegar e não o contrário.

A física quântica calcula futuros prováveis ​​e a consciência (mente) seleciona um deles para experimenta-los. Textos antigos atestam que tudo é mente (energia/alma) que tudo vibra e essa vibração é conduzida – trabalha conforme uma determinada frequência.

Cada ser vivo é exclusivamente consciência de uma assinatura vibratória única. A alma transmite um rico espectro de vibrações, que através do princípio da ressonância (lei da atração) atrai um espectro correspondente de experiências, e aprender uma lição antes do tempo o impede de se manifestar como experiência física.

Energias de uma frequência em comum compartilham dimensões comuns da experiência e tendem a se cruzar na vida atraindo umas as outras. Conforme vibramos influenciamos experiências e a experiência influência o tipo de vibração que experimentamos. Essas vibrações podem ser moldadas por nós, pois temos controle sobre o que sentir e “como” sentir.

O indivíduo que entende quem é e o que é, sabe fazer escolhas e determina o que é melhor para ele o que impede de ser movido para outros planos dimensionais inferiores. É a consciência que determina o espaço temporal e detém a livre escolha de experimentar o que deseja.


A manipulação da realidade comum tende a ocorrer com elementos que não estão vinculados ao seu livre arbítrio, aqueles que são inconscientes de seus poderes de energia. 

É por isso que os ataques vêm das sombras, pois é uma estratégia mental e não material. Quaisquer tentativas de seres de 4D (dimensões) sobre quem tem segurança sobre suas escolhas será infrutífera e isso os deixa sem controle.

Um indivíduo com pseudo conhecimento (contra informação) está em maior perigo do que aquele que não tem conhecimento nenhum, porque seu livre-arbítrio está ligado a pseudos elementos, aqueles que não estão firmemente enraizados na realidade objetiva. Isso envolve a manipulação causal – a distração e diversão de grupos e campos coletivos.

Vibrações são ondas com amplitude, frequência e fase. 
Amplitude é a força, a frequência a rapidez de oscilação e para que uma onda de energia venha a existir e propagar tem de haver uma fonte e meio (médium) - o que gera a vibração e quem transporta a informação. Por exemplo, o som das cordas de um violão propagam vibrações que viajam através do ar sob a forma de picos de ondas alternadas, nada diferente da vibração da alma, que dependerá do “foco” musical de quem dedilha as cordas.

Sua vida pode ser um tema de samba canção, um chorinho ou um Rock Metal, você escolhe o que quer ouvir e sentir. O campo vibratório da alma consiste de campos e ondas de energia modeladas de informação - pensamento e emoção - muito mais sutis do que campos elétricos ou magnéticos, razão pela qual não podemos medir e detectar (ainda) a alma de alguém com os aparelhos simples que temos.

Frequência determina quais informações podem ser acessadas. A intensidade de iluminação (amplitude da onda) determina o grau do que podemos projetar na realidade. Quanto maior for a informação, mais precisa e completa será espelhada.

Nossos pensamentos determinam o ângulo e a força da nossa intenção que determina a precisão do que nitidamente se manifesta. Nossa natureza emocional é complexa e as frequências que a compõem são numerosas. Cada pessoa tem um espectro de vibração única, embora diferentes indivíduos possam compartilhar determinadas frequências, cada um terá uma visão/sensação diferente inigualável, um caminho de aprendizado único de sua existência em cada dimensão.

Nosso temperamento reflete nossa natureza e determina o domínio e qualidade de nossas experiências. Energias de maior complexidade de informação compreendem e percebem as energias mais limitadas, o que não ocorre o contrário. Um exemplo simples está entre uma criança e um adulto ou um cão e o homem – são campos hiperdimensionais diferentes com aparelhos diferentes e sensações e traduções captadas pelo cérebro diferentes.

A diferença pode ser pequena entre professor e aluno, adulto ou criança, ou grande entre homem e animal ou do ser hiperdimensional e o homem. São muitas as diferenças de nível de compreensão e percepção. Isto significa simplesmente que um tem um espectro de vibração que inclui e ultrapassa o outro.

Quando a diferença entre vibrações (informações) é extrema, seres de cada esfera dimensional não percebe fisicamente um ao outro. Duas ou mais pessoas podem partilhar as frequências mais baixas que os coloquem no mesmo plano físico, mas a diferença na trajetória de vida estará na maneira como cada individuo entende o ambiente e isso pode os separar e levar a insignificância na vida do outro. Eles podem se cruzar pela vida, mas apenas de forma superficial. 

São um pouco como roteiros de cinema, cada pessoa é a estrela de seu roteiro, mas todos os scripts, incluindo outros como personagens principais, secundários, ou de fundo atuam cada um conforme seu papel. A importância de um personagem não é determinada pela frequência com que interagimos com eles, mas como significativamente o fazemos. 

Os habitantes de muitas dimensões se cruzam inevitavelmente em caminhos e trocas de lições. Podemos cruzar com um personagem de fundo a cada dia, talvez um vizinho ou colega de trabalho e eles não deixam mais do que uma impressão rasa desaparecendo em nossas vidas do mesmo jeito que entraram. Já outros indivíduos podem aparecer apenas uma vez na vida e deixam uma experiência tão significativa que nos marca para o resto dela. 

Quando pessoas se reúnem em proximidade física ou mental mútua, seus campos vibratórios somam para produzir um ressonante campo coletivo forte em frequências compartilhadas entre eles. Este campo coletivo exercerá repulsão sobre alguém ou algo cujo espectro seja dissonante da frequência coletiva. 

Pessoas que entram no campo ou serão repelidas ou atraídas dependendo de quão perto seus perfis vibratórios coincidem com o coletivo. Cidades e bairros são exemplos físicos de grupos geradores de um campo coletivo cuja intensidade cai conforme a distância físicaFicar muito perto de uma área com vibrações fortemente dissonantes de nossas vibrações podem evocar sentimentos de mal-estar, asfixia, ou pânico. Você já deve ter sentido isso muitas vezes.

O contrário, em áreas com vibrações ressonantes a nossa convida e atrai os sentimentos de conforto e segurança. Isso se traduz nas igrejas e templos espirituais espalhados pelo mundo. Se você se identifica com a informação do coletivo, se sente bem, se une aos demais, se não, não entra ou conta os segundos para sair dele.

Quanto mais fraca a ressonância, mais energia é necessária para as entidades de outra dimensão afetarem diretamente as de outro. Quando a dissonância é fraca entre indivíduo e grupo, a repulsa pode se manifestar como desconforto emocional ou apatia, quando forte, em atrito acedendo o fogo emocional através de experiências negativas que catalisam o rompimento de interação física ou mental entre os elementos dissonantes.



Guerras ocorrem entre grupos concorrentes no mesmo ambiente físico ou mental porque a amplitude de vibração é o fator decisivo. Alguns indivíduos com baixas vibrações, mas com intensidade forte, podem invadir um grupo de vibrações superiores, mas de intensidade fraca, amortecendo suas frequências e, portanto, arrastando-os para baixo.

Fóruns de internet são exemplos de grupos mentais  cujos campos coletivos diminuem com a distância mental, pois se investe menos energia emocional ou não se sente o campo coletivo do grupo não-físico. Um grupo não físico leva alguns indivíduos altamente "negativos" ou fragmentados para entrar e infectar uma pasta da mensagem, e se os participantes do grupo não têm conhecimento e são fracos em vibração, caem na armadilha travando batalhas emocionais.

É por isso que as forças hostis respeitam o livre arbítrio - eles exigem que os alvos estejam dentro de uma determinada largura de banda de frequência de ressonância com a sua própria antes de poderem travar e manipular de forma estratégica a outra energia.

Ao ressoar dentro de seu espectro de frequência, ele entra em seu território hiperdimensional e adquiri a capacidade de dominá-lo inclusive fisicamente. Indivíduos ocupando uma vibração de baixa frequência, como militares ou pessoas extremamente paranoicas estão suficientemente dentro do espectro vibratório adequado para serem arrebatados, o que significa que obedecem facilmente ao ambiente.  

A frequência mais baixa da alma é aquela que nos mantém ligados ao plano físico (chakra raiz) e causalmente interagindo uns com os outros de forma dissonante. Cada experiência pode mover para cima ou para baixo da escala de frequência vibratória, dependendo de como se escolhe para perceber e utilizar estas experiências. Estas oportunidades são frequentemente usadas ​​para instalar um novo "hardware" e "software” – seja para melhor ou para pior dos mundos.

O grau em que as forças negativas manifestam concretamente na vida de alguém varia de acordo com a ressonância que se deparam. Algumas pessoas estão mais em sintonia com as vibrações de baixa frequência e experimentam a presença de entidades negativas muito mais do que aquelas cujas vibrações estão equilibradas.

Interações causais envolvem trocas de energia. 
Os maiores atrativos do fenômeno alien são o medo, paranoia, nervosismo e obsessão. Estas são características de frequência mais baixa que fazem um reativo, facilmente previsível e, portanto, facilmente controlável. 

Há opção de recuperar o controle sobre as emoções e uma atitude positiva caso alguém tenha tido contato com essas dimensões inferiores, mas alguns abduzidos são resistentes, gostam de sentir que foram "escolhidos", e não são a favor de acabar com seus encontros alienígenas. Isso converge em uma ressonância de mundos. O abduzido fica à mercê das entidades mais fortes e não consegue ver facilmente a saída dessa relação.  

Consistentemente manter uma alta frequência de energia é absolutamente essencial para se manter fora de problemas entre as dimensões. Mas isso exige esforço, porque estamos imersos em campos ambientais que podem influenciar o nosso próprio. Precisamos ter muita consciência para nos manter fora do campo de detecção dos predadores. Eles não nos enxergam, mas sentem nossa energia ou pelo menos a baixa frequência de que se alimentam.

Nossas experiências pessoais muitas vezes refletem "as batalhas entre os deuses". Muitos estão tão ligados em pensamentos de baixo estimulo que ressoam com os deles. Sentem a ira que eles sentem. Buscam a revanche, a tomada de terras perdidas. Desejam seus reinos de volta, seus tronos e juntamente com todo seu gado. Para cada frequência de vibração, a alma pode emitir loosh naquela frequência. A comparação pode ser traçada a energia do laser de uma determinada cor. Entidades com baixas frequências consumem energia de uma frequência baixa.

Esta energia conhecida como loosh é a força vital da energia colhida do sofrimento humano, uma energia emocional extraída no aprendizado de lições, no sacrifício, na energia psíquica expelida através da oração e ritual religioso. Culto dominical fornece quantidades de "massa" de energia e proporciona mais oportunidades de ataque negativas no domingo do que nos outros dias da semana. Domingo – é o dia do Sol.

A lua desempenha um papel importante na captação de energia pressionando frequências globais duas vezes por mês e inicia um verdadeiro frenesi de entidades negativas, é o que Gurdjieff quis dizer com “a humanidade sendo alimento para a lua”. Nas historias de Vampiros e Lobisomens a lua é o gatilho, certo?

O que a mudança de paradigmas atuais implica? 
No descolamento da nossa realidade coletiva consensual. Setores dissonantes da população podem divergir dos fluxos de tempo, em seguida vivendo completamente separados de existência. 

Tal qual ocorreu com inúmeros povos e civilizações anteriores. Afinal, para onde foram os Mayas, os moradores da Ilha de Páscoa? Os Atlantes e muitos outros?

No momento em que todos nós compartilhamos o mesmo planeta, e separação entre pessoas de caminhos de aprendizagem incompatíveis, é equivalente a separação geográfica na melhor das hipóteses.  Mas acredita-se que envolve uma barreira simples de sincronicidade entre seres de frequência dissonante, caso que raramente os levem a se cruzarem de novo em outros mundos. 

Assim na Terra como no céu
O que começará como mera antipatia entre os indivíduos poderá crescer para separação das formas, credos, raças e finalmente, partindo para dimensões diferentes de frequências, tal qual uma mitose celular, mas em escala hiperdimensional...

laura botelho




meus livros

meus livros
Click na imagem para comprar

Vulcões ativos